ExercíciosFilosofia

Questões sobre Rousseau com GABARITO

Questoes_sobre_RousseauQuestões sobre Rousseau

Nascido em Genebra, Suíça em 28 de julho de 1712, Jean-Jacques Rousseau foi um dos principais nomes do pensamento iluminista e contratualista. Suas principais obras falavam de política e filosofia e seus pensamentos embasaram a Revolução Francesa de 1789. Leia com atenção para fazer as questões sobre Rousseau. 

Após terminar as questões sobre Rousseau o convidamos a fazer nosso Simulado Enem. Ele contém correção instantânea por TRI e te permite focar nas matérias que mais tem dificuldade. 

Filosofia de Rousseau

A filosofia de Rousseau se baseia no princípio do “homem bom por natureza”. Isso significa que ele acreditava que o homem era naturalmente bom, honesto e puro. Contudo, a sociedade se ocupa de corrompê-lo.

Rousseau culpa principalmente a desigualdade social pela corrupção do homem. Ele fala que a desigualdade fomenta uma competição gananciosa e egoísta por ter mais do que o outro. Isso terminaria por assassinar o espírito caridoso e coletivo das pessoas. Ele também coloca que o homem natural é provido de livre-arbítrio e da noção de perfeição.

Vejamos um pouco mais sobre esse homem antes que você faça as questões sobre Rousseau.

O homem natural de Rousseau

Os homens naturais de Rousseau
Os homens naturais de Rousseau

O homem natural de Rousseau é o homem das sociedades tribais. Isso porque o filósofo afirma que esse é o homem puro que se preocupa com o bem-estar de toda a tribo. Segundo Rousseau, junto com o Estado surgiu a propriedade privada. Assim, os homens pararam de se importar uns com os outros e só se preocupam com o que é seu

Segundo Rousseau, quando a propriedade privada surge, o homem passa ao estado de homem civilizado. Importante citar que “civilizado” para Rousseau significava ser alguém que abriu mão de todos os princípios morais e se tornou alguém puramente egoísta.

Essa falta de consciência coletiva, para Rousseau, seria o que colocaria o homem num estado de evolução similar ao de um animal guiado pelo instinto. O homem no estado de natureza seria diferente por três motivos: 

  • Preocupação: Os homens se preocupam com o que pode afligi-lo, como fome, doenças, sede, entre outras situações naturais. Já os animais não se preocupam com isso
  • Razão: Os homens agem guiados pela razão e os animais segundo o instinto. Essa razão, para Rousseau, garantiria para o homem a liberdade que os animais não têm, de decidirem o que irão fazer. 
  • Evolução: O homem pode evoluir de forma que ele consiga se relacionar à natureza em prol de sua sobrevivência. 

Ao ler Rousseau, muitos podem pensar que ele propunha à sociedade retroceder a idade da pedra, entretanto ele sabia que isso não vai acontecer, pois admite que a evolução é um processo natural da humanidade. Rousseau criticava essa evolução porque, segundo ele, tirava a possibilidade de felicidade e igualdade

Contudo, Rousseau acha que a evolução pode trazer coisas boas como o exercício da consciência que permite um enobrecimento da alma. Assim, ele não é contra o desenvolvimento em sí. E sim, contra a degeneração de valores que, de acordo com ele, seria causada pela propriedade privada fomentadora da ganância, orgulho e desigualdade.

Ainda nessa vertente, ele é contra modismos, porque segundo ele, os modismos servem como correntes do pensamento livre. Assim, quando um artista ou cientista se rende aos modismos, eles prejudicam sua liberdade de pensamento.

Entendida a filosofia Rousseauniana, vamos entender o contrato social que esse filósofo tanto defendia antes que você faça as questões sobre Rousseau. 

O contrato social de Rousseau 

O chamado “Contrato Social” seria um pacto que o homem faz com o Estado ao romper com o estado natural e se tornar civilizado. Sim, Rousseau era um contratualista assim como Thomas Hobbes

Porém, Rousseau, diferente de Hobbes, acreditava que o homem era bom por natureza, não mau. Por tanto, o Estado seria liderado por pessoas boas e a sua força dependerá do quanto a população cederia suas liberdades individuais para ele.

Por isso o Estado devia privilegiar a vontade da maioria e isso o tornaria legítimo, porque as pessoas o estão aceitando. Da mesma forma que ao tornar todos iguais perante a lei o Estado devolve a liberdade anteriormente cedida.

Assim, o objetivo do Estado é o bem comum e isso iria gerar um senso de unidade entre as pessoas, já que ninguém está sendo submetido sozinho, mas sim juntos e por livre escolha. Dessa forma, o Estado teria plenos poderes para manter essa ordem, haja o que houver

Entendido o Contrato Social, vamos entender no que ele se baseia para você acertar as questões sobre Rousseau.

Liberdade de Rousseau

É importante falar de liberdade ao falar de Rousseau, porque é ela que legitima o contrato social e consequentemente o Estado. Segundo o filósofo, a condição de liberdade é tão natural do ser humano que ao abrir mão dela ele deixa de ser humano.

Lembrando que liberdade não é libertinagem. Ter liberdade significa que você é responsável pelas suas próprias ações, então ela envolve responsabilidade, ética e moral. Direitos sempre vêm acompanhados de deveres, Rousseau bate forte nessa tecla. 

Ao perceber que todos o homens são livres e por tanto todos devíam possuir essa consciência. Rousseau cria a teoria do contrato social. Isso porque ele entende que algo que todos têm individualmente, logo se torna coletivo

Dessa forma, Rousseau diz que os homens, como vontade geral admitiram a existência de um Estado para evitar que pessoas ou grupos individualistas começassem a agredir a liberdade das demais pessoas. Para isso ele admite que todos os homens aceitaram inconscientemente a viver sobre as regras de um governo

Ele termina falando que como todos concordaram com as regras, então é permitido que haja uma “alienação” da população para concordarem com essas leis. Ele justifica essa alienação dizendo que se ela não acontecer surgirão pessoas com ideias egoístas que irão ameaçar a harmonia da vontade geral e consequentemente a liberdade

Se você leu até aqui, já entendeu perfeitamente como o suíço pensava. 

Questões sobre Rousseau

Muito obrigado por ter lido até aqui. Baixe nosso Plano de Estudos, ele vai te ajudar muito. Boa sorte nas provas e já pode fazer as questões sobre Rousseau. 

1. (UESPI/2009) Rousseau construiu uma obra que se apresentou significativa para a afirmação do mundo moderno. Historicamente, contribui para refletir sobre a educação quando escreveu a obra Emílio.

No seu livro, Rousseau propõe:

a) a manutenção das tradições cristãs, enfatizando a disciplina religiosa.

b) o fim de muitos preconceitos, ressaltando a bondade humana.

c) a prevalência do mando dos homens, pela sua capacidade de disciplinar.

d) o cuidado com a ética, pois os humanos são egoístas e vaidosos.

e) a ruptura com todas as religiões, cheias de superstições e preconceitos.

2. (UEG GO/2009) Entendia o filósofo Jean-Jacques Rousseau que a sociedade civil é resultado das transformações que a espécie humana sofreu ao longo de sua história, sobretudo da condição de selvagem para a condição de homem civilizado.

O que permitiu essa transformação, segundo este filósofo, é a perfectibilidade. Selecione, nos itens a seguir, aquele que expressa o sentido de perfectibilidade em Rousseau, ou seja, a capacidade que o homem tem de

a) aperfeiçoar-se.

b) encontrar soluções para seus problemas.

c) enfrentar seus medos.

d) escapar dos perigos.

3. (FGV/2003) “O homem nasce livre, e por toda a parte encontra-se a ferros. O que se crê senhor dos demais, não deixa de ser mais escravo do que eles (…) A ordem social é um direito sagrado que serve de base a todos os outros. Tal direito, no entanto, não se origina da natureza: funda- se, portanto, em convenções.”

J.J. Rousseau, Do Contrato Social, in Os Pensadores. São Paulo, Abril Cultural, 1978, p. 22

A respeito da citação de Rousseau, é correto afirmar:

a) Aproxima-se do pensamento absolutista, que atribuía aos reis o direito divino de manter a ordem social.

b) Filia-se ao pensamento cristão, por atribuir a todos os homens uma condição de submissão semelhante à escravatura.

c) Filia-se ao pensamento abolicionista, por denunciar a escravidão praticada na América, ao longo do século XIX.

d) Aproxima-se do pensamento anarquista, que estabelece que o Estado deve ser abolido e a sociedade, governada por autogestão.

e) Aproxima-se do pensamento iluminista, ao conceber a ordem social como um direito sagrado que deve garantir a liberdade e a autonomia dos homens.

4. (FEI SP/2008) Leia o texto abaixo:

“A passagem do estado de natureza para o estado civil determina no homem uma mudança muito notável, substituindo na sua conduta o instinto pela justiça e dando às suas ações a moralidade que antes lhe faltava. É só então que, tomando a voz do dever o lugar do impulso físico, e o direito o lugar do apetite, o homem, até aí levando em consideração apenas a sua pessoa, vê-se forçado a agir baseando-se em outros princípios e a consultar a razão antes de ouvir suas inclinações. Embora nesse estado se prive de muitas vantagens que frui da natureza, ganha outras de igual monta: suas faculdades se exercem e se desenvolvem, suas ideias se alargam, seus sentimentos se enobrecem, toda a sua alma se eleva a tal ponto, que, se os abusos dessa nova condição não o degradassem frequentemente a uma condição inferior àquela donde saiu, deveria sem cessar bendizer o instante feliz que dela o arrancou para sempre e fez, de um animal estúpido e limitado, um ser inteligente e um homem.”

 (Rousseau, J.J. Do Contrato Social, São Paulo: Abril Cultural, 1978, p. 36)

Segundo Rousseau,

a) a sociedade é responsável pela decadência humana, daí a necessidade de voltarmos ao Estado de Natureza.

b) apenas a organização política é capaz de imprimir moralidade às ações humanas.

c) o homem no Estado Civil é um animal estúpido e limitado e, ao abandoná-lo e “voltar” ao Estado de Natureza, recupera seu caráter humano.

d) no Estado Civil os sentimentos humanos se enobrecem, daí a necessidade de se abolir o Estado para que o homem possa se realizar numa sociedade sem Estado.

e) a justiça e a moral são elementos nascidos no Estado de Natureza.

5. (Mackenzie SP/2007) Jean-Jacques Rousseau (1712-1778) foi um dos grandes expoentes do movimento de ideias que se forjaram ao longo do século XVIII. Embora recusado por grande parte dos membros da alta burguesia, seu pensamento acabou por influenciar tanto os revolucionários franceses de 1789 quanto os pensadores clássicos do liberalismo econômico.

Considere os trechos abaixo:

I. Afirmo, pois, que a soberania, não sendo senão o exercício da vontade geral, jamais pode alienar-se, e que o soberano, que nada é senão um ser coletivo, só pode ser representado por si mesmo. O poder pode transmitir-se; não, porém, a vontade. (Do contrato social)

II. O verdadeiro fundador da sociedade civil foi o primeiro que, tendo cercado um terreno, lembrou-

se de dizer: Isto é meu!, e encontrou pessoas suficientemente simples para acreditá-lo. Quantos crimes, guerras, assassínios, misérias e horrores não pouparia ao gênero humano aquele que, arrancando as estacas ou enchendo o fosso, tivesse gritado a seus semelhantes: Defendei-vos de ouvir esse impostor; estareis perdidos se esquecerdes que os frutos são de todos, e que a terra não pertence a ninguém! (Discurso sobre a desigualdade entre os homens)

III. Nasce daí esta questão debatida: se será melhor ser amado que temido ou vice-versa. Responder-se-á que se desejaria ser uma e outra coisa; mas como é difícil reunir ao mesmo tempo as qualidades que dão aqueles resultados, é muito mais seguro ser temido que amado, quando se tenha que falhar numa das duas. (O príncipe)

IV. Por outro lado, os homens não tiram prazer algum da companhia uns dos outros (e sim, pelo contrário, um enorme desprazer), quando não existe um poder capaz de manter a todos em respeito. Porque cada um pretende que seu companheiro lhe atribua o mesmo valor que ele se atribui a si próprio e, na presença de todos os sinais de desprezo ou de subestimação, naturalmente se esforça, na medida em que a tal se atreva (o que, entre os que não têm um poder comum capaz de os submeter a todos, vai suficientemente longe para leva-los a destruir-se uns aos outros), por arrancar de seus contendores a atribuição de maior valor, causando-lhes dano, e dos outros também, através do exemplo. (Leviatã)

Pertencem a obras desse filósofo:

a) apenas I e II.

b) apenas II e III.

c) apenas I e IV.

d) apenas I, II e IV.

e) I, II, III e IV.

Respostas das Questões sobre Rousseau

Exercício resolvido da questão 1 –

b) o fim de muitos preconceitos, ressaltando a bondade humana.

Exercício resolvido da questão 2 –

a) aperfeiçoar-se.

Exercício resolvido da questão 3 –

e) Aproxima-se do pensamento iluminista, ao conceber a ordem social como um direito sagrado que deve garantir a liberdade e a autonomia dos homens.

Exercício resolvido da questão 4 –

b) apenas a organização política é capaz de imprimir moralidade às ações humanas.

Exercício resolvido da questão 5 –

a) apenas I e II.

Estude para o Enem com o Simulado Beduka. É gratuito!

Gostou das nossas Questões sobre Rousseau? Compartilhe com os seus amigos e comente abaixo sobre áreas que você deseja mais explicações.

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador