MatériasPortuguês

Quais são os níveis de linguagem?

Quais são os níveis de linguagemQuais são os níveis de linguagem

Existem dois níveis de linguagem principais: norma culta e linguagem coloquial. Cada uma com características específicas e únicas que serão apresentadas ao longo do texto. Contudo, a língua se altera de acordo com o ambiente, resultando em 5 diferentes níveis. Se deseja saber quais são os níveis de linguagem e como usá-los, leia até o final.    

Neste texto sobre os Níveis de Linguagem, você encontrará os tópicos abaixo. Clique em um deles para ir diretamente ao conteúdo:

  1. O que são níveis de linguagem?
  2. O que é linguagem culta e como utilizá-la?
  3. O que é linguagem coloquial e como utilizá-la? 
  4. O que são regionalismos?
  5. O que as gírias representam para os níveis de linguagem?
  6. O que é linguagem vulgar e o que ela representa?
  • Estudando para as provas? Conheça o Plano de Estudo Bedukal! Ele pode ser personalizado com as datas e horários  de estudo que você mais precisa!

O que são níveis de linguagem?

Por acaso você utilizará a mesma linguagem ao falar com um professor e para falar em uma roda de amigos? Não né? Essa distinção da língua que depende do contexto e do ambiente é o que chamamos de níveis de linguagem

Um mesmo indivíduo, em um mesmo ciclo de vida, percorre diversos nichos sociais, isso também ocorre em relação ao tempo e as mudanças linguísticas. O interlocutor não utilizará o mesmo processo comunicativo ao longo de todo o dia.

Os principais níveis de linguagem são: a linguagem formal e a linguagem coloquial. Aqui é importante destacar que alguns autores classificam o regionalismo, as gírias e a linguagem vulgar no nível coloquial, já outros classificam como níveis independentes.

Neste artigo, para melhor compreensão, iremos abordar o regionalismo, as gírias e a linguagem vulgar como níveis independentes.

Nível 1 – Linguagem Culta: O que é e como utilizar?

A linguagem culta, também chamada de formal, é aquela utilizada de acordo com a gramática normativa, isto é, respeitando as regras gramatical.

Essa norma padrão deve ser empregada demonstrando preocupação com o vocabulário no processo comunicativo.

A fala pode gerar ruídos entre o interlocutor (aquele que fala ou transmite a mensagem) e o receptor (aquele que recebe a mensagem e a interpreta). Por isso, é necessário se preocupar com o cenário social que essa linguagem será aplicada.

A linguagem culta geralmente é utilizada no trabalho, na escrita, na faculdade, na igreja, em entrevistas de emprego, etc. Ambientes em que o processo comunicativo ficaria prejudicado caso não houvesse a preocupação com a norma e a forma.

Na linguagem culta, não se deve utilizar vícios de linguagem, gírias ou ditados populares. Deve-se recorrer tanto à coesão, quanto à coerência, mantendo as concordâncias verbais e nominais corretas.

A linguagem formal é a que menos sofre alteração com o decorrer do tempo.

Veja exemplos de situações em que se deve utilizar a linguagem culta:

  • Trabalho;
  • Documentos formais;
  • Em sala de aula, provas e seminários;
  • Em palestras e discursos políticos;
  • Igreja;
  • Apresentações;
  • Entrevistas de emprego;
  • Artigos científicos;

Veja frases em linguagem culta:

  • Poderia me enviar esse relatório até semana que vem, por favor?
  • É inviável a utilização de um novo sistema empresarial.
  • As circunstâncias não nos permitem aumentar o quadro de funcionários.
  • Precisamos informar aos novos funcionários de telecomunicação, que é necessário evitar vícios de linguagem.
  • Todos os erros foram aferidos e encaminhados ao departamento correto. 

Nível 2 – Linguagem coloquial: o que é e como utilizar?

A linguagem coloquial é aquela que permite maior variação e liberdade no processo de comunicação. O discurso será melhor embasado no contexto social do que na preocupação com a  gramática normativa.

Esse tipo de linguagem não pode ser considerada incorreta, pois faz parte do uso da língua a adaptação ao meio em que o indivíduo está inserido. Muitas palavras e expressões passam a fazer parte do dicionário e da gramática no decorrer do tempo.

Portanto, esse processo também pode ser visto como criativo e enriquecedor da língua.

Veja exemplos de situações em que se deve utilizar a linguagem coloquial:

  • Em uma roda de conversa com os amigos;
  • No bar;
  • Nas redes sociais, dependendo da situação;
  • Em um jogo de futebol;
  • Na escola; no horário de intervalo;
  • Na praia;

Veja frases em linguagem culta:

  • foi pro cinema ontem?
  • Tava lascado se não tivesse estudado pra prova.
  • Tou brocado!
  • Olha a nota que tiramos na prova.
  • Ei, vai pro rolê amanhã?
  • Pega a visão, precisamos estudar. 

Nível 3 – Regionalismo: O que são?

Regionalismos são expressões e vocabulários oriundos de determinada região do Brasil. Nesses processos de surgimento desses vocábulos e expressões, há um contexto, uma cultura e um povo. 

Veja exemplos de expressões regionais: 

  • Até o tucupi – significa que algo ou algum lugar está cheio de algo (Expressão da região norte);
  • Cacetinho – Pão Francês ( Vocabulário da região sul);
  • Trem – pode ser qualquer coisa, sinônimo de coisa, refere-se a substantivo. (vocabulário da região sudeste, Minas Gerais);
  • Ficar de bubuia – ficar tranquilo, relaxado ( Expressão da região norte, Amazonas);
  • Avexado – o mesmo que apressado. ( Expressão da região nordeste);

Nível 4 – Gírias: O que representam para os níveis de linguagem e comunicação?

Gírias surgem em ambientes informais e são criadas por determinados nichos sociais. Esses fenômenos linguísticos são muito utilizados entre os jovens.

Fazem parte de um processo comunicativo complexo que cria símbolos que o caracterizam e o diferenciam como grupos com interesses, ideias e objetivos. 

Cada geração cria suas próprias gírias. Exatamente por isso, elas vão se modificando no decorrer do tempo.

Algumas dessas gírias acabam fazendo parte da gramática e do dicionário no futuro. Porém, quando surgem são consideradas neologismos, algo novo, criado, até então inexistente.

Algumas gírias muito utilizadas, atualmente:

  • Crush – o antigo paquera.
  • Dar PT – quando alguém exagera na bebida e passa mal “no rolê”.
  • Rolê – passeio com os amigos.
  • Trollar – antiga pegadinha.
  • Falsine – referente a uma pessoa falsa.
  • Cringe – referente a situações constrangedoras, tem sido muito utilizada como símbolo de um conflito geracional.

Nível 5 – Linguagem Vulgar: O que é e o que representa?

A linguagem vulgar pode ser considerada o oposto radical da linguagem formal. Nesse tipo de linguagem as regras gramaticais são totalmente ignoradas e não há concordância nominal ou verbal.

Esse tipo de fala remete a problemas sociais que geram o acesso precário(muitas vezes inexistente) de determinados grupos da sociedade à educação. É o caso dos analfabetos e semianalfabetos.

A linguagem vulgar deixa evidente a importância da língua nos estudos e análises sociais. Há sempre um motivo por trás de toda operação comunicativa, inclusive, por meio dos ruídos no processo de transmissão da mensagem.

Veja exemplos de linguagem vulgar:

  • A gente vamo.
  • Vamo ir.
  • Nós fala sobre isso mais tarde.

Perceba que há uma desordem das estruturas gramaticais.

Seu aprendizado não acaba aqui! Temos um texto de exercícios sobre níveis de linguagem para você testar o que aprendeu!

Gostou do nosso artigo sobre os níveis de linguagem? Confira outros artigos do nosso blog e se prepare para o Enem da melhor maneira! Você também pode se organizar com o nosso plano de estudos, o mais completo da internet, e o melhor: totalmente gratuito!

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador