Geografia

Resumo completo sobre o Movimento das Placas Tectônicas: os tipos, as causas e as consequências

Entenda quais são os movimentos das placas tectônicas e suas consequências!Entenda quais são os movimentos das placas tectônicas e suas consequências!
Domine Sisu Prouni e Fies

O manto em convecção gera movimento das placas tectônicas, que pode ser de 3 tipos: convergentes, divergentes ou transformantes. Dependendo do envolvimento de placas oceânicas ou continentais, causam diversas consequências como terremotos, subducção, tsunamis, formação de falhas ou surgimento de cadeias montanhosas.

Neste artigo vamos te contar como ocorre o movimento das Placas Tectônicas, clique em um dos tópicos para ir diretamente para alguma parte:

Estudando para as provas? Conheça nosso Simulado gratuito, que pode ser personalizado com as matérias que você mais precisa!

O que são placas tectônicas? Teoria da Tectônica de Placas e Deriva Continental

As Placas tectônicas são grandes blocos de rochas que dão suporte a tudo o que vemos no solo, abrigando os continentes e o fundo dos oceanos.

Dizemos que essas placas são semirrígidas porque, apesar de sólidas, elas se movimentam e podem se esbarrar! Veremos as consequências disso a frente! 

Esses princípios foram propostos pela Teoria das Placas tectônicas, que foi antecedida pela Teoria da Deriva continental.

Alfred Wegener, um geólogo, apresentou em 1913 o que chamou de Teoria da Deriva Continental. Dizia que há milhões de anos a Terra era formada apenas por uma grande placa chamada Pangeia, pois observou que os contornos dos continentes se encaixam e possuem a mesma formação vegetal e mineral (solo).

https://www.youtube.com/watch?v=hSfaD9luYpg

Com as mudanças climáticas, eras geológicas e a movimentação, a Pangeia se fragmentou em placas menores. Atualmente, o planeta Terra está dividido em 52 placas tectônicas, sendo 14 as principais (como a Sul-Americana, do Pacífico e Australiana).

Onde ficam as placas tectônicas?

De acordo com a Teoria da Tectônica de Placas, é a Crosta Terrestre (ou Litosfera) que é formada pelas Placas Tectônicas. Lembre-se que Crosta é uma camada sólida e a mais superficial da Terra, composta por rochas e minerais. Portanto, ela não é contínua, mas sim fragmentada em várias partes que chamamos de placas.

Para entender o porquê das placas se movimentarem, é crucial saber que a Crosta fica logo acima da camada que chamamos de Manto Terrestre. O Manto é predominantemente feito de magma, aquele material viscoso/líquido que jorra dos vulcões.

No desenho abaixo deste título você vê um desenho simplificado das camadas da Terra para localizar os elementos mencionados!

O que causa o movimento das placas tectônicas?

As placas tectônicas, também chamadas de placas litosféricas, movimentam-se porque deslizam sobre o manto. 

Isso acontece porque o magma, material líquido, é aquecido no centro da terra. Como vemos na física térmica, o material aquecido tende a subir, afastando-se da fonte de calor. Como consequência, resfria-se e desce. Assim um movimento cíclico é gerado, conhecido como corrente de convecção.

As placas sólidas parecem boiar sobre o magma em movimento, portanto também se movimentam numa velocidade entre 1 e 10 cm/ano.

Limite de Placas

Anillo-de-fugeo-ring-of-fire-anel-de-fogo-círculo-de-fogo-geografia-placas-tectonicas

O limite de Placas é a extremidade de uma placa que se encontra com a extremidade de outra. Quando as placas se movimentam, elas podem se aproximar ou afastar umas das outras e é no limite de placas que observamos o que está ocorrendo, pois ali pode-se medir a distância deslocada e o sentido.

Por isso, as zonas de encontro ou afastamento entre duas placas são locais altamente instáveis. Assim, dependendo do tipo de movimento, as diferentes consequências surgem nessa região, podendo ser terremotos, tsunamis, montanhas, vulcões.

O local no planeta que atualmente possui mais limites de placas ao mesmo tempo é o oeste da Ásia, passando pela China, Japão, Indonésia, Oceano Pacífico e chegando à Cordilheira dos Andes. 

Como há o encontro de mais de duas placas, essa região possui muita instabilidade geológica, por isso, recebe o nome de Círculo de Fogo. Como consequência, você já deve ter visto que grande parte das catástrofes naturais ocorrem nesses países.

  • Antes de falarmos dos tipos de movimentos, consequências e formação desses fenômenos naturais, precisamos pontuar uma última coisa:

Quais são os três tipos de placas tectônicas?

Dependendo da localização da placa e de qual área ela abrange, podemos classificá-las de três formas:

  • Placas Oceânicas: encontram-se bem no assoalho oceânico, ou seja, são o fundo dos oceanos e totalmente imersas. São mais finas, sempre renovadas e cobrem a maior parte da terra. Ex: Placa de Nazca
  • Placas Continentais: encontram-se bem nas áreas de terra firme, não possuem partes submersas. São mais grossas, antigas e estão em menor proporção. Ex: Placa Arábica.
  • Placas continentais e oceânicas: são aquelas que possuem uma parte continental e se estendem abrangendo também parte do fundo do oceano. Muitas vezes são classificadas somente como continentais, passando a existir apenas 2 tipos de placas e não 3. Ex: Sul-Americana

Quais são os movimentos das placas tectônicas e suas consequências?

Quais-são-os-tres-tipos-de-movimentos-das-placas-tectonicas-convergente-divergente-e-transformante-ou-transcorrente

São três os principais tipos de movimentos das placas tectônicas: convergente, divergente e transformante. Eles são classificados conforme a direção do deslocamento

Uma mesma placa X pode fazer fronteira com a placa Y e ter um movimento diferente da sua fronteira com a placa Z. Por isso, sempre analisamos apenas o movimento do limite entre duas placas.

Movimento Convergente

No movimento Convergente as placas se movem uma em direção à outra, aproximando-se e tendendo a se chocarem.

Aprenda a usar a nota do Enem
  • Quando o movimento convergente ocorre entre uma placa oceânica e uma placa continental:

A continental é mais grossa e dura, então se enruga formando dobras. Essas dobras originam Cadeias montanhosas e Cordilheiras, como a dos Andes no Chile que foi formada pela convergência entre a placa Sul-Americana e a de Nazca.

Já a oceânica retorna ao manto porque é mais fina e mole. Isso ocorre com ela entrando por baixo da continental, um movimento chamado de Subducção.

  • Quando ocorre um choque entre duas placas oceânicas:

A lógica é semelhante à anterior, apenas uma das placas afundará e será a mais densa entre elas.

  • Quando o choque ocorre entre duas placas continentais:

Neste caso não há subducção, pois a densidade é a mesma e ambas são bem fortes e grossas. Nesse caso, ambas se dobram, como na formação das montanhas do Himalaia!

Movimento Divergente

No movimento Divergente as placas se movem em direções contrárias ou opostas, afastando-se cada vez mais.

Quando elas afastam muito, surgem fendas muito profundas que atingem o manto. Assim, ele encontra um canal para expelir lava. Com isso, a lava expelida chega à superfície e se solidifica, formando um tipo de rocha conhecida como basalto.

  • Quando ocorre nas placas oceânicas:

Formam-se ilhas vulcânicas. No assoalho de oceanos formam verdadeiras cadeias montanhosas submersas, como a Dorsal Mesoceânica. Isso causa a expansão do fundo oceânico, originando maremotos e tsunamis

  • Quando ocorre nas placas continentais:

Podem formar vulcões, terremotos ou vales em rifts (fendas expostas na terra, como no Chifre Africano). Lembre-se também que essa não é a única forma pelos quais os vulcões são formados. Há vulcões no meio das placas, locais chamados de hotspots, e são outras as suas causas.

Movimento Transformante, Transcorrente ou Subsidente

No movimento Transformante, também conhecido como Transcorrente ou Subsidente, as placas se movem unilateralmente, de forma paralela entre si, como se esfregassem uma na outra.

No caso, não há destruição nem criação de placas, podendo causar apenas as falhas. Esse movimento gera um índice muito alto de atrito, causando enormes terremotos e formações de algumas rachaduras, como a de San Andreas nos Estados Unidos.

Em qual placa tectônica o Brasil está localizado?

O Brasil é um país de muita sorte em termos geológicos! Nós nos situamos bem no centro da Placa Sul-Americana, uma das maiores em tamanho e espessura. 

Isso significa que estamos longes dos limites e, por isso, quase não sofremos consequências de atividades sísmicas. O nosso relevo também é geologicamente antigo, logo, possui muitos recursos naturais.

De forma bem discreta, essa placa move-se para o oeste. Assim ela se afasta da Dorsal Mesoatlântica e aproxima-se das Placas de Nazca e do Pacífico.

Gostou do nosso artigo sobre o movimento das Placas Tectônicas? Confira outros artigos do nosso blog e se prepare para o Enem da melhor maneira! Você também pode se organizar com o nosso plano de estudos, o mais completo da internet, e o melhor: totalmente gratuito!

Aumente sua nota no Enem 2022!

O Beduka é o seu parceiro número um quando o assunto é entrar na faculdade. Para isso, disponibilizamos uma série de ferramentas que te deixam mais perto de realizar esse sonho.

Faltam apenas 3 meses para o Enem e pensando em te ajudar nessa reta final, criamos o Kit Aprovação ENEM 2022 que reúne as melhores soluções aumentar sua nota da prova, veja quais são elas:

  • Plano de Estudos Intensivo
  • Curso de Redação com o Profº Victor Lúcio
  • Ebook de Redação
  • Bônus: Aulão exclusivo dos assuntos mais cobrados

Tudo isso custa menos do que inscrição do próprio Enem: apenas R$ 83,00 ou 5x de R$ 16,60

Siga o Beduka no Pinterest e Instagram e receba conteúdos diários e gratuitos sobre o mundo do Enem e Vestibulares.

Obrigada por ler nosso texto sobre o que movimento das placas tectônicas!

Faça sua nota trabalhar

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador