GeografiaMatérias

O que é o El Niño? Saiba as características e consequências

O que é El NiñoO que é El Niño?

O El Niño é um fenômeno climático que ocorre de maneira irregular, mas com uma média de 4 anos de intervalo. Ele ocasiona o aumento das temperaturas em diversas regiões e altera a quantidade de chuvas em outras. Descubra o que é o El Niño e como ele ocorre neste artigo.

Se quiser ir diretamente para alguma parte do texto, clique em algum dos tópicos abaixo:

Quando você terminar de ler o artigo sobre o que é o El Niño, que tal testar seus conhecimentos no Melhor Simulado Enem do Brasil?

O que é o El Niño?

El Niño é o aquecimento anormal das águas do Oceano Pacífico acompanhado do enfraquecimento dos ventos alísios que sopram sobre ele.

Ventos alísios são massas de ar quente e úmido que se deslocam das áreas subtropicais para as áreas da zona equatorial da Terra.

Este evento climático ocorre de modo irregular, com uma média de 4 anos.

As alterações provocadas por El Niño modificam o sistema climático de distribuição de chuvas e de calor em diversas regiões da Terra.

Seu nome se deve ao fato de que pescadores do Peru perceberam o aquecimento da água e a redução da quantidade de peixes no período do Natal. Isso os fizeram associar o evento climático ao nascimento do menino Jesus (em espanhol Niño Jesus). 

Este acontecimento não tem uma origem definida, havendo diversas hipóteses para explicar porque ele ocorre. Algumas delas são:

  • ciclos solares;
  • erupções vulcânicas;
  • acúmulo sazonal de águas quentes no Oceano Pacífico;
  • quedas de temperatura na Ásia Central.

Este fenômeno climático foi descrito com precisão somente no século XX, mas se tem registros datados em mais de 500 anos que indicam sua ocorrência, apontando mudanças na força dos ventos, chuvas, secas, pesca etc.

Este fenômeno pode ser classificado em: 

  • fraco, 
  • moderado, 
  • forte.

São mais de 200 resumos gratuitos no Instagram do Beduka. Aproveite!

Como o El Niño ocorre?

Para entender o El Niño, é necessário saber antes, como é a interação entre o Oceano Pacífico Equatorial e a atmosfera nos anos em que o fenômeno não acontece.

Nos anos normais, os ventos alísios carregam as águas que foram aquecidas pelo sol de leste para oeste

Isso faz com que a água fique acumulada no Pacífico Oriental, de modo que o mar na costa leste da Oceania tem cerca de 20 cm a mais de altura que na costa Oeste da América do Sul.

O calor da água é transferido para o ar, fazendo com que este fique mais leve e úmido. Dessa forma, ele sobe e se condensa com mais facilidade, gerando chuvas na região.

Este movimento dos ventos gera também a ressurgência, que é a subida de água de uma região mais profunda do mar para a superfície. Esta água é mais fria e rica em nutrientes, que alimentam o ecossistema marinho.

O El Niño inverte a ordem destes eventos, ao causar o enfraquecimento dos ventos alísios. Isso altera o padrão de circulação atmosférica. 

O resultado é que a água quente permanece na região da costa oeste sul-americana e a ressurgência diminui, levando, consequentemente, à diminuição dos peixes.

O El Niño mais forte já registrado por equipamentos modernos aconteceu entre 1982 e 1983, quando a temperatura das águas do Pacífico subiram 6ºC. Seus efeitos foram imensos, com perdas econômicas muito altas.

Quais são os efeitos do El Niño?

O El Niño altera a distribuição de calor e umidade em diversas regiões do globo terrestre. Um exemplo disso é a diminuição de chuvas no verão da Austrália, de alguns países do sudeste asiático, como a Índia, e de ilhas no Pacífico.

Em partes da América do Sul, como Peru e Equador,ocorrem enchentes devido ao aumento de chuvas nessas regiões. Isto se vê também em partes da América do Norte, como o meio oeste dos Estados Unidos, 

Devido à diminuição de peixes, a atividade pesqueira diminui intensamente. Isto pode ser  catastrófico, a depender da força do fenômeno, para regiões que dependem economicamente desta atividade.

Quais são os efeitos do El Niño no Brasil?

Os efeitos do El Niño no Brasil variam de região para região do país.

  • Na Região Sul: há o aumento de chuvas e da temperatura média.
  • Nas Regiões Sudeste e Centro-Oeste: as temperaturas médias são elevadas.
  • Nas Regiões Norte e Nordeste: as temperaturas se elevam e a precipitação de chuvas diminui, o que gera seca e queimadas. No nordeste, a seca pode alcançar 80% do período em que deveria ocorrer chuva.

O El Niño de 2015

Em 2015 o El Niño teve formação no mês de maio. A previsão era que ele tivesse intensidade entre moderado e forte e permanecesse até o final daquele ano ou até o começo de 2016.

O fenômeno foi se intensificando ao longo do ano. Em junho de 2015 já tinha alcançado anomalias de temperaturas nas regiões central e leste do Pacífico cujo patamar era de fenômeno forte.

Em novembro, as águas do Oceano tiveram temperatura superior à do evento de 1997/1998. O El Niño de 2015 é considerado um dos três eventos deste fenômeno com maior força, ao lado dos que ocorreram em 1997-98 e 1982-83.

Os efeitos do fenômeno naquele ano no Brasil foram imensos. Com as chuvas intensas na região sul, muitas famílias ficaram desabrigadas e uma pessoa morreu em decorrência de um tornado na região de Francisco Beltrão, estado do Paraná.

A seca que atingiu os estados de Minas Gerais e Espírito Santo foi agravada. Uma onda de calor tomou as regiões Centro Oeste, Sudeste, Norte e Nordeste, com cidades registrando temperaturas acima de 40ºC.

Gostou do nosso artigo sobre o que é o El Niño? Confira outros artigos do nosso blog e se prepare para o Enem da melhor maneira! Você também pode se organizar com o nosso plano de estudos, o mais completo da internet, e o melhor: totalmente gratuito!

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador