Literatura

Resumo do livro O Tempo e o Vento de Érico Veríssimo + Análise

Resumo do livro O Tempo e o VentoResumo do livro O Tempo e o Vento

O Tempo e o Vento é uma série literária de Érico Veríssimo. Dividido em O Continente, O Retrato e O Arquipélago, o romance conta uma parte da história do Brasil vista a partir do Sul.

Veja o resumo do livro O Tempo e o Vento, obra de Érico Veríssimo, composta em três romances: O continente (1949), O Retrato (1951) e O Arquipélago (1962). São 200 anos de histórias e acontecimentos épicos que contam a formação do estado do Rio Grande do Sul.

Érico Lopes Veríssimo, o escritor da obra, nasceu no interior do estado do Rio Grande do Sul em 17 de dezembro de 1905. Faleceu em 28 de novembro de 1975.

Para ajudar com o ENEM 2019: Lista de livros que mais caem, todos resumidos e analisados.

Para ajudar com a FUVEST: Lista de livros obrigatórios, todos resumidos e analisados.

Todos os anos alguns autores se repetem mais do que outros nas provas do ENEM. NO caderno de linguagens, há sempre questões de literatura sobre obras de autores consagrados. Por isso, confira nossa lista acima. Vai te ajudar muito!

Em relação à FUVEST é a mesma coisa. Veja a lista com as leituras obrigatórias para os vestibulares em São Paulo.

Resumo do livro O Tempo e o Vento – Visão geral

indio pedro missioneiro em o tempo e o vento

Tudo começa com uma mulher que deu à luz a um menino: Pedro Missioneiro. Era um índio e nasceu na colônia dos jesuítas.

Foi o padre Alonzo que encontrou uma mulher entrando em trabalho de parto, no qual morreu. Pedro Missioneiro ficou aos cuidados dele, era um jovem inteligente e um bom católico. Já crescido casou-se com Ana Terra e com ela constituiu família. Seu filho recebeu o nome de Pedro Terra.

Saiba mais sobre a ação dos jesuítas neste artigo: a colonização portuguesa no Brasil – História Completa

Ana Terra, esposa de Pedro Missioneiro, era filha dos paulistas Maneco Terra e Henriqueta. Eles viviam em Sorocaba.

Tendo seu pai descoberto sua gravidez mandou que seus próprios filhos fossem assassinar Pedro. Algum tempo depois um grupo de castelhanos invadiu a fazenda da família Terra e mataram um dos irmãos e o pai de Ana e ainda a violentaram.Os que sobreviveram partiram para Santa Fé, onde se desenvolverá o restante do romance que você confere neste resumo do livro O Tempo e o Vento.

ana terra e seu filho

Pedro Terra cresceu em Santa Fé, conheceu lá sua esposa e com ela tem uma filha: Bibiana Terra. E as gerações não param por aí. Veja abaixo, no resumo do livro O Tempo e o Vento – detalhado, como a narrativa se desenvolve.

A trilogia de O tempo e o Vento: “O Continente”, “O Retrato”, “O Arquipélago”

Essas novelas que compõe a trilogia são independentes, mas há traços comuns que se complementam.

São dois séculos da história rio-grandense narrados e tentamos sintetizar da melhor forma neste resumo do livro O Tempo e o Vento. Por isso, vamos falar de cada parte individualmente.

De todo o tempo do romance épico de Érico Veríssimo, lendo “O Continente”, você já terá 150 anos de história, sobrando 50 anos para os outros dois volumes. Na primeira parte o período começa em 1745 com as missões dos jesuítas e vai até o cerco ao sobrado dos Cambará em 1895. Já os capítulos finais retratarão a queda de Getúlio Vargas em 1945.

Por falar em Getúlio Vargas, os temas envolvendo Estado Novo são recorrentes nas provas de humanas também, por isso fizemos exercícios sobre a Era Vargas para você treinar.

Resumo das obras separadas

Livro 1 – O Continente

A primeira publicação desta saga ou trilogia “O Tempo e o Vento” foi em 1949. Inicia-se com “O Continente” em dois volumes. A primeira parte é dedicada à narração do nascimento do estado do Rio Grande do Sul por meio de algumas famílias. São elas: Amaral, Cambará, Caré e Terra.

Neste resumo do livro O Tempo e o Vento você nunca mais esquecerá os sobrenomes Terra e Cambará.

Logo de início a conquista e a ocupação do território é retratada. São os aventureiros sorocabanos e lagunenses que, dirigindo-se ao sudoeste buscando boas planícies para pastorear e plantar, conquistam a região.

O que ajudou foi o Estado Português estabelecendo lá, fortificações militares, o que levou também a uma migração açoriana.

Aos poucos surgem as primeiras famílias dominantes.

Os personagens mais conhecidos são Ana Terra e Capitão Rodrigo. Este último foi combatente das tropas de Bento Gonçalves. No enredo há mistura de ficção e história! Ao longo deste resumo do livro O Tempo e o Vento você saberá outros aspectos históricos que se misturam à ficção.

Capítulo “Um certo Capitão Rodrigo”

capitao rodrigo cambara chega em santa fe em o tempo e o vento

Há certos capítulos que merecem destaque e tem de ser melhor resumidos, com mais detalhes. Este em especial, por causa do estilo e da temática, presente em “O Continente” é um dos que merece um cuidado minucioso.

Este é o capítulo que retrata a imagem do homem gaúcho forte com as típicas características de ser também destemido e bravo. A personagem que o figura é a do capitão Rodrigo Cambará, o protagonista.

O sucesso dele foi tanto, que a Editora Globo publicou separadamente, um capítulo inteiramente dedicado a ele, chamado ‘Um certo Capitão Rodrigo’.

Temos a cena em que o capitão chega à cidade de Santa Fé. Basta ela para percebermos o típico gaúcho por causa da descrição das vestes e da personalidade:

Além disso, em 2014 foi lançada uma minissérie em 3 capítulo pela Globo: O Tempo e o Vento.

A minissérie fez um apanhado geral, e nelas vemos muitos dos personagens que mencionamos aqui. Vale a pena assistir, trata-se de um filme dividido em três partes e está completo no Youtube.

Neste resumo do livro O Tempo e o Vento, confira um trecho que retrata a chegada do capitão Rodrigo Cambará:

Toda a gente tinha achado estranha a maneira como o capitão Rodrigo Cambará entrara na vida de Santa Fé. Um dia chegou a cavalo, vindo ninguém sabia de onde, com o chapéu de barbicacho puxado para a nuca, a bela cabeça de macho altivamente erguida, e aquele seu olhar de gavião que irritava e ao mesmo tempo fascinava as pessoas. Devia andar lá pelo meio da casa dos trinta, montava um alazão, trazia bombachas claras, botas com chilenas de prata e o busto musculoso apertado num dólmã militar azul, com gola vermelha e botões de metal.

Tinha um violão a tiracolo; sua espada, apresilhada aos arreios, rebrilhava ao sol daquela tarde de outubro de 1828 e o lenço encarnado que trazia ao pescoço esvoaçava no ar como uma bandeira. Apeou na frente da venda do Nicolau, amarrou o alazão no tronco dum cinamomo, entrou arrastando as esporas, batendo na coxa direita com o rebenque, e foi logo gritando, assim com ar de velho conhecido:

– Buenas e me espalho! Nos pequenos dou de prancha e nos grandes dou de talho!”

Percebeu como a descrição foi imponente e que foi retratada a valentia deste capitão adentrando um vilarejo bem pacato? Em poucas palavras também fica notório que ele é do tipo que pode incomodar, por causa do gênio forte.

Assim que chega, logo de cara conhece Juvenal Terra, que o responde de forma curta e grossa. No entanto não serão rivais já que o Capitão Rodrigo se apaixona perdidamente por Bibiana Terra, irmã de Juvenal. Logo, eles tornam-se cunhados.

O capitão Rodrigo a conquistou vencendo um duelo com Bento Amaral, filho do coronel Ricardo Amaral, que era rico e era pretendente de Bibiana.

A união de Rodrigo Cambará e de Bibiana Terra representa a união de duas das famílias que serão responsáveis, principalmente, pela formação do Rio Grande do Sul.

E o capitão não conquista somente Bibiana, mas muitos outros moradores de Santa Fé. Por exemplo, ele também caiu no gosto do padre Lara e do irmão de sua amada, Juvenal Terra. Juntos, os dois cunhados montam um negócio.

Contudo Rodrigo não é o que se chamaria de bom moço, pois mesmo já estando casado continua gostando do carteado, da bebedeira e até de outras mulheres.

Claro que o antagonista dele é Bento Amaral que perdeu a pretendente e o duelo. Eles travaram uma luta atrás do muro do cemitério. Foram lutar por causa de um desentendimento ocorrido numa festa de casamento. No embate, o filho do coronel humilhado pela derrota, utiliza-se de uma arma de fogo contra Rodrigo.

Rodrigo estava talhando a letra R de seu nome na testa de Bento, não teve tempo de completar, ficando somente o P, pois foi surpreendido por um disparo. Na cena final do capítulo o casarão da família Amaral é invadido.

resumo de o tempo e o vento de erico verissimo

Rodrigo Cambará morreu e deixou órfão seu filho Bolívar.

Foi tiroteio madrugada a dentro e o padre escutava atentamente os disparos seguidos de momentos de trégua. Por fim, já com o dia raiando um oficial dos farrapos foi bater em sua porta.

Com lágrimas nos olhos noticiou o padre de que o casarão fora tomado, mas que Rodrigo havia sido morto com bala no peito. O vigário ficou arrasado com essa notícia e o oficial chorava como criança, com olhar de quem espera um milagre. Assim terminamos o resumo do livro O Tempo e o Vento – Parte I.

Esses eventos têm marcas históricas da farroupilha. Saiba também um pouco mais sobre outra revolta de Canudos: está tudo nesse resumo de Os Sertões.

Livro 2 – O Retrato

Este é o segundo romance da saga e nele retrata-se a decadência social em Santa Fé na virada do séc XX por motivações e joguetes políticos. Aos poucos Santa Fé foi perdendo o caráter rural e ficando mais urbana.

Rodrigo Terra Cambará (bisneto do capitão que já conhecemos) resolveu voltar à Santa Fé, sua terra natal, depois de um tempo estudando para ser médico em Porto Alegre.

Vemos nele a transformação de um homem. Ele era culto, médico com costumes requintados e torna-se um gaúcho machão, violento e com incontroláveis desejos sexuais.

Livro 3: O Arquipélago

Continuando o nosso resumo do livro O Tempo e o Vento, chegamos ao último romance da trilogia. Nele acompanhamos a desintegração das famílias originárias e das pessoas. Aos poucos a decadência dos estancieiros deixa lugar para os imigrantes.

Lemos o retorno de Rodrigo Cambará à cidade de Santa Fé após os longos anos passados no Rio de Janeiro junto do presidente da época e que era seu amigo e aliado, Getúlio Vargas, atuando na vida pública e política.

Getúlio foi presidente no tempo em que Hitler já estava no poder. Treine com as questões sobre Segunda Guerra Mundial do ENEM.

Rodrigo Cambará chegou a ser deputado federal republicano. Mais uma vez é forte a mistura de personagens reais com fictícios. Por exemplo, temos em “O Arquiélago” a presença de Getúlio Vargas, Osvaldo Aranha e Luís Carlos Prestes junto aos personagens fictícios da obra.

A família Terra Cambará até então somente tinha poder local. No entanto, neste terceiro livro a vemos adquirir influência em nível nacional. Com o fim do Estado Novo, Rodrigo doente e derrotado politicamente luta para não morrer na cama considerando que “Cambará macho não morre na cama”.

A trilogia termina de forma metalinguística sendo encerrada da mesma forma que começou. Assim começou e assim terminou a narrativa das lutas e conquistas das famílias rio-grandenses:

“Sentou-se à máquina, ficou por alguns segundos a olhar para o papel, como que hipnotizado, e depois escreveu dum jato:

Era uma noite fria de lua cheia. As estrelas cintilavam sobre a cidade de Santa Fé, que de tão quieta e deserta parecia um cemitério abandonado.”

Análise do livro O Tempo e o Vento

Importância do livro

“O Continente”, primeiro livro da trilogia “O Tempo e o Vento” de Érico Veríssimo, foi um importantíssimo marco para a literatura regional do Brasil. A região sul brasileira foi retratada como nunca antes e os elementos históricos rio-grandenses foram magistralmente unidos aos episódios às personagens fictícias.

Outras obras com temáticas regionalistas:

História

Érico Veríssimo possui uma complexa relação com a história. Acontecimentos reais são pano de fundo para sua ficção. Vemos a mistura de seu enredo à presença dos jesuítas em missão no sul, conflitos internos como a Guerra dos Farrapos e até problemas com países vizinhos.

Linguagem

Veríssimo reproduziu a mestiçagem linguística, conforme era comum na época. É possível notar a influência do espanhol e das línguas indígenas nas falas das personagens.

Marcantes e notórios também, são seus personagens. Principalmente destacamos os traços do capitão Rodrigo. Ana Terra por sua vez, é a figura feminina em meio a realidade machista e violenta. Por meio do povo o autor conta a história do Estado.

O Tempo e o Vento é resultado das mãos de um escritor modernista da geração de 30. A escrita é simples. Há o regionalismo, debates de assuntos religiosos e sócio-políticos, contextualizados pelos eventos do período em que a obra foi escrita: A Guerra Fria.

Durante toda a trama com o embate entre as família Terra e Amaral há uma tensão que lembra as grandes potências.

A maior parte dos escritores cobrados no vestibular é modernista. Você sabe o que isso quer dizer? Conheça os autores da primeira e da segunda fase do modernismo no Brasil.

Tempo

O tempo é psicológico e não cronológico. Não segue a ordem temporal, segue a memória das personagens, principalmente Bibiana Terra. Os capítulos se alternam entre a narração presente e os acontecimentos das gerações passadas.

Bibiana já uma matriarca de família e se recorda do passado, de sua avó Ana Terra e do Capitão Rodrigo Cambará. A história começa mesmo em 1895 na Revolução Federalista. havia guerra entre margatos (federalistas) e pica-paus (republicanos). As terras da família Terra Cambará estão cercadas.

Enquanto tudo isso ocorre é que aos poucos vamos conhecendo os fatos passados até a chegada desses no Sobrado em 1895.

Leia o resumo e análise de Os Lusíadas de Camões. Vemos um enredo numa interessante relação com o tempo também.

Explicação do título O Tempo e o Vento

O título do livro significa a passagem do tempo e também a sucessão de gerações das famílias que fundaram o Rio Grande do Sul. A obra transcorre de um modo não linear, pois conhecemos as gerações passadas através das memórias de Bibiana Terra, que é quem conhecemos primeiro. Há sucessão de tempo na leitura.

O vento faz alusão ao próprio clima típico da região e também confirma o caráter passageiro do tempo, pois o vento “passa” assim como o tempo.

A narrativa reflete a ideia de transitoriedade: uma saga dos heróis do passado, que tiveram sua importância e estão com os nomes marcados na história. Além disso, já fazem parte do passado e se tornaram espectros, “fantasmas”.

Assim terminamos nosso resumo do livro O Tempo e o Vento!

Gostou? Diariamente fazemos publicações novas que podem te ajudar. Por isso, não perca nada. Siga o Beduka no Facebook e no Instagram.

Aprenda muito mais com o Beduka!

Faça simulados para o ENEM e leia muitas matérias com dicas para os vestibulares no nosso blog. Também falamos sobre as profissões, sobre os cursos universitários e muito mais. Além do resumo do livro O Tempo e o vento, temos também vários outros resumos.

Saiba no nosso site a nota de corte do SISU e do PROUNI para cada curso em cada faculdade de uma forma super fácil! Acesse Beduka.com

Temos um canal no YouTube com vários profissionais explicando como é viver a profissão escolhida no dia a dia e ainda dizendo como está o mercado.

O Beduka é um buscador de faculdades e cursos totalmente online e gratuito. Faça sua busca já! Encontre o melhor lugar para você estudar, com as melhores avaliações do MEC e dos alunos.

Veja também os valores das mensalidades das instituições, seja presencialmente ou EAD.

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Redação Beduka
Redação Beduka
A equipe de redação do Beduka é composta por pessoas de várias formações, sempre prontas a aprender sobre tudo para publicar os melhores textos e colaborar com a formação de todos os leitores. Sinta-se a vontade para deixar o seu comentário!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador