ExercíciosHistória

Exercícios sobre Fascismo com GABARITO

Exercícios_sobre_FascismoExercícios sobre Fascismo

Fascismo deriva de fascisti que significa conjunto de paus. Comunismo, fascismo e nazismo são filosofias coletivistas. O fascismo é um “regime autoritário com concentração total de poder no chefe de Estado, constante exaltação da coletividade nacional, paulatina aniquilação de opositores, controle dos meios de comunicação de massas, imaginário belicista e, não raro, expansionista” (Idelber Avelar, ensaísta e professor de literatura na Universidade Tulane, em Nova Orleans) Surgiu na Itália, após a Primeira Guerra Mundial e depois se espalhou pelo resto da Europa. 

Benito Mussolini venceu uma eleição democrática e estabeleceu o fascismo como sua filosofia.  Mussolini havia sido membro do Partido Socialista Italiano.

O Fascismo foi um sistema político que causou uma grande mancha na história da humanidade. Essa é a razão de ele estar sempre presente no Caderno de Ciências Humanas do ENEM. Sendo assim, leia o resumo e faça nossos exercícios sobre Fascismo. Depois, faça também o Simulado Beduka para estar preparado para tudo que aparecer.

O que é um Regime Fascista?

O fascismo, por ter caráter nacionalista, se adapta à cultura de um país e adota um nome diferente para cada nação. Então, para você não se confundir quando for fazer os exercícios sobre fascismo, veja as principais características do fascismo em geral.

  • Totalitarismo – Todo e qualquer processo ou evento, seja qual fosse a sua natureza (social, econômico, cultural, etc…) era controlado única e exclusivamente pelo Estado.  
  • Autoritarismo – O líder do partido, e consequentemente líder do Estado, era autoridade absoluta, porque sabia exatamente o que devia ser feito em prol do bem maior. 
  • Nacionalismo – A pátria é suprema e deve ser protegida, exaltada e vitoriosa sempre. Custe o que custar. 
  • Antiliberalismo – O fascismo mantinha a propriedade privada e incentivo à iniciativas privadas apenas de forma aparente, pois havia intervenção estatal, nacionalização de empresas, protecionismo e vertentes fascistas dentro das próprias empresas. Sob o fascismo, a sociedade como a conhecemos é deixada intacta, embora tudo seja supervisionado por um poderoso aparato estatal.
  • Expansionismo – Uma nação precisa de espaço para se desenvolver, e como a nação fascista se vê superior às demais ela não vê problemas em “reivindicar” os territórios necessários para o seu crescimento. 
  • Militarismo – Para possibilitar o expansionismo é essencial um exército poderoso. 
  • Anticomunismo – As ideias de igualdade absoluta, fim da propriedade e luta de classes não cabiam dentro de regimes fascistas. Contudo, tratava-se de uma variação da esquerda socialista, que não dividia pessoas em classes mas sim em nações. A forma política de operar com o Estado grande é a mesma.
  • Corporativismo – Quem deve decidir os governantes não é cada indivíduo, mas sim a corporação como um conjunto. Os fascistas achavam que uma sociedade estável é uma em que as classes apoiam umas às outras.
  • Hierarquia – Os mais fortes são únicos capazes de guiar um povo para a prosperidade, por isso, devem governar. 

O que foi o Fascismo Italiano?

Fascismo Italiano
O que foi o Fascismo na Itália

O próprio Mussolini explicou seu princípio da seguinte maneira: “Tudo dentro do Estado, nada fora do Estado, nada contra o Estado”.  Ele também disse: “O princípio básico da doutrina Fascista é sua concepção do Estado, de sua essência, de suas funções e de seus objetivos.  Para o Fascismo, o Estado é absoluto; indivíduos e grupos, relativos.”

O fascismo foi fortemente famoso em duas nações: Itália e Alemanha. Devido a isso, esses dois países sempre são cobrados em exercícios sobre fascismo nos vestibulares e provas. Vamos explicar um pouco sobre cada um. 

Os italianos estavam profundamente decepcionados após a Primeira Guerra Mundial. Seu país estava destruído estrutural e economicamente, além disso as promessas feitas pelos Aliados (Inglaterra, França e EUA) não foram cumpridas e os italianos se afundaram numa crise.

Assim, Benito Mussolini criou os “Grupos de combate” e o “Esquadrão”, como ele chamava para combater os rivais políticos e comunistas em 1919. Em 1921 o Partido Nacional Fascista foi criado e já contava com 300 mil membros. 

Em meio a greves, caos e movimentos revolucionários, um partido que unia nacionalistas, anticomunistas, combatentes e contrarrevolucionários crescia. Rapidamente o fascismo chegaria ao poder, se aproveitando também, das tensões internas entre os partidos popular e socialista. 

O grande clímax da ascensão fascista na Itália

O episódio que mais ficou marcado durante a escalada de Mussolini ao poder foi a Marcha sobre Roma. Entenda agora o que ela representou para não errar quando fizer os exercícios sobre fascismo. 

Em 1922, em Nápoles (cidade onde ficava o congresso fascista), Mussolini reuniu 50 mil Camisas Negras (como os fascistas eram conhecidos) para marchar em direção à capital Roma. O Rei Vitor-Emanuel III, sem escolha, convidou Mussolini para formar um Ministério. A partir daí, ele ganharia a eleição (fraudulenta) de 1924 e se tornaria “Duce” (Líder) da Itália.

Depois disso, começou a concentrar poderes e perseguir opositores. Estando consolidado no poder e aliado às principais elites, ele começou o processo de desenvolvimento, mas foi refreado devida à crise de 1929. 

O que foi o Fascismo Alemão?

Fascismo Alemão
O que foi o Fascismo na Alemanha (Nazismo)

E chegamos ao fascismo mais marcante da história do mundo: O nazismo alemão. O regime que tornou praticamente obrigatória a sua presença em qualquer prova com exercícios sobre fascismo. Vamos a ele. 

De volta ao cenário pós-Primeira Guerra, a Alemanha estava em frangalhos por causa do combate em si, mas principalmente por causa do Tratado de Versalhes. O tratado assinava a derrota da Alemanha, e lhe atribuía uma série de sanções como: Perda de territórios,  proibida formação de exército e indenizações imensuráveis aos vencedores.

A Alemanha chegou a esboçar uma reviravolta ao trocar a sua monarquia pela República de Weimar e começar a crescer economicamente, mas nada disso durou devido à crise de 1929. Junte um povo revoltado e na miséria com um cidadão que parecia concentrar toda a ira desse povo em si mesmo e você tem o ambiente perfeito para nascer um regime ditatorial. 

Inspirado no fascismo italiano, Adolf Hitler liderou o Partido Nazista (Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães) e nas eleições de 1932 eles ocuparam 230 cadeiras no Parlamento após terem 37% dos votos. 

O Presidente Paul Von Hindenburg foi obrigado a conceder mais poder a Hitler. O ex-mensageiro do exército na Primeira Guerra foi promovido a chanceler e posteriormente, presidente, foi quando se nomeou Fuhrer” (Líder) da Alemanha.

Hitler governou com poderio militar, exaltação de sua própria figura e intenso poder de propagando. Ele propagou o antissemitismo (ódio contra judeus) e declarou a raça ariana (brancos e héteros sem nenhum tipo de deficiência) como superior às demais, o que justificaria todos os seus atos a partir daquele ponto. 

Armado por suas filosofias e um grande exército, Hitler declarou guerra contra o mundo, sob o pretexto de que ele pertencia à raça ariana. Começava a Segunda Guerra Mundial. 

Exercícios sobre Fascismo 

Agora que você já tem noção do que foi esse regime, pode fazer os exercícios sobre fascismo sem medo. Boa sorte. 

 1. (Fuvest) O período entre as duas guerras mundiais (1919-1939) foi marcado por: 

a) Crise do capitalismo, do liberalismo e da democracia e polarização ideológica entre fascismo e comunismo. 

b) Sucesso do capitalismo, do liberalismo e da democracia e coexistência fraterna entre fascismo e comunismo. 

c) Estagnação das economias socialista e capitalista e aliança entre os E.U.A. e a U.R.S.S. para deter o avanço fascista na Europa. 

d) Prosperidade das economias capitalista e socialista e aparecimento da guerra fria entre os E.U.A e a U.R.S.S. 

e) Coexistência pacífica entre os blocos americano e soviético e surgimento do capitalismo monopolista.

2. (Cengranrio) Em relação ao período compreendido entre as duas guerras mundiais (de 1919 a 39), caracterizado pela crise do Estado e da sociedade liberal, assinale a afirmativa correta: 

a) O nazismo consolidou uma política interna de miscigenação racial e social visando a preparar a Alemanha para a expansão territorial. 

b) O fascismo encontrou dificuldades sucessivas para implantar o corporativismo, pois sofreu uma violenta oposição dos setores conservadores da burguesia e da classe média italiana. 

c) A ausência de uma política de autossuficiência obrigou os regimes nazifascistas a compensar suas deficiências econômicas com o expansionismo militar. 

d) A expansão da doutrina comunista na Europa, com a consolidação da Revolução Russa, favoreceu a Aliança com os comunistas italianos e alemães, cujo apoio propiciou a ascensão nazifascista. 

e) Nazismo e fascismo são doutrinas baseadas no nacionalismo e no totalitarismo, cuja política intervencionista buscava a estabilidade do Estado.

3. (Puc) “O Fascismo italiano e o Nazismo alemão conquistaram o respaldo de muitos setores da população, conseguindo um financiamento junto à alta burguesia. Assim puderam resolver a crise do capitalismo, com a instalação de ditaduras de direita que garantiram a ordem do sistema, os lucros e as propriedades.” Servindo de exemplo a muitos países também atingidos pelos efeitos da Grande Depressão, o totalitarismo: 

a) Reforçou o desenvolvimento armamentista, preparando o terreno para a eclosão da Segunda Guerra Mundial. 

b) Transformou a Alemanha no país mais rico e poderoso da Europa, ameaçada em sua supremacia apenas pela Dinamarca. 

c) Organizou e contribuiu para a evolução do bloco capitalista, sob o controle dos Estados Unidos. 

d) Desenvolveu a tendência de cooperação entre os Estados. 

e) Reacendeu as velhas disputas nacionalistas existentes, desde o século XIX, entre a Grécia e a Turquia. 

4. (Ufv) Assinale, dentre as alternativas a seguir, aquela que NÃO representa uma característica da doutrina político-ideológica nazista: 

a) O racismo, que se baseia na alegação de que existe uma raça superior a todas as outras e que, devido a esta superioridade, ela tem o direito de governar ou mesmo eliminar as demais. 

b) O militarismo, que se explícita na alegação de que a guerra, para a nação dos indivíduos da raça superior, é algo positivo porque possibilita um fortalecimento ainda maior desta raça. 

c) O totalitarismo, que se fundamenta na alegação de que todos os interesses individuais devem estar subordinados à vontade e interesse do Estado. 

d) O expansionismo, que se expressa na alegação de que a nação constituída pelos indivíduos de raça superior tem o direito de conquistar o espaço territorial de outras nações. 

e) O internacionalismo, que se apoia na alegação de que a existência de nações impede o desenvolvimento da Humanidade, sendo necessária a destruição das barreiras nacionais, sejam culturais, políticas ou econômicas, em prol da constituição de uma sociedade mundial.

5. (Cesgranrio) Entre Mussolini e Hitler, há em seus programas, pontos em comum, como a: 

a) Mobilização contínua das massas através de apelos nacionalistas e a manutenção de uma política de apoio aos socialistas. 

b) Ideia de centralização administrativa e o fortalecimento dos mercados de troca, principalmente ingleses. 

c) Organização militar da juventude e a não intervenção do Estado na vida econômica e política. 

d) Necessidade de fortalecimento do Estado e a adoção do corporativismo como base da reestruturação das relações sociais. 

e) Produção de um ideal bélico que acentuasse o gênio militar dos fascistas e a incorporação das minorias étnicas ao Estado com plena liberdade.

6. (Ufrs) O Período Entre Guerras, como é conhecido o intervalo entre os dois conflitos mundiais, caracterizou-se pela chamada: 

a) Crise das democracias liberais, quando muitos países se encaminharam para regimes políticos de extrema-direita. 

b) Era das insurreições, devido à insatisfação das massas trabalhadoras, que criaram estados socialistas nos Bálcãs. 

c) Expansão colonial, marcada pela soberania europeia em toda a África e América. 

d) Democratização dos Estados, consequência das reformas eleitorais que consolidaram o sufrágio universal. 

e) Paz de compromisso, com o estabelecimento de vários tratados para sustentar a democracia liberal.

Respostas dos Exercícios sobre Fascismo 

Exercício resolvido da questão 1 –

a) Crise do capitalismo, do liberalismo e da democracia e polarização ideológica entre fascismo e comunismo. 

Exercício resolvido da questão 2 –

e) Nazismo e fascismo são doutrinas baseadas no nacionalismo e no totalitarismo, cuja política intervencionista buscava a estabilidade do Estado.

Exercício resolvido da questão 3 –

a) Reforçou o desenvolvimento armamentista, preparando o terreno para a eclosão da Segunda Guerra Mundial. 

Exercício resolvido da questão 4 –

e) O internacionalismo, que se apoia na alegação de que a existência de nações impede o desenvolvimento da Humanidade, sendo necessária a destruição das barreiras nacionais, sejam culturais, políticas ou econômicas, em prol da constituição de uma sociedade mundial.

Exercício resolvido da questão 5 –

d) Necessidade de fortalecimento do Estado e a adoção do corporativismo como base da reestruturação das relações sociais.

Exercício resolvido da questão 6 –

a) Crise das democracias liberais, quando muitos países se encaminharam para regimes políticos de extrema-direita. 

Estude para o Enem com o Simulado Beduka. É gratuito!

Gostou dos nossos exercícios sobre Fascismo? Compartilhe com os seus amigos e comente abaixo sobre áreas que você deseja mais explicações.

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador