ExercíciosLiteratura

Questões sobre O Cortiço RESOLVIDAS

Questões_sobre_O_CortiçoQuestões sobre O Cortiço

O Cortiço é uma obra brasileira naturalista escrita por Aluísio Azevedo e publicada em 1890. Nesse texto faremos um resumo da obra, apresentaremos os personagens principais e faremos uma rápida análise do que foi exposto. No final, você terá questões sobre O Cortiço esperando por você, então leia com atenção pois os vestibulares gostam desse livro.

O Simulado Enem do Beduka te permite focar apenas em questões de literatura se esse for o seu interesse. Você também pode filtrar por outras matérias que tenha maiores dificuldades.

Principais personagens de O Cortiço

Antes de fazer questões sobre O Cortiço, você conhecer seus personagens. São eles:

João Romão: Desonesto. Português que veio para o Brasil e conseguiu ascender explorando os outros.

Bertoleza: Escrava que morava com João Romão e que foi enganada por ele.

Miranda: Inimigo de João Romão, também português. Tinha mais status mais respeito.

Rita Baiana: Representação da mulher brasileira na concepção do autor. Promovia os sambas e se sensualizava.

Jerônimo: Trabalhador português que conseguiu emprego com João Romão.

Capoeira Firmo: Mulato interessado na Rita Baiana.

Arraia Miúda: Lavadeiras, caixeiros, trabalhadores da pedreira e por Alexandre, o policial.

Piedade: Mulher de Jerônimo, representação europeia.

Resumo de O Cortiço

Agora que conhece os personagens, leia esse pequeno resumo de como a história deles se desenrola para depois fazer as questões sobre O Cortiço. 

Ascensão de João Romão

Joao Romao de O Cortiço
João Romão de O Cortiço

Logo de início somos apresentados ao protagonista, João Romão. Ele é um português que veio para o Brasil atrás de melhores condições de vida, e acaba por arrumar emprego em uma venda de outro português. 

O problema era que ele ganhava pouco, normalmente recebia com atraso e vivia na miséria. A sua oportunidade chega quando o português que lhe empregou deixa o negócio para ele, já que ia retornar definitivamente a Portugal. 

Porém, João não é o protagonista bom moço, muito pelo contrário. Ele começa a praticar desonestidades para ganhar dinheiro mais rápido e isso inclui enganar e se aproveitar da escrava Bertoleza.

O Cortiço 

O Cortiço que dá nome à obra surge mais à frente no livro. João engana Bertoleza fazendo-a acreditar que compraria sua alforria, então à convence a lhe dar todo o seu dinheiro. 

Ele gasta o dinheiro que ela havia juntado junto com o dele para comprar uma área próxima a uma pedreira. Dessa pedreira ele tiraria os materiais para construir casas e alugá-las para pessoas pobres.  

Todas as pessoas que iam morar no cortiço tinham um caráter no mínimo duvidoso, além do próprio lugar ser de bem baixa qualidade. Em determinado momento, João disputa o título de barão com um burguês chamado Miranda. Este tinha um palacete próximo ao Cortiço e derrota o nosso protagonista

A resposta encontrada por João é tentar se casar com a filha de Miranda

Final de Bertoleza

Bertoleza de O Cortiço
Bertoleza de O Cortiço

Para terminar o resumo, falemos sobre o final que levou a personagem Bertoleza (talvez a única personagem que passou o livro todo sem fazer nada de errado). Bertoleza por ser uma escrava e amante de João, posteriormente traria problemas para ele. 

Assim, ele à denuncia e quando ela percebe que foi enganada, se suicida com a faca que usava para limpar peixes. Um bom exemplo da visão terrivelmente pessimista que Aluísio teve ao escrever. 

Em sua obra, os personagens maus continuam sendo assim e os bons ou se corrompem, ou ficam sem conseguir o que querem. Pode-se dizer que é uma obra sem nenhum final feliz.

Análise do Cortiço

Vamos agora analisar as nuances mais profundas da obra. O contexto em que se passava e as técnicas narrativas utilizadas pelos autor. 

Contexto histórico

A obra se passa no Rio de Janeiro do século XIX. Na época, o Rio era a cidade mais desenvolvida em questão de urbanização e a capital do império. O Cortiço se passa acompanhando o processo de modernização da cidade. 

Zoomorfismo

Apesar de João Romão ser tratado como protagonista, a história tem um personagem principal ainda mais importante: o próprio Cortiço. O local constantemente recebe características humanas, criando um contraste com as pessoas que moram nele. Estas são animalizadas e zoomorfizadas.

Naturalismo

O naturalismo foi um movimento artístico que tinha como base a premissa de que o homem se torna o que o meio determina para ele. Esse movimento também defendia que a ciência é a melhor forma de obter conhecimento, criticava a burguesia e defendia o comunismo.  

As técnicas naturalistas atribuídas à obra são principalmente:

  • Narrador onisciente em 3ª pessoa.
  • Descreve os moradores do Cortiço como vermes.
  • Coletivo é tratado com mais importância que o individual.  

Determinismo

Essa é uma teoria que determina que os seres viventes de um ambiente são influenciados por esse ambiente. Outros fatores determinantes são a raça e a história. Em O Cortiço, o autor coloca os portugueses como sérios, tristes e esforçados. Já os brasileiros são tratados como sensuais, preguiçosos e alegres.

Ele descreve o Brasil com exuberância rural, mas decadência urbana, como é o próprio Cortiço. Ele condenaria todos os seus moradores a se “abrasileirarem”, que podia ser entendido como decaírem como seres humanos

O exemplo mais claro disso era Jerônimo, um português correto, mas que ao vir morar no Cortiço se apaixonou por uma mulher e se tornou um criminoso por causa dela. Ou seja, os maus continuam maus e os bons se corrompem ou nunca conseguem ascender.

Portugueses x Brasileiros

Aluísio Azevedo valorizou bastante o contraste entre os portugueses e brasileiros. Ele coloca os portugueses como burgueses ambiciosos com ânsia pelo dinheiro. Os brasileiros são vistos como preguiçosos inferiores e cheios de vícios que os controlam. Azevedo deixa escrachados os defeitos de cada personagem

Se você gostou do resumo e da análise do Cortiço e quer lê-lo para verificar por si mesmo, estamos deixando agora um pdf do livro para ler gratuitamente. Também deixaremos um trailer animado do filme que esse livro recebeu. Sim, ganhou uma adaptação para o cinema e está disponível no youtube. 

Seguem os links de acesso: 

Trailer animado do filme de O Cortiço
Filme completo de O Cortiço

Questões sobre O Cortiço 

Obrigado por ter lido até aqui. Faça agora as questões sobre O Cortiço e depois baixe nosso Plano de Estudos. É grátis e muito útil. Vai te ajudar muito. Boa sorte para você!

TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 1 A 4 

E Jerônimo via e escutava, sentindo ir-se-lhe toda a alma pelos olhos enamorados. Naquela mulata estava o grande mistério, a síntese das impressões que ele recebeu chegando aqui: ela era a luz ardente do meio-dia; ela era o calor vermelho das sestas da fazenda; era o aroma quente dos trevos e das baunilhas, que o atordoara nas matas brasileiras; era a palmeira virginal e esquiva que se não torce a nenhuma outra planta; era o veneno e era o açúcar gostoso; era o sapoti mais doce que o mel e era a castanha do caju, que abre feridas com o seu azeite de fogo; ela era a cobra verde e traiçoeira, a lagarta viscosa, a muriçoca doida, que esvoaçava havia muito tempo em torno do corpo dele, assanhando-lhe os desejos, acordando-lhe as fibras embambecidas pela saudade da terra, picando-lhe as artérias, para lhe cuspir dentro do sangue uma centelha daquele amor setentrional, uma nota daquela música feita de gemidos de prazer, uma larva daquela nuvem de cantáridas que zumbiam em torno da Rita Baiana e espalhavam-se pelo ar numa fosforescência afrodisíaca. 

Aluísio Azevedo, O cortiço 

1. (FUVEST, 2015) Em que pese a oposição programática do Naturalismo ao Romantismo, verifica-se no excerto – e na obra a que pertence – a presença de uma linha de continuidade entre o movimento romântico e a corrente naturalista brasileira, a saber, a 

a) exaltação patriótica da mistura de raças. 

b) necessidade de autodefinição nacional. 

c) aversão ao cientificismo. 

d) recusa dos modelos literários estrangeiros. 

e) idealização das relações amorosas. 

2. (FUVEST, 2015) Entre as características atribuídas, no texto, à natureza brasileira, sintetizada em Rita Baiana, aquela que corresponde, de modo mais completo, ao teor das transformações que o contato com essa mesma natureza provocará em Jerônimo é a que se expressa em: 

a) “era o calor vermelho das sestas da fazenda”. 

b) “era a palmeira virginal e esquiva que se não torce a nenhuma outra planta”. 

c) “era o veneno e era o açúcar gostoso”. 

d) “era a cobra verde e traiçoeira”. 

e) “[era] a muriçoca doida, que esvoaçava havia muito tempo em torno do corpo dele”. 

3. (FUVEST, 2015) O efeito expressivo do texto – bem como seu pertencimento ao Naturalismo em literatura – baseiam-se amplamente no procedimento de explorar de modo intensivo aspectos biológicos da natureza. Entre esses procedimentos empregados no texto, só NÃO se encontra a 

a) representação do homem como ser vivo em interação constante com o ambiente. 

b) exploração exaustiva dos receptores sensoriais humanos (audição, visão, olfação, gustação), bem como dos receptores mecânicos. 

c) figuração variada tanto de plantas quanto de animais, inclusive observados em sua interação. 

d) ênfase em processos naturais ligados à reprodução humana e à metamorfose em animais. 

e) focalização dos processos de seleção natural como principal força direcionadora do processo evolutivo. 

4. (FUVEST, 2015) Para entender as impressões de Jerônimo diante da natureza brasileira, é preciso ter como pressuposto que há 

a) um contraste entre a experiência prévia da personagem e sua vivência da diversidade biológica do país em que agora se encontra. 

b) uma continuidade na experiência de vida da personagem, posto que a diversidade biológica aqui e em seu local de origem são muito semelhantes. 

c) uma ampliação no universo de conhecimento da personagem, que já tinha vivência de diversidade biológica semelhante, mas a expande aqui. 

d) um equívoco na forma como a personagem percebe e vivencia a diversidade biológica local, que não comporta os organismos que ele julga ver. 

e) um estreitamento na experiência de vida do personagem, que vem de um local com maior diversidade de ambientes e de organismos. 

5. (FUVEST, 2013) Leia o seguinte texto. O autor pensava estar romanceando o processo brasileiro de guerra e acomodação entre as raças, em conformidade com as teorias racistas da época, mas, na verdade, conduzido pela lógica da ficção, mostrava um processo primitivo de exploração econômica e formação de classes, que se encaminhava de um modo passavelmente bárbaro e desmentia as ilusões do romancista. Roberto Schwarz. Adaptado. Esse texto crítico refere-se ao livro 

a) Memórias de um sargento de milícias. 

b) Til. 

c) O cortiço. 

d) Vidas secas. 

e) Capitães da areia   

Respostas das Questões sobre O Cortiço

Exercício resolvido da questão 1 –

b) necessidade de autodefinição nacional. 

Exercício resolvido da questão 2 –

c) “era o veneno e era o açúcar gostoso”. 

Exercício resolvido da questão 3 –

e) focalização dos processos de seleção natural como principal força direcionadora do processo evolutivo. 

Exercício resolvido da questão 4 –

a) um contraste entre a experiência prévia da personagem e sua vivência da diversidade biológica do país em que agora se encontra. 

Exercício resolvido da questão 5 –

c) O cortiço.

Estude para o Enem com o Simulado Beduka. É gratuito!

Gostou das nossas Questões sobre O Cortiço? Compartilhe com os seus amigos e comente abaixo sobre áreas que você deseja mais explicações.

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador