ExercíciosLiteratura

Os 6 Melhores Exercícios sobre Poemas Escolhidos com Gabarito

Exercícios sobre Poemas Escolhidosexercícios sobre poemas escolhidos

Gregório de Matos foi o maior representante do barroco no Brasil. Todas as suas obras foram compiladas em um único livro, daí nasceu a obra Poemas Escolhidos. Os poemas foram divididos em três categorias e nesse texto você conhecerá cada uma e colocará este conhecimento em prática com os melhores exercícios sobre Poemas Escolhidos. 

Quer seguir diretamente para alguma parte específica? Clique em algum dos itens abaixo:

Quando você terminar os Exercícios sobre Poemas Escolhidos, coloque em prática todo seu conhecimento com O Melhor Simulado Enem do Brasil.

Ficha Técnica de Poemas Escolhidos

Título: Poemas escolhidos de Gregório de Matos.

Autor dos poemas: Gregório de Matos.

Autor da obra (realizou a compilação dos poemas): José Miguel Wisnik.

Ano de publicação: 1975.

Nacionalidade: Brasileiro, nascido na Bahia.

Gênero Literário: Coletânea de poemas.

Movimento literário: Barroco.

Páginas: cerca de 360 (varia com a edição)

Como é a estrutura de Poemas Escolhidos?

Poemas Escolhidos é dividido em 3 partes:

  • Prefácio (subdividido em 3 partes).
  • Bibliografia (também subdividida em 3 partes). 
  • Poemas (organizados em 3 temáticas).

Vamos ver sobre cada parte separadamente:

Prefácio

Parte 1: Esboço Geográfico

Essa primeira parte conta a história de Gregório de Matos desde que nasceu em Salvador em 1636 até morrer em Recife em 1696. 

Durante sua vida foi aspirante a religioso, marido, advogado, doutor em direito canônico e secular pela Universidade de Coimbra, além de, é claro, poeta.

Era uma pessoa excêntrica, intensa e controversa. Religioso, porém boêmio de moral relativa, ou seja, vivia da forma que lhe conviesse. Não via problemas nisso e tentava administrar a vida dupla.     

Parte 2: Estudo Crítico

Aqui conta um pouco mais do contexto em que Gregório vivia e como isso inspirava sua escrita. Ele foi ativo no debate entre reformistas e jesuítas (contrarreformistas).

Ele registrou e criticou transformações socioeconômicas da época através de suas poesias satíricas. Ainda existem outros dois tipos de poesias sobre os quais falaremos mais adiante. 

Parte 3 (Esta parte não possui subtítulo)

Nesta parte final do Prefácio, José Miguel Wisnik explica como foi o processo de seleção dos poemas e como a obra está organizada. 

Bibliografia

Esta parte também foi dividida em três partes: 

  • Do autor
  • Antologias anotadas
  • Sobre o autor 

Elas compreendem menções a livros para o leitor ler após terminar esta obra, caso queira aprofundar seus conhecimentos neste autor e seus textos.

Poemas

Os poemas foram organizados em três partes

  • Poesia de Circunstância (I – satírica e II – encomiástica).
  • Poesia Amorosa (I – lírica e II – erótico-irônica). 
  • Religiosa.

Adiante veremos análise e exemplos de cada uma delas! 

Análise de Poemas Escolhidos

Tipos de poesia em Poemas Escolhidos
Tipos de poesia em Poemas Escolhidos

Poesia Satírica

Nesse tipo de poesia Gregório retrata uma briga entre a sociedade “normal” e a sociedade “absurda”. A normal é protagonizada por homens bem nascidos, cultos e corretos e a absurda, por pessoas oportunistas que detêm o poder. 

Essa foi a forma que Gregório encontrou de referenciar a Bahia, local em que vivia. Para ele, a Bahia era uma “sociedade absurda” e todas as outras sociedades eram “absurdas” quando comparadas com a Bahia. 

Assim, criava-se um impasse pois uma sociedade considerava a outra absurda por causa de suas respectivas histórias. 

A poesia satírica foi a que ficou mais conhecida justamente por causa das críticas ácidas e rudes que Gregório fazia. Ele reprovava a sociedade ao nível de citar nomes.  

Poesia Lírica-amorosa

Gregório escrevia suas poesias lírico-amorosas em torno de contradições e paradoxos e ainda reforçava isso com figuras de linguagem. Contudo, essas contradições não se anulam, mas se completam. 

Essa visão se fazia presente quando ele falava da “mulher desejada” que seria como um “anjo-demônio”. 

O poeta acreditava que as diferenças são o que molda a identidade. Ele ainda aproveitava para fazer algumas críticas, mas não tão ácidas quanto nas poesias satíricas.

Ele também comparava muito as mulheres com elementos da natureza e abordava sentimentos como a culpa.   

Poesia Lírica-erótica

Nessa poesia, o poeta utiliza uma linguagem mais direta e explícita. O amor carnal aparece como libertação do corpo e do indivíduo.

Apesar de escrever sobre o amor de forma delicada, mostra também seu lado mais áspero sobre as relações humanas.

Poesia Religiosa

Assim como a lírica-amorosa, essa poesia também é tratada com opostos interagindo. Gregória traz o ambiente fortemente cristão do período barroco junto das contradições: culpa vs perdão e corpo vs alma.  

Gregório ainda coloca que a única forma de libertação e salvação para um poeta é a poesia, e que isso não é apenas entre o poeta e Deus, mas envolve a própria sociedade. 

Gregório não esquece seus sentimentos conflitantes quanto a sua vida vida dupla e infidelidades à fé. O autor ainda tece críticas sobre comportamentos religiosos.  

Exercícios de Poemas Escolhidos com Gabarito

Esperamos que, com esse resumo, tudo tenha ficado mais claro para você. 

Obrigado por ter lido até aqui!

Baixe gratuitamente o Plano de Estudos do Beduka e tenha uma preparação perfeita para o ENEM.

Questão 1- (EFOA MG) Leia atentamente o poema: 

Nasce o Sol, e não dura mais que um dia, 

Depois da Luz se segue a noite escura, 

Em tristes sombras morre a formosura, 

Em contínuas tristezas a alegria. 

Porém, se acaba o Sol, por que nascia? 

Se é tão formosa a Luz, por que não dura? 

Como a beleza assim se transfigura? 

Como o gosto da pena assim se fia? 

Mas no Sol, e na Luz falte a firmeza, 

Na formosura não se dê constância, 

E na alegria sinta-se tristeza. 

Começa o mundo enfim pela ignorância, 

E tem qualquer dos bens por natureza 

A firmeza somente na inconstância. 

(Matos, Gregório de. Poemas escolhidos.São Paulo: Editora Cultrix, 1997, p. 317.) 

Todas as alternativas que se seguem inserem o autor e seu texto em uma visão do mundo de século XVII, EXCETO: 

a) O traço temático caracteristicamente barroco presente no texto é o caráter fugidio das coisas do mundo. 

b) A aproximação de sentimentos contrastantes, como a tristeza e a alegria, confirma a tendência paradoxal da poesia do século XVII. 

c) O poema explora a inconstância dos bens mundanos através de um jogo de idéias e palavras que tanto motivou o escritor barroco. 

d) O poeta baiano vale-se da linguagem figurada para persuadir o leitor e convencê-lo da instabilidade da beleza e da felicidade. 

e) A retomada de elementos da natureza e da melancolia identifica o soneto com a produção poética de inspiração byroniana. 

Questão 2- (Famema/2019 – Medicina) A veia lírico-amorosa do poeta barroco Gregório de Matos (1636-1696) está bem exemplificada em: 

a) 

“Que és terra, homem, e em terra hás de tornar-te, 

Te lembra hoje Deus por sua Igreja; 

De pó te faz espelho, em que se veja 

A vil matéria, de que quis formar-te.” 

b) 

“Aquele não sei quê, que, Inês, te assiste 

No gentil corpo, e na graciosa face, 

Não sei donde te nasce, ou não te nasce, 

Não sei onde consiste, ou não consiste.” 

c) 

“A cada canto um grande conselheiro, 

Que nos quer governar cabana e vinha; 

Não sabem governar sua cozinha, 

E podem governar o mundo inteiro.” 

d) 

“Senhor Antão de Sousa de Meneses, 

Quem sobe a alto lugar, que não merece, 

Homem sobe, asno vai, burro parece, 

Que o subir é desgraça muitas vezes.” 

e)

“Ofendi-vos, meu Deus, é bem verdade, 

É verdade, Senhor, que hei delinquido, 

Delinquido vos tenho, e ofendido, 

Ofendido vos tem minha maldade.”

Questão 3- (Cefet-MG/2018)  

Já desprezei, sou hoje desprezado, 

Despojo sou, de quem triunfo hei sido, 

E agora nos desdéns de aborrecido, 

Desconto as ufanias de adorado. 

O amor me incita a um perpétuo agrado, 

O decoro me obriga a um justo olvido: 

E não sei, no que empreendo, e no que lido, 

Se triunfe o respeito, se o cuidado. 

Porém vença o mais forte sentimento, 

Perca o brio maior autoridade, 

Que é menos o ludíbrio, que o tormento. 

Quem quer, só do querer faça vaidade, 

Que quem logra em amor entendimento, 

Não tem outro capricho, que a vontade. 

(Gregório de Matos. Poemas escolhidos de Gregório de Matos. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.) 

Em termos formais e temáticos, as principais carac – terísticas barrocas do soneto são, respectivamente, 

a) a sintaxe rebuscada e o culto aos contrastes. 

b) o rigor métrico e a crítica ao sentimentalismo. 

c) o vocabulário erudito e a reflexão sobre o amor. 

d) as rimas alternadas e o embate entre emoção e razão.

  • Muito bem! Você chegou à metade dos Exercícios de Poemas Escolhidos. Continue fazendo o restante.

Questão 4-  (UPE-2016) Gregório de Matos, poeta baiano, que viveu no século XVI, produziu uma poesia em que satiriza a sociedade de seu tempo. Execrado no passado por seus conterrâneos, hoje é reconhecido como grande poeta, sendo, inclusive, sua poesia satírica fonte de pesquisa histórica. 

Leia os poemas e analise as proposições a seguir: 

Poema I 

Triste Bahia! Oh quão dessemelhante 

Estás, e estou do nosso antigo estado! 

Pobre te vejo a ti, tu a mi empenhado, 

Rica te vejo eu já, tu a mi abundante. 

A ti tocou-te a máquina mercante, 

Que em tua larga barra tem entrado, 

A mim foi-me trocando, e tem trocado 

Tanto negócio, e tanto negociante. 

Deste em dar tanto açúcar excelente 

Pelas drogas inúteis, que abelhuda 

Simples aceitas do sagaz Brichote. 

Oh se quisera Deus, que de repente 

Um dia amanheceras tão sisuda 

Que fora de algodão o teu capote 

(Gregório de Matos) 

Poema II 

Horas contando, numerando instantes, 

Os sentidos à dor, e à glória atentos, 

Cuidados cobro, acuso pensamentos, 

Ligeiros à esperança, ao mal constantes. 

Quem partes concordou tão dissonantes? 

Quem sustentou tão vários sentimentos? 

Pois para a glória excedem de tormentos, 

Para martírio ao bem são semelhantes. 

O prazer com a pena se embaraça; 

Porém quando um com outro mais porfia, 

O gosto corre, a dor apenas passa. 

Vai ao tempo alterando a fantesia, 

Mas sempre com vantagem na desgraça, 

Horas de inferno, instantes de alegria. 

(Gregório de Matos) 

I. Além de poeta satírico, o Boca do Inferno também cultivou a poesia lírica, composta por temas diversificados, pois nos legou uma lírica amorosa, erótica e religiosa e até de reflexão sobre o sofrimento, a exemplo do poema II. 

II. Considerado tanto poeta cultista quanto con – ceptista, o autor baiano revela criatividade e capacidade de improvisar, segundo comprovam os versos do poema I, em que realiza a crítica à situação econômica da Bahia, dirigida, na época, por Antônio Luís da Câmara Coutinho. 

III. Em Triste Bahia, poema I, musicado por Caetano Veloso, Gregório de Matos identifica-se com a cidade, ao relacionar a situação de decadência em que se encontram tanto ele quanto a cidade onde vive. O poema abandona o tom de zombaria, atenuando a sátira contundente para tornar-se um quase lamento. 

IV. Os dois poemas são sonetos, forma fixa herdada do Classicismo, muito pouco utilizada pelo poeta baiano, que desprezou a métrica rígida e criou poesia em versos brancos e livres. 

V. Como poeta barroco, fez uso consciente dos recursos estéticos reveladores do conflito do homem da época, como se faz presente na antítese que encerra o II poema: “Horas de inferno, instantes de alegria”. 

Estão corretas apenas 

a) I, II, III e V. 

b) I, II e IV. 

c) IV e V. 

d) I, III e IV. 

e) I, IV e V.

Questão 5- (CFTMG 2016)

Definição do amor

Mandai-me, Senhores, hoje

que em breves rasgos descreva

do Amor a ilustre prosápia,

E de Cupido as proezas.

Dizem que de clara escuma,

dizem que do mar nascera,

que pegam debaixo d’água

as armas que o Amor carrega.

[…]

O arco talvez de pipa,

A seta talvez esteira,

Despido como um maroto,

Cego como uma toupeira.

[…]

E isto é o Amor? É um corno.

Isto é o Cupido? Má peça.

[…]

O amor é finalmente

Um embaraço de pernas,

Uma união de barrigas,

Um breve tremor de artérias

Uma confusão de bocas,

Uma batalha de veias,

Um reboliço de ancas,

Quem diz outra coisa é besta. 

Gregório de Matos: Poemas escolhidos (Seleção, prefácio e notas de José Miguel Wisnik). São Paulo: Cia. das Letras, 2010, p. 301-312 (fragmento).

Gregório de Matos viveu no Brasil no século XVII e é um importante escritor desse primeiro momento da literatura brasileira. A leitura do poema permite a identificação de características do pensamento barroco, vigente no período, especialmente no que diz respeito à

a) crítica à idealização amorosa.   

b) valorização da cultura clássica.   

c) escolha pela linguagem formal.   

d) estima pelos desejos subjetivos.   

Questão 6- (EsFCEx)

(…)

O Amor é finalmente

um embaraço de pernas,

uma união de barrigas,

um breve tremor de artérias.

Uma confusão de bocas,

uma batalha de veias,

um reboliço de ancas,

quem diz outra coisa é besta.

(Fragmento do poema “Definição do Amor”, de Gregório de Matos)

Fonte: MATOS, Gregório de. Poemas escolhidos. Sel., introdução e notas de José Miguel Wisnik. São Paulo: Editora Cultrix, 1981, p. 25.

Sobre o poeta citado em fragmento, verifique as proposições abaixo e, em seguida, assinale a alternativa que apresenta a sequência correta

I. O poema pertence à poesia erótica ou érotico-irônica de Gregório de Matos.

II. Há, no poema, desprezo pela concepção amorosa cristã e idealizada do amor, ao optar por uma definição do amor ligada ao corpo e à sua experiência direta.

III. O poema possui um teor lírico e amoroso, quase religioso, na exaltação que faz à mulher.

IV. Pertence à poesia religiosa de Gregório de Matos, sendo um dos poemas mais significativos por sua definição do Amor, com letra maiúscula.

a) Somente I e III estão corretas.

b) Somente II e III estão corretas.

c) Somente I e II estão corretas.

d) Somente II e IV estão corretas.

e) Somente III e IV estão corretas.

  • Parabéns, você fez todas os exercícios sobre Poemas Escolhidos. Confira agora o Gabarito:

Gabarito dos Exercícios sobre Poemas Escolhidos

Exercício resolvido da questão 1 –

Alternativa correta: e) A retomada de elementos da natureza e da melancolia identifica o soneto com a produção poética de inspiração byroniana. 

Exercício resolvido da questão 2 –

Alternativa correta: b) 

“Aquele não sei quê, que, Inês, te assiste 

No gentil corpo, e na graciosa face, 

Não sei donde te nasce, ou não te nasce, 

Não sei onde consiste, ou não consiste.” 

Exercício resolvido da questão 3 –

Alternativa correta: a) a sintaxe rebuscada e o culto aos contrastes. 

Exercício resolvido da questão 4 –

Alternativa correta: a) I, II, III e V. 

Exercício resolvido da questão 5 –

Alternativa correta: a) crítica à idealização amorosa.   

Exercício resolvido da questão 6 –

Alternativa correta: c) Somente I e II estão corretas.

Estude para o Enem com o Simulado Beduka. É gratuito!

Gostou dos nossos exercícios sobre Poemas Escolhidos? Compartilhe com os seus amigos e comente abaixo sobre as áreas que você deseja mais explicações.

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador