ExercíciosFilosofia

Os 15 Melhores Exercícios Sobre Filosofia Clássica com Gabarito

Exercícios Sobre Filosofia ClássicaExercícios Sobre Filosofia Clássica

A Filosofia Clássica é uma das divisões feitas na História da Filosofia Ocidental, também conhecida como Filosofia Antiga. Os principais filósofos deste período são Sócrates, Platão e Aristóteles, sendo que suas obras são muito presentes nas provas de vestibulares e do Enem. Leia nosso resumo sobre este tema e responda os exercícios sobre Filosofia Clássica que separamos.

Se quiser ir diretamente para alguma parte do texto, clique em algum dos tópicos abaixo:

Depois que você terminar de responder os exercícios sobre Filosofia Clássica, que tal organizar seus estudos dos principais filósofos deste período com o plano de estudos Beduka?

Como surgiu a Filosofia Clássica?

Desde sempre, a humanidade procurou responder às questões que surgiam a partir das vivências que ela tinha.

De onde viemos? Para onde iremos? O que somos? Quem somos? Essas são questões comuns, que nos acompanham ao longo da história.

A primeira forma de resposta foi a mitologia. Histórias eram contadas para explicar a origem e o funcionamento das coisas, dos seres, do universo, dos povos.

Contudo, essa forma de explicação foi perdendo força, dando lugar a afirmações entendidas como mais racionais. Isso aconteceu por volta do século VI a.C. Foi assim que a Filosofia surgiu.

Os primeiros filósofos buscaram indicar o princípio das coisas (em grego, arché), de modo racionalizado a partir das observações que faziam da natureza.

Tales de Mileto afirmou que o princípio era a água, pois este era um elemento comum a todos os seres. Outros autores apontaram como princípio variados elementos, como o fogo e o ar.

Contudo, a forma de fazer Filosofia teve uma reviravolta com o surgimento de Sócrates. Ele manteve o centro das suas preocupações na pessoa humana, em vez dos demais seres.

É com Sócrates que surge a Filosofia Clássica. Conheça tudo sobre ela logo abaixo

O que é Filosofia Clássica?

O período clássico da história da Grécia é o momento de seu maior desenvolvimento urbano, cultural e filosófico na Antiguidade. Na produção da Filosofia, o destaque vai para Sócrates, Platão e Aristóteles.

Assim, a Filosofia Clássica pode ser definida como a Filosofia feita no período socrático, pelo próprio Sócrates ou pelos filósofos influenciados por ele.

Suas produções refletem sobre o conhecimento em si mesmo, a vida política, a ética, organização das cidades, a alma humana, etc.

Quais são os principais filósofos clássicos?

Como dito acima, os principais filósofos do período clássico são Sócrates, Platão e Aristóteles. Sendo que Platão foi discípulo de Sócrates e Aristóteles, de Platão.

Suas obras tratam, dentre outros temas, de Teoria do Conhecimento, Política, Metafísica e Ética.

Sócrates foi responsável por estabelecer um método de investigação baseado em perguntas. Com ele, levava as pessoas a gestar o conhecimento nelas e o expor por meio das respostas.

Por isso, o método socrático é composto de ironia (em grego, eirein, que significa perguntar) e maiêutica (dar à luz).

Platão, que foi seu discípulo mais famoso, é conhecido principalmente por sua Teoria das Ideias.

Segundo essa teoria, a forma fundamental de realidade está nas ideias (ou formas) das coisas. Estas seriam abstratas e fixas, em contraposição às realidades aparentes, materiais e transitórias que são captadas pelos sentidos.

Deste modo, há uma ideia ou forma de ser humano, fixa e universal. Ela se materializa, porém, em modelos individuais que mudam ao longo do tempo.

Platão foi fundador de uma escola de nível superior, a Academia. Nela, teve como um de seus alunos, Aristóteles.

Aristóteles é conhecido como um filósofo empirista. Ou seja, ele baseava o conhecimento na experiência.

Um dos conceitos mais importantes da filosofia aristotélica é o de Harmonia. As coisas têm uma ordem no mundo à qual devem se adequar. A política, por exemplo, tem sua base na harmonia entre os que mandam e os que são governados.

Segundo Aristóteles, é possível conhecer as leis universais que regem a ordem do universo. Contudo, isso se estende ainda para a vida humana. A moral, a estética e a política são também governadas por algo que está além da vontade humana.

Exercícios sobre Filosofia Clássica

Questão 1- (ENEM) Vemos que toda cidade é uma espécie de comunidade, e toda comunidade se forma com vistas a algum bem, pois todas as ações de todos os homens são praticadas com vistas ao que lhe parece um bem; se todas as comunidades visam algum bem, é evidente que a mais importante de todas elas e que inclui todas as outras tem mais que todas este objetivo e visa ao mais importante de todos os bens.

ARISTÓTELES. Política. Brasília: UnB, 1988.

No fragmento, Aristóteles promove uma reflexão que associa dois elementos essenciais à discussão sobre a vida em comunidade, a saber:

a) Ética e política, pois conduzem à eudaimonia.

b) Retórica e linguagem, pois cuidam dos discursos na ágora.

c) Metafísica e ontologia, pois tratam da filosofia primeira.

d) Democracia e sociedade, pois se referem a relações sociais.

e) Geração e corrupção, pois abarcam o campo da physis.

Questão 2- (ENEM) Sem dúvida, os sons da voz (phone) exprimem a dor e o prazer; também a encontramos nos animais em geral; sua natureza lhes permite somente sentir a dor e o prazer e manifestar-lhes entre si. Mas o lógos é feito para exprimir o justo e o injusto. Este é o caráter distintivo do homem face a todos os outros animais: só ele percebe o bem e o mal, o justo e o injusto, e os outros valores; é a posse comum desses valores que faz a família e a cidade.

ARISTÓTELES. A política. São Paulo: Nova Cultural, 1987 (adaptado).

Para o autor, a característica que define o ser humano é o lógos, que consiste na

a) evolução espiritual da alma.

b) apreensão gradual da verdade.

c) segurança material do indivíduo.

d) capacidade racional de discernir.

e) possibilidade eventual de transcender.

Questão 3- (ENEM) Quando soube daquele oráculo, pus-me a refletir assim: “Que quererá dizer o Deus? Que sentido oculto pôs na resposta? Eu cá não tenho consciência de ser nem muito sábio nem pouco; que quererá ele então significar declarando-me o mais sábio? Naturalmente não está mentindo, porque isso lhe é impossível”. Por longo tempo fiquei nessa incerteza sobre o sentido; por fim, muito contra meu gosto, decidi-me por uma investigação, que passo a expor.

(PLATÃO. Defesa de Sócrates. Trad. Jaime Bruna. Coleção Os Pensadores. Vol. II. São Paulo: Victor Civita, 1972, p. 14.)

O texto acima pode ser tomado como um exemplo para ilustrar o modo como se estabelece, entre os gregos, a passagem do mito para a filosofia. Essa passagem é caracterizada:

a) pela transição de um tipo de conhecimento racional para um conhecimento centrado na fabulação. 

b) pela dedicação dos filósofos em resolver as incertezas por meio da razão. 

c) pela aceitação passiva do que era afirmado pela divindade. 

d) por um acento cada vez maior do valor conferido ao discurso de cunho religioso. 

e) pelo ateísmo radical dos pensadores gregos, sendo Sócrates, inclusive, condenado por isso.

  • Muito Bom! Já foram 20% dos exercícios sobre Filosofia Clássica. Continue avançando!

Questão 4- (UECE) Atente para as seguintes citações:

“Temos assim três virtudes que foram descobertas na nossa cidade: sabedoria, coragem e moderação para os chefes; coragem e moderação para os guardas; moderação para o povo. No que diz respeito à quarta, pela qual esta cidade também participa na virtude, que poderá ser? É evidente que é a justiça”

(Platão, Rep., 432b).

“O princípio que de entrada estabelecemos que se devia observar em todas as circunstâncias quando fundamos a cidade, esse princípio é, segundo me parece, ou ele ou uma de suas formas, a justiça. Ora, nós estabelecemos, segundo suponho, e repetimo-lo muitas vezes, se bem te lembras, que cada um deve ocupar-se de uma função na cidade, aquela para a qual a sua natureza é mais adequada”

(Platão, Rep., 433a).

Considerando a teoria platônica das virtudes, escreva V ou F conforme seja verdadeiro ou falso o que se afirma a seguir

( ) Nessa teoria das virtudes, cada grupo desenvolve a(s) virtude(s) que lhe é (ou são) própria(s).

( ) Só pode ser justa a cidade em que os grupos que dela participam e nela agem o fazem de acordo com sua natureza.

( ) Quando sabedoria, coragem e moderação se realizam de modo adequado, temos a justiça.

( ) Existe uma relação entre a natureza dos indivíduos, o grupo de que devem fazer parte na cidade, as virtudes que lhes são adequadas e, em consequência, a função que nela devem desempenhar.

A sequência correta, de cima para baixo, é:

a) V, V, V, V.

b) V, F, F, V.

c) F, F, V, F.

d) F, V, F, F.

Questão 5- (UFU MG) “O filósofo natural e o dialético darão definições diferentes para cada uma dessas afecções. Por exemplo, no caso da pergunta “O que é a raiva?”, o dialético dirá que se trata de um desejo de vingança, ou algo deste tipo; o filósofo natural dirá que se trata de um aquecimento do sangue ou de fluidos quentes do coração. Um explica segundo a matéria, o outro, segundo a forma e a definição. A definição é o “o que é” da coisa, mas, para existir, esta precisa da matéria.”

Aristóteles. Sobre a alma, I,1 403ª 25-32. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2010.

Considerando-se o trecho acima, extraído da obra Sobre a Alma, de Aristóteles (384-322 a.C.), assinale a alternativa que nomeia corretamente a doutrina aristotélica em questão.

a) Teoria das categorias.

b) Teoria do ato-potência.

c) Teoria das causas.

d) Teoria do eudaimonismo.

Questão 6- (UNCISAL AL) “O bem do indivíduo é da mesma natureza que o bem da Cidade, mas este é mais belo e mais divino porque se amplia da dimensão do privado para a dimensão do social, para a qual o homem grego era particularmente sensível, porquanto concebia o indivíduo em função da Cidade e não a Cidade em função do indivíduo”.

REALE, Giovanni; ANTISERI, Dario. História da filosofia – v. 1. 3.ed. São Paulo: Paulus, 2003, p. 221.

Em Aristóteles, a primazia da Cidade, apresentada no excerto, reflete-se na ideia de ser humano como animal político. Nesse sentido, Aristóteles entende como sendo cidadãos

a) todos os que vivem em uma cidade, o que inclui homens e mulheres, escravos e livres, nativos e estrangeiros.

b) apenas os homens livres, residentes na Cidade, e colonos que habitam a região rural.

c) todos os indivíduos nascidos na Cidade, homens e mulheres, aos quais se facultava o direito de escolher os seus governantes, legisladores e juízes.

d) os que participam da administração da coisa pública, ou seja, que fazem parte das assembleias que legislam, governam e administram a justiça na cidade.

e) homens e mulheres, detentores de riqueza suficiente para pagar os impostos necessários à manutenção da administração da coisa pública, o que inclui os que

governam, os que legislam e os que administram a justiça.

Questão 7- (UNIMONTES) As origens gregas da filosofia revelam historicamente um processo de ruptura com a mitologia e, consequentemente, com os deuses e as crenças até então predominantes culturalmente. Essa cultura mitológica fundamentava-se em dogmas que, por sua vez, sustentavam a força de divindades sobre os homens, colocando-os em um lugar comum e lhes fazendo acreditar nas mesmas coisas de maneira comum. Nesse contexto, a primeira necessidade dos primeiros pensadores, conhecidos como pré-socráticos, foi conhecer a natureza a partir da sua origem. Desse modo, entre os séculos VII e VI a.C, defendiam a existência de um princípio universal de que todas as coisas nasceram.

Qual é esse princípio (arkhé) para o primeiro filósofo Tales de Mileto?

a) O elemento ar. 

b) O elemento fogo. 

c) O elemento terra. 

d) O elemento água.

  • Muito bem! Você chegou à metade dos exercícios sobre Filosofia Clássica. Continue fazendo o restante.

Questão 8- (UNIMONTES) Sócrates é considerado um dos filósofos mais importantes de todos os tempos. Na Grécia Antiga, por volta do século V, ele mudou o foco da filosofia, que se ocupava com o estudo da natureza para o conhecimento do homem. Ele adotou para a sua prática filosófica a inscrição do portal do Oráculo de Delfos, templo dedicado ao deus Apolo: “Conheça-te a ti mesmo e conhecerás o mundo e os deuses”. Desse modo, considerou o conhecimento de si pelo homem uma perspectiva fundamental para o desenvolvimento do pensamento científico, pois, no seu entendimento, o sujeito que busca conhecer a natureza precisa antes conhecer a sua própria natureza. Nesse sentido, uma das perguntas mais importantes e também mais complexas passou a ser: Quem sou eu? A formação da nossa identidade é um ato filosófico, porquanto a filosofia nos assegura o pensamento rigoroso e reflexivo.

Seguindo essa linha de entendimento, encontramos definições sobre o que o homem é.

Para Aristóteles, por exemplo, o ser humano é

a) imagem e semelhança de Deus. 

b) apenas um corpo e uma alma.

c) um “animal racional” e um “animal político”.

d) um animal infinitamente racional e antissocial.

Questão 9- (UNICHRISTUS) (…) Sócrates criou um método de investigação do conhecimento por intermédio da ideia de “trazer o conhecimento à luz” por meio de sucessivas questões para chegar à verdade. Esse caminho usado por Sócrates era um verdadeiro “parto”, em que ele induzia os seus discípulos a praticarem mentalmente a busca da verdade última. O princípio da filosofia de Sócrates estava na frase “conhece-te a ti mesmo”. Antes de lançar-se em busca de qualquer verdade, o homem deve analisar-se e reconhecer a própria ignorância. Sócrates inicia sua discussão e conduz seu interlocutor a tal reconhecimento, por meio do diálogo, que é a primeira fase do seu método em busca da verdade (…).

Disponível em: http://pgl.gal/. Acesso em: 5 fev. 2019.

O método socrático de busca do conhecimento é denominado de

a) Escolástica.

b) Maiêutica.

c) Patrística.

d) Contratualismo.

e) Empirismo.

Questão 10- (Enem/2017) Uma conversação de tal natureza transforma o ouvinte; o contato de Sócrates paralisa e embaraça; leva a refletir sobre si mesmo, a imprimir à atenção uma direção incomum: os temperamentais, como Alcibíades sabem que encontrarão junto dele todo o bem de que são capazes, mas fogem porque receiam essa influência poderosa, que os leva a se censurarem. Sobretudo a esses jovens, muitos quase crianças, que ele tenta imprimir sua orientação.

BREHIER, E. História da filosofia. São Paulo: Mestre Jou, 1977.

O texto evidencia características do modo de vida socrático, que se baseava na

a) Contemplação da tradição mítica.

b) Sustentação do método dialético.

c) Relativização do saber verdadeiro.

d) Valorização da argumentação retórica.

e) Investigação dos fundamentos da natureza.

  • Isso aí! Você já fez dez exercícios sobre Filosofia Clássica. Falta pouco, continue!

Questão 11 – (Enem/2017) Se, pois, para as coisas que fazemos existe um fim que desejamos por ele mesmo e tudo o mais é desejado no interesse desse fim; evidentemente tal fim será o bem, ou antes, o sumo bem. Mas não terá o conhecimento grande influência sobre essa vida? Se assim é, esforcemo-nos por determinar, ainda que em linhas gerais apenas, o que seja ele e de qual das ciências ou faculdades constitui o objeto. Ninguém duvidará de que o seu estudo pertença à arte mais prestigiosa e que mais verdadeiramente se pode chamar a arte mestra. Ora, a política mostra ser dessa natureza, pois é ela que determina quais as ciências que devem ser estudadas num Estado, quais são as que cada cidadão deve aprender, e até que ponto; e vemos que até as faculdades tidas em maior apreço, como a estratégia, a economia e a retórica, estão sujeitas a ela. Ora, como a política utiliza as demais ciências e, por outro lado, legisla sobre o que devemos e o que não devemos fazer, a finalidade dessa ciência deve abranger as duas outras, de modo que essa finalidade será o bem humano.

ARISTÓTELES, Ética a Nicômaco. In: Pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 1991 (adaptado)

Para Aristóteles, a relação entre o sumo bem e a organização da pólis pressupõe que

a) O bem dos indivíduos consiste em cada um perseguir seus interesses.

b) O sumo bem é dado pela fé de que os deuses são os portadores da verdade.

c) A política é a ciência que precede todas as demais na organização da cidade.

d) A educação visa formar a consciência de cada pessoa para agir corretamente.

e) A democracia protege as atividades políticas necessárias para o bem comum.

Questão 12 – (UEG) Questão 12 Considerando a história contada por Platão no livro VII da República, mais conhecida como Mito da Caverna, podemos deduzir que:

a) o homem, apesar de nascer bom, puro e de posse da verdade, pode desviar-se e passar a acreditar em outro mundo mais perfeito de puras ideias.

b) não podemos confiar apenas na razão, pois somente guiados pelos sentimentos e testemunhos dos sentidos poderemos alcançar a verdade.

c) a caverna, na alegoria platônica, representa tudo aquilo que impede o surgimento da consciência filosófica, que possibilitaria uma ascensão para o mundo inteligível.

d) a razão deve submeter-se aos testemunhos dos sentidos, pois a verdade que está no mundo inteligível só será atingida mediante a sensibilidade.

e) os homens devem se libertar da crença na existência em outro mundo e buscar resolver seus conflitos aprofundando-se em sua interioridade.

  • Ufa! Faltam apenas três exercícios sobre Filosofia Clássica. Estamos quase lá. Continue!

Questão 13 – (UECE) Leia atentamente a seguinte passagem:

“A experiência parece um pouco semelhante à ciência (epistéme) e à arte (tékhne). Com efeito, os homens adquirem ciência e arte por meio da experiência. A experiência, como diz Polo, produz a arte, enquanto a inexperiência produz o puro acaso. A arte se produz quando, de muitas observações da experiência, forma-se um juízo geral e único passível de ser referido a todos os casos semelhantes” (Aristóteles, Metafísica, 981a5).

Com base no texto acima, considere as seguintes afirmações:

I. Somente a ciência é conhecimento universal, cujos juízos gerais se aplicam a todos os casos semelhantes.

II. A tékhne é uma forma de conhecimento universal, pois, com base nas experiências, se forma um juízo geral.

III. Por ser semelhante à experiência, a tékhne não constitui um conhecimento universal.

IV. A experiência é pressuposto dos conhecimentos universais (tékhné e epistéme), mas não é ainda um conhecimento universal.

É correto somente o que se afirma em

a) I e IV.

b) II e III.

c) I e III.

d) II e IV.

Questão 14 – (Uepa 2015) Leia o texto para responder à questão.

Platão:

A massa popular é assimilável por natureza a um animal escravo de suas paixões e de seus interesses passageiros, sensível à lisonja, inconstante em seus amores e seus ódios; confiar-lhe o poder é aceitar a tirania de um ser incapaz da menor reflexão e do menor rigor. Quanto às pretensas discussões na Assembleia, são apenas disputas contrapondo opiniões subjetivas, inconsistentes, cujas contradições e lacunas traduzem bastante bem o seu caráter insuficiente.

(Citado por: CHATELET, F. História das Ideias Políticas. Rio de Janeiro: Zahar, 1997, p. 17)

Os argumentos de Platão, filósofo grego da antiguidade, evidenciam uma forte crítica à:

a) oligarquia   

b) república   

c) democracia   

d) monarquia   

e) plutocracia

Questão 15 – (Uenp 2011) Platão foi um dos filósofos que mais influenciaram a cultura ocidental. Para ele, a filosofia tem um fim prático e é capaz de resolver os grandes problemas da vida. Considera a alma humana prisioneira do corpo, vivendo como se fosse um peregrino em busca do caminho de casa. Para tanto, deveria transpor os limites do corpo e contemplar o inteligível.

Assinale a alternativa correta.

a) A teoria das ideias não pode ser considerada uma chave de leitura aplicável a todo pensamento platônico. 

b) Como Sócrates, Platão desenvolveu uma ética racionalista que desconsiderava a vontade como elemento fundamental entre os motivadores da ação. Ele acreditava que o conhecimento do bem era suficiente para motivar a conduta de acordo com essa ideia (agir bem). 

c) Platão propõe um modelo de organização política da sociedade que pode ser considerado estamental e antidemocrático. Para ele, o governo não deveria se pautar pelo princípio da maioria. As almas têm natureza diversa, de acordo com sua composição, isso faz com que os homens devam ser distribuídos de acordo com essa natureza, divididos em grupos encarregados do governo, do controle e do abastecimento da polis. 

d) Platão chamava o conhecimento da verdade de doxa e o contrapõe a uma outra forma de conhecimento (inferior) denominada episteme. 

e) Para Platão, a essência das coisas é dada a partir da análise de suas causas material e final. 

  • Parabéns, você fez todos os exercícios sobre Filosofia Clássica. Confira agora o Gabarito:

Gabarito dos exercícios sobre Filosofia Clássica

Exercício resolvido da questão 1 –

Alternativa correta: letra a) Ética e política, pois conduzem à eudaimonia.

Exercício resolvido da questão 2 –

alternativa correta: letra d) capacidade racional de discernir.

Exercício resolvido da questão 3 –

Alternativa correta: letra b) pela dedicação dos filósofos em resolver as incertezas por meio da razão. 

Exercício resolvido da questão 4 –

Alternativa correta: letra a) V, V, V, V.

Exercício resolvido da questão 5 –

Alternativa correta: letra c) Teoria das causas.

Exercício resolvido da questão 6 –

Alternativa correta: letra d) os que participam da administração da coisa pública, ou seja, que fazem parte das assembleias que legislam, governam e administram a justiça na cidade.

Exercício resolvido da questão 7 –

Alternativa correta: letra d) O elemento água.

Exercício resolvido da questão 8 –

Alternativa correta: letra c) um “animal racional” e um “animal político”.

Exercício resolvido da questão 9 –

Alternativa correta: letra b) Maiêutica.

Exercício resolvido da questão 10 –

Alternativa correta: letra b) Sustentação do método dialético.

Exercício resolvido da questão 11 –

Alternativa correta: letra c) A política é a ciência que precede todas as demais na organização da cidade.

Exercício resolvido da questão 12 –

Alternativa correta: letra c) a caverna, na alegoria platônica, representa tudo aquilo que impede o surgimento da consciência filosófica, que possibilitaria uma ascensão para o mundo inteligível.

Exercício resolvido da questão 13 –

Alternativa correta: letra d) II e IV.

Exercício resolvido da questão 14 –

Alternativa correta: letra c) democracia   

Exercício resolvido da questão 15 –

Alternativa correta: letra c) Platão propõe um modelo de organização política da sociedade que pode ser considerado estamental e antidemocrático. Para ele, o governo não deveria se pautar pelo princípio da maioria. As almas têm natureza diversa, de acordo com sua composição, isso faz com que os homens devam ser distribuídos de acordo com essa natureza, divididos em grupos encarregados do governo, do controle e do abastecimento da polis. 

Estude para o Enem com o Simulado Beduka. É gratuito!

Gostou dos nossos exercícios sobre Filosofia Clássica? Compartilhe com os seus amigos e comente abaixo sobre as áreas que você deseja mais questões.

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador