ExercíciosSociologia

Exercícios sobre Sociologia no Brasil com Gabarito

Exercícios sobre Sociologia no BrasilLista de Exercícios sobre Sociologia no Brasil com Gabarito

A Sociologia no Brasil é a ciência que busca compreender o funcionamento da sociedade brasileira. Ela pode ser dividida em três fases: Fase inicial (1880-1930), fase intermediária (1930 – 1940) e a fase atual (pós 1940). Para você entender cada uma dessas fases e colocar seu conhecimento em prática, selecionamos os melhores Exercícios sobre Sociologia no Brasil.

Quando você terminar os Exercícios sobre Sociologia no Brasil, faça nosso Simulado Enem. Coloque em prática todo o seu estudo, escolhendo as matérias que deseja treinar.

Você já pensou sobre os problemas que o Brasil enfrenta?

Você não foi o único!

Existe uma tradição de profissionais que passaram a vida pensando sobre isso. E mais…

alguns ousaram propor soluções. 

Quer saber como aprender tudo isso?

Leia nosso resumo e faça os melhores Exercícios sobre Sociologia Brasileira que selecionamos para você!

O que é Sociologia Brasileira?

A Sociologia no Brasil é a ciência que busca compreender o funcionamento da sociedade brasileira. Ela pode ser dividida em três fases: Fase inicial (1880-1930), fase intermediária (1930 – 1940) e a fase atual (pós 1940). 

Quer compreender cada uma dessas fases? 

Vamos te contar tudinho agora! 

Primeira fase da Sociologia no Brasil (1880 – 1930)

A Sociologia neste primeiro momento, era feita por intelectuais que não tinham uma formação especializada em Sociologia.

Eram estudiosos interessados em formular princípios teóricos ou interpretar, de maneira global, a sociedade brasileira.

Para além disso, há uma ausência de ensino de Sociologia, ou seja, não era uma matéria ensinada nas faculdades brasileiras ou nas escolas. E mais…

Não era comum pesquisas empíricas, ou seja, experimentais, nesta área do conhecimento.

Esses autores eram, principalmente, da área do Direito e sofriam forte influência do evolucionismo.

Tobias Barreto e Euclides da Cunha

Segunda fase da Sociologia no Brasil (1930 – 1940)

Essa é a chamada fase de transição, pois ela começou um processo de especialização. 

Passou a inserir a Sociologia no ensino escolar e universitário. E mais…

Os primeiros brasileiros formaram-se em sociologia a partir de 1936.

Terceira fase da Sociologia no Brasil (1930 – 1940)

Foi o período de consolidação e generalização da sociologia como uma disciplina universitária e uma atividade reconhecida na sociedade.

Esse período vem até os dias atuais, onde a sociologia está se tornando cada vez mais técnica e ligada ao meio acadêmico.

Florestan Fernandes e Guerreiro Ramos

Para um conhecimento ainda mais aprofundado, consulte este artigo da USP escrito pelo professor Antonio Candido

Principais temas abordados pela Sociologia no Brasil

  • Formação Colonial do Brasil;
  • Escravidão;
  • Abolição da Escravidão;
  • Sertões;
  • Urbanização;
  • Industrialização;
  • Trabalho;
  • Organizações sociais.

Esses foram os principais temas, claro que existem mais. Além do que…

O enfoque dos autores muda de acordo com as fases explicadas anteriormente.

Lembre-se de que a Relação de Trabalho é um tema muito importante para fazer os Exercícios sobre Sociologia no Brasil.

Exercícios sobre Sociologia no Brasil

No início até assusta, mas agora sei que com esse resumo tudo ficou mais claro para você. Que tal testar seu conhecimento com Exercícios sobre Sociologia no Brasil. 

Parabéns por ter lido até aqui!!! 

Baixe gratuitamente o Plano de Estudos do Beduka e tenha uma preparação perfeita para o ENEM.

Questão 1 – (Uff) “As festas e as procissões religiosas contavam entre os grandes divertimentos da população, o que se harmoniza perfeitamente com o extremo apreço pelo aspecto externo do culto e da religião que, entre nós, sempre se manifestou (…). O que está sendo festejado é antes o êxito da empresa aurífera, do que o Santíssimo Sacramento. A festa tem uma enorme virtude congraçadora, orientando a sociedade para o evento e fazendo esquecer da sua faina cotidiana.(…). A festa seria como o rito, um momento especial construído pela sociedade, situação surgida “sob a égide e o controle do sistema social” e por ele programada. A mensagem social de riqueza e opulência para todos ganharia, com a festa, enorme clareza e força. Mas a mensagem viria como cifrada: o barroco se utiliza da ilusão e do paradoxo, e assim o luxo era ostentação pura, o fausto era falso, a riqueza começava a ser pobreza, o apogeu decadência” (Adaptado de SOUZA, Laura de Mello e. Desclassificados do Ouro. Rio de Janeiro, Graal, 1990, pp. 20-23)

Segundo a autora do texto, a sociedade nascida da atividade mineradora, no Brasil do século XVIII, teria sido marcada por um “fausto falso” porque:

a) a mineração, por ter atraído um enorme contingente populacional para a região das Gerais, provocou uma crise constante de subalimentação, que dizimava somente os escravos, a mão de obra central desta atividade, o que era compensado pela realização constante de festas;

b) o conjunto das atividades de extração aurífera e de diamantes era volátil, dando àquela sociedade uma aparência opulenta, porém tão fugaz quanto a exploração das jazidas que rapidamente se esgotavam;

c) existia um profundo contraste entre os que monopolizavam a grande exploração de ouro e diamantes e a grande maioria da população livre, que vivia em estado de penúria total, enfrentando, inclusive, a fome, devido à alta concentração populacional na região;

d) a riqueza era a tônica dessa sociedade, sendo distribuída por todos os que nela trabalhavam, livres e escravos, o que tinha como contrapartida a promoção de luxuosas cerimônias religiosas, ainda que fosse falso o poderio da Igreja nesta região;

e) a luxuosa arquitetura barroca era uma forma de convencer a todos aqueles que buscavam viver da exploração das jazidas que o enriquecimento era fácil e a ascensão social aberta a todas as camadas daquela sociedade.

Questão 2 – (Fuvest) “A sociedade colonial brasileira “herdou concepções clássicas e medievais de organização e hierarquia, mas acrescentou-lhe sistemas de graduação que se originaram da diferenciação das ocupações, raça, cor e condição social. (…) As distinções essenciais entre fidalgos e plebeus tenderam a nivelar-se, pois o mar de indígenas que cercava os colonizadores portugueses tornava todo europeu, de fato, um gentil-homem em potencial. A disponibilidade de índios como escravos ou trabalhadores possibilitava aos imigrantes concretizar seus sonhos de nobreza. (…) Com índios, podia desfrutar de uma vida verdadeiramente nobre. O gentio transformou-se em um substituto do campesinato, um novo estado, que permitiu uma reorganização de categorias tradicionais. Contudo, o fato de serem aborígenes e, mais tarde, os africanos, diferentes étnica, religiosa e fenotipicamente dos europeus, criou oportunidades para novas distinções e hierarquias baseadas na cultura e na cor.” (Stuart B. Schwartz, SEGREDOS INTERNOS).

A partir do texto, pode-se concluir que:

a) a diferenciação clássica e medieval entre clero, nobreza e campesinato, existente na Europa, foi transferida para o Brasil por intermédio de Portugal e constituiu-se no elemento fundamental da sociedade brasileira colonial.

b) a presença de índios e negros na sociedade brasileira levou ao surgimento de instituições como a escravidão, completamente desconhecida da sociedade europeia nos séculos XV e XVI.

c) os índios do Brasil, por serem em pequena quantidade e terem sido facilmente dominados, não tiveram nenhum tipo de influência sobre a constituição da sociedade colonial.

d) a diferenciação de raças, culturas e condição social entre brancos e índios, brancos e negros, tendeu a diluir a distinção clássica e medieval entre fidalgos e plebeus europeus na sociedade colonial.

e) a existência de uma realidade diferente no Brasil, como a escravidão em larga escala de negros, não alterou em nenhum aspecto as concepções medievais dos portugueses durante os séculos XVI e XVII.

Questão 3 – (IFB 2017) A teoria da democracia racial, derivada a partir da hipótese de pesquisa desenvolvida por Gilberto Freyre, principalmente com sua obra “Casa-Grande e Senzala”, pode ser relacionada à política de cotas implementada nos institutos federais a partir da Lei 12.711 de 29 de agosto de 2012. Dentre as opções abaixo, marque a CORRETA em relação aos conteúdos do enunciado acima.

a) A teoria desenvolvida por Gilberto Freyre contribui para explicar a diferença entre os níveis de violência racial ocorridos nos EUA e no Brasil, bem como sustenta teoricamente a política de cotas raciais adotada em nosso país.

b) A teoria da democracia racial, derivada da obra de Freyre, sustenta uma suposta convivência pacífica e democrática entre os negros, indígenas e brancos europeus, de modo a sustentar a política de cotas raciais.

c) A teoria desenvolvida por Freyre atribui uma visão romantizada da realidade, tornando invisíveis várias formas de violência praticadas por brancos europeus em relação aos negros. A política de cotas raciais, nesse sentido, visa validar a teoria de Freyre.

d) A teoria da democracia racial, derivada da obra de Freyre, mascara em grande medida a violência praticada por brancos contra negros no Brasil, sustentando de certo modo parte das críticas atribuídas à adoção de cotas raciais no país.

e) A teoria da democracia racial de Freyre tem por princípio desvelar todas as formas de violência de brancos contra negros no Brasil, amparando teoricamente a adoção de cotas raciais como forma de compensação histórica.

Questão 4 – (ENEM 2009) “Formou-se na América tropical uma sociedade agrária na estrutura, escravocrata na técnica de exploração econômica, híbrida de índio – e mais tarde de negro – na composição. Sociedade que se desenvolveria defendida menos pela consciência de raça, do que pelo exclusivismo religioso desdobrado em sistema de profilaxia social e política. Menos pela ação oficial do que pelo braço e pela espada do particular. Mas tudo isso subordinado ao espírito político e de realismo econômico e jurídico que aqui, como em Portugal, foi desde o primeiro século elemento decisivo de formação nacional; sendo que entre nós através das grandes famílias proprietárias e autônomas; senhores de engenho com altar e capelão dentro de casa e índios de arco e flecha ou negros armados de arcabuzes às suas ordens”.

De acordo com a abordagem de Gilberto Freyre sobre a formação da sociedade brasileira, é correto afirmar que

a) a colonização na América tropical era obra, sobretudo, da iniciativa particular.

b) o caráter da colonização portuguesa no Brasil era exclusivamente mercantil.

c) a constituição da população brasileira esteve isenta de mestiçagem racial e cultural.

d) a Metrópole ditava as regras e governava as terras brasileiras com punhos de ferro

e) os engenhos constituíam um sistema econômico e político, mas sem implicações sociais.

Está gostando da nossa lista?

Faltam apenas 2 Exercícios sobre Sociologia no Brasil. Boa sorte!!!

Questão 5 – (UNIOESTE 2013) O antropologo brasileiro Darcy Ribeiro, em sua obra O Povo Brasileiro, afirma: “Nós, brasileiros, somos um povo sem ser, impedido de sê-lo. Um povo mestiço na carne e no espírito, já que aqui a mestiçagem jamais foi crime ou pecado. Nela, fomos feitos e ainda continuamos nos fazendo. Essa massa de nativos oriundos da mestiçagem viveu por séculos sem consciência de si, afundada na ninguendade. Assim foi até se definir como uma nova identidade étnico-nacional, a de brasileiros.”

RIBEIRO, D. O Povo Brasileiro. 1995, p.453.

a) A identidade nacional brasileira nasceu do encontro e mestiçagem entre diversos grupos étnicos.

b) A miscigenação do povo brasileiro se deu fisicamente e principalmente no seu modo de ser e agir.

c) A mestiçagem no Brasil foi um erro histórico e um obstáculo para a construção de uma identidade nacional.

d) As identidades não são coisas com as quais nascemos, são formadas e transformadas no interior das representações coletivas.

e) O homem é o resultado do meio cultural em que foi socializado, é herdeiro de um longo processo acumulativo, que reflete o conhecimento e as experiências adquiridas pelas numerosas gerações que o antecederam.

Questão 6 – (UFG 2014) Leia a receita apresentada a seguir.

TACACÁ

2 litros de tucupi temperado

4 dentes de alho

4 pimentas de cheiro

4 maços de jambu

1/2 kg de camarão

1/2 xícara de goma de mandioca

Sal a gosto

Modo de servir: muito quente, em cuias, temperado com pimenta.

Disponível em: www.receitastipicas.com/receita/tacata.html . Acesso em: 9 set. 2013.

Comer é um ato social, histórico, geográfico, religioso, econômico e cultural. O preparo dos alimentos, a escolha dos ingredientes e a maneira de servir identificam um grupo social e ajudam a estabelecer uma identidade cultural. Essa receita, “Tacacá”, comida muito apreciada na culinária paraense, demonstra:

a) uma interação cultural, com a incorporação de ingredientes advindos de tradições culinárias distintas.

b) um modo de preparo espontâneo, associado aos padrões culinários da colônia.

c) um modelo ritualista de servir, vinculado ao formalismo religioso africano.

d) um modo de utilizar os ingredientes provenientes do extrativismo, associado ao nomadismo dos quilombos.

e) uma imposição de identidade cultural, pelo uso de produtos cultivados em áreas sertanejas.

Gabarito dos Exercícios de Período Simples e Composto

Exercício resolvido da questão 1 –

Alternativa correta: c) existia um profundo contraste entre os que monopolizavam a grande exploração de ouro e diamantes e a grande maioria da população livre, que vivia em estado de penúria total, enfrentando, inclusive, a fome, devido à alta concentração populacional na região;

Exercício resolvido da questão 2 –

Alternativa correta: d) a diferenciação de raças, culturas e condição social entre brancos e índios, brancos e negros, tendeu a diluir a distinção clássica e medieval entre fidalgos e plebeus europeus na sociedade colonial.

Exercício resolvido da questão 3 –

Alternativa correta: d) A teoria da democracia racial, derivada da obra de Freyre, mascara em grande medida a violência praticada por brancos contra negros no Brasil, sustentando de certo modo parte das críticas atribuídas à adoção de cotas raciais no país.

Exercício resolvido da questão 4 –

Alternativa correta: a) a colonização na América tropical era obra, sobretudo, da iniciativa particular.

Exercício resolvido da questão 5 –

Alternativa correta: c) A mestiçagem no Brasil foi um erro histórico e um obstáculo para a construção de uma identidade nacional.

Exercício resolvido da questão 6 –

Alternativa correta: a) uma interação cultural, com a incorporação de ingredientes advindos de tradições culinárias distintas.

Estude para o Enem com o Simulado Beduka. É gratuito!

Gostou dos nossos Exercícios sobre Sociologia no Brasil? Compartilhe com os seus amigos e comente abaixo sobre as áreas que você deseja mais explicações. Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Redação Beduka
Redação Beduka
A equipe de redação do Beduka é composta por profissionais de várias formações (professores, jornalistas, filósofos), sempre prontos a oferecer os melhores conteúdos educacionais com foco no Enem e colaborar com a formação de todos os alunos. Sinta-se a vontade para deixar o seu comentário!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador