Redação

Redação nota 1000 no ENEM 2017 corrigida e comentada – Marcus Vinícius

REDAÇÃO-NOTA-1000-NO-ENEM-2017-CORRIGIDA-E-COMENTADA-–-MARCUS-VINÍCIUSRedação nota 1000 corrigida e comentada

Nesse artigo apresentamos uma redação do ENEM nota 1000 sobre os desafios para a formação educacional de surdos no Brasil. Essa redação foi corrigida e comentada para que você aprenda com os exemplos dados.

Nós do Beduka resolvemos apresentar à você, a primeira da série redação ENEM corrigida e comentada. Quem a escreveu foi o Marcus Vinícius Monteiro Oliveira que é do Ceará e fez a redação nota 1000 no Enem 2017, sobre o tema: Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil

Primeiro ela está abaixo integral e sem comentários. Em seguida você verá a redação ENEM corrigida e comentada. Trata-se de uma redação nota 1000, logo, você aprenderá exatamente o que fazer para também ter uma nota assim!

Nós do Beduka, o seu buscador de faculdades e cursos, torcemos para que você também faça uma redação NOTA 1000!

Redação na íntegra:

No Brasil, o início do processo de educação de surdos remonta ao Segundo Reinado. No entanto, esse ato não se configurou como inclusivo, já que se caracterizou pelo estabelecimento de um “apartheid” educacional, ou seja, uma escola exclusiva para tal público, segregando-o dos que seriam considerados “normais” pela população.

Assim, notam-se desafios ligados à formação educacional das pessoas com dificuldade auditiva, seja por estereotipação da sociedade civil, seja por passividade governamental. Portanto, haja vista que a educação é fundamental para o desenvolvimento econômico do referido público e, logo, da nação, ela deve ser efetivada aos surdos pelos agentes adequados, a partir da resolução dos entraves vinculados a ela.

Sob esse viés, pode-se apontar como um empecilho à implementação desse direito, reconhecido por mecanismos legais, a discriminação enraizada em parte da sociedade, inclusive dos próprios responsáveis por essas pessoas com limitação. Isso por ser explicado segundo o sociólogo Talcott Parsons, o qual diz que a família é uma máquina que produz personalidades humanas, o que legitima a ideia de que o preconceito por parte de muitos pais dificulta o acesso à educação pelos surdos.

Tal estereótipo está associado a uma possível invalidez da pessoa com deficiência e é procrastinado, infelizmente, desde o Período Clássico grego, em que deficientes eram deixados para morrer por serem tratados como insignificantes, o que dificulta, ainda hoje, seu pleno desenvolvimento e sua autonomia.

Além do mais, ressalte-se que o Poder Público incrementou o acesso do público abordado ao sistema educacional brasileiro ao tornar a Libras uma língua secundária oficial e ao incluí-la, no mínimo, à grade curricular pública. Contudo, devido à falta de fiscalização e de políticas públicas ostensivas por parte de algumas gestões, isso não é bem efetivado.

Afinal, dados estatísticos mostram que o número de brasileiros com deficiência auditiva vem diminuindo tanto em escolas inclusivas – ou bilíngues -, como em exclusivas, a exemplo daquela criada no Segundo Reinado. Essa situação abjeta está relacionada à inexistência ou à incipiência de professores que dominem a Libras e à carência de aulas proficientes, inclusivas e proativas, o que deveria ser atenuado por meio de uma maior gerência do Estado nesse âmbito escolar.

Diante do exposto, cabe às instituições de ensino com proatividade o papel de deliberar acerca dessa limitação em palestras elucidativas por meio de exemplos em obras literárias, dados estatísticos e depoimentos de pessoas envolvidas com o tema, para que a sociedade civil, em especial os pais de surdos, não seja complacente com a cultura de estereótipos e preconceitos difundidos socialmente.

Outrossim, o próprio público deficiente deve alertar a outra parte da população sobre seus direitos e suas possibilidades no Estado civil a partir da realização de dias de conscientização na urbe e da divulgação de textos proativos em páginas virtuais, como “Quebrando o Tabu”.

Por fim, ativistas políticos devem realizar mutirões no Ministério ou na Secretaria de Educação, pressionando os demiurgos indiferentes à problemática abordada, com o fito de incentivá-los a profissionalizarem adequadamente os professores – para que todos saibam, no mínimo, o básico de Libras – e a efetivarem o estudo da Língua Brasileira de Sinais, por meio da disponibilização de verbas e da criação de políticas públicas convenientes, contrariando a teórica inclusão da primeira escola de surdos brasileira.

Redação ENEM corrigida e comentada:

No Brasil, (Foi uma ótima forma de começar, pois o que mais se vê é “atualmente” que é considerado clichê) o início do processo de educação de surdos remonta ao Segundo Reinado. (Esta primeira sentença foi curta e direta, fez um apontamento histórico) No entanto, esse ato não se configurou como inclusivo, já que se caracterizou pelo estabelecimento de um “apartheid” educacional, ou seja, uma escola exclusiva para tal público (“tal público” substitui “surdos”), segregando-o (O artigo “o” substitui “público”) dos que seriam considerados “normais” pela população. (Esta sentença já foi mais longa, mas bem estruturada por meio dos conectivos em itálico, o que ajuda na coesão. As substituições apontadas foram boas para evitar repetição de palavras)

Assim, notam-se (É uma forma impessoal, que é a exigência para as redações do ENEM) desafios ligados à formação educacional das pessoas com dificuldade auditiva, seja por estereotipação da sociedade civil, seja por passividade governamental. (O conectivo em itálico apontou duas causas para o problema apresentado, cumpre o papel de “ora…ora…” e “ou…ou…”) Portanto ( Conectivo de conclusão, a ideia do parágrafo já será completada), haja vista que (Este conectivo cumpre o papel de “cientes de que”, fazendo uma retrospecção do que se deve saber para extrair uma consequência) a educação é fundamental para o desenvolvimento econômico do referido público e, logo, da nação, ela deve ser efetivada aos surdos pelos agentes adequados, a partir da resolução dos entraves vinculados a ela. (Estes dois últimos conectivos em itálico foram importantíssimos na estrutura complexa da frase. “Logo” introduziu uma consequência lógica e “a partir da” o ponto de partida para a efetivação da ideia. A última palavra do parágrafo é “ela” e substitui “educação”. Isso é feito para evitar repetição de termos na redação, o que é ótimo)

Sob esse viés, pode-se apontar como um empecilho à implementação desse direito, reconhecido por mecanismos legais, (O trecho em itálico, que está entre vírgulas, explica melhor a situação do direito das pessoas surdas à educação) a discriminação enraizada em parte da sociedade, inclusive dos próprios responsáveis por essas pessoas com limitação. (Essa última parte da sentença é o apontamento prometido no início do parágrafo) Isso por ser explicado segundo o sociólogo Talcott Parsons, o qual (Remete ao sociólogo sem dizer seu nome novamente) diz que a família é uma máquina que produz personalidades humanas, o que legitima a ideia de que o preconceito por parte de muitos pais dificulta o acesso à educação pelos surdos. (Neste parágrafo foi adotada a seguinte estrutura: foi apresentada uma razão para um problema que vinha sendo tratado: a discriminação. Mostrou-se de onde vem a discriminação e ainda foi dado um exemplo de alguém que é autoridade no assunto, o sociólogo Parsons. Isso é o que se espera encontrar em uma redação dissertativa-argumentativa, pois não há marca de opinião, como “eu acho”, mas sim argumentos objetivos acompanhados de exemplos)

Tal estereótipo (Substitui a ideia de que os surdos não dão conta, são menosprezados) está associado a uma possível invalidez da pessoa com deficiência e é procrastinado, (Sinônimo de adiar) infelizmente (Foi usado para qualificar como ruim a associação descrita), desde o Período Clássico grego, em que deficientes eram deixados para morrer por serem tratados como insignificantes, o que dificulta, ainda hoje, seu pleno desenvolvimento e sua autonomia. (Este é um parágrafo frasal, todo ele é uma única frase, e apesar da redação ter sido nota mil, parágrafos assim não são recomendados. Ele deu mais razões argumentando em favor do que está defendendo, voltando à história para apontar as raízes de ações que se verificam no presente. Além disso, o aluno que escreveu essa redação usa muito bem palavras ou expressões entre vírgulas para explicar melhor o que está dizendo, sem criar novas frases para isso. Essa estratégia é boa se usada com moderação, pois o excesso de vírgulas pode deixar a frase muito longa e confusa, a clareza sempre deve ser o foco)

Além do mais, ressalte-se (Nunca escreva, por exemplo: “ressalto” ou “ressaltamos”, pois isso é marca de pessoalidade – nesse caso, primeira pessoa do singular ou do plural – e é incorreto em redações dissertativas) que o Poder Público incrementou o acesso do público abordado (Essa foi outra forma de evitar repetir termos, falando do mesmo grupo, o dos surdos) ao sistema educacional brasileiro ao tornar a Libras uma língua secundária oficial e ao incluí-la, no mínimo, à grade curricular pública. Contudo, (Conectivo com ideia de adversidade, ou seja, esperava-se algo e não aconteceu) devido à falta de fiscalização e de políticas públicas ostensivas por parte de algumas gestões, isso (Remete à tentativa do Poder Público de tentar incrementar o acesso dos surdos à educação, melhor do que escrever tudo de novo, certo?) não é bem efetivado.

Afinal, dados estatísticos (Caso você saiba, citar dados estatísticos é bom, pois você demonstra com isso que não presume o que argumenta. Isso serve como uma prova, um parâmetro objetivo) mostram que o número de brasileiros com deficiência auditiva vem diminuindo tanto em escolas inclusivas – ou bilíngues -, como em exclusivas, a exemplo daquela criada no Segundo Reinado. (Nesta sentença com muita ponderação, sem deixar a frase complicada, o aluno usou novamente explicações “extras” para dar exemplos, entre vírgulas ou entre hífens) Essa situação abjeta (sinônimo de desprezível) está relacionada à inexistência ou à incipiência (O incipiente está principiando, ou seja, no início. Pode ter a conotação de desconhecimento) de professores que dominem a Libras e à carência de aulas proficientes, inclusivas e proativas, o que deveria ser atenuado por meio de uma maior gerência do Estado nesse âmbito escolar. (Esta última frase do parágrafo é um show de domínio da norma padrão culta, com correto uso de crase, com o primeiro trecho sublinhado substituindo a situação inteira dos surdos, que é ruim, abjeta e com o correto o uso de “essa”, pois não foi uma situação mencionada neste parágrafo, está mais distante.)

Diante do exposto, cabe às instituições de ensino com proatividade o papel de deliberar acerca dessa limitação em palestras elucidativas (O que elucida é o que torna mais claro, explica bem) por meio de exemplos em obras literárias, dados estatísticos e depoimentos de pessoas envolvidas com o tema, para que a sociedade civil, em especial os pais de surdos, não seja complacente (Este singular concorda com “sociedade complacente”, não com “pais de surdos”. É comum o aluno errar realizando a concordância com o termo ou expressão mais próxima, o que nem sempre é o caso, como se viu) com a cultura de estereótipos e preconceitos difundidos socialmente. (Este parágrafo cumpriu o papel de uma conclusão, fez uma retomada do exposto anteriormente e foi novamente um parágrafo frasal. A frase foi longa, porém não confusa. O que permite isso é o bom uso de vírgulas para as pausas e separação de orações ou termos, dos conectivos e das relações de finalidade na argumentação)

Outrossim, (Este é um sinônimo de “igualmente”, usá-lo demonstra presença de bom vocabulário) o próprio público deficiente (Mais uma forma de evitar repetição, tantas formas diferentes também demonstram domínio de vocabulário) deve alertar a outra parte da população sobre seus direitos e suas possibilidades no Estado civil a partir da realização de dias de conscientização na urbe (Sinônimo de cidade) e da divulgação de textos proativos em páginas virtuais, como “Quebrando o Tabu”. (O aluno deu um exemplo do que está dizendo. Esta é uma estrutura recomendada: O argumento é anunciado, é defendido de forma impessoal e lógica e depois um exemplo é dado)

Por fim, (Típico conectivo de conclusão) ativistas políticos devem realizar mutirões no Ministério ou na Secretaria de Educação, pressionando os demiurgos (Palavra de origem grega, que dentre outras significações pode ser entendida como aquele que trabalha para o público) indiferentes à problemática abordada, com o fito de incentivá-los a profissionalizarem adequadamente os professores – para que todos saibam, no mínimo, o básico de Libras – e a efetivarem o estudo da Língua Brasileira de Sinais, por meio da disponibilização de verbas e da criação de políticas públicas convenientes, contrariando a teórica inclusão da primeira escola de surdos brasileira. (Neste parágrafo, as ideias apresentadas são uma possibilidade para a resolução do problema tratado ao longo da redação, cumprindo um dos critérios de avaliação modelo Enem, que é a proposta de intervenção, ou seja, o apontamento de algo concreto que auxilie na melhora do que está em questão)

Gostou da redação ENEM corrigida e comentada? Siga as dicas apontadas entre parênteses ao longo da redação e faça o mesmo na sua!

Aproveite e confira também:

Acompanhe o Beduka nas redes sociais: Facebook e Instagram

Faça o download  do melhor plano de estudos gratuito que você encontrará na internet.

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Redação Beduka
Redação Beduka
A equipe de redação do Beduka é composta por profissionais de várias formações (professores, jornalistas, filósofos), sempre prontos a oferecer os melhores conteúdos educacionais com foco no Enem e colaborar com a formação de todos os alunos. Sinta-se a vontade para deixar o seu comentário!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador