LiteraturaMatérias

Quais são os tipos de estrofe? Definições, classificações e exemplos.

Você sabe quais são os tipos de estrofes (1)Você sabe quais são os tipos de estrofes (1)

Estrofe é uma espécie de parágrafo composto por frases curtas e ritmadas: os versos. Mas você sabe quais são os tipos de estrofes? Elas podem ter um, dois, três ou mais versos, e é exatamente essa quantidade que denominam o seu tipo. Leia nosso artigo e descubra quais são os tipos de estrofe, sua definição, características e exemplos.

Neste texto sobre tipos de estrofe, você encontrará os tópicos abaixo. Clique em um deles para ir diretamente ao conteúdo:

  1. O que é Estrofe?
  2. Quais são os tipos de estrofes? (Segundo a métrica)
  3. Quais são os tipos de estrofes? ( Segundo a classificação)
  4. As sete formas fixas do Poema por intermédio das estrofes
  5. As 4 mais famosas estrofes da Literatura Brasileira
  • Após estudar sobre o que é estrofe, você pode praticar com o Simulado Beduka! O melhor do Brasil!

O que é Estrofe?

Antes de iniciarmos o estudo sobre os tipos de estrofes, vamos entender o que é estrofe?

Estamos habituados a ler parágrafos argumentativos ou produções textuais em prosa. Esses parágrafos possuem mais de uma oração, subordinações e insubordinações. São aparentemente mais complexos. 

Mas o que mais nos assusta? Poemas, sonetos e métricas, não é mesmo?

Há um motivo para isso, o costume! Digamos que a produção poética, por meio da utilização de estrofes, aparentemente não é tão comum e popular.

No entanto, se pararmos para analisar, as estrofes estão rotineiramente presentes em nossas vidas. A música é o melhor exemplo disso. Pense no seu refrão favorito. Pensou? Pois bem, é uma estrofe.

A estrofe não possui diversas orações e pontos seguidos. É formada de frases curtas e ritmadas. Foi criada com o objetivo de entregar rapidez e leveza à leitura. Trata-se de uma sequência de versos.

Antes de iniciarmos nossa jornada no aprendizado dos tipos de estrofes, vamos aprender na prática por meio de um exemplo? Observe as quatro estrofes do Soneto de Fidelidade de Vinícius de Moraes.

De tudo, ao meu amor serei atento             (verso 1)

Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto     (verso 2)

Que mesmo em face do maior encanto      (verso 3)

Dele se encante mais meu pensamento.    (verso 4)

****************************************************************

Quero vivê-lo em cada vão momento          (verso 1)

E em louvor hei de espalhar meu canto      (verso 2)

E rir meu riso e derramar meu pranto          (verso 3)

Ao seu pesar ou seu contentamento.          (verso 4)

****************************************************************

E assim, quando mais tarde me procure        (verso 1)

Quem sabe a morte, angústia de quem vive  (verso 2)

Quem sabe a solidão, fim de quem ama        (verso 3)

*****************************************************************

Eu possa me dizer do amor (que tive):           (verso 1)

Que não seja imortal, posto que é chama      (verso 2)

Mas que seja infinito enquanto dure.              (verso 3)

Ao lado, você pode ver a contagem dos versos. São esses agrupamentos de frases curtas e rítmicas (versos) que formam e definem o tipo de estrofe. 

Outro fator que devemos evidenciar antes de seguir para os tipos de estrofes, é o que determina o fim de uma estrofe e o início de outra. É relativamente simples, usa-se apenas um espaço em branco.

Mas para facilitar a compreensão, nós do Beduka, optamos por separar essas estrofes por meio de asteriscos. 

Quais são os tipos de estrofes? (Segundo a métrica)

Para que possamos entender o assunto que será abordado neste tópico, há algumas informações indispensáveis para a compreensão. Trata-se das métricas de um poema.

Após conhecê-las, veremos de forma detalhada os tipos de estrofes.

Elas são feitas a partir da contagem das sílabas poéticas, que são as que constituem o verso de um poema. É importante destacar que nem sempre as sílabas poéticas irão coincidir com a divisão silábica gramatical.

Monossílabo – verso que possui uma sílaba poética

Dissílabo – verso que possui duas sílabas poéticas

Trissílabo – verso que possui três sílabas poéticas

Tetrassílabo – verso que possui quatro sílabas poéticas

Pentassílabo – verso que possui cinco sílabas poéticas

Hexassílabo – verso que possui seis sílabas poéticas

Heptassílabo – verso que possui sete sílabas poéticas

Octossílabo – verso que possui oito sílabas poéticas

Eneassílabo – verso que possui nove sílabas poéticas

Decassílabo – verso que possui dez sílabas poéticas

Hendecassílabo – verso que possui onze sílabas poéticas

Dodecassílabo – verso que possui doze sílabas poéticas

Vale ressaltar, que a contagem poética diverge da contagem silábica tradicional. Mas a que se refere essa divergência? As duas condições essenciais que você precisa saber para facilitar e não errar em uma questão do Enem são as seguintes:

  • Só se conta até a última sílaba tônica 
  • Vogal não forma sílaba poética sozinha.

1 – Estrofes simples: 

São aquelas compostas por versos que apresentam uma só métrica.

Veja a contagem do poema “Olhos da Amada”, Vinicius de Moraes.

Ó / mi/ nha a / ma/ da

Que o / lhos / os/ teus

São/ cais/ no/ tur/ nos

Chei / os/ de a/ deus

São/ do/ cas/ man/sas

Tri/ lhan/ do /lu/ zes

Que/ bri/ lham/ lon/ ge

Lon/ ge /nos/ breus…

Os versos acima são todos compostos por quatro sílabas poéticas, isto é, são todos tetrassílabos. Há uma unidade entre os versos.

2 –  Estrofes compostas

Nas estrofes compostas, não há homogeneidade na contagem métrica dos versos. Ou seja, cada verso pode apresentar um número diferente de sílabas poéticas.

Veja através do exemplo a seguir como cada verso possui uma particularidade métrica. Isso é fundamental para compreensão deste artigo sobre tipos de estrofes.

A esposa, Vinicius de Moraes.

Às/ ve/zes/, ne/ssas/ noi/tes/ fri/as/ e e/ne/voa/das (12 sílabas poéticas)

On/de o/ si/lên/cio/ nas/ce/ dos/ ruí/dos/ mo/nó/to/nos/ e/ man/sos (16 sílabas poéticas)

E/ssa es/tra/nha/ vi/são/ de/ mu/lher/ cal/ma (10 sílabas poéticas)

Sur/gin/do/ do/ va/zio/ dos/ meus/ o/lhos/ pa/ra/dos (12 sílabas poéticas)

Vem/ es/piar/ mi/nha i/mo/bi/li/da/de. (9 sílabas poéticas)

Observação: Elas farão a combinação entre métricas menores e maiores, ou vice-versa. 

3- Estrofes Livres

Como o nome já diz, são estrofes sem regras ou pré-determinações. O autor é livre para escrever com ou sem métricas. Nesse caso, a preocupação é apenas referente ao conteúdo.

Não há obrigatoriedade ou rigor métrico.

Você já sabe os tipos de estrofes segundo a métrica. No próximo tópico, irá aprender esses tipos segundo a classificação.

Quais são os tipos de estrofe? (Segundo a classificação)

Agora, finalmente, vamos falar sobre os tipos de estrofe.

Os tipos de estrofes vão trilhar um caminho divergente do intuito poético. A subjetividade dará lugar ao cálculo.  É bem simples, basta contar o número de versos.

Classificação das estrofes:

  • monóstico – estrofe com um verso
  • dístico: dois versos;
  • terceto: três versos;
  • quadra ou quarteto: quatro versos;
  • quinteto ou quintilha: cinco versos;
  • sexteto ou sextilha: seis versos;
  • sétima ou septilha: sete versos;
  • oitava: oito versos;
  • novena ou nona: nove versos;
  • décima: dez versos.

Observe o poema Litania dos pobres, de Cruz e Souza, composto por 6 estrofes dísticas, ou seja, seis estrofes de dois versos cada:

                                              Litania dos pobres

“Os miseráveis, os rotos 

São as flores dos esgotos 

******************************

São espectros implacáveis 

Os rotos, os miseráveis 

*******************************

São prantos negros de furnas 

Caladas, mudas, soturnas (…)

*******************************

Faróis à noite apagados 

Por ventos desesperados(…) 

*******************************

Bandeiras rotas, sem nome, 

Das barricadas da fome.

*******************************

Bandeiras estraçalhadas 

Das sangrentas barricadas.” 

(Cruz e Sousa)

Parafraseando, “nem só de várias estrofes viverá um poema. Há poemas formados por uma única estrofe. Um exemplo perfeito disso é o poema “Poeminho do Contra, de Mário Quintana, composto por uma única quadra, ou seja, uma única estrofe de quatro versos :

Poeminho do Contra

Todos esses que aí estão

Atravancando meu caminho,

Eles passarão…

Eu passarinho!

Você sabia que não há limites para o número de versos de uma estrofe? Seria muito complicado nomear a infinidade de tipos de estrofes que podem coexistir.

É possível escrever uma mesma estrofe todos os dias, pelo resto de nossas vidas, sem finalizá-la. Por esse motivo, vale ficar atento a nossa observação.

Observação: Se a estrofe for composta por mais de dez versos, será denominada IRREGULAR ou BÁRBARA.

As sete formas fixas do Poema por intermédio das estrofes.

Você já sabe todos os tipos de estrofes, mas sabia que no decorrer dos anos literários, algumas criações de estruturas poéticas foram criadas, seguidas e perpetuadas? Essas estruturas são justamente fixadas por meio de suas estrofes.

O poema será determinado pelos tipos de estrofes que o compõem. Ou seja, para que isso ocorra, as estrofes terão sempre um determinado número de versos. São elas:

Soneto: um poema composto por duas quadras (estrofes de quatro versos) e dois tercetos ( estrofes de três versos).

Balada: um poema composto por três oitavas (estrofes de oito versos) e uma quadra (estrofe de quatro versos).

Rondel: um poema composto por duas quadras (estrofes de quatro versos) e uma quintilha (estrofe de cinco versos).

Rondó: um poema formado por estrofe homogênea em formato de quadras (estrofes de quatro versos).

Sextina: um poema composto por seis sextilhas( estrofes de seis versos) e um terceto (estrofe de três versos).

Trova: um poema composto por uma única estrofe de quatro versos heptassílabos.

Haicai: um poema composto por uma única estrofe de três versos, terceiro, sendo dois deles pentassilábico e o outro heptassilábico.

4 estrofes dos poemas mais famosos da Literatura Brasileira.

Tenho certeza que você nunca mais esquecerá os tipos de estrofes. Agora vamos treinar um pouquinho para consolidar o conhecimento? A cada estrofe que ler, anote qual tipo a nomeia. No final há um gabarito!

Boa leitura!

1- Estrofe do poema No Meio do Caminho, Drummond.

No meio do caminho tinha uma pedra

tinha uma pedra no meio do caminho

tinha uma pedra

no meio do caminho tinha uma pedra.

2- Estrofe do poema “Poema Sujo”, Ferreira Gullar.

Que importa um nome a esta hora do anoitecer em São Luís

do Maranhão à mesa do jantar sob uma luz de febre entre irmãos

e pais dentro de um enigma?

mas que importa um nome

debaixo deste teto de telhas encardidas vigas à mostra entre

cadeiras e mesa entre uma cristaleira e um armário diante de

garfos e facas e pratos de louças que se quebraram já.

3- Estrofe do poema “Saber Viver”, Cora Coralina.

Não sei…

se a vida é curta

ou longa demais para nós.

Mas sei que nada do que vivemos

tem sentido,

se não tocarmos o coração das pessoas.

4- Estrofe do poema incenso fosse música, Paulo Leminski.

isso de querer

ser exatamente aquilo

que a gente é

ainda vai

nos levar além

Gabarito:

1- Quadra.

2- Septilha.

3- Sextilha

4- Quintilha

Gostou do nosso artigo sobre tipos de estrofes? Confira outros artigos do nosso blog e se prepare para o Enem da melhor maneira! Você também pode se organizar com o nosso plano de estudos, o mais completo da internet, e o melhor: totalmente gratuito!

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador