ExercíciosSociologia

Os 7 Melhores Exercícios sobre Sérgio Buarque de Holanda com Gabarito

exercícios sobre sérgio buarque de holandaExercícios sobre Sérgio Buarque de Holanda

Sérgio Buarque de Holanda foi um dos mais importantes intérpretes do Brasil. Baseando-se nas teorias weberianas criou o conceito de homem cordial como modelo de esclarecimento sobre nosso povo. Revise sua vida e obra e em seguida teste seus conhecimentos com os exercícios sobre Sérgio Buarque de Holanda que separamos.

Se quiser Para ir diretamente para alguma parte do texto, clique em algum dos tópicos abaixo:

Quando você terminar de responder aos exercícios sobre Sérgio Buarque de Holanda, que tal testar seus conhecimentos no Melhor Simulado Enem do Brasil?

Quem foi Sérgio Buarque de Holanda?

Sérgio Buarque de Holanda nasceu em São Paulo em 1902. Era filho de Cristovão Buarque de Holanda, um farmacêutico e professor universitário pernambucano, e da dona de casa carioca, Heloísa Gonçalves Buarque de Holanda.

Sérgio mudou-se com sua família para o Rio de Janeiro ainda adolescente. Nesta cidade, fez seus estudos jurídicos e trabalhou na imprensa, sendo correspondente da Revista Klaxon, de arte moderna.

Depois de concluir seus estudos, recebeu o convite de Assis Chateaubriand para atuar como correspondente internacional do Diários Associados, em Berlim. Foi neste período que teve contato com a obra de Max Weber.

Retornou ao Brasil em 1930 e continuou os trabalhos como jornalista até assumir o cargo de professor assistente da Universidade do Distrito Federal (UFRJ), em 1936. Neste ano, publicaria sua obra mais conhecida: Raízes no Brasil.

Em 1946, voltou a São Paulo, para dirigir o Museu Paulista, substituindo Afonso Taunay. Ficou no cargo até 1956.  Em São Paulo, também trabalhou como professor de História da Civilização Brasileira na USP

Para ingressar nesta instituição, escreveu a monografia Visões do Paraíso, em que aborda o imaginário dos europeus sobre a América, no período da colonização.

Ficaria no cargo até 1969, quando pediu aposentadoria em solidariedade aos colegas afastados da universidade pelo regime militar iniciado em 1964. Entre eles, estava o sociólogo Fernando Henrique Cardoso.

Permaneceu intelectualmente ativo até o ano de sua morte, 1982, trabalhando em pesquisas e colaborando como crítico literário.

Qual é a principal obra de Sérgio Buarque de Holanda?

Sérgio Buarque de Holanda foi um dos pioneiros nas análises sociais e políticas do Brasil a partir das teorias de Max Weber (1864-1920) sobre os tipos ideais. 

Deste modo, escreveu sua principal obra, Raízes do Brasil, em que apresenta o tipo ideal brasileiro, o homem cordial.

Em sua obra, Holanda buscou responder a questionamentos sobre o processo de inserção do Brasil na civilização moderna, democrática, impessoal, burocrática e liberal.

Em Raízes do Brasil, busca nas origens, no processo colonizador, o fundamento do atraso brasileiro. 

Para ele, a colonização foi sem direção bem estabelecida. Ela foi feita por homens solteiros buscando riquezas, que se adaptaram à estrutura latifundiária e à dependência do patriarcado rural.

Esta estrutura estratificou a sociedade, quase que num sistema de castas, hierarquizada segundo a cor das pessoas e à posse da terra e dos meios de produção. Segundo o autor, este modelo teria impedido a ascensão da burguesia no Brasil e da cultura liberal.

Esse modelo seria um empecilho para a realização da democracia sem o arbítrio de afeições pessoais para o ingresso nos cargos públicos.

Quem é o Homem Cordial?

O homem cordial é a tipologia do brasileiro. Ele seria o indivíduo que age segundo suas emoções, de modo pouco racional e personaliza todas as suas relações.

Ou seja, para Sérgio Buarque, o típico brasileiro não é habituado ao anonimato, mas a ser chamado pelo nome. Ele gosta de ser tratado de modo especial, valer-se de seu carisma para conquistar seus objetivos estabelecendo redes de contato.

Um exemplo disso é quando alguém se aproxima de um conhecido numa fila, para evitar ter de ficar no final. Valendo-se da amizade, ele consegue pagar sua conta antes de pessoas que chegaram ali primeiro.

O tipo cordial de homem se desenvolve na estrutura da família patriarcal. Assim, as relações se dão em ambiente privado e são estabelecidas pelo chefe, marcadas por carga emocional forte.

Assim, surgem hierarquias e apadrinhamentos, o mandonismo, o clientelismo e o filhotismo

Deste modo, uma autoridade favorece alguns escolhidos, exercendo poder sobre eles. E há também a necessidade de cair nas graças de alguém para conseguir cargos e benesses.

Frases de Sérgio Buarque de Holanda

“A inimizade pode ser tão cordial quanto a amizade.”

“Trazendo de países distantes nossas formas de convívio, nossas instituições, nossas ideias, e timbrando em manter tudo isso em ambiente muitas vezes desfavorável e hostil, somos ainda hoje uns desterrados em nossa terra”.

 “Em terra onde todos são barões, não é possível acordo coletivo durável, a não ser por uma força exterior respeitável e temida”.

“A rotina e não a razão abstrata foi o princípio que norteou os portugueses, nesta como em tantas outras expressões de sua atividade colonizadora. Preferiam agir por experiências sucessivas, nem sempre coordenadas umas às outras, a traçar de antemão um plano para segui-lo até o fim.”

“A contribuição brasileira para a civilização será o homem cordial”.

Depois de conhecer a vida e a obra de Sérgio Buarque de Holanda, responda os exercícios sobre ele que separamos.

Exercícios sobre Sérgio Buarque de Holanda

Questão 1 – (SETRABES) “Em Raízes do Brasil, as possibilidades heurísticas do gênero ensaístico são exploradas ao máximo. A linguagem plástica escolhida por Sérgio Buarque de Holanda permite converter circunstâncias complexas em um vocabulário de compreensão geral. Assim, o autor faz uso de dualismos como trabalho e aventura, ou semeador e ladrilhador, para descrever e tipificar concisamente os padrões abrangentes de conduta. A propósito, a tensão entre estes dois polos geraria o movimento que levaria ao avanço da história. Neste caso, o autor recorre, claramente, tanto à metodologia dos tipos ideais de Weber quanto à dialética de Hegel” (Costa, Sérgio. O Brasil de Sérgio Buarque de Holanda, 2014).

Na análise do autor de Raízes do Brasil:

a) a tensão, entre as diversas raças que formaram o Brasil, corresponde a um tipo ideal;

b) as diferenças entre classes sociais no Brasil é um tipo ideal;

c) a cordialidade do brasileiro é um tipo ideal por ser uma simplificação exagerada das diferenças religiosas;

d) o homem cordial corresponde a um tipo ideal sociopsicológico e a um padrão de sociabilidade;

e) o homem cordial corresponde a um tipo ideal fundado da unidade étnica no Brasil.

Questão 2 – (DPE-PR) Raízes do Brasil é, sem dúvida, um dos livros mais famosos e centrais ao pensamento sociológico sobre o país. Nesse clássico, Sérgio Buarque de Hollanda, baseando-se em Max Weber, trabalha com dois tipos sociais ideais para pensar o Brasil.

Assinale, entre as opções abaixo, aquela que corresponde à noção CORRETA:

a) Os dois tipos-ideais para pensar o Brasil foram as noções de “adaptação”, desenvolvidas adequadamente pelos portugueses nos trópicos, e de “aventura”, legado deixado pelos indígenas do território nacional, cuja bravura e resistência formou outro lado do caráter nacional.

b) A “racionalidade” dos administradores coloniais portugueses, versados no pleno desenvolvimento urbano, associou-se à “sociabilidade” dos escravos negros, sendo esses tipos ideais, o legado central para pensar o dilema brasileiro desde os tempos coloniais.

c) Trata-se de duas lógicas de colonização do país: a da “aventura”, de tradição ibérica, que visa ao resultado material imediato, riquezas e prestígio a partir da ousadia e da audácia; e a do “trabalho”, associada à colonização holandesa e protestante, baseada na ética do trabalho árduo e persistente.

d) A “civilidade” portuguesa, no árduo processo de construção de cidades e aglomerados urbanos em meio à selva e espaços de difícil habitação, mesclou-se à “lógica comunal” indígena, baseada na partilha e reciprocidade, lançando o país em uma apropriação específica da configuração capitalista colonial.

e) As lógicas condizentes da “cordialidade”, centralizada no caráter afetuoso e hospedeiro do índio do território brasileiro, bem como a “amabilidade” negra tornaram o povo brasileiro submisso aos ditames coloniais e, posteriormente, à elite política do país, configurando a dependência nacional frente ao cenário externo.

Questão 3 – (UFRN) Na obra Raízes do Brasil, publicada pela primeira vez em 1936, Sérgio Buarque de Holanda, ao analisar o processo histórico de formação da nossa sociedade, afirma: Desde o período colonial, para os detentores dos cargos públicos, a gestão política apresentava-se como assunto de seus interesses particulares. Isso caracteriza justamente o que separa o funcionário patrimonial e o puro burocrata. Para o funcionário patrimonial, as funções, os empregos e os benefícios que deles recebe relacionam-se a direitos pessoais dos funcionários e não a interesses objetivos, como ocorre no verdadeiro Estado burocrático. Assim, no Brasil, pode-se dizer que só excepcionalmente tivemos um sistema administrativo e um corpo de funcionários puramente dedicados a interesses objetivos e fundados nesses interesses. 

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995. [Adaptado]. 

Considerando as reflexões do autor e levando em conta práticas políticas constatadas no Brasil Republicano, é possível inferir que

a) os limites entre os domínios do público e do privado, no âmbito da administração pública, se confundem, não obstante as leis que visam a combater o patrimonialismo.

b) o patrimonialismo está presente nas regiões mais carentes do País, em razão apenas do baixo nível de formação dos quadros da administração pública.

c) as estruturas do poder administrativo no Brasil permanecem as mesmas do período colonial, daí a manutenção do patrimonialismo disseminado na sociedade.

d) o predomínio do interesse particular sobre o interesse público, no Brasil, foi efetivamente rompido com o êxito da Revolução de 1930.​

  • Muito bem! Você chegou à metade das questões sobre Sérgio Buarque de Holanda. Continue fazendo o restante.

Questão 4- (FAUEL) Em relação ao conceito do “homem cordial”, desenvolvido pelo historiador Sérgio Buarque de Holanda para interpretar aspectos centrais da cultura brasileira, assinale a alternativa INCORRETA.

a) As virtudes do homem cordial são sinônimos de bons modos, de bondade e de amizade.

b) O brasileiro sente, ao mesmo tempo, o desejo de estabelecer intimidade e o horror a qualquer convencionalismo social.

c) As raízes do caráter brasileiro se encontram no meio rural e patriarcal do período colonial.

d) Virtudes tão elogiadas por estrangeiros como hospitalidade e generosidade representam um traço definido do caráter brasileiro.

Questão 5- (CEPERJ) O capítulo 5 “O Homem Cordial” da obra Raízes do Brasil (Holanda, 1990) é, sem dúvida, um dos mais discutidos do clássico livro da historiografia brasileira. É nele que o autor destaca uma característica cultural, própria dos brasileiros, como a tendência a não achar agradáveis as relações impessoais, típicas das ações do Estado, procurando reduzi-las ao padrão pessoal, familiar e afetivo. Esta tendência do “homem cordial” a comportamentos de aparência afetiva, dificulta a formação no Brasil de uma sociedade urbana de tipo moderno. Um importante conceito, derivado das reflexões de Max Weber, que o referido autor utiliza para ressaltar a tendência brasileira de aceitar quando não, promover, certa promiscuidade entre interesses pessoais e familiares e as instituições do Estado é o conceito de:

a) patrimonialismo

b) gerencialismo

c) coronelismo

d) racionalidade

e) legitimação

Questão 6 –  (UniCesumar) Em 1936, Sérgio Buarque de Holanda lança uma de suas mais famosas obras, Raízes do Brasil, em que sustenta um de seus mais conhecidos conceitos: “o homem cordial”. De maneira geral, tal conceito exprime a ideia de que:

 a) a cordialidade, que se manifesta na esfera privada, quando transportada para a esfera pública, redunda em patrimonialismo, patriarcalismo e naturalização do nepotismo.

b) o estereótipo brasileiro, calcado na tríade “futebol, carnaval e samba”, é falso e incoerente diante dos conflitos sociais existentes no passado.

c) o catolicismo brasileiro, desde a colônia, se caracterizou pelo convívio pacífico com manifestações religiosas oriundas da África e das comunidades indígenas.

d) o brasileiro é cordial e pacífico, avesso aos movimentos contestatórios, o que pode ser comprovado pela ausência de conflitos sociais em sua história.

e) a miscigenação tornou a população brasileira dotada de traços de tolerância e convívio com as diferenças sociais, tendência expressa no mote “democracia racial”.

Questão 7 – (ENEM) Em sociedade de origens tão nitidamente personalistas como a nossa, é compreensível que os simples vínculos de pessoa a pessoa, independentes e até exclusivos de qualquer tendência para a cooperação autêntica entre os indivíduos, tenham sido quase sempre os mais decisivos. As agregações e relações pessoais, embora por vezes precárias, e, de outro lado, as lutas entre facções, entre famílias, entre regionalismos, faziam dela um todo incoerente e amorfo. O peculiar da vida brasileira parece ter sido por essa época, uma acentuação singularmente enérgica do afetivo, do irracional, do passional e uma estagnação ou antes uma atrofia correspondente das qualidades ordenadoras, disciplinadoras, racionalizadoras.

HOLANDA, S. B. Raízes do Brasil. São Paulo: Cia das Letras, 1995.

Um traço formador da vida pública brasileira expressa-se, segundo a análise do historiador, na

a) rigidez das normas jurídicas.

b) prevalência dos interesses privados.

c) solidez da organização institucional.

d) legitimidade das ações burocráticas.

e) estabilidade das estruturas políticas.

  • Parabéns, você fez todas as questões sobre Sérgio Buarque de Holanda. Confira agora o Gabarito:

Gabarito dos exercícios sobre Sérgio Buarque de Holanda

Exercício resolvido da questão 1 –

Alternativa correta: letra d) o homem cordial corresponde a um tipo ideal sociopsicológico e a um padrão de sociabilidade. 

Exercício resolvido da questão 2 –

alternativa correta: letra c) Trata-se de duas lógicas de colonização do país: a da “aventura”, de tradição ibérica, que visa ao resultado material imediato, riquezas e prestígio a partir da ousadia e da audácia; e a do “trabalho”, associada à colonização holandesa e protestante, baseada na ética do trabalho árduo e persistente.

Exercício resolvido da questão 3 –

Alternativa correta: letra a) os limites entre os domínios do público e do privado, no âmbito da administração pública, se confundem, não obstante as leis que visam a combater o patrimonialismo.

Exercício resolvido da questão 4 –

Alternativa correta: letra a) patrimonialismo

Exercício resolvido da questão 5 –

Alternativa correta: letra c) alguns mitos oferecem modelos de vida e podem servir como referências para a vida de muitas pessoas mesmo no século XXI. 

Exercício resolvido da questão 6 –

Alternativa correta: letra  a) a cordialidade, que se manifesta na esfera privada, quando transportada para a esfera pública, redunda em patrimonialismo, patriarcalismo e naturalização do nepotismo..

Exercício resolvido da questão 7 –

Alternativa correta: letra b) prevalência dos interesses privados.

Estude para o Enem com o Simulado Beduka. É gratuito!

Gostou das nossas questões sobre Sérgio Buarque de Holanda? Compartilhe com os seus amigos e comente abaixo sobre as áreas que você deseja mais explicações.

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador