ExercíciosLiteratura

Questões sobre Macunaíma resolvidas

Questoes_sobre_MacunaimaQuestões sobre Macunaíma

Macunaíma é uma das obras primas de Mário de Andrade publicada em 1928. Seu principal estilo é o modernismo, mas bebe da fonte de várias outras vanguardas. Leia o artigo a seguir e faça as questões sobre Macunaíma. 

Quando terminar as questões sobre Macunaíma faça nosso Simulado Enem. Com ele você pode focar nas questões das matérias que têm mais dificuldades.

Principais Personagens de Macunaíma

  • Macunaíma: Protagonista anti-herói. Índio negro preguiçoso e ninfomaníaco. Se transforma em um homem branco, loiro e de olhos azuis ao mergulhar em um poço.
  • Maanape: Irmão de Macunaíma e simbolismo do negro. 
  • Jiguê: Outro irmão de Macunaíma, e simboliza o índio. 
  • Ci: Mãe de Mato e amor da vida de Macunaíma. Dá a muiraquitã para o anti-herói em seu leito de morte.
  • Piaimã: Gigante disfarçado de Venceslau Pietro Pietra. Rouba a muiraquitã tornando-se o vilão da história.  
  • Vei: Deusa do sol em busca de vingança por Macunaíma ter dormido com outras mulheres após prometer que se casaria com sua filha.

Resumo de Macunaíma

Antes de entrarmos de fato no resumo do livro para que você faça as questões sobre Macunaíma, você precisa conhecer melhor o protagonista da obra. Começando por palavras do autor. 

“No fundo do mato-virgem nasceu Macunaíma, herói da nossa gente. Era preto retinto e filho do medo da noite. Houve um momento em que o silêncio foi tão grande escutando o murmurejo do Uraricoera, que a índia tapanhumas pariu uma criança feia. Essa criança é que chamaram de Macunaíma.”

Macunaíma era um índio negro e feio, filho de uma índia da Amazônia. Ele é sem caráter, preguiçoso e aproveitador. Seu divertimento era cortar as cabeças de formigas. Ele teve relações sexuais pela primeira vez com sua cunhada. Inclusive, sempre que isso acontece Mário de Andrade fala que ele estava “brincando”.  

Macunaima
Macunaíma

A jornada de Macunaíma começa

Um dia, Macunaíma vê uma veada e decide caçá-la. Ele teve sucesso em matá-la, mas percebeu que ela era sua própria mãe. Então, sua barriga cresceu, e após jejuarem, ele e seus irmãos saíram pelo mundo. 

Ao explorarem o mato, Macunaíma e seus irmãos encontram Ci, a índia mãe do mato. Enquanto seus irmãos à seguram, Macunaíma “brinca” com ela e assim, se torna o imperador do mato. Os dois se casam e têm seu filho após 6 meses. Contudo, ele morre envenenado, pois Ci não podia ter sido violada. 

Após o funeral, Ci dá uma pedra para Macunaíma chamada muiraquitã e então subiu ao céu num cipó. A muiraquitã se tornou muito preciosa para Macunaíma, mas ela foi roubada. O pássaro uirapuru disse ao índio que sua pedra estava com o comerciante peruano Venceslau Pietro Pietra, em São Paulo

O problema era que na verdade ele era um gigante devorador de gente chamado Piaimã.

Calma! Se você leu até aqui e já está com aquela cara de “o que está acontecendo? Eu não estou entendendo nada!” é porque está funcionando. Você ía ficar com essa cara lendo o livro também. Só aceita e segue em frente. Vai melhorar mais para frente e você vai conseguir fazer as questões sobre Macunaíma, não desista.

Muiraquitã

Aqui é quando temos introduzido um “MacGuffin”. Esse é um termo usado no cinema para referenciar qualquer objeto ou objetivo que seja perseguido durante todo desenrolar da história, movendo dessa forma o roteiro para frente de uma maneira fácil, sem precisar de grandes justificativas ou explicações. Nesse caso, é a muiraquitã.

Macunaíma começa sua jornada pela foz do Rio Negro. Ele e seus irmãos se banharam nas águas, mas saíram diferentes. Macunaíma se tornou um branco loiro de olhos azuis. Em São Paulo, ele e seus irmãos foram morar em uma pensão e Macunaíma teve que trabalhar

Macunaíma descobriu onde ficava a casa do gigante e foi lá para recuperar a sua pedra. O resultado foi que o gigante deu uma flechada em seu coração coração. Ele também foi picado e virou torresminho. Sim, essa é uma história em que o protagonista morre de um jeito bem cruel. 

Porém, seu irmão viu o que aconteceu, catou os pedaços e os levou de volta à pensão. Depois, soprou um fumo sobre os pedaços do irmão e o ressucitou. Pronto, protagonista vivo de novo, tudo de volta ao normal. 

Como segunda tentativa, Macunaíma se fantasiou de francesa para enganar o gigante que gostava de francesas. Ele perguntou sobre a pedra, mas o gigante não queria partilhá-la de nenhuma forma. Eventualmente seu disfarce foi descoberto e Macunaíma teve que fugir por vários estados brasileiros.   

Como última estratégia, Macunaíma decidiu ir ao Rio de Janeiro para fazer uma macumba para que o gigante levasse uma surra. Funcionou, porém, Macunaíma continuava sem sua pedra. Ele vai pescar, mas acaba sendo pescado por caapora, a mulher do gigante. A filha dela o ajudou a fugir. 

Pouco depois, vê um macaco comendo os próprios testículos. Pediu para provar e gostou. Quis mais, mas o macaco foi egoísta. 

Macunaíma, então, estourou os próprios testículos com um tijolo e morreu pela segunda vez. Assim, teve de ser ressuscitado por seu irmão novamente. Dessa vez com um implante de cocos bahianos para substituir os testículos.

Desfecho de Macunaíma

Ao saber que o Gigante Venceslau havia voltado da Europa, Macunaíma bolou um plano para recuperar sua muiraquitã. Para isso, armou uma armadilha e jogou Venceslau em um tacho de macarronada fervente. Venceslau morre dizendo que faltava queijo e Macunaíma pegou a pedra de volta.

Voltando de bonde para onde estavam seus irmãos, todos foram para casa. Ele voltou à foz do Rio Negro para voltar ao normal, mas não conseguiu. No lugar ficou com a forma de hispano-americano. Seus irmãos morreram de lepra e Macunaíma teve de se contentar com a companhia de um papagaio falador, mas esse logo o deixaria também.

O fim de Macunaíma foi se transformar em uma nova constelação e ficar ao lado de sua amada que havia se transformado em uma estrela.   

Ok, você leu o resumo de cabo a rabo e viu que esse livro não é normal. Vamos entender todas as suas nuances para que você acerte as questões sobre Macunaíma.   

Análise de Macunaíma

Movimento Antropofágico

Esse movimento defendia que o artistas brasileiros tinham que parar de beber de fontes européias e começar a produzir obras genuinamente brasileiras, como é Macunaíma. 

Se você leu o resumo com atenção, percebeu que todos os elementos retratados são ligados ao Brasil, mas nenhum à Europa.

Linguagem de Macunaíma

Mário de Andrade gostava de misturar palavras e criar novas. Nesse livro ele misturou até mesmo dialetos. Escrevia como falava, usava palavras indígenas e de um português antigo, cometia erros propositalmente. Fazia tudo isso com o intuito de tornar a obra mais cômica, além de demonstrar o abismo entre o português falado e escrito. 

Caráter brasileiro em Macunaíma

Macunaíma, o anti-herói preguiçoso, mal-caráter, aproveitador, misturado na religião, na cor de pele nos valores contraditórios e ambíguos e que morre sem glória. É a representação do Brasil aos olhos do autor.

Um jovem país sem valores morais ou existência real. Imaginário. Tentando descobrir o que é ser brasileiro através da mistura de tantas identidades diferentes. Usa de todas as suas características para se satisfazer. É inteligente, criativo, mentiroso, metido e tudo isso sem deixar a preguiça de lado.  

Surrealismo em Macunaíma

Provável que a característica mais clara dessa obra seja como ela se entrega completamente ao absurdo. As mortes e ressuscitações de Macunaíma. Como ele consegue atravessar diversos estados brasileiros em tão pouco tempo. Entre outros surtos narrativos. 

Tudo isso são características de outros movimentos. Principalmente o surrealismo em que o real se mistura com o fantasioso. Porém, também pode-se fazer um paralelo com o: 

Exploração do folclore em Macunaíma

Mário de Andrade era um estudioso da mitologia indígena e ele decidiu compilar tudo o que sabia em Macunaíma e ainda criar algumas lendas por si próprio. Assim, a obra ficou extremamente carregada de mitos, lendas, contos e diferentes temas

Para finalizar e partir para as questões sobre Macunaíma, fique com essa declaração de Andrade sobre seu protagonista:

“O brasileiro não tem caráter, porque não possui nem civilização própria, nem consciência tradicional e Macunaíma é um herói surpreendentemente sem caráter.”  

Macunaíma ganhou um filme. Você pode assistir completo no YouTube e o filme ganhou uma versão resumida. Deixaremos os links para ambos abaixo. 

Versão resumida do filme
Filme completo

Questões sobre Macunaíma

Pois bem, hora de fazer as questões sobre Macunaíma. Recomendamos que você baixe nosso Plano de Estudos quando terminar. Ele será muito útil para você estudante. Obrigado e boa sorte!

01. (PUCCAMP) Assinale a alternativa em que se encontram preocupações estéticas da Primeira Geração Modernista:

a) “Não entrem no verso culto o calão e solecismo, a sintaxe truncada, o metro cambaio, a indigência das imagens e do vocabulário do pensar e do dizer.”

b) “Vestir a Ideia de uma forma sensível que, entretanto, não terá seu fim em si mesma, mas que, servindo para exprimir a Ideia, dela se tornaria submissa.”

c) “Minhas reivindicações? Liberdade. Uso dela; não abuso.” “E não quero discípulos. Em arte: escola = imbecilidade de muitos para vaidade dum só.”

d) “Na exaustão causada pelo sentimentalismo, a alma ainda tremula e ressoante da febre do sangue, a alma que ama e canta porque sua vida é amor e canto, o que pode senão fazer o poema dos amores da vida real?”

e) “O poeta deve ter duas qualidades: engenho e juízo; aquele, subordinado à imaginação, este, seu guia, muito mais importante, decorrente da reflexão. Daí não haver beleza sem obediência à razão, que aponta o objetivo da arte: a verdade.”

02. (PUCCAMP)

O alpinista

de alpenstock

desceu

nos Alpes

O texto acima, capítulo do romance Memória Sentimentais de João Miramar, exemplifica uma tendência do autor de:

a) Procurar as barreiras entre poesia e prosa, utilizando estilo alusivo e elíptico.

b) Explorar o poema em forma de prosa, satirizando as manifestações literárias do Pré-modernismo.

c) Buscar uma interpretação lírica de seu país, explorando a forca sugestiva das palavras.

d) Utilizar o poema-piada, para satirizar tudo o que não fosse nacional.

e) Procurar “ser regional e puro em sua época”, negando influencias das vanguardas europeias.

03. (MACKENZIE)  “Chamado de rapsódia por Mário de Andrade, o livro é construído a partir de uma série de lendas a que se misturam superstições, provérbios e anedotas. O tempo e o espaço não obedecem a regras de verossimilhança, e o fantástico se confunde com o real durante toda a narrativa.

A afirmação faz referência à obra:

a) O rei da vela.

b) Calunga.

c) Macunaíma.

d) Memórias sentimentais de João Miramar.

e) Martim Cererê.

04. (PUC-MG) Leia o texto atentamente.

Na feira-livre do arrebaldezinho

um homem loquaz apregoa balõezinhos de cor:

– “O melhor divertimento para as crianças!”

Em redor dele há um ajuntamento de menininhos pobres…

Não é característica presente na estrofe acima:

a) Valorização de fatos e elementos do cotidiano.

b) Utilização do verso livre.

c) Linguagem despreocupada, sem palavras raras.

d) Preocupação social.

e) Metalinguagem.

05. (UFC) Macunaíma – obra-prima de Mário de Andrade – é um dos livros que melhor representam a produção literária brasileira do presente século. Sua principal característica é:

a) traçar, como no Romantismo, o perfil do índio brasileiro como protótipo das virtudes nacionais.

b) Ser um livro em que se encontram representados os princípios que orientam o movimento modernista de 22, dentre os quais o fundamental é a aproximação da literatura à música.

c) Analisar, de modo sistemático, as inúmeras variações sociais e regionais da língua portuguesa no Brasil, destacando em especial o tupi-guarani.

d) Ser um texto em que o autor subverter, na linguagem literária os padrões vigentes, ao fazer conviver, sem respeitar limites geográficos, formas linguísticas oriundas das mais diversas partes do Brasil.

e) Exaltar, de forma especial, a cultura popular regional, particularmente a representativa do Norte e Nordeste brasileiro.

Respostas das Questões sobre Macunaíma

Exercício resolvido da questão 1 –

c) “Minhas reivindicações? Liberdade. Uso dela; não abuso.” “E não quero discípulos. Em arte: escola = imbecilidade de muitos para vaidade dum só.”

Exercício resolvido da questão 2 –

a) Procurar as barreiras entre poesia e prosa, utilizando estilo alusivo e elíptico.

Exercício resolvido da questão 3 –

c) Macunaíma.

Exercício resolvido da questão 4 –

e) Metalinguagem.

Exercício resolvido da questão 5 –

d) Ser um texto em que o autor subverter, na linguagem literária os padrões vigentes, ao fazer conviver, sem respeitar limites geográficos, formas linguísticas oriundas das mais diversas partes do Brasil.

Estude para o Enem com o Simulado Beduka. É gratuito!

Gostou das nossas Questões sobre Macunaíma? Compartilhe com os seus amigos e comente abaixo sobre áreas que você deseja mais explicações.

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador