Literatura

O que é pontilhismo? Entenda como é a técnica e os principais artistas que a utilizaram

O que é pontilhismo?O que é pontilhismo?
Mude de vida com Beduka Bolsas

Pontilhismo é uma técnica de pintura que surgiu na França, nas últimas décadas do século XX. Como o próprio nome já nos diz, ela utiliza centenas ou milhares de pequenos pontos para construir uma imagem.

Pequenas manchas circulares também podem ser utilizadas. Não é difícil identificar esse tipo de técnica em uma pintura, pois os pontos ou manchas ficam bem evidentes.

Ainda assim, formam lindos desenhos e pinturas. Neste artigo, além de saber o que é pontilhismo, você vai entender a origem, conhecer os artistas que empregam a técnica, ver exemplos e muito mais.

Este artigo vai te ajudar a descobrir e entender o que é pontilhismo. Tem bastante conteúdo pela frente, então, clique em um dos tópicos para ir diretamente ao que deseja:

  1. O que é pontilhismo?
  2. Qual a origem do pontilhismo?
  3. Principais artistas do pontilhismo: Paul Signac
  4. Principais artistas do pontilhismo: Van Gogh
  5. Principais artistas do pontilhismo: George Seurat

Depois que você aprender sobre o que é pontilhismo, que tal fazer exercícios de fixação que caem no Enem? Basta acessar o Simulado Beduka. Ele é 100% gratuito e vai te ajudar a se preparar e ganhar agilidade e confiança para qualquer vestibular.

O que é pontilhismo?

Pontilhismo é uma técnica de pintura que, como o próprio nome já nos revela, utiliza uma sucessão de pontos para construir uma imagem. Micro manchas também são utilizadas. 

O pontilhismo deixou os traços em segundo plano e evidenciou as cores, já que as telas eram feitas 100% de pontos. Sem a utilização de linhas, era justamente através da utilização de tons que os artistas empregavam contraste e profundidade.

Geralmente, é possível identificar a técnica em uma pintura mesmo sem ter especialidade no assunto. Porém, alguns a empregaram com tanta maestria, que não é possível garantir que olhos leigos a reconheçam.

É o caso de Tarde de Domingo na Ilha Grand Jatte, obra de George. Veja a seguir:

Quais as características do Pontilhismo?

Essa técnica tinha bases científicas de percepção e tonalidades. Nela, utiliza-se cores primárias (vermelho, azul e amarelo) e espaços em branco, que unidos geravam cores terciárias. 

Outro fator que vale a pena deixar bem claro é que as cores não eram misturadas entre si. Cada ponto ou mancha era formado por apenas uma.

Essa combinação é o que permite que seja possível enxergar melhor a totalidade da obra à medida que nos distanciamos dela.

Não é tão difícil entender o que é pontilhismo, principalmente quando olhamos para as obras. E é um assunto cobrado no Enem, assim como outros tipos ligados à arte. 

Para se preparar em relação a esse tipo de conteúdo, você pode acessar vários de nossos artigos exclusivos, veja:

Como surgiu o Pontilhismo?

O pontilhismo surgiu na França, nas últimas décadas do século XIX, no auge do Impressionismo. Inclusive, muitos o consideram uma técnica própria do estilo.

Os precursores desse tipo de produção foram Seurat e Signac, ambos integrantes da Sociedade dos Artistas Independentes.

Impressionismo, neo-impressionismo e pontilhismo estavam ligados por artistas em comum. Devido a isso, fica mais fácil entender o que é pontilhismo se conhecermos um pouco de cada um deles. 

Para isso, acesse: Resumo do Pós-impressionismo.

Paul Signac

Paul foi um pintor francês neo-impressionista, um dos nomes mais importantes do pontilhismo. Seu caráter anarquista representou uma combinação perfeita com as novas técnicas e ideias artísticas que surgiam na época.

Inclusive, essa característica oriunda de uma contínua e crescente insatisfação que o fez fundar a Sociedade dos Artistas Independentes. E um dos integrantes dessa sociedade foi George Seurat, amigo para o qual ensinou a técnica. 

Juntos, Seurat e Signac popularizaram esse novo jeito de pintar e definiram pela primeira vez o que é pontilhismo. Vale destacar que o nome “pontilhismo” não foi uma escolha deles, pelo contrário, foi uma denominação dada na época com o intuito de menosprezar esse tipo de criação.

As principais obras de Signac foram: “Retrato de Félix Féneon” (1980) e “La Baie Sant-Tropez” (1909). Ambas magistrais. 

Vincent Van Gogh

Van Gogh talvez seja um dos pintores mais conhecidos do mundo, até quem não é ligado no assunto já ouviu falar nele. Muito disso se deve a vida conturbada que levou e aos transtornos psiquiátricos que teve.

Mas nada disso conseguiu ofuscar sua genialidade. 

Vincent não foi um pintor exclusivo do pontilhismo, mas sim um artista que abraçou muitas ideias, e uma delas foi justamente essa.

As pequenas manchas utilizadas por ele são imperceptíveis diante da forma genial que as imagens produzidas conseguem nos impactar. Não à toa suas pinturas são reverenciadas até hoje.

O pontilhismo empregado por Van Gogh pode ser observado na obra Autorretrato.

Caso algum dia você queira conhecê-la pessoalmente, a tela está exposta de forma permanente no Museu de Orsay, em Paris. Enquanto isso, veja por aqui mesmo como a técnica foi utilizada e como é difícil percebê-la:

George Seurat

George Seurat ficou internacionalmente conhecido como o fundador do pós-impressionismo e não ficou atrás em relação ao que é pontilhismo. Tanto que é considerado um dos precursores da técnica junto com Signac.  

Mas, assim como as obras de Van Gogh e Signac, as de Seurat ganharam características próprias. Inclusive, o artista também teve influência do cubista Pablo Picasso. 

Bdeuka Bolsas de Ano Novo

É possível notar isso através do formato dos personagens representados nas pinturas feitas por ele.

Abaixo, você tem uma tela de Seurat e outra de Picasso, observe que há uma certa semelhança entre os traços. Entretanto, a de George também apresenta a técnica de pontilhismo.

Em ambas as imagens, a gente pode notar traços geométricos, mas Seurat fez isso de um modo bem sutil. Ao contrário de Picasso, que tinha essas formas como fator primordial em suas obras.

Seurat usava em suas criações temas cotidianos, principalmente da classe aristocrata da época. Suas principais obras são:  o “Camponês com enxada” (1882) e os “Banhistas de Asnières” (1884).

Por que a arte é importante para você?

A arte faz parte da vida de todo mundo, mas quando vamos responder a esse tipo de questionamento as palavras se vão. Isso acontece porque o mundo da criação não é exato, ele nasce de necessidades, anseios e processos muito difíceis de explicar.

A arte conecta, conforta, faz companhia, ajuda a encontrar semelhantes e diminui os impactos das diferenças. 

Ela torna suportável os momentos de desespero. Lembra da pandemia, quando nos vimos obrigados a ficar dentro de casa? O que nos ajudou? A arte! Ou vai me dizer que você não assistiu nenhuma série da Netflix enquanto estava preso dentro de casa?

Através dela viajamos e temos experiências sem que seja necessário sair do lugar. É muito legal conseguir entender um pouco de arte para conversar com os amigos, mas será que esse assunto cai mesmo no Enem? A resposta é sim.

Mas conhecer o assunto não é garantia de acertar a questão. Afinal, elas abordam o tema de formas bem específicas, o que pode confundir demais o aluno.

A solução é treinar! Para isso, você pode contar com a ajuda do Simulado Beduka.

Ele é gratuito! Além disso, utiliza questões do próprio Enem.

Mas antes de ir, permita-nos agradecer por ler o artigo sobre o que é pontilhismo até o final! Esperamos que ele tenha te ajudado a entender melhor o estilo e que seja útil na sua jornada até o vestibular.

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador