ExercíciosHistória

Os 8 Melhores Exercícios Sobre a Formação de Portugal com Gabarito

Exercícios Sobre a Formação de PortugalExercícios Sobre a Formação de Portugal

Portugal é o país mais a oeste do continente europeu. Seu Estado-nação foi um dos primeiros a se formarem no Ocidente, no contexto da reconquista que os reinos cristãos promoveram contra o domínio muçulmano na Península Ibérica.  Neste texto você descobre como isso aconteceu e testa seus conhecimentos com exercícios sobre a formação de Portugal.

Se quiser ir diretamente para alguma parte do texto, clique em algum dos tópicos abaixo:

Quando você terminar de resolver os exercícios sobre a formação de Portugal, que tal testar seus conhecimentos no Melhor Simulado Enem do Brasil?

Qual é a origem de Portugal?

Portugal é uma nação formada por diversos povos que fizeram migrações para seu território, como é comum em diversos países.

Alguns deles eram europeus, como os celtas, outros migraram do norte da África, como os iberos. Estes últimos deram o nome à península ibérica, onde Portugal e Espanha ficam.

Portugal passou também por uma onda de conquistas e invasões durante a Idade Antiga. Seu território foi ocupado pelos romanos no século III a. C., quando eles promoveram o domínio da Hispânia, durante as Guerras Púnicas, contra Cartago.

As terras conquistadas pelos romanos na Península Ibérica sofreram ataques de povos do norte da Europa, como os visigodos e suevos, no século V d. C. 

Mais tarde, Portugal seria ocupado pelos muçulmanos, que começaram sua expansão no século VIII, após a morte do profeta Mohammed, ou Maomé.

Contudo, a formação do Portugal que conhecemos atualmente se dá no contexto da expulsão dos muçulmanos, o que ficou conhecido como Reconquista Cristã. Isso se realizou no século XII e fez de Portugal um dos primeiros estados unitários da Europa.

Como foi a formação do Estado português?

Os muçulmanos, após a morte de Mohammed, iniciaram uma campanha de expansão da fé islâmica. Isso foi feito através da conquista de territórios e da imposição da conversão aos povos conquistados.

Aqueles que se mantinham fiéis à sua religião precisavam pagar altos impostos ao governante islâmico da região conquistada. Além disso, era proibida a manifestação pública de fé diferente da islâmica.

Isso aconteceu em diversos pontos da Europa cristã medieval. Contudo, o lugar que teve uma duração maior deste contexto e mais influência dos conquistadores muçulmanos foi a Península Ibérica.

No entanto, nada disso aconteceu sem resistência. Os reis visigodos do norte da península iniciaram campanhas de reconquista do território ibérico ainda no século VII d. C. O principal ponto de resistência foi o Reino das Astúrias.

A reconquista dos territórios foi aumentando o espaço de governo dos reinos cristãos, como o de Castela, Leão, Aragão e Navarra. Foi a partir do reino de Leão que Portugal surgiu.

Os reinos ibéricos recebiam ajuda de nobres franceses, como da casa de Borgonha. Um deles, Henrique de Borgonha, foi um destacado guerreiro que recebeu como prêmio do rei de Leão, o governo do Condado Portucalense, na região norte de Portugal.

Henrique casou-se com a filha do rei Afonso VI de Leão e teve um filho chamado Afonso Henriques. Foi Afonso o responsável pelas conquistas portucalenses de norte a sul dos territórios sob domínio islâmico.

Este território constituiria Portugal, contudo, Afonso Henriques ainda era um nobre subordinado ao rei de Leão. Contudo, ele buscou a independência do condado e o reconhecimento como rei do território reconquistado.

Isso se deu em 1139, mas o reconhecimento só viria em 1143, pelo Tratado de Zamora. Assim, Portugal se constituiu como um estado soberano e unitário, com capital em Coimbra. Porém, a capital seria transferida para Lisboa em 1255, devido à sua posição estratégica.

A conquista do território português só terminaria com o domínio da região sul do país, conhecido como Algarves. Isso aconteceu em 1249.

Afonso Henriques fundou a primeira dinastia portuguesa, a casa de Borgonha. Ela foi substituída no século XIV, quando D. Fernando I morreu sem deixar herdeiros masculinos. Isso gerou uma crise sucessória e o risco de Portugal passar para o domínio do Reino de Castela.

Contudo, a Revolução de Avis garantiu a independência portuguesa.

O que foi a Revolução de Avis?

A morte de D. Fernando I se deu em 1381. Sem herdeiros masculinos, o trono seria passado para sua filha, Beatriz, que era casada com o rei João, de Castela. Uma vez que Beatriz chegasse ao poder português, haveria a unificação das duas coroas.

Isso dividiu a opinião entre as elites portuguesas. A Nobreza apoiava a unificação, pois o feudalismo castelhano manteria seus privilégios. Contudo, a burguesia e o povo foram contra, já que D. João não se dedicava ao comércio, mas ao cruzadismo.

Assim, outro João, o irmão do rei falecido Fernando, se apoiou na burguesia e no povo e se colocou como sucessor de seu irmão, contra Dona Beatriz.

No impasse sucessório, após dois anos da morte de D. Fernando, o rei de castela invadiu Portugal. Contudo, apesar da inferioridade numérica, os portugueses liderados por Nuno Álvares Pereira e João Avis vencem as batalhas contra os castelhanos. A mais famosa delas é a Batalha de Aljubarrota, acontecida em 1385.

Após essa batalha, João é entronizado, com o nome de João I. Ele fundou a dinastia de Avis, que teria duração até a morte de Sebastião I, morto em Marrocos, no ano de 1578.

A Revolução de Avis consolidou o estado português e gerou uma monarquia centralizada. Também permitiu que Portugal se dedicasse ao comércio de navegação e à expansão marítima, da qual o Brasil é um dos frutos.

Agora que você já revisou o assunto, que tal testar seus conhecimentos com os exercícios sobre a formação de Portugal logo abaixo?

Exercícios sobre a formação de Portugal

Questão 1 –  (UFES) O século XIV, na Idade Média, corresponde a uma fase em que o feudalismo já estava enfrentando sérios problemas, que impunham mudanças. Não fez parte dessa fase de crise do feudalismo o(a):

a) escassez da mão-de-obra servil, devido a epide­mias como a “peste negra”, doença que dizimou grande parcela da população.

b) desorganização da produção causada pela incidência de guerras, como a Guerra dos Cem Anos.

c) aumento da mortalidade provocada pela grande fome, que produziu a miséria no campo.

d) eclosão de revoltas camponesas desencadeadas pela situação de empobrecimento do homem do campo.

e) política oficial explícita de contenção da produção agrícola e do crescimento demográfico.

Questão 2 –  (Mack-2007) A respeito do nascimento e da consolidação dos Estados nacionais ibéricos, no limiar da Idade Moderna, são feitas as seguintes afirmações:

I. As lutas de reconquista do território da península aos muçulmanos, que a haviam ocupado desde o século VIII, constituem um dos principais elementos do processo de formação desses Estados nacionais.

II. A ascensão de D. João, mestre de Avis, ao trono português, em 1385, encontrou apoio nos grupos de comerciantes portugueses, numa época de florescimento das atividades comerciais no Reino.

III. O ano de 1492, além de selar definitivamente a centralização política da futura Espanha após a vitória militar sobre o rei mouro de Granada, marca a descoberta

da América por Colombo, que viajara a serviço dos “Reis Católicos”.

Assinale:

a) se apenas I é correta.

b) se apenas I e II são corretas.

c) se apenas II e III são corretas.

d) se apenas I e III são corretas.

e) se I, II e III são corretas.

Questão 3 – (UFRGS/2007) Durante a Baixa Idade Média, ocorreu em Portugal a denominada Revolução de Avis (1383-1385), que resultou em uma mudança dinástica, cuja principal consequência foi:

a) o enfraquecimento do poder monárquico diante das pressões localistas que ainda sobreviviam nas pequenas circunscrições territoriais do Reino.

b) o surgimento de uma burguesia industrial cosmopolita e afinada com a mentalidade capitalista que se instaura na Europa.

c) o início das grandes navegações marítimas, que resultaram no descobrimento da América e no reconhecimento da Oceania pelos lusitanos.

d) o início do processo de expansão ultramarina, que levaria às conquistas no Oriente, além da ocupação e do desenvolvimento econômico da América portuguesa.

e) o surgimento de uma aristocracia completamente independente do Estado, que tinha como projeto político mais relevante a expansão do ideal cruzadista.

Questão 4 – (PUC-PR) Em plena Idade Média (1139/1140) nasceu Portugal, originário do Condado Portucalense. Enquanto o feudalismo era a marca política da Europa Ocidental, em Portugal mostrava-se frágil: o pequeno reino nascia unificado.

Sobre o tema e evolução posterior, assinale a opção correta:

O Condado Portucalense transformou-se em Estado, tendo sua independência proclamada por D.  Afonso Henriques.

  • Nos finais do século XIV ocorreu uma crise dinástica: com a morte de D. Fernando extinguiu-se a dinastia de Borgonha.
  • A Revolução de Avis levou ao trono D. João, Mestre de Avis, apoiado pela burguesia de Lisboa e do Porto, além da adesão entusiástica da “arraia miúda”.
  • A dinastia de Avis repeliu a política de expansão marítima, fixando prioridades da agricultura, meio de agradar à alta nobreza lusitana.
  • Devido à política da dinastia de Avis, a expansão marítima somente ocorreria com o advento da dinastia de Bragança.

a) As opções I, II e III estão corretas.

b) Apenas a opção III está correta.

c) As opções II, III e IV estão corretas.

d) As opções III, IV e V estão corretas.

e) As opções II, IV e V estão corretas.

  • Muito bem! Você chegou à metade dos exercícios sobre a formação de Portugal. Continue fazendo o restante.

Questão 5 – (UFJF/2006) Leia, com atenção, a citação:

Diz-se muitas vezes que os povos da Península Ibérica – e particularmente os portugueses – estavam especialmente preparados para inaugurar a série de descobertas marítimas e geográficas que mudaram o curso da história mundial, nos séculos XV e XVI.

(BOXER, C.R. “O império marítimo português”. Lisboa: Edições 70, 1969, p. 20)

Com base na citação e em seus conhecimentos, leia atentamente as afirmativas, que buscam explicar as razões pelas quais os povos ibéricos podem ser considerados “especialmente preparados” para as descobertas marítimas:

  • A frágil diferenciação social interna e as alianças entre aristocracia, burguesia e camponeses atuaram como importante fator de estabilidade social.
  • A ativa participação dos árabes na condução do processo da expansão marítima ibérica possibilitou uma maior troca de experiências e projetos de expansão territorial.
  • A pioneira fundação do Estado Moderno português encontrou na expansão ultramarina uma fonte de prestígio para manutenção da nobreza e uma expectativa de novas fontes de receita.

Após a leitura, pode-se afirmar que:

a) todas estão corretas.

b) todas estão incorretas.

c) somente a afirmativa III está correta.

d) as afirmativas I e III estão corretas.

e) somente a afirmativa II está correta.

Questão 6 – (UFPR 2010) Sob o ponto de vista político, todos os reis medievais ibéricos se consideravam herdeiros legítimos e descendentes dos antigos monarcas visigodos. Por isso, consideravam sua qualquer terra ganha aos “infiéis”. Assim surgiu a palavra Reconquista. A guerra permanente tinha-se por justa, até que fosse alcançado o objetivo último. Mais do que um conflito religioso, a Reconquista surgia a todos, na Europa cristã, como uma questão de herança.

(Adaptado de Oliveira Marques. Breve História de Portugal. Lisboa: Presença, 2001. p. 72–73.)

Sobre o fenômeno da Reconquista, é correto afirmar:

a) Favoreceu o nascimento dos reinos ibéricos independentes.

b) Promoveu a conversão em massa das populações muçulmanas para o cristianismo

c) Deslocou integralmente o interesse e a ação dos cruzados para a Península Ibérica.

d) Fomentou a migração imediata dos muçulmanos para o norte da África.

e) Encerrou a coexistência entre cristãos e muçulmanos no medievo ibérico.

Questão 7 – (PUC-MG) A Revolução do Mestre de Avis (1383-1385) possibilitou a ascensão de uma nova dinastia em Portugal, com d. João I, estendendo-se até 1580, quando ocorreu a União Ibérica. A vitória de d. João I, o mestre de Avis:

a) implicou uma reorientação da política expansionista portuguesa, ameaçando os interesses espanhóis na região de Flandres.

b) proporcionou o alargamento territorial com uma política agrária agressiva, visando à obtenção de recursos destinados à colonização ultramarina.

c) contou com o apoio da França contra a Inglaterra e a Espanha, países rivais de Portugal nas disputas ultramarinas.

d) deu uma nova orientação à política expansionista, voltando-se para o ultramar, sendo a conquista de Ceuta seu marco inicial.

e) viabilizou a organização da expedição de Vasco da Gama, com o Erário Real destinando somas elevadas para o empreendimento.

Questão 8 – (Mackenzie-SP) As razões do pioneirismo português na expansão marítima dos séculos XV e XVI foram:

a) a invasão da península Ibérica pelos árabes e a conquista de Calicute pelos turcos.

b)a assinatura do Tratado de Tordesilhas por Portugal e pelos demais países europeus.

c) um Estado liberal centralizado, voltado para a acumulação de novos mercados consumidores.

d)  as guerras religiosas, a descentralização política do Estado e o fortalecimentos dos laços servis.

e) uma monarquia centralizada, interessada no comércio de especiarias.

  • Parabéns, você fez todos os exercícios sobre a formação de Portugal. Confira agora o Gabarito:

Gabarito dos exercícios sobre a formação de Portugal

Exercício resolvido da questão 1 –

Alternativa correta: letra e) política oficial explícita de contenção da produção agrícola e do crescimento demográfico.

Exercício resolvido da questão 2 –

Alternativa correta: letra e) se I, II e III são corretas.

Exercício resolvido da questão 3 –

Alternativa correta: letra d) o início do processo de expansão ultramarina, que levaria às conquistas no Oriente, além da ocupação e do desenvolvimento econômico da América portuguesa.   

Exercício resolvido da questão 4 –

Alternativa correta: letra a) As opções I, II e III estão corretas.

Exercício resolvido da questão 5 –

Alternativa correta: letra c) somente a afirmativa III está correta.

Exercício Resolvido da questão 6 –

Alternativa correta: letra a) Favoreceu o nascimento dos reinos ibéricos independentes.

Exercício Resolvido da questão 7 –

Alternativa correta: letra d) deu uma nova orientação à política expansionista, voltando-se para o ultramar, sendo a conquista de Ceuta seu marco inicial.

Exercício Resolvido da questão 8 –

Alternativa correta: letra e) uma monarquia centralizada, interessada no comércio de especiarias.

Estude para o Enem com o Simulado Beduka. É gratuito!

Gostou dos nossos exercícios sobre a formação de Portugal? Compartilhe com os seus amigos e comente abaixo sobre as áreas que você deseja mais explicações.

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador