LiteraturaMatérias

O que é Soneto? Definição, características, como fazer e exemplos.

O que é SonetoO que é Soneto

Você já leu um Soneto? Eles são poemas de forma fixa, ou seja, sempre escrito com o mesmo número de estrofes e versos. Shakespeare, por exemplo, produziu muitos sonetos. No Brasil, um dos maiores destaques é Vinicius de Moraes. Você não sabe o que é um soneto? Leia nosso artigo e descubra suas características, como fazer e exemplos.

Neste texto sobre o que é soneto, você encontrará os tópicos abaixo. Clique em um deles para ir diretamente ao conteúdo:

  1. O que é Soneto?
  2. Quais as características de um Soneto?
  3. Qual a origem dos sonetos?
  4. Quais os tipos de combinação das rimas dos tercetos?
  5. Quais são os tipos de métrica de um Soneto?
  6. Os 6 Principais escritores de Sonetos na Literatura Mundial.
  7. Os 4 Principais escritores de soneto na Literatura Mundial.
  • Após estudar sobre o que é soneto, você pode praticar com o Simulado Beduka! O melhor simulado enem do Brasil!

O que é Soneto?

Olá, tudo bem? 

Assim como a vida, as construções poéticas perpassam por diferentes períodos e manifestações desenvolvidas por meio da mente humana. É o que chamamos de criatividade poética!

Algumas criações ganham formas e características individuais, são únicas e seus traços não são repassados a outros conflitos e contextos. Mas o que isso quer dizer?

Que na maior parte das vezes, o poema segue por caminhos particulares, sem regras, sem definições, sem contagens numéricas. Essa liberdade de simplesmente colocar as palavras no papel sem preocupação numérica e academicista, foi amplamente difundida na Semana de Arte Moderna.

Mas nem só de versos livres vive a poesia. Há muitos padrões poéticos que deram certo, e foram seguidos por escritores consagrados. É o caso dos sonetos.

Quem nunca ouviu falar do Soneto da Fidelidade?

O amor pode até ser  subjetivo e abstrato, pode emanar uma figura de linguagem. Pulsar metáfora em “é fogo que arde sem se ver”. Latejar antítese em “contentamento descontente”. Ou emitir um melancólico paradoxo em “é solitário andar por entre a gente”.

Mas na hora de escrever esse soneto, Vinicius de Moraes precisou contar! E não trata-se de uma história, ou dos seus anseios amorosos. Eu falo realmente de contagem numérica. 

Ele precisou moldar o amor e os versos em arranjos pré-definidos. Isso é soneto: uma forma fixa de poema, na qual o número de estrofes, versos e os tipos de rima são numericamente pré-determinados.

Agora, ficou bem mais simples entender o que é Soneto, não é mesmo?

Quais as características de um Soneto?

Como todo poema, a estrutura principal de um soneto é composta por estrofes e versos. As duas primeiras estrofes são compostas de quatro versos cada, e as duas últimas, três versos cada.

Ou seja, dois quartetos ou quadras (estrofes formadas por quatro versos) e dois tercetos (estrofes formadas por três versos). Totalizando 14 versos.

Veja o exemplo a seguir: 

Um soneto de Olavo Bilac

Deixa que o olhar…

Deixa que o olhar do mundo enfim devasse

Teu grande amor que é teu maior segredo!

Que terias perdido, se, mais cedo,

Todo o afeto que sentes, se mostrasse?

*******************************************************

Basta de enganos! Mostra-me sem medo

Aos homens, afrontando-os face a face:

Quero que os homens todos, quando eu passe,

Invejosos, apontem-me com o dedo.

*******************************************************

Olha: não posso mais! Ando tão cheio

Desse amor, que minh`alma se consome

De te exaltar aos olhos do universo.

******************************************************

Ouço em tudo teu nome, em tudo o leio:

E, fatigado de calar teu nome,

Quase o revelo no final de um verso.

As estrofes estão cuidadosamente separadas por asteriscos para que você possa compreender. 

Quando falamos de estruturação de sonetos, devemos deixar de lado, realmente esquecer por um momento, a interpretação daquilo que o autor pretendeu nos dizer. Vamos contar?

Perceba que o asterisco separa as quatro estrofes, e somando os versos que a compõem,  você verá exatamente a numeração informada anteriormente. Sempre será assim?

A resposta é sim. Caso você veja em sua prova a palavra soneto, pedindo para identificar ou informar suas características, lembre-se do que leu por meio do Beduka! Afinal, contagens numéricas nunca mudam!

Lembre-se de tudo isso, sempre que precisar responder “O que é Soneto?”.

Qual a origem do Soneto?

Você consegue falar com precisão como surgiu um boato?

É impossível. Só sabemos que se origina por meio de algum fofoqueiro. Brincadeiras à parte, não há registros realmente precisos e verídicos a respeito do surgimento dos sonetos.

Atribui-se a sua criação, ou seja, os moldes nos quais ele se encaixa, ao poeta e humanista italiano Francesco Petrarca (1304-1374).

A palavra soneto também origina-se do italiano: “sonetto”, que significa pequeno som. Referindo-se ao som produzido pelos versos que o compõem. 

Quais os tipos de combinação das rimas dos tercetos?

Há a combinação de duas rimas ou mais de três. Primeiramente, você sabe o que é rima? Trata-se de um recurso utilizado por poetas para combinar o final das palavras de uma forma que elas tenham som, musicalidade e ritmo.

Portanto palavras como sofreste e cedeste ficarão dispostas nas estrofes de acordo com o tipo de rima escolhida pelo escritor. 

Antes de prosseguirmos dê uma olhada nos tipos de rima:

  • rica: entre palavras de diferentes classes gramaticais;
  • pobre: entre palavras com a mesma classe gramatical;
  • externa: ocorre no final dos versos;
  • interna: rima entre a palavra final de um verso e outra do interior do verso seguinte;
  • emparelhada: AABB;
  • alternada ou cruzada: ABAB;
  • interpolada ou oposta: ABBA;
  • mista: variados tipos de combinação.
  • aguda: entre palavras oxítonas, ou monossílabas tônicas;
  • grave: entre palavras paroxítonas;
  • esdrúxula: entre proparoxítonas;
  • perfeita: igualdade total entre sons vocálicos e consonantais;
  • imperfeita: semelhança parcial de sons.

Quando os tercetos possuem mais de duas rimas, os dois farão um compartilhamento de verso, funcionando como um sexteto (estrofe de seis versos).

Caso você queira se aprofundar nas estruturas de um poema, acesse o nosso artigo sobre “O que é Poema”. Nele você encontrará todas as estruturas definidas e detalhadas.

Para compreender o que é soneto, é fundamental conhecer também as estruturas de um poema.

Combinação de tercetos com duas rimas

Muitos sonetos apresentam combinação de apenas duas rimas, a última palavra do primeiro verso rimando com a última palavra do terceiro verso. Veja no exemplo a seguir.

Trecho de Soneto Italiano, Manuel Bandeira.

Combinação CDC-DCD

Também te vi chorar… Também sofreste C

A dor de verem secarem pela estrada D

As fontes da esperança… E não cedeste! C

Antes, pobre, despida e trespassada, D

Soubeste dar à vida, em que morreste, C

Tudo, — à vida, que nunca te deu nada! D

Combinações de tercetos com três rimas

As combinações possíveis para tercetos que possuem três rimas são respectivamente: ccd-eed, cdc-ede, ced-cde.  Veja o exemplo a seguir:

Trecho do Soneto de Florbela Espanca

É ter fome, é ter sede de Infinito! C

Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim… D

É condensar o mundo num só grito! C

E é amar-te, assim, perdidamente… E

É seres alma, e sangue, e vida em mim D

E dizê-lo cantando a toda a gente! E

A combinação de rima dos tercetos acima é a cdc-ede. Perceba que para criar a possibilidade de haver mais de duas rimas, as estrofes conversam entre si, no que se refere a uma parceria na hora de rimar.

Portanto, o segundo verso do primeiro terceto rima com o segundo verso do segundo terceto. 

Em D ( representadas pelas palavras Cetim e Mim) temos uma rima interpolada, ou seja, o D fica no meio de outras duas palavras que não fazem rima com ele, representadas por C e E. Lembrando que isso ocorre porque as estrofes relacionam-se entre si.

Em C e E teremos as rimas cruzadas ou alternadas, que são rimas separadas por apenas uma palavra.  

Quais são os tipos de métrica de um Soneto?

Você sabe o que são métricas? Elas são responsáveis pela contagem poética dos versos de um poema.  É importante destacar que nem sempre as sílabas poéticas irão coincidir com a divisão silábica gramatical.

A contagem de sílabas poéticas diverge da contagem silábica tradicional.  Há duas condições essenciais que você precisa saber para facilitar e não errar em uma questão do Enem, são as seguintes:

1- Só se conta até a última sílaba tônica 

2- Vogal não forma sílaba poética sozinha. 

Referente aos sonetos, eles geralmente são compostos por dez sílabas poéticas, ou seja, são decassílabos. Classificados em dois tipos:

1- Versos Heróicos: nos quais as sílabas tônicas se encontram nas posições 6 e 10.

2- Versos Sáficos: nos quais as sílabas tônicas se encontram nas posições 4, 8 e 10.

Veja quais são os tipos de métricas:

  • Monossílabo – verso que possui uma sílaba poética
  • Dissílabo – verso que possui duas sílabas poéticas
  • Trissílabo – verso que possui três sílabas poéticas
  • Tetrassílabo – verso que possui quatro sílabas poéticas
  • Pentassílabo – verso que possui cinco sílabas poéticas
  • Hexassílabo – verso que possui seis sílabas poéticas
  • Heptassílabo – verso que possui sete sílabas poéticas
  • Octossílabo – verso que possui oito sílabas poéticas
  • Eneassílabo – verso que possui nove sílabas poéticas
  • Decassílabo – verso que possui dez sílabas poéticas
  • Hendecassílabo – verso que possui onze sílabas poéticas
  • Dodecassílabo – verso que possui doze sílabas poéticas

Veja a contagem métrica caracterizada pela (/) do Soneto de Fidelidade, Vinicius de Moraes:

“De/ tu/do ao/ meu/ a/mor/ se/rei/ a/ten/to

An/tes/, e/ com/ tal/ ze/lo, e/ sem/pre, e/ tan/to

Que/ mes/mo em/ fa/ce/ do/ mai/or/ en/can/to

De/le/ se en/can/te/ mais/ meu/ pen/sa/men/to.

Que/ro/ vi/vê-/lo em/ ca/da/ vão/ mo/men/to

E em/ seu/ lou/vor/ hei/ de es/pa/lhar/ meu/ can/to

E/ rir/ meu/ ri/so e/ de/rra/mar/ meu/ pran/to

Ao/ seu/ pe/sar/ ou/ seu/ con/ten/ta/men/to.

E a/ssim/, quan/do/ mais/ tar/de/ me/ pro/cu/re

Quem/ sa/be a/ mor/te, an/gús/tia/ de/ quem/ vi/ve

Quem/ sa/be a/ so/li/dão/, fim/ de/ quem/ a/ma.

Eu/ po/ssa/ me/ di/zer/ do a/mor/ (que/ ti/ve):

Que/ não/ se/ja i/mor/tal,/ pos/to/ que é/ cha/ma

Mas/ que/ se/ja in/fi/ni/to en/quan/to/ du/re.”

Lembre-se! Só se conta até a última sílaba tônica, que acima estão representadas em negrito. Portanto, você pode desconsiderar o que vem após a última barra. São belos versos decassílabos, não é? 

Que ironia! A poesia transformada em matemática!

Os 6 Principais escritores de soneto da Literatura Brasileira

  • Gregório de Matos Guerra (1636-1696)
  • Cláudio Manuel da Costa (1729-1789)
  • Cruz e Sousa (1861-1898)
  • Olavo Bilac (1865-1818)
  • Augusto dos Anjos (1884-1914)
  • Vinícius de Moraes (1913-1980)

Os 4 Principais escritores de soneto da Literatura Mundial

  • Luís de Camões (1524-1580)
  • Bocage (1765-1805)
  • Antero de Quental (1842-1891)
  • Florbela Espanca (1894-1930)

Gostou do nosso artigo sobre o que é soneto? Confira outros artigos do nosso blog e se prepare para o Enem da melhor maneira! Você também pode se organizar com o nosso plano de estudos, o mais completo da internet, e o melhor: totalmente gratuito!

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador