Exercícios

Questões sobre a Era Vargas – com gabarito – 9ºano e ENEM

Exercicios sobre a Era VargasExercicios sobre a Era Vargas

Getúlio Vargas foi presidente do Brasil entre 1930 e 1945. Nesse período Getúlio governou o Brasil de forma contínua e nesse período a Constituição passou por transformações. Estude sobre essa tema fazendo algumas questões sobre a Era Vargas que preparamos para você.

O nosso artigo apresenta a história da trajetória de Getúlio Vargas e o que é o Estado Novo. Veja com detalhes quem foi o ditador mais popular que já foi presidente do Brasil, ou seja, a ditadura do Estado Novo no período Vargas e finalmente exercícios sobre a Era Vargas com gabarito.

Lembre-se de estudar para o Enem com o nosso Simulado Online e Gratuito.

O rompimento da política do café com leite

Nossa história Começa com a República Oligárquica, alternando presidentes entre Minas e São Paulo, formando a famosa Política do Café com Leite.

Para as eleições de 1930 o próximo presidente deveria ser indicado pela elite mineira, mas Washington Luís indicou como candidato, o paulista Júlio Prestes. Isso quebrou o acordo e desagradou a oligarquia mineira que se uniu aos paraibanos e gaúchos, formando a aliança liberal.

Muita atenção a estes pequenos detalhes, pois eles podem aparecer nas questões sobre Era Vargas, tanto para o 9º ano do fundamental, quanto nos vestibulares.

A oligarquia mineira reage: A candidatura de Getúlio Vargas

Minas escolhe lançar o candidato que mudaria a história do Brasil, aquele que implementaria a ditadura do Estado Novo: Getúlio Vargas, o homem que se reconheceu como um autoritário amado.

Este homem de retórica inigualável e inspirado pelas ideias positivistas, tinha um enorme carisma.

Atenção: As questões sobre a Era Vargas podem envolver conhecimento sobre o período do fascismo! É o que estava acontecendo no mundo: a busca por grandes líderes que prometem uma grande Nação!

Vargas sobe ao poder com um novo conjunto de oligarquias: industriais e militares, por exemplo.

Júlio Prestes foi eleito com larga vantagem, porém nunca se assentou na cadeira presidencial.

Em porto Alegre o golpe acontece com a tomada do quartel-general da 3ª região militar, onde aconteceram as primeiras mortes e os governos estaduais foram depostos pelos militares revolucionários.

Getúlio Vargas aguardava em Curitiba. Ao final do mês chegaram ao Rio de Janeiro e Washington Luís foi deposto com um golpe militar.

Uma junta provisória entrega o poder a Getúlio e em 1 de novembro de 1930 ele assume a presidência no palácio do Catete.

O período Vargas

A introdução que vimos é de suma importância para as questões sobre Era Vargas, e agora passamos a esta parte da nossa história com mais detalhes.

A tendência centralizadora e totalitária do presidente se confirma. Ele foi chefe do governo provisório com amplos poderes e governava por decretos, pois a constituição de 1891 foi revogada e o congresso dissolvido.

Washington Luís foi preso e conduzido até o forte de Copacabana, para depois ser exilado. Os apoiadores do antigo governo já haviam sido depostos e nos seus lugares os indicados de Vargas foram colocados. (Está percebendo que, por estes atos, tudo já se encaminha para o que será a ditadura de Getúlio Vargas?)

A junta revolucionária MMDC

João Alberto Lins de Barros foi o militar pernambucano escolhido para governar São Paulo. Isso acirrou o descontentamento paulista.

Já não se tratava mais de famílias oligárquicas no poder ou de um partido. Tudo se centraliza no próprio Getúlio. O personalismo político se sobrepôs às instituições.

Os paulistas esperavam uma nova Constituição, mas como isso não veio, eles se revoltaram e tiveram de ser controlados. Isso levou a uma guerra civil brasileira. Os paulistas realizam uma revolta armada em 23 de maio de 1932.

Num protesto, quatro jovens paulistas foram mortos. Em 9 de julho foi formada a Junta Revolucionária MMDC (iniciais dos jovens mortos).

Após 3 meses de guerra as tropas getulistas venceram. A Revolução Constitucionalista de 1932 perdeu e eles se renderam no dia 2 de outubro.

Em 3 de maio de 1933 foram realizadas as eleições para a Assembleia Constituinte que daria as bases para a nova Constituição de 1934. Por eleição indireta Getúlio é eleito presidente da república.

Estude bem o tópico da Revolução Constitucionalista de 1932, pois também é um tema envolvido nas questões sobre a Era Vargas, aliás da ditadura de Getúlio Vargas em geral.

As primeiras medidas de Getúlio

Iniciam-se as estatizações. Getúlio nacionalizou o subsolo, bancos, seguradoras e mais o que pôde. Era um protecionista em relação ao comércio externo. Seu modelo se alinhava ao de socialistas e fascistas, afinal era o que acontecia no mundo neste período.

O modelo era o de um capitalismo submetido aos poderes do Estado. Getúlio Vargas estava se tornando o fuhrer brasileiro. Isso costuma ser tema para questões sobre a Era Vargas.

Boa parte do Brasil de hoje foi construído no período Vargas. O Estado começa a produzir a identidade nacional e a formar as pessoas segundo a propaganda centralizada. Os supostos interesses da nação são assimilados com a vontade do governante.

O nacionalismo no Brasil acabou servindo à estatização, à um capitalismo controlado pelo Estado e os meios de comunicação de massa são usados para reforçar tudo isso. O rádio foi o principal instrumento de difusão. Getúlio também estatizou o rádio. A voz do Brasil surgiu em 22 de julho de 1935.

Antes mesmo de se iniciar o período da ditadura de Getúlio Vargas a educação formal brasileira já estava instrumentalizada. Foram construídos os símbolos da nacionalidade. Toda a educação, até superior, artistas…tudo era gerido pelo estado para modelar o imaginário nacional.

Vargas quis os intelectuais ao seu lado, mas do seu jeito. Tanto foi assim que prendeu Graciliano Ramos e Gilberto Freyre, que não agradavam.

O mundo enfrentava a onda totalitária, muita gente acreditava que o liberalismo havia morrido. Houve culto à personalidades. Lenin e Stalin eram representantes disso, junto de Mussolini e Hitler. Getúlio queria o mesmo tipo de culto no Brasil, por isso fique atento(a) às possíveis relações entre esses líderes nas questões sobre a Era Vargas.

Em 1922 é fundado o partido comunista com participação de militares. De um lado o partido comunista (anti-nacionalista contava com o apoio financeiro organizacional estratégico da União Soviética) e do outro a Ação Integralista Brasileira (nacionalismo exagerado utilizando-se da estética fascista).

Vargas se aproveitou de ambos, se engajou neles, ia aos eventos dos dois lados e trocava favores com todos. Mas houve rompimento!

A Intentona Comunista e a reação de Getúlio Vargas

O primeiro golpe veio dos comunistas. O capitão do exército convertido ao comunismo Luiz Carlos Prestes comandou um levante: a Intentona Comunista. Tinha relações com a direção da Internacional Comunista que mantinha junto aos golpistas militantes comunistas internacionais, entre eles a alemã Olga Benário.

Mesmo com apoio dos tenentistas, o golpe não teve sucesso. Prestes e Olga viveram foragidos após a Intentona. Foram presos em 1936. Tal evento serviu de pretexto à Vargas para perseguir os comunistas, anarquistas, sindicalistas e até liberais adversários, ou seja, qualquer opositor.

Mais leis de restrição foram impostas e mais poder era concentrado nas mãos do presidente, ajudando a preparar a ditadura de Getúlio Vargas.

As eleições se aproximavam e ele corria o risco de perder. Mas sob a alegação de iminente golpe de estado e invasão totalitária, decretou Estado de Sítio. O Congresso foi fechado, o legislativo e judiciário suspensos e Vargas pôde iniciar uma implacável ditadura.

Ditadura do Estado Novo

Começa o período de ditadura do Estado Novo e em 1937 Getúlio se dirige à nação com uma nova Constituição para justificar suas medidas.

Foi a parte mais dura do período Vargas, no qual se personifica a tirania de Estado.

Por decreto todos os partidos foram extintos, todos os prefeitos passaram a ser nomeados por governadores, que, por sua vez, eram nomeados por Vargas. Ele controlou todas as instâncias. Foi a era da falsa federação. As bandeiras dos estados foram queimadas, pois demonstrar regionalismo era uma afronta ao novo regime. A bandeira do Brasil tinha que ser a única.

Até línguas estrangeiras foram proibidas. Foi no período da ditadura do Estado Novo que o time de futebol chamado Palestra Itália passou a se chamar Palmeiras, por exemplo. Se eu fizesse algumas questões sobre a Era Vargas, este seria um dos temas!

Também nessa época foi criado o Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP): responsável pela censura à imprensa. Jornalistas eram censurados e peças que exaltavam Getúlio eram produzidas. Coisa típica de um totalitarista e ainda assim era dito o pai dos pobres, o homem do progresso e desenvolvimento.

As leis trabalhistas promulgadas por Getúlio pareciam uma vitória para o trabalhador, mas tornaram os investimentos no Brasil uma enorme desvantagem. Empresas eram oneradas em excesso, houve inflação, diminuição do poder de compra e empobrecimento, menos contratados e afastamento de investidores.

Assim se entende o que é o Estado Novo: a ditadura mais rígida pela qual o Brasil passou.

Influências da Segunda Guerra Mundial na ditadura do Estado Novo

Getúlio começa a guerra torcendo para o Eixo, ou seja, torcendo para Hitler e companhia. Mas, o povo se manifestou pela América. Ressalte-se participação dos pracinhas, homens que foram se sacrificar na Europa. Lembrados pelo trato afável, compartilhavam comida com quem libertavam do jugo nazista. Tiveram baixas, mas venceram.

O mundo livre foi vitorioso e o governo Vargas estava com cicatrizes.. A dívida externa estava imensa. Em 29 de outubro de 1945 Getúlio Vargas renuncia!

OBS: As questões sobre a Era Vargas podem relacionar também os conflitos internacionais influenciando a história nacional.

Veja exercícios sobre a Segunda Guerra Mundial.

Carlos Lacerda e a Tribuna da Imprensa – Forte oposição no período Vargas

“Quem enriquece com dinheiro público não tem vocação para herói.” – Carlos Lacerda, jornalista.

Eurico Gaspar Dutra foi o vencedor das eleições de 1945, no hiato entre o primeiro e o segundo período varguista. Assumiu o comando após a renúncia. Getúlio não foi cassado, nem processado judicialmente, nem mesmo exilado. O ditador que fez o que quis de forma autoritária foi para a fazenda em São Borja e parecia uma carta fora do baralho.

O nome de Vargas começa a ser pronunciado novamente, apenas 4 anos após a renúncia.

Em 19 de abril de 1950 a candidatura de Vargas é confirmada. Carlos Lacerda publicou na Tribuna da imprensa:

“O Sr. Getúlio Vargas, senador, não deve ser candidato à presidência. Candidato, não deve ser eleito. Eleito, não deve tomar posse. Empossado, devemos recorrer à revolução para impedi-lo de governar.”

Aos 68 anos Getúlio Vargas percorreu todas as regiões do Brasil em sua campanha. Sustentou sua velha política de pai dos pobres. Porém, com ar progressista:

“Se for eleito a 3 de outubro, no ato da posse, o povo subirá comigo as escadas do Catete. E comigo ficará no governo.””

Ele venceu as eleições com 49% dos votos! Carlos Lacerda intensificava os ataques ao presidente, sempre criticando.

O atentado

Carlos Lacerda, ciente de que o Brasil possui uma lei que proíbe grupos estrangeiros de controlar grupos de comunicação descobre que Samuel Wainer (jornalista financiado por Getúlio, para ter todo um editorial com dinheiro do Banco do Brasil e produzir matérias para ele) não era brasileiro.

Era um judeu com os registros alterados para ter os benefícios de um brasileiro nato. Segundo Carlos Lacerda, as portas do Banco do Brasil se abriram para dar dinheiro a um estrangeiro.

Em 5 de agosto de 1954, Carlos Lacerda sofre um atentado a tiros. O major Vaz que era seu segurança, morre. Os militares querem investigar. As suspeitas direcionam-se a Vargas.

A pressão para a renúncia do presidente vinha da imprensa, da população e até o vice presidente.

Vargas recusa.

Em 24 de agosto de 1954 Getúlio Vargas se suicida no palácio do Catete.

Suicídio estratégico, no peito e não na cara, para não ficar desfigurado e manter sua imagem. Esse episódio tão marcante é dos mais comuns nas questões sobre a Era Vargas, fique atento(a)!

“Saio da vida para entrar na história” – Getúlio Vargas em sua carta – testamento antes de se suicidar.

Aprenda muito mais com o Beduka

Beduka: o buscador de faculdades e cursos! Encontre as melhores faculdades, com as melhores notas, mensalidades, valores dos salários dos profissionais e muito mais.

Acompanhe o blog do beduka, sempre com novas matérias para te ajudar!

Acompanhe o Facebook e o Instagram para não perder nenhuma novidade.

Também temos um canal no YouTube com vídeos de dicas de livros para o ENEM!

Questões sobre a Era Vargas

1 – (Cesgranrio) O regime político conhecido como Estado Novo implantado por golpe do próprio Presidente Getúlio Vargas, em 1937, pode ser associado à(ao):

a) radicalização política do período representada pela Aliança Nacional Libertadora, de orientação comunista, e pela Ação Integralista Brasileira, de orientação fascista.

b) modernização econômica do país e seu conflito com as principais potências capitalistas do mundo, que tentavam lhe barrar o desenvolvimento.

c) ascensão dos militares à direção dos principais órgãos públicos, porque já se delineava o quadro da Segunda Guerra Mundial.

d) democratização da sociedade brasileira em decorrência da ascensão de novos grupos sociais como os operários.

e) retorno das oligarquias agrárias ao poder, restaurando-se a Federação nos mesmos moldes da República Velha.

2 – (FGV) Em 21 de dezembro de 1941, Getúlio Vargas recebeu Osvaldo Aranha, seu ministro das Relações Exteriores, para uma reunião. Leia alguns trechos do diário do presidente: “À noite, recebi o Osvaldo. Disse-me que o governo americano não nos daria auxílio, porque não confiava em elementos do meu governo, que eu deveria substituir. Respondi que não tinha motivos para desconfiar dos meus auxiliares, que as facilidades que estávamos dando aos americanos não autorizavam essas desconfianças, e que eu não substituiria esses auxiliares por imposições estranhas.” (VARGAS, Getúlio, Diário. São Paulo/Rio de Janeiro, Siciliano/ Fundação Getúlio Vargas, 1995, vol. II, p. 443.)

A respeito desse período, podemos afirmar:

a) As desconfianças norte-americanas eram completamente infundadas porque não havia nenhum simpatizante do nazifascismo entre os integrantes do governo brasileiro.

b) Com sua política pragmática, Vargas negociou vantagens econômicas com o governo americano e manteve em seu governo simpatizantes dos regimes nazifascistas.

c) Apesar das semelhanças entre o Estado Novo e os regimes fascistas, Vargas não permitiu nenhum tipo de relacionamento diplomático entre o Brasil e os países do Eixo.

d) No alto escalão do governo Vargas havia uma série de simpatizantes do regime comunista da União Soviética e de seu líder Joseph Stalin.

e) As pressões do governo norte-americano levaram Vargas a demitir seu ministro da Guerra, o general Eurico Gaspar Dutra, admirador dos regimes nazifascistas.

3 – (Ufmg) Leia atentamente este trecho de poema:

Carta a Stalingrado

Stalingrado …

Depois de Madri e de Londres, ainda há grandes cidades!

O mundo não acabou, pois que entre as ruínas outros homens surgem, a face negra de pó e de pólvora,

e o hálito selvagem da liberdade

dilata os seus peitos, Stalingrado,

seus peitos que estalam e caem

enquanto outros, vingadores, se elevam.

A poesia fugiu dos livros, agora está nos jornais.

Os telegramas de Moscou repetem Homero.

Mas Homero é velho. Os telegramas cantam um mundo novo

que nós, na escuridão, ignorávamos.

Fomos encontrá-lo em ti, cidade destruída,

na paz de tuas ruas mortas mas não conformadas,

no teu arquejo de vida mais forte que o estouro das bombas,

na tua fria vontade de resistir.

…………………………………………………………………………………

As cidades podem vencer, Stalingrado!

……………………………………………………………………………..

Em teu chão calcinado onde apodrecem cadáveres,

a grande Cidade de amanhã erguerá a sua Ordem.

(ANDRADE, Carlos Drummond de. “A rosa do povo”. 23. ed. Rio de Janeiro: Record, 2001. p.158-160.)

A partir dessa leitura, é CORRETO afirmar que, nesse trecho de poema, se expressa, mais do que as ideias do autor, o pensamento de um grupo de intelectuais brasileiros que

a) se entusiasmavam pelo heroísmo dos cidadãos de Londres e Madri, que souberam resistir bravamente à agressão fascista.

b) começavam a ser seduzidos pelo Comunismo, ao final da Guerra, por estarem descontentes em relação ao quadro político em vigor no País.

c) desenvolviam uma consciência pacifista ante o risco de uma guerra nuclear que poderia decorrer da polarização EUA/URSS.

d) torciam, em meio à guerra civil russa, pela vitória dos democratas, que lutavam pelo restabelecimento da liberdade.

4 – (PUC-RS) “Façamos a revolução antes que o povo a faça.” A frase, atribuída ao governador de Minas Gerais, Antônio Carlos de Andrada, deixa entrever a ideologia política da Revolução de 1930, promovida pelos interesses

a) da burguesia cafeicultora de São Paulo, com vistas à valorização do café.

b) do operariado, com o objetivo de aprofundar a industrialização.

c) dos partidos de direita fascistas, no intuito de estabelecer um Estado forte.

d) das oligarquias dissidentes, aliadas ao tenentismo pela reforma do Estado.

e) da burguesia industrial, na busca de uma política de livre iniciativa.

5 – (Cesgranrio) O regime político conhecido como Estado Novo implantado por golpe do próprio Presidente Getúlio Vargas, em 1937, pode ser associado à(ao):

a) radicalização política do período representada pela Aliança Nacional Libertadora, de orientação comunista, e pela Ação Integralista Brasileira, de orientação fascista.

b) modernização econômica do país e seu conflito com as principais potências capitalistas do mundo, que tentavam lhe barrar o desenvolvimento.

c) ascensão dos militares à direção dos principais órgãos públicos, porque já se delineava o quadro da Segunda Guerra Mundial.

d) democratização da sociedade brasileira em decorrência da ascensão de novos grupos sociais como os operários.

e) retorno das oligarquias agrárias ao poder, restaurando-se a Federação nos mesmos moldes da República Velha.

6 – (Exercício Era Vargas ENEM 2017) Durante o Estado Novo, os encarregados da propaganda procuraram aperfeiçoar-se na arte da empolgação e envolvimento das “multidões” através das mensagens políticas. Nesse tipo de discurso, o significado das palavras importa pouco, pois, como declarou Goebbels, “não falamos para dizer alguma coisa, mas para obter determinado efeito”.

CAPELATO, M. H. Propaganda política e controle dos meios de comunicação. In: PANDOLFI, D. (Org.). Repensando o Estado Novo. Rio de Janeiro: FGV, 1999.

O controle sobre os meios de comunicação foi uma marca do Estado Novo, sendo fundamental à propaganda política, na medida em que visava

a) conquistar o apoio popular na legitimação do novo governo.

b) ampliar o envolvimento das multidões nas decisões políticas.

c) aumentar a oferta de informações públicas para a sociedade civil.

d) estender a participação democrática dos meios de comunicação no Brasil.

e) alargar o entendimento da população sobre as intenções do novo governo.

7 – (Exercício Era Vargas ENEM 2018)

Propaganda nacionalista no Estado Novo

Essa imagem foi impressa em cartilha escolar durante a vigência do Estado Novo com o intuito de

a) destacar a sabedoria inata do líder governamental.

b) atender a necessidade familiar de obediência infantil.

c) promover o desenvolvimento consistente das atitudes solidárias.

d) conquistar a aprovação política por meio do apelo carismático.

e) estimular o interesse acadêmico por meio de exercícios intelectuais.

Agora confira a resposta destes exercícios sobre a Era Vargas:

Respostas das questões sobre a Era Vargas: confira o gabarito!

Exercício resolvido da questão 1 – a) radicalização política do período representada pela Aliança Nacional Libertadora, de orientação comunista, e pela Ação Integralista Brasileira, de orientação fascista.

Exercício resolvido da questão 2 – b) Com sua política pragmática, Vargas negociou vantagens econômicas com o governo americano e manteve em seu governo simpatizantes dos regimes nazifascistas.

Exercício resolvido da questão 3 – b) começavam a ser seduzidos pelo Comunismo, ao final da Guerra, por estarem descontentes em relação ao quadro político em vigor no País.

Exercício resolvido da questão 4 – d) das oligarquias dissidentes, aliadas ao tenentismo pela reforma do Estado.

Exercício resolvido da questão 5 – a) radicalização política do período representada pela Aliança Nacional Libertadora, de orientação comunista, e pela Ação Integralista Brasileira, de orientação fascista.

Exercício resolvido da questão 6 – a) conquistar o apoio popular na legitimação do novo governo.

Exercícios resolvido da questão 7 – d) conquistar a aprovação política por meio do apelo carismático.

Mais questões de vestibular com gabarito:

Esperamos que tenha sido fácil fazer as questões sobre a Era Vargas. Confira agora nossas dicas de livros para o ENEM:

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Redação Beduka
Redação Beduka
A equipe de redação do Beduka é composta por pessoas de várias formações, sempre prontas a aprender sobre tudo para publicar os melhores textos e colaborar com a formação de todos os leitores. Sinta-se a vontade para deixar o seu comentário!

2 Comentários

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador