Português

Uso da crase: as regras que você não deve esquecer!

Uso da craseUso da crase

A crase é a fusão de duas vogais idênticas em uma só. O “a” que é artigo se junta ao “a” que é preposição e se torna “à”. Saiba mais sobre os usos e desusos da crase neste artigo.

Preparamos este artigo incrível para você que deseja saber tudo sobre o uso da crase. Tem bastante conteúdo pela frente, então, clique em um dos tópicos para ir diretamente ao que deseja:

  • O que é crase?
  • Quando eu devo usar a crase?
  • Quando o uso da crase será opcional?
  • Quando eu não devo usar a crase?
  • O Beduka pode te conectar a faculdade (descontos de até 65%)

Quando você acabar de descobrir tudo sobre o uso da crase, faça o Simulado Beduka. Ele vai te ajudar a saber como esse e outros assuntos costumam ser cobrados no Enem. E o melhor: é 100% gratuito.

O que é crase?

Crase é a junção do artigo feminino “a” com a preposição “a”. Ou, ainda, essa união pode ocorrer com o “a” dos seguintes pronomes demonstrativos: aquele, aquela, aquilo.

Para assinalar que aconteceu essa junção, emprega-se o acento grave no a, ou seja, (a+a=à).

É extremamente importante fazer o uso correto da crase. Pois, assim, suas chances de diminuir erros gramaticais na redação ficam cada vez maiores.

E você também pode ver como essas e outras regras são aplicadas na redação do Enem por meio de um artigo exclusivo que preparamos para você: Como fazer uma redação nota 1000?

Quando eu devo usar a crase? Os 7  principais casos

A primeira coisa que você deve saber sobre o uso da crase é: praticamente 100% das vezes ela vai acompanhar palavras femininas. Essa informação te ajuda a não precisar ficar preso na “decoreba”.

É claro que não dá para fugir totalmente das regras, e nós vamos te ensinar elas. Porém, ao entendê-las, será muito mais fácil memorizá-las. Também há alguns macetes que ajudam demais. Vamos te contar quais são.

Vamos começar pela principal e mais fácil das regras: 

1 – Acompanhará palavras femininas

Você já sabe que o uso da crase só será justificado se houver a união da preposição “a” com artigo “a”. Logo, a situação mais comum será relacionada a substantivos femininos.

Isso acontece porque eles exigem o artigo, ou seja, precisam ser definidos quanto ao gênero. Mas para que, de fato, seja justificado o uso da crase, a palavra que antecede esse artigo e esse substantivo deverá exigir a preposição “a”.

E é muito fácil confirmar esse uso com o seguinte macete: se você trocar a palavra feminina por uma masculina e tiver que usar “ao”, significa que há crase na feminina.

Exemplos:

  • Lucas voltou à cidade em que nasceu. É um caso onde há uso da crase, porque se escrevêssemos “Lucas voltou ao país… teríamos de substituir “a” por “ao”, logo há crase antes de cidade.
  • Os papéis foram entregues à advogada. (Se fosse escrito advogado, teria de ser “ao advogado”, por isso antes de “advogada” há crase.)

Em ambos os casos, o verbo exige a preposição “a”. Já o substantivo feminino, sempre exigirá o artigo “a”. Pronto, se isso acontecer, lembre-se: o uso da crase é obrigatório!

Resumindo: Se ao trocar a palavra feminina por uma palavra masculina, você tiver que escrever “ao”, significa que antes da palavra feminina existe “a” craseado.

Já escrevemos para você: Como fazer uma redação nota 1000?

2 – Acompanhará locuções adverbiais de modo, tempo ou lugar

Sempre que houver locuções adverbiais femininas, e não há macetes dessa vez, faz-se o uso da crase. Mas e como identificar essas locuções?

É bem simples, toda vez que você verificar em uma frase um conjunto de palavras que expressem uma forma como algo ocorreu, ou em que tempo, ou, ainda, em que lugar, provavelmente, você está diante de uma locução adverbial.

Ela tem o poder de especificar o sentindo daquilo que está sendo dito. Exemplo:

  • Às vezes, eu ando sem direção. (não é sempre, é apenas “algumas” vezes” que isso ocorre, ou seja, há uma especificação)

Alguns casos especiais (à moda, à maneira)

“A moda e à maneira são locuções prepositivas. Essas locuções exercem papel de advérbios. Expressão o modo como algo é feito ou o modelo seguido na produção de algo.

Não é comum nós encontrarmos na Língua Portuguesa expressões que deixam essas locuções subtendidas. Sempre que isso acontecer, e você conseguir trocar  “a” por “à moda” ou por “à maneira”,  o uso da crase será obrigatório mesmo que a palavra seguinte seja masculina masculina.

Exemplos:

“Bife à milanesa” tem crase por que é o mesmo caso de “Bife à moda de Milão”.

“Poesia à Camões” tem crase porque é o mesmo caso de “Poesia à maneira de Camões”.

Teste os seus conhecimento sobre o uso da crase com os nossos exercícios. Clique aqui!

3 – Poderá acompanhar os pronomes aquele, aquela e aquilo.

Para esse caso, temos um macete que pode te ajudar bastante: haverá crase se esses pronomes puderem ser trocados por “a este”, “a esta”, “a isto”.

Caso o sentido se mantenha o mesmo, deve-se usar a craseado.

Cheguei àquele lugar = Cheguei a este lugar

Vou àquelas cidades  = Vou a estas cidades  

    • A expressão  “à vista” também tem crase, pois sem crase muda-se o sentido. Escrever “vendo a vista” seria o mesmo que dizer que se está vendendo a visão.

4 – Poderá acompanhar o pronome relativo “a qual”

Como se trata de um pronome relativo, ele se refere a um termo anterior. Se se referir a uma palavra feminina, há crase. Faça o teste e substitua por alguma no masculino, se ficar “ao qual” é sinal de que há crase.

Exemplo:

Eis a moça à qual você se referiu.

Para ter certeza de que há a crase, fazemos a troca: Eis o moço ao qual você se referiu. (Ao trocar pelo masculino foi usado “ao qual”, logo a palavra no feminino requer a craseado)

5 – A crase será usada quando as palavras “casa” e “terra” estiverem especificadas

Ambas sem especificação não tem crase, se houver especificação passam a ter crase.

Ex: Ele voltou a casa. (sem especificação, sem crase)

Ele voltou à casa paterna. (com especificação, com crase)

Ela chegou a terra. (sem especificação, sem crase)

Ela chegou a terra natal. (com especificação, com crase)

6 – Sempre se usa crase antes de hora.

O uso da crase será obrigatório na indicação de horas. É uma regrinha sem muito mistério. Veja o exemplo:

  • A reunião será às 19h.

No entanto, se antes dessa indicação de horas houver as preposições: após, entre, para, desde e até. Não haverá crase.

EI, TAMBÉM ESCREVEMOS SOBRE: Uso da vírgula, aprenda de uma vez por todas!

7 – Em alguns casos, deverá ser usada antes de nomes geográficos: países, lugares etc.

Para essa regrinha, também temos um macete: toda vez que você puder trocar “a” por “para a” significa que o “a” é com crase.

  • Ex.: Foi à Itália. (O sentido é o mesmo de “Foi para a Itália”, logo se foi usado “para a”, tem crase).
  • Ex.: Foi a Minas Gerais (Foi para Minas Gerais, logo não tem crase, pois não foi usado “para a”, somente “para”).

Dica: Se for usado “da” que é “de +a” deverá ser feito o uso da crase. Veja os exemplos:

  •  “Retornou à Bolívia”. (tem crase por que é o mesmo que “Voltou da Bolívia”).
  • “Retornou a Cuba”. (não tem crase porque é o mesmo que “Voltou de Cuba”.)

Resumindo: Em “Vou à”, “Retornou à” possuem crase quando é possível reformular a frase usando “voltou da”. Fácil hein?

Quando o uso da crase será opcional?

Há três casos nos quais o uso da crase será opcional. São eles:

1 – Antes de pronomes possessivos femininos: minha, sua e tua.

2 – Antes de nomes próprios femininos: Joana, Francisca, Ana. 

3 – Depois da palavra “até”.

Quando eu não devo usar a crase?

Aí vai uma listinha de situações nas quais você não deve empregar a crase jamais!

  • Diante de palavras masculinas. (Com exceção dos casos citados)
  • Antes de verbo. Crase somente diante de substantivo!
  • Entre palavras repetidas. Ex.: Cara a cara, frente a frente, lado a lado.
  • Antes de expressões que indiquem tempo futuro ou distância. Ex.: Daqui a pouco (tempo), daqui a esquina (distância).
  • Para se referir a dias da semana. Ex.: De segunda a sexta feira.
  • Antes de pronomes de tratamento, como “a você”, “a vossa excelência”, etc. (Exceção: dona, senhora e senhorita admitem crase, nos outros não) Ex.: É Errado escrever “à todos”.

Última dica: Não falo a pessoas estranhas. Se o “a” está no singular e “pessoas” no plural, não há crase. No caso de “às pessoas”, há crase.

Espero que nosso artigo sobre o uso da crase tenha te ajudado. E se você se interessou por essas dicas, pode ser que se interesse por essas também:

O Beduka pode te conectar a faculdade

O uso da crase é muito cobrado nos vestibulares, se é por esse motivo que você está aqui, temos uma surpresa:  o Beduka vai te dar uma oportunidade imperdível.

  • Sem precisar fazer provas;
  • Sem desespero;
  • Sem ansiedade.

Estou falando do Beduka Bolsas! Nesse site, você tem chance de ganhar bolsas de até 65% para vários cursos, cidades e modalidades.

Basta escolher a bolsa para o curso dos seus sonhos e gerar a sua Carta do Beduka. Pronto! Já pode estudar. 

Você pode fazer isso em qualquer época do ano. Estudar nunca foi tão fácil! 

Ainda temos outra forma de te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador