ExercíciosLiteratura

Questões sobre Guimarães Rosa RESOLVIDAS

Questões_sobre_Guimarães_RosaQuestões sobre Guimarães Rosa

Guimarães Rosa foi um dos maiores representantes da 3ª fase do Modernismo e um dos melhores escritores brasileiros do século XX. Ele ficou principalmente conhecido pela maleabilidade com que usava a língua portuguesa e inventava palavras. Leia o resumo e faça as questões sobre Guimarães Rosa e depois o Simulado Beduka.

Quem foi Guimarães Rosa?

Estátua de Guimarães Rosa
Estátua de Guimarães Rosa

É importante conhecermos um pouco sobre a vida do autor para interpretarmos mais precisamente suas obras. Leia essa breve biografia antes de fazer as questões sobre Guimarães Rosa.  

João Guimarães Rosa era filho de um comerciante e nasceu em Cordisburgo (MG) em 1908. Seu aniversário é em 27 de Julho. Terminou seus estudos em Belo Horizonte, formando-se em medicina em 1930. 

Ele foi médico em cidades do interior durante o tempo que publicou seus primeiros escritos na revista “O cruzeiro”. Ele também estudou diversas línguas por conta própria e ingressou em carreira diplomática já fluente em nove idiomas em 1934. 

Foi cônsul-adjunto em Hamburgo, Alemanha, até a Segunda Guerra Mundial quando ficou preso. Uma vez solto, seguiu carreira como secretário da embaixada de Bogotá e conselheiro em Paris. Voltou ao Brasil como Ministro de Primeira Classe.  

Virou Membro da Academia Brasileira de Letras em 1963 e ocupou a 2ª cadeira com votos unânimes. Ainda representou o Brasil no II Congresso Latino-Americano de Escritores e do Conselho Federal de Cultura, em 1967, antes de morrer de ataque cardíaco.

Como era o estilo de Guimarães Rosa?

Sertão de Guimarães Rosa
Sertão de Guimarães Rosa

Agora vamos entender como reconhecer uma obra de Guimarães Rosa pelas suas características únicas, então leia com atenção e faça as questões sobre Guimarães Rosa. 

Como já foi dito ele pesquisava muitas línguas e viajou por vários lugares do mundo em sua carreira diplomática. Isso permitiu a ele misturar vários dialetos, incluindo o português do interior para criar novas palavras. Por isso ficou conhecido como o autor dos neologismos.

O espaço do autor sempre é rural, pobre e à margem do mundo do capital e divisão do trabalho. Esse espaço é mais fácil para ele retratar o homem iletrado, que por sua vez era perfeito para ele trabalhar profundamente os três principais conceitos da 3ª fase do Modernismo: psicologia dos personagens, realismo mágico e regionalismo. 

O homem iletrado pode ser representado por crianças, velhos, deficientes, desajustados, loucos e milagreiros, e às vezes, até por animais. O que importa é ser um personagem com uma visão alógica e mítica-mágica do mundo. Dessa forma, o autor pode explorar melhor a psyché do seu elenco rústico. 

O privilégio que o autor dá a esse tipo de mundo do mito permite a ele exercitar ainda mais a sua linguagem poética e fazer várias discussões sobre a arte e questionar o mundo lógico. É nesse mundo imaginativo que Rosa vê a origem da poesia. 

Então, sempre que ler um texto que retrata uma personagem exageradamente escapista do interior e uma linguagem um tanto quanto excêntrica, procure para se saber se está lendo um texto dele.

Obras e prêmios de Guimarães Rosa

Vamos ver algumas das obras e prêmios e depois você vai fazer as questões sobre Guimarães Rosa. 

  • Magma (1936) – Ganhou seu 1º Prêmio de Poesia da Academia Brasileira de Letras
  • Contos (1936) – Segundo lugar no Prêmio Humberto de Campos, da Livraria José Olympio
  • Sagarana (1946) – Prêmio da Sociedade Felipe d’Oliveira. 
  • Com o Vaqueiro Mariano (1947)  
  • Corpo de Baile (1956) dividida em três novelas: “Manuelzão e Miguilim”, “No Urubuquaquá, no Pinhém” e “Noites do sertão”. 
  • Grande Sertão: Veredas (1956) – Ganhou os prêmios: Machado de Assis (ganhou mais uma vez em 1961), Carmen Dolores Barbosa e Paula Brito
  • Primeiras Estórias (1962) – Prêmio Pen Club brasileiro
  • Campo Geral (1964)
  • Noites do Sertão (1965)

Também ganhou a Medalha da Inconfidência e da condecoração da Ordem de Rio Branco.

Frases de Guimarães Rosa

Frase de Guimarães Rosa
Frase de Guimarães Rosa

Para finalizar vamos ler algumas frases do inventor de palavras para que você possa fazer as questões de Guimarães Rosa.

“Moço! Deus é paciência. O contrário, é o diabo.”

“Querer o bem com demais força, de incerto jeito, pode já estar sendo se querendo o mal por principiar.”

“A colheita é comum, mas o capinar é sozinho.”

“O rio não quer chegar a lugar algum, só quer ser mais profundo.”

“Sorte nunca é de um só, é de dois, é de todos… Sorte nasce cada manhã, e já está velha ao meio-dia…”

“Quando o coração está mandando, todo tempo é tempo!”

Questões de Guimarães Rosa

Ok, agora sim sinta-se a vontade para fazer as questões sobre Guimarães Rosa. Verifique suas respostas no gabarito e bons estudos. 

1. (UC-BA) “A lembrança da vida da gente se guarda em trechos diversos, cada um com seu signo e sentimento, uns com os outros acho que nem não misturam. Contar seguido, alinhavado, só mesmo sendo as coisas de rasa importância. De cada vivimento que eu real tive, de alegria forte ou pesar, cada vez daquela hoje vejo que eu era como se fosse diferente pessoa. Sucedido, desgovernado. Assim eu acho, assim eu conto (…). Tem horas antigas que ficaram muito mais perto da gente do que outras, de recente data.

O trecho acima, de Grande Sertão: veredas, de Guimarães Rosa, esclarece um dos aspectos do tratamento dado ao tempo nessa obra. Assinale a alternativa em que se explicita esse tratamento.

a) narrador alterna o relato de fatos importantes do passado com a narração de pequenos episódios mais recentes.

b) A ordem cronológica da narrativa vai conferindo aos fatos relatados a importância real que tiveram no passado.

c) A narrativa constrói-se a partir de um tempo reestruturado pela memória, em que os acontecimentos se classificam segundo uma ordem de importância subjetiva.

d) relato dos acontecimentos não é feito em ordem cronológica, porque, se o fosse, ficaria falseada a importância dos fatos narrados, visto que a memória é mentirosa.

e) tempo da narrativa confunde na memória os acontecimentos significativos com aqueles que têm importância menor.

2. (UF-BA) “Este pequeno mundo do sertão, este mundo original e cheio de contrastes, é para mim o símbolo, diria mesmo o modo de meu universo. Nós, os homens do sertão, somos fabulistas por natureza. Eu trazia sempre os ouvidos atentos, escutava tudo o que podia e comecei a transformar em lenda o ambiente que me rodeava, porque este, em sua essência, era e continua sendo uma lenda.”

O depoimento acima é do escritor:

a) Rubem Braga

b) Dalton Trevisan

c) Erico Verissimo

d) João Guimarães Rosa

e) Mário de Andrade 

3. (PUCCAMP) Em sua obra, “a tendência regionalista acaba assumindo a característica de experiência estética universal, compreendendo a fusão entre o real e o mágico, de forma a radicalizar os processos mentais e verbais inerentes ao contexto fornecedor de matéria-prima. O folclórico, o pitoresco e o documental cedem lugar a uma maneira nova de repensar as dimensões da cultura, flagrada em suas articulações no mundo da linguagem”.

Esse conjunto de características descreve a obra de:

a) Clarice Lispector

b) José Cândido de Carvalho

c) Erico Verissimo

d) Jorge Amado

e) Guimarães Rosa  

4. (PUCCAMP) “O romance é narrado na primeira pessoa, em monólogo ininterrupto, por um velho fazendeiro do Norte de Minas, antigo jagunço. Na estrutura do livro, os fatos são transpostos para uma atmosfera lendária e o real se cruza com o fantástico.”

As afirmações acima referem-se à obra-prima de um grande escritor brasileiro moderno:

a) Saragana, de João Guimarães Rosa.

b) Cangaceiros, de José Lins do Rego.

c) Menino do Engenho, de José Lins do Rego.

d) Grande Sertão: veredas, de João Guimarães Rosa.

e) Tempo e o Vento, de Erico Verissimo.

5. (PUCC-SP) “Sertão. Sabe o senhor: o sertão é onde o pensamento da gente se forma mais forte do que o poder do lugar. Viver é muito perigoso.”

Pelo fragmento acima, de Grande sertão: veredas, de João Guimarães Rosa, percebemos que neste romance, como em outros textos regionalistas do autor:

a) o conflito entre o eu e o mundo se realiza pela interação entre as personagens e o sertão, que acaba por ser mítico e metafísico.

b) o sertão é um lugar perigoso, onde os habitantes sofrem as agressões do meio hostil e adverso à sobrevivência humana.

c) não existe uma região a que geograficamente se possa chamar “sertão”: ela é fruto da projeção do inconsciente das personagens.

d) a periculosidade da vida das personagens está circunscrita ao meio físico e social em que vivem.

e) há um conceito muito restrito de sertão, reduzido a palco de luta entre bandos de jagunços.

Respostas das questões sobre Guimarães Rosa

Exercício resolvido da questão 1 –

c) A narrativa constrói-se a partir de um tempo reestruturado pela memória, em que os acontecimentos se classificam segundo uma ordem de importância subjetiva.

Exercício resolvido da questão 2 –

d) João Guimarães Rosa

Exercício resolvido da questão 3 –

e) Guimarães Rosa 

Exercício resolvido da questão 4 –

d) Grande Sertão: veredas, de João Guimarães Rosa.

Exercício resolvido da questão 5 –

c) não existe uma região a que geograficamente se possa chamar “sertão”: ela é fruto da projeção do inconsciente das personagens..

Estude para o Enem com o Simulado Beduka. É gratuito!

Gostou das nossas questões? Questões sobre Guimarães Rosa são muito frequentes. Compartilhe com os seus amigos e comente abaixo sobre áreas que você deseja mais explicações.

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador