ExercíciosHistória

Exercícios sobre Revolução Cubana RESOLVIDOS

Exercícios_sobre_Revolução_CubanaExercícios sobre Revolução Cubana

A Revolução Cubana, na verdade, é entendida em dois momentos: Um em 1956 de cunho nacionalista e liderado por Fidel Castro e Che Guevara; e o outro em 1961, diretamente contra os EUA e de caráter socialista. Assim, temos as revoluções cubanas. Leia o resumo e faça os exercícios sobre Revolução Cubana para entender porque ela foi tão importante e se dar bem nos vestibulares. 

O que levou à Revolução Cubana? 

Fulgêncio Batista contra a Revolução Cubana
Fulgêncio Batista contra Revolução Cubana

Para entender qualquer conflito primeiro deve-se entender o contexto em que ele ocorreu. Vamos a um resumo para que você não se perca quando for fazer os exercícios sobre Revolução Cubana no ENEM. Faça também o Simulado Beduka para garantir sua nota.

O cenário em Cuba era bem desfavorável no início do Séc. XX. O país se libertou de ser uma colônia espanhola para se tornar uma colônia americana. Os Estados Unidos dominavam território Cubano através da Emenda Platt. 

Além disso, os cubanos eram, também, economicamente dependentes dos yankees, que eram praticamente os únicos com quem mantinham relações mercadológicas. Em troca, os americanos usavam o território cubano como queriam, até para prática de bordéis, cassinos, drogas…

Ademais, Cuba também tinha problemas internos. A Crise de 1929 colocou a pequena ilha em situação bem delicada, mas o pior era a administração mal feita e corrupta  dos dirigentes que favoreciam a burguesia. Isso motivou o rancor da população e fomentou o crescimento de movimentos como o dos operários e dos aprendizes.

O poder em Cuba foi tomado dos dirigentes por Fulgêncio Batista. Ele deu um golpe com apoio dos americanos e a partir daí começou um governo que era, na prática, uma ditadura

Durante esse período houve vários levantes dos movimentos citados anteriormente, mas todos fracassaram e vários combatentes foram mortos ou presos. Dentre os presos, estava Fidel Castro.

A Revolução Cubana de 1956

Fidel Castro pela Revolução Cubana
Fidel Castro pela Revolução Cubana

Gostando da história até aqui? Então continue lendo porque depois vão vir os exercícios sobre Revolução Cubana. A verdadeira batalha começa agora

Fidel Castro foi exilado no México e lá ele começou a sua revolução. Criou uma grande rede de contatos, conseguiu reforços e traçou seu plano de retorno. A estratégia contava com o combates nas florestas e o apoio popular dos cubanos desfavorecidos.

De volta a Cuba, os 80 homens de Fidel começaram a atuar em batalhas contra o governo até conseguirem sua primeira vitória em Janeiro de 1957. A Comandancia de La Plata foi a primeira base rebelde. Mais motivados do que nunca, cada vez mais levantes populares anti-ditatoriais foram ocorrendo pelas maiores cidades, inclusive na do próprio ditador.

Entre sucessos e fracassos, o fato era que os rebeldes estavam ficando mais fortes, até que Fidel declarou “guerra total” contra Batista. As colunas rebeldes estavam avançando. Batista tentou uma retaliação de 10 mil homens, mas foi derrotado. Enquanto isso, Che Guevara e Cienfuegos (líderes de colunas) capturavam cada vez mais províncias cubanas.

A verdade sobre os revolucionários

Todavia, não se engane. Os rebeldes de Fidel não devem ser tratados como heróis libertadores. A verdade é que para chegar ao poder eles passaram por cima da moral e dos direitos humanos. Mantiveram o apoio popular sob a farsa de lutarem por igualdade, mas execravam aqueles que discordassem de seus métodos.  

Um ótimo exemplo era o Terceiro Líder das Colunas: Huber Matos, que ousou discordar do chefe e foi sentenciado a 20 anos de prisão pelo próprio Fidel Castro. 

Leia mais a respeito no blog do jornalista Percival Puggina.         

Com o exército derrotado e caminho aberto, os revolucionários que até então tinham 3000 homens chegariam em Havana com 40 mil. Depois fecharíam um cerco sobre Santiago e… “xeque-mate”. Batista não teve escolha senão fugir do país.

A ditadura de Fidel Castro e o número de assassinatos

A maioria das informações facilmente disponíveis na internet não vai mostrar o outro lado da moeda, então o Beduka fará isso. Preste atenção quando estiver fazendo os exercícios sobre Revolução Cubana. 

Fidel Castro se tornou Primeiro Ministro e iniciou uma série de medidas que irritaram os Estados Unidos. Dentre elas: 

  • Nacionalização de empresas estrangeiras
  • Reforma Agrária
  • Reformas na educação e na saúde
  • E posteriormente, aproximação com a URSS.

Olhando essas medidas, é fácil pensar que o novo governante foi uma ótima pessoa, pois então vamos acrescentar mais algumas:

Fuzilados: 5.621. 

Assassinados extrajudicialmente: 1.163. 

Presos políticos mortos no cárcere por maus tratos, falta de assistência médica ou causas naturais: 1.081. 

Guerrilheiros anticastristas mortos em combate: 1.258. 

Soldados cubanos mortos em missões no exterior: 14.160. 

Mortos ou desaparecidos em tentativas de fuga do país: 77.824. 

Civis mortos em ataques químicos em Mavinga, Angola: 5.000. 

Guerrilheiros da Unita mortos em combate contra tropas cubanas: 9.380

Dessa forma, fica perceptível que a Revolução Cubana é pintada como um levante popular contra uma ditadura, mas chegou ao poder matando e permaneceu nele matando ainda mais. 

Fidel Castro foi um rebelde que se importava mais com o poder do que com o povo e perto dele. Batista poderia ganhar o apelido de “Batista, o Breve”. Palavras do jornalista: Percival Puggina

A Revolução Cubana de 1961

Bandeira Cubana e Bandeira Soviética
Bandeira Cubana e Bandeira Soviétiva

Ainda tem muita história pela frente, então preste atenção para fazer direito os exercícios sobre Revolução Cubana. 

Vamos lembrar que nessa época estava acontecendo a Guerra Fria e quem não estava a favor dos EUA estava a favor da URSS (pelo menos na visão do dois pólos era assim). E como Cuba não estava mais se sujeitando aos interesses yankees, a resposta foi os americanos cortarem ligações comerciais com o país, o que era um grande problema. 

Assim, Fidel resolveu se aproximar da União Soviética para reaver sua estabilidade econômica. Isso fez com que John Kennedy (Presidente dos EUA) cortasse também as relações diplomáticas com Cuba e expulsasse a ilha caribenha da OEA (Organização dos Estados Americanos). 

Também fez com que Cuba fosse cada vez mais rápido ao fundo do poço posteriormente. 

Além de convencer dois milhões de cubanos a abandonarem a ilha, porque não queriam ter seus bens confiscados pelo governo socialista.

Inclusive, aí estava outro problema: Deixar a ilha. 

Fidel Castro vendeu sua revolução como uma luta pela liberdade. Uma liberdade em uma ilha cercada de tubarões, com um governo totalitário que tomava as propriedades do povo, cerceava a comunicação, calava a oposição através do medo e da força, e os cubanos desfavorecidos que o levaram ao poder continuavam desfavorecidos e na miséria.  

Além da retaliação econômica e política, os americanos optaram por uma “investida militar” formada por exilados cubanos anti-revolucionários. Foi a Invasão à Baía dos Porcos, que tinha por objetivo provocar uma guerra civil, mas terminou fracassada e apenas motivou Fidel a fechar em definitivo com URSS, declarando Cuba como socialista. 

Percebendo que haviam perdido Cuba, os americanos criaram a “Aliança para o Progresso”: Uma espécie de sistema de ajuda econômica para seus países aliados da América Latina numa tentativa de impedir Cuba de virar um exemplo. 

Contudo, os ânimos iriam apenas se alarmar, porque 1962 a URSS colocaria mísseis em Cuba e faria o mundo chegar mais perto do que nunca de uma guerra nuclear. A essa altura, Cuba não estava apenas contra os EUA, mas contra todo o bloco capitalista.

Passada a crise dos mísseis sem grandes danos, Cuba se tornou uma verdadeira aliada da União Soviética. Isso foi muito vantajoso para a população, pelo menos até a queda do bloco socialista em 1990. A partir daí, Cuba precisou achar novas fontes para se sustentar.

O plano de remontada de Cuba parece não ter dado certo, pois já faz cerca de 60 anos que o país está parado no tempo. As políticas de corrupção nas “eleições” não mudaram desde então. Também não foram criados novos partidos e a abertura para políticas que não sejam de esquerda caminham a passos de formiga. 

Se enganam aqueles que pensam que a Revolução Cubana foi um ato de justiça e salvação. E mentem para si mesmos aqueles que acreditam que Fidel Castro foi um herói, enquanto o povo que ele dizia defender está morrendo de fome ainda hoje.     

Exercícios sobre Revolução Cubana 

Agora que você já tem um resumo de toda a história, está na hora de fazer os exercícios sobre Revolução Cubana. Baixe também o nosso Plano de Estudos e boa sorte.

1. (FGV SP) Em janeiro de 1959, tropas revolucionárias comandadas por Fidel Castro tomaram o poder em Cuba. A luta revolucionária:

a) foi dirigida por uma guerrilha comunista que pôde derrotar o exército de Fulgêncio Batista, graças ao apoio militar oferecido pela União Soviética.

b) foi dirigida pelo Partido Comunista de Cuba, que conseguiu mobilizar camponeses e trabalhadores urbanos contra a ditadura de Fulgêncio Batista.

c) foi dirigida por dissidentes do governo de Fulgêncio Batista, com apoio inicial do governo dos Estados Unidos, interessado em democratizar a região do Caribe.

d) foi dirigida por uma guerrilha nacionalista e anti-imperialista, que angariou apoios da oposição burguesa e de setores da esquerda cubana.

e) foi dirigida por um movimento camponês espontâneo que, gradativamente, foi controlado pelos comunistas liderados por Fidel Castro.

2. (FGV 2011) A Revolução Cubana, vitoriosa em 1959, teve como principal característica:

a) A mobilização popular por meio de manifestações de massas e a organização de seguidas greves gerais que interromperam as atividades econômicas de Cuba.

b) A prática do “foquismo”, com grupos armados que se dedicavam à luta armada caracterizada pela tática de guerrilhas.

c) A mobilização internacional por meio de campanhas que denunciavam o desrespeito aos direitos humanos por parte do governo cubano.

d) A intervenção soviética, que enviou tropas de apoio aos revolucionários e bombardeou bases do governo cubano.

e) A vitória eleitoral dos revolucionários no pleito de 1958 e a gradativa implementação de medidas socializantes por Fidel Castro.

3 (PUC-MG 2000) O movimento revolucionário que produziu, pela primeira vez na história latino-americana, a quebra da unidade do capitalismo no continente foi:

a) a revolução boliviana liderada pelo ativista político Carlos Montenegro, um dos fundadores do Movimento Nacional Revolucionário (MNR).

b) a revolução cubana de 1959 que, inicialmente, combatia o imperialismo norte-americano e a ditadura de Fulgêncio Batista.

c) a Frente Farabundo Martí de 1930, que promoveu um levante de 30 miI camponeses e, após derrotar o Exército assumiu o governo em EI Salvador.

d) o sandinismo na Nicarágua que derrubou o governo de Somoza e tomou o poder, dando início à implantação do socialismo com amplo apoio popular.

e) o governo do Presidente chileno Allende, da Unidade Popular, de duração efêmera, sendo derrubado por um Golpe Militar chefiado pelo general Pinochet.

4. (UECE 1999) Após a tomada do poder, os revolucionários cubanos encontraram muita resistência por parte da comunidade internacional. Dentre as medidas tomadas contra Cuba, pode-se assinalar corretamente:

a) forças militares, formadas por mercenários e apoiadas pelo governo americano, tentaram invadir a ilha, sendo derrotadas na Baía dos Porcos.

b) uma força-tarefa internacional, organizada pela ONU, invadiu a ilha e depôs o governo corrupto de Batista.

c) o bloqueio econômico contra Cuba, proposto pelos EUA à OEA, não foi implementado por conta da resistência de países como o Brasil e a Argentina.

d) a URSS procurou atenuar os conflitos provocados pela Revolução Cubana, evitando apoiar econômica e militarmente o novo governo.

5. (UFPE 1998) Sobre a Revolução Cubana é incorreto afirmar que:

a) Fidel Castro comandou um ataque ao Quartel de Moncada em 1953 sendo preso e só anistiado em 1955.

b) Do México, Fidel Castro organizou junto com Che Guevara uma invasão a Cuba em 1956.

c) Em cuba governava o ditador Fulgênico Batista, que sem nenhum apoio dos Estados Unidos lutou contra os revolucionários cubanos.

d) Fidel Castro e Che Guevara organizaram nas montanhas de Sierra Maestra um movimento guerrilheiro que cresceu rapidamente.

e) Em 1959, Fidel Castro implantou um novo regime de governo em Cuba: um regime socialista.

Respostas dos Exercícios sobre Revolução Cubana 

Exercício resolvido da questão 1 –

d) foi dirigida por uma guerrilha nacionalista e anti-imperialista, que angariou apoios da oposição burguesa e de setores da esquerda cubana

Exercício resolvido da questão 2 –

b) A prática do “foquismo”, com grupos armados que se dedicavam à luta armada caracterizada pela tática de guerrilhas.

.

Exercício resolvido da questão 3 –

b) a revolução cubana de 1959 que, inicialmente, combatia o imperialismo norte-americano e a ditadura de Fulgêncio Batista.

Exercício resolvido da questão 4 –

a) forças militares, formadas por mercenários e apoiadas pelo governo americano, tentaram invadir a ilha, sendo derrotadas na Baía dos Porcos.

Exercício resolvido da questão 5 –

c) Em cuba governava o ditador Fulgênico Batista, que sem nenhum apoio dos Estados Unidos lutou contra os revolucionários cubanos.

Estude para o Enem com o Simulado Beduka. É gratuito!

Gostou dos nossos Exercícios sobre Revolução Cubana? Compartilhe com os seus amigos e comente abaixo sobre áreas que você deseja mais explicações.

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador