Português

O que é linguagem culta e coloquial? Aprenda a diferença com exemplos práticos

O que é linguagem culta e coloquial?O que é linguagem culta e coloquial?
Mude de vida com Beduka Bolsas

A linguagem culta é aquela que segue a gramática normativa ( o código que rege determinada língua). Já a coloquial, se deixa influenciar pelo meio e não precisa ser tão certinha assim. 

Elas são usadas em situações completamente diferentes. Por exemplo, você não fala com o seu professor da mesma forma que fala com os seus amigos, correto? 

Aqui, além de te mostrar o que é linguagem culta e coloquial, vamos te dar vários exemplos e mostrar onde e quando ambas devem ser utilizadas.

Preparamos este artigo incrível para você que deseja aprender o que é linguagem culta e coloquial. Tem bastante conteúdo pela frente, então, clique em um dos tópicos para ir diretamente ao que deseja:

  1. O que é linguagem culta e coloquial?
  2. Qual a diferença entre linguagem culta e coloquial?
  3. Em que situações devemos usar a linguagem culta?
  4. Quais são as características da linguagem culta?
  5. Em que situações devemos usar a linguagem coloquial?
  6. Quais são as características da linguagem coloquial?
  7. Na literatura se usa linguagem culta ou coloquial?
  8. Exemplos de linguagem culta e linguagem coloquial
  9. O Enem cobra linguagem culta ou coloquial?

Aprendemos a diferenciar o que é linguagem culta e coloquial na prática. Para isso, que tal praticar com o Simulado Beduka? Ele é 100% gratuito e vai te ajudar a fixar esse e outros conteúdos.

O que é linguagem culta e coloquial?

A linguagem culta é aquela que segue os padrões estabelecidos por uma língua, ou seja, segue as regras gramaticais e o acordo ortográfico.

Ela também estabelece o bom senso de evitar algumas expressões, que apesar de já constarem no dicionário, ainda se assemelham muito com uma conversa da roda de amigos. Por exemplo, estrangeirismos que já constam no dicionário e chavões. 

A linguagem coloquial tem muito a ver com a fala e por isso representa uma liberdade de uso. Afinal, quando conversamos, tudo é mais veloz; não há tempo para correções e os pensamentos apenas fluem.

É aquela que usamos na roda de amigos, no bar, na escola com os colegas. Ela permite o uso de gírias e o surgimento de variações linguísticas. 

Qual a diferença entre linguagem coloquial e linguagem culta?

Ao ler sobre o que é linguagem culta e coloquial, você já consegue ter uma noção bem clara da diferença entre as duas. Basicamente, é a interferência do meio que as define. Como assim?

A linguagem culta abrange muitos contextos, até mesmo países (aqueles que têm a Língua Portuguesa como materna). Por esse motivo, ela precisa se guiar por normas que padronizam o idioma

Caso contrário, haveria tantas diferenças, que daqui a pouco ninguém se entenderia mais. Para produzi-la e entendê-la, você deve ter conhecimentos gramaticais de sintaxe, ortografia, semântica, etc.

A linguagem coloquial dispensa preocupações e produz interações em meios menores. Ou seja, ela acontece em tempo real e tem o poder de se modificar instantaneamente.

Ao mesmo tempo que, em algum lugar do sudeste, amigos criam um Rap e desenvolvem uma nova gíria, em algum lugar do norte, o cachorro quente passa a receber outro nome e o mesmo “viraliza” em um contexto local.

Em que situações devemos usar a linguagem culta?

A linguagem culta deve ser usada em contextos formais e na hora de escrever. 

Situações nas quais a impressão que você vai passar por meio das suas palavras terá um impacto a longo prazo.

Aparece em textos acadêmicos, dissertações (tipologia textual cobrada no Enem), entrevistas de emprego, livros, textos jurídicos e outras situações que exijam formalidade. 

E quais são as características da linguagem culta?

Como já falamos neste artigo sobre o que é linguagem culta e coloquial, ao pensar na utilização de uma ou outra linguagem, devemos refletir primeiro sobre o meio no qual ela será usada

Logo, as características da linguagem culta também são um reflexo disso. Veja as principais:

  • Pronúncia correta das palavras;
  • Preocupação com a concordância verbal e nominal até mesmo na hora da fala;
  • Preocupação com as flexões do substantivo;
  • Seguir as regras da gramática normativa;
  • Ausência de gírias;
  • Ausência de chavões.

Em que situações devemos usar a linguagem coloquial?

A linguagem coloquial costuma ser usada em todas as situações informais. Na roda de amigos, na escola com os colegas, na faculdade entre os próprios alunos, no bar, com os familiares e com as demais pessoas que representam maior grau intimidade.

Ela é regida pela oralidade, ou seja, em todas as situações nas quais o diálogo apenas flui, sem preocupações, temos a presença da linguagem coloquial.

Quais as características da linguagem coloquial?

A linguagem coloquial possui características que a tornam bem diferente da linguagem culta. Veja as principais:

  • Presença de gírias;
  • Presença de Variações Linguísticas;
  • Uso de expressões que assumem o papel de conectivos da oralidade “tipo assim”, “então” “éee”;
  • Uso de chavões;
  • Mudança nas flexões nominais “Os menino estão demais”;
  • Contração de palavras, como “cê”, “procê” e “bão”.

Na literatura se usa linguagem culta ou coloquial?

A literatura é um caso à parte, pois ao mesmo tempo que ela segue o padrão estabelecido pela língua, ela pode modificá-lo a favor do enredo ou da ideia. É o que chamamos de liberdade literária ou poética.

Isso acontece por vários motivos: por uma crítica do autor ao formalismo, por uma necessidade relacionada ao contexto dos personagens ou até mesmo pelo simples prazer estético. 

Veja como isso funciona em um dos mais famosos poemas da literatura brasileira:

Pronominais

Dê-me um cigarro

Diz a gramática

Do professor e do aluno

E do mulato sabido

Mas o bom negro e o bom branco

Da Nação Brasileira

Dizem todos os dias

Deixa disso camarada

Me dá um cigarro.

Poema de Oswald de Andrade

Bdeuka Bolsas de Ano Novo

No último verso (Me dá um cigarro), o autor insere no texto a linguagem coloquial de personagens reais presentes no país ao trocar a posição do pronome “me”. Mas lembre-se! Para quebrar as regras é preciso dominá-las.

Exemplos de linguagem culta e linguagem coloquial

Agora que você já sabe tudo sobre o que é linguagem culta e coloquial, veja alguns exemplos e fique ainda mais preparado para enfrentar a prova de linguagens do Enem.

Exemplos de linguagem culta:

Diga-me, por favor!  (observe o uso da ênclise, ou seja, da colocação pronominal correta).

Eu quero ir somente amanhã. Tu vais? (emprego correto do verbo em relação ao pronome)

Linguagem culta em uma redação nota 1000 do Enem 

No célebre texto “As Cidadanias Mutiladas”, o geógrafo brasileiro Milton Santos afirma que a democracia só é efetiva à medida que atinge a totalidade do corpo social, isto é, quando os direitos são desfrutados por todos os cidadãos. Todavia, no contexto hodierno, a invisibilidade intrínseca à falta de documentação pessoal distancia os brasileiros dos direitos constitucionalmente garantidos. Nesse cenário, a garantia de acesso à cidadania no Brasil tem como estorvos a burocratização do processo de retirada do registro civil, bem como a indiferença da sociedade diante dessa problemática.

Enem 2021 – Maitê Maria (PB)

Exemplos de linguagem coloquial:

Este feijão está muito bão. (“bão” representando uma contração informal de vocábulo)

Tá de brincadeira, né? (contração de verbo bem típica da linguagem coloquial)

Abaixo, veja uma charge de Maurício de Souza. Nela, o autor utiliza a linguagem coloquial para levar a realidade aos quadrinhos.

O que é linguagem culta e coloquial  é uma questão tão presente no nosso dia a dia que chega até a ser divertido, né? Mas você precisa treinar para responder às questões sobre isso no Enem.

Você pode fazer isso com o Simulado Beduka, ele é gratuito e possui questões do próprio Exame. 

O Enem cobra a linguagem culta ou coloquial?

Lembra do que conversamos até aqui sobre o que é linguagem culta e coloquial? Então… Basta pensarmos em que contexto o Exame é aplicado!

É uma situação extremamente séria e formal. Vale uma vaga na universidade! E universidades ajudam a registrar o idioma, por meio de estudos, de forma padronizada.

Logo, a linguagem cobrada é a culta. Mas , assim, vão surgir questões sobre linguagem coloquial, pedindo para que você a identifique e a diferencie. 

Mas, na hora de fazer a redação, não tente fugir da norma culta, somente essa linguagem deve ser usada. E, para aprender todos os passos de como escrever uma redação nota 1000, acesse o Guia Completo de Redação do Beduka!

Ele vai te ajudar a aplicar a linguagem culta e a aprender todos os passos de uma redação perfeita. É só praticar!   

Qualquer dúvida ou pedido sobre algum tema que a gente ainda não tenha escrito, é só mandar um direct no Instagram. Estamos prontos para te ajudar! 

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador