Literatura

Resumo do Modernismo

Resumo do ModernismoResumo do Modernismo

O Modernismo rompeu com a tradição clássica e deu início à formação de uma identidade genuinamente brasileira na literatura. O Modernismo se divide em três fases, confira as características da cada uma abaixo.

O Modernismo é uma Escola Literária que cai de forma recorrente no caderno de Linguagens, Códigos e suas tecnologias do ENEM e dos principais vestibulares. Pensando nisso, o Beduka preparou um resumo completo sobre o tema para você!

Nesse artigo você verá:

  1. Um resumo do Modernismo;
  2. O contexto histórico desse movimento;
  3. As principais características do Modernismo;
  4. Como foi o Modernismo no Brasil.

Confira os outros movimentos literários clicando aqui. E aproveite para estudar para o vestibular com com o Simulado do Beduka. É grátis!

Participe da nossa trilha de autoconhecimento, sobre personalidade e profissão.

Resumo do Modernismo

O Modernismo foi um movimento artístico, literário e cultural que surgiu no início do século XX. O movimento tinha como objetivo romper com o tradicionalismo da época, experimentando novas técnicas e criações artísticas. 

O Modernismo foi uma época marcada por drásticas transformações, além da sensação de fragmentação da realidade. Os artistas modernistas sentiam a necessidade de mudar o meio em que viviam e de experimentar novos conceitos. 

Os modernistas acreditavam que as formas tradicionais das artes plásticas, da literatura, da música e do cinema estavam ultrapassados e sentiam a necessidade de criar uma nova cultura, com o objetivo de transformar as características culturais e sociais já estabelecidas, substituindo-as por novas formas e visões.

A partir dessa nova forma de fazer arte, os artistas desenvolviam as suas técnicas de criação e reprodução, fazendo surgir, de forma subjetiva, uma nova maneira de se pensar em relação ao sistema vigente. 

O modo como os artistas pensavam e se posicionavam perante os processos da modernidade – e as mudanças que essa modernidade trazia -, eram de extrema importância para a formação de uma estética modernista.

Contexto Histórico do Modernismo

O Modernismo surgiu como resposta às conseqüências da industrialização, revalorizando a arte e sua forma de realização: manual. O nome deste movimento deve-se à loja que o alemão Samuel Bing abriu em Paris no ano de 1895: Art Nouveau.

Contexto Histórico do Modernismo
Art Noveau, loja de Samuel Bing que deu nome ao Modernismo

No Brasil, o Modernismo chega em um momento de insatisfação política. Essa insatisfação é gerado devido ao aumento da inflação, crise populacional e grande disparidade social, causando greves e protestos.

A Primeira Guerra Mundial também trouxe reflexos para a sociedade brasileira e numa tentativa de reestruturar o país, inclusive a área artística que foi estimulada pelas Vanguardas Europeias, o Brasil encontra a motivação necessária para romper com o tradicionalismo. 

A partir disso, a Semana de Arte Moderna aconteceu em 1922, marcando essa tentativa de mudança artística. 

Principais Características do Modernismo

As características mais marcantes do Modernismo são:

  • Busca pela linguagem brasileira
  • Nacionalismo
  • Ironia, humor e paródia
  • Relato do cotidiano
  • Revisão crítica do passado histórico e cultural
  • Subjetivismo
  • Versos livres

Modernismo no Brasil

O marco inicial do Modernismo no Brasil foi a Semana de Arte Moderna. Apesar disso, as ideias modernistas já rondavam o país muito antes da Semana de 1922. Além disso, no início, havia o desejo de usar a arte para representar a realidade brasileira. Com o tempo, os modernistas se libertaram até mesmo desta obrigação.

O Modernismo veio com o objetivo de romper com as expressões artísticas tradicionais, já que, aos olhos de toda uma geração de artistas e intelectuais, o Brasil era uma jovem república em busca de sua identidade. E, para eles, era necessário encontrar a essência de uma arte genuinamente brasileira.

O Modernismo brasileiro foi dividido em três fases, como veremos adiante. Mas antes, vamos te explicar o que foi a Semana de Arte Moderna. 

Semana de Arte Moderna 

Semana de Arte Moderna de 1922
Cartaz da Semana de Arte Moderna feito por Di Cavalcanti

A Semana de Arte Moderna foi uma manifestação artística e cultural que ocorreu no Theatro Municipal de São Paulo entre os dias 11 a 18 de fevereiro de 1922. Esse evento reuniu diversas apresentações de dança, música, recital de poesias, exposição de pinturas e esculturas e palestras.

Os artistas organizadores propunham uma nova visão de arte, a partir de uma estética inovadora inspirada nas Vanguardas Europeias. Juntos, eles visavam uma renovação social e artística no país.

O evento chocou grande parte da população e trouxe à tona uma nova visão sobre os processos artísticos, bem como a apresentação de uma arte “mais brasileira”. Houve um rompimento com a arte acadêmica, inaugurando assim, uma revolução estética e o Movimento Modernista no Brasil.

Entre os principais representantes, artistas plásticos, músicos e escritores da Semana de Arte Moderna, podemos citar Anita Malfatti, Di Cavalcanti, Brecheret, Tarsila do Amaral, Villa-Lobos e, claro, Oswald de Andrade, Mário de Andrade, Manuel Bandeira, Guilherme de Almeida, entre outros.

Primeira Fase do Modernismo

Primeira Fase do Modernismo
Abapuru, de Tarsila do Amaral. Uma das principais obras do Modernismo brasileiro

Com a Semana de Arte Moderna, tem início a Primeira fase, ou geração, do movimento modernista que também é conhecida como a Fase Heróica. Essa fase é caracterizada por um maior compromisso dos artistas em relação à renovação estética. 

Essa renovação aconteceu tendo como inspiração as Vanguardas Europeias, como o Cubismo, o Futurismo, o Surrealismo, entre outros. 

Essa fase é representada, principalmente, pela tríade modernista – composta por Manuel Bandeira, Mário e Oswald de Andrade –  que apresentou estética transgressora, testando os limites da forma e do conteúdo e combatendo as escolas tradicionais de nossa literatura.

Além disso, embora se fale muito mais da literatura modernista, é importante ressaltar que o movimento incluía outras formas de expressão, cujo maior exemplo é a obra “Abaporu”, de Tarsila do Amaral, pintada em 1928 e que hoje é o mais valioso quadro brasileiro.

Características da Primeira Fase do Modernismo:

  • Rompimento com as estruturas do passado;
  • Linguagem coloquial;
  • Valorização do índio brasileiro;
  • Nacionalismo ufanista, exagerado e utópico;
  • Caráter revolucionário.

Principais representantes da Primeira Fase do Modernismo:

  • Mário de Andrade (1893-1945)
  • Oswald de Andrade (1890-1954)
  • Menotti Del Picchia (1892-1988)
  • Tarsila do Amaral (1886-1973)
  • Anita Malfatti (1889-1964)

Segunda Fase do Modernismo

Segunda Fase do Modernismo
Soneto de Fidelidade, de Vinícius de Moraes. Feito durante a Segunda Fase do Modernismo

A Segunda fase do Modernismo, também chamada de Fase da Consolidação, acontece entre 1930 e 1945 e é caracterizada pelo predomínio da prosa de ficção. Nesse período que os ideais difundidos na fase anterior se espalham e normalizam os esforços de antes para redefinir a linguagem artística

As provocações estão no momento histórico nacional e internacional, com o governo de Getúlio Vargas, a Grande Depressão e a Segunda Guerra Mundial.

Nesse período, a produção poética teve influência do Realismo, do Romantismo e da Psicanálise de Freud.

Características da Segunda Fase do Modernismo:

  • Amadurecimento das ideias da primeira fase;
  • Nova postura artística;
  • Versos livres;
  • Poesia sintética;
  • Nacionalismo, universalismo e regionalismo;
  • Literatura construtiva e politizada.

Principais representantes da Segunda Fase do Modernismo:

  • Rachel de Queiroz;
  • Jorge Amado;
  • Graciliano Ramos;
  • Érico Veríssimo;
  • José Lins do Rego;
  • Cecília Meireles;
  • Vinícius de Morais.

Terceira Fase do Modernismo

Terceira Fase do Modernismo
Capa de “Morte e Vida Severina”, de João Cabral de Melo Neto. Uma das principais obras da Terceira Fase do Modernismo brasileiro

O último momento modernista começa em 1945 e se estende até 1980. Nesse período, o Brasil e o mundo estão numa fase menos conturbada, com o final da Segunda Guerra Mundial e o começo do processo de redemocratização do país após a ditadura.

Nesta fase a prosa dá sequência às três tendências observadas na Segunda Fase, que são: a prosa urbana, intimista e regionalista, com certa renovação formal. A poesia desse período conta com os poetas que apareceram na fase anterior, afinal eles continuam em constante renovação. 

Foi criado um grupo de escritores que se autodenominaram de “Geração 45”, seus membros procuravam por uma poesia equilibrada e séria, sendo até chamados pelas outras pessoas de neoparnasianos.

Características da Terceira Fase do Modernismo:

  • Academicismo;
  • Retorno ao passado;
  • Oposição à liberdade formal;
  • Valorização da métrica e da rima;
  • Linguagem objetiva;
  • Metalinguagem.

Principais representantes da Terceira Fase do Modernismo:

  • João Cabral de Melo Neto;
  • Vinícius de Moraes;
  • Clarice Lispector;
  • Guimarães Rosa.

Gostou do nosso resumo do Modernismo? Confira outros artigos do nosso blog e se prepare para o Enem da melhor maneira! Você também pode se organizar com o nosso plano de estudos, o mais completo da internet, e o melhor: totalmente gratuito!

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Redação Beduka
Redação Beduka
A equipe de redação do Beduka é composta por pessoas de várias formações, sempre prontas a aprender sobre tudo para publicar os melhores textos e colaborar com a formação de todos os leitores. Sinta-se a vontade para deixar o seu comentário!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador