Português

Vícios de Linguagem: exemplos de todos

Vicios de linguagemVícios de linguagem

Os vícios de linguagem são classificados em vários tipos, sendo os principais: pleonasmo, barbarismo, arcaísmo, neologismo, solecismo, ambiguidade, cacófato (cacofonia), eco, gerundismo, hiato, colisão, plebeísmo, obscuridade, preciosismo e prolixidade.

Muitos pontos são perdidos num redação por causa dos vícios de linguagem. Por isso, para te ajudar a ter redação nota 1000, vamos explicar e dar exemplos de vícios de linguagem para você saber exatamente o que não fazer.

Depois de aprender mais este conteúdo, faça simulados para o Enem gratuitamente.

Figuras de linguagem x Vícios de Linguagem 

Algumas figuras podem se tornar vícios. Alguns recursos que são estilo de linguagem podem se tornar um problema no texto. Mas qual a definição e o conceito de cada um? 

O que é figura de linguagem?

As figuras de linguagem são estilos, recursos linguísticos que embelezam a escrita, dão ênfase e expressividade ao discurso. São mais comuns em poesias e em obras de literatura.

Já escrevemos um artigo com todas as figuras de linguagem que mais caem no vestibular. Temos o exemplo de cada uma e o conceito para te ajudar a reconhecê-las.

O que são vícios de linguagem?

Os vícios atrapalham em vez de ajudar. Eles interferem na expressividade do conteúdo. Deixam o texto feio, ruim de se ler, de se ouvir e complicado de se entender.

Há modos de escrever que dependendo do contexto e da intenção de quem escreve ou do seu desconhecimento, podem ser ou figuras de linguagem ou vícios de linguagem.

Por exemplo, neologismos, arcaísmos ou pleonasmos são os vícios que dependendo da situação, tornam-se figuras de linguagem. Dependerá da intenção do autor.

Com Guimarães Rosa, os neologismos são uma riqueza literária, nas poesias e obras literárias em geral, o arcaísmo e os pleonasmos são de muito estilo e bom gosto. Mas, todos estes, numa redação Enem, são mal vistos e te levarão a perder pontos.

Já escrevemos o resumo e a análise de Grande Sertão Veredas de Guimarães Rosa, obra cobrada em vestibulares no Brasil todo.

Tipos de vícios de linguagem

Vamos agora abordar quais são os vícios de linguagem e dar vários exemplos para que você não cometa nenhum deles na sua redação.

Depois de entender o assunto treine com a nossa lista com exercícios sobre vícios de linguagem.

Pleonasmo vicioso ou redundância

Diferentemente do pleonasmo tradicional, o usado na literatura, que reforça uma ideia, este é uma repetição desnecessária. 

Por exemplo:

  • Entrar para dentro;
  • Surpresa inesperada;
  • Outra alternativa;
  • A decisão unânime de todos;
  • Há três anos atrás;
  • Encarar de frente;
  • Monopólio exclusivo;
  • Elo de ligação.

Se você usar uma dessas expressões ou outro tipo de pleonasmo no Enem, perderá pontos pela presença de um vício de linguagem na sua Redação.

Barbarismo

vicio de linguagem barbarismo

Trata-se de um desvio da norma, que pode se dar de várias formas. Em poucas palavras, o barbarismo te faz parecer um bárbaro falando ou escrevendo. Demonstra desconhecimento da Língua Portuguesa.

Tipos de barbarismo:

Barbarismo de pronúncia

I – SÍLABA: erro ao pronunciar um acento tônico, colocando-o na sílaba errada. Por exemplo: 

  • Dizer ou escrever rúbrica, quando na verdade é rubrica
  • Dizer ou escrever incrustrar em vez de incrustar.

II – CACOÉPIA: erro ao pronunciar alguns fonemas. Por exemplo: 

  • Dizer ou escrever poblemas ao invés de problemas.

III – CACOGRAFIA:  erro ao escrever ou flexionar uma palavra. Por exemplo:

  • Advinhei em vez de adivinhei.
  • Deteu em vez de deteve.
  • Proesa em vez de proeza.

Barbarismo de morfologia

  • Se eu ir aí, vou te bater. (O correto é: Se eu for aí, vou te bater.)
  • Sou a mais maior entre meus amigos (O correto é: Sou a maior entre meus amigos.)
  • O político falou a todos os cidadões. (O correto é: O político falou a todos os cidadãos.)

Barbarismo de Semântica

  • Maria comprimentou sua prima ao chegar. (O correto é “cumprimentou”.)

Barbarismo de Estrangeirismos

vicio de linguagem estrangeirismo

É barbarismo empregar palavras estrangeiras em meio à nossa língua de forma desnecessária. Não é necessário fazer isso se há no português uma palavra correspondente que pode ser usada.

Principalmente não deixe este vício de linguagem aparecer na Redação Enem. Muitos alunos escrevem palavras estrangeiras na redação e perdem pontos.

Por exemplo:

  • O show é hoje! (Use a palavra espetáculo.)
  • Vamos tomar um drink? (A palavra em português já existe e é drinque.)
  • Muitas pessoas passaram a escrever weekend em vez de fim de semana.
  • Stress é uma palavra da Língua Inglesa, em português se escreve estresse.
  • Delivery em português, se diz entrega em domicílio.

Arcaísmo

Este vício de linguagem acontece quando usamos palavras ou estruturas antigas que já não são mais usadas. Pode ser, em certas situações, que o arcaísmo seja um estilo literário. Mas não na sua redação, nela será só a sua nota afundando mesmo.

Por exemplo:

  • Vossa Mercê em vez de você.
  • Asinha usado como sinônimo de depressa.
  • Suso usado como sinônimo de acima.

Dependendo da região onde você mora, pode ser que haja palavras comuns para você, palavras que você aprendeu com os pais ou avós e que são da sua cultura. Contudo, na redação, não as use, pois nem todos conhecem seu significado regional e elas podem ser consideradas gírias ou palavras arcaicas.

Neologismo

Neologismo é o uso de palavras consideradas novas, inventadas. São palavras que não foram incorporadas ao idioma. Na literatura, autores como Guimarães Rosa fizeram muitos neologismos, mas na sua redação o uso será um vício de linguagem.

Por falar em Guimarães Rosa, também já resumimos outra importante obra sempre cobrada: Sagarana.

Exemplo de neologismo:

“Que pode uma criatura senão, 

entre criaturas, amar?

amar e esquecer,

amar e malamar,

amar, desamar, amar?

sempre, e até de olhos vidrados, amar?”

Este é um trecho do poema Amar de Carlos Drummond de Andrade, inclusive trata-se de um dos poemas contido na obra Claro Enigma, cobrada na Fuvest. Nós também já resumimos e analisamos para você.

Neste trecho malamar é um neologismo. Na poesia, é vício de linguagem? Não, ficou muito estiloso, mas trata-se de Carlos Drummond escrevendo.

Escreva malamar na sua redação pra você ver o que acontece…

Outro exemplo:

“Ele manja dessas coisas.” (Gírias costumam ser neologismos e também tiram pontos, além de não pertencerem à norma padrão culta da Língua Portuguesa.)

Solecismo

Solecismo é um desvio de sintaxe e também pode acontecer de vários modos.

Solecismo de Concordância

  • Haviam muitos homens aguardando o início da missão. (Havia)
  • Sobrou muitos lugares vazios na sala. (Sobraram)
  • Fazem três meses que não o vemos. (Faz)
  • Vou no banheiro. (ao)

Erros usando o verbo haver e o verbo fazer são muito comuns nas redações Enem. Fique atento!

Solecismo de Regência

  • Assisti o filme dos Vingadores em casa mesmo. (ao)

Solecismo de Colocação

  • Andei tanto, durante todo o dia que não aguentei-me em pé. (Não me aguentei)
  • Me empresta seu fone? (Empresta-me)

Sobre esta última frase: Nunca comece uma sentença usando o pronome oblíquo.

Ambiguidade ou anfibologia

Este é um dos vícios de linguagem mais conhecidos. Neste caso a frase adquire duplo sentido na interpretação.

Por exemplo:

  • O ladrão matou o policial dentro de sua casa. (Na casa de quem? Do próprio policial ou do ladrão?)
  • O pai de Emanuel entrou com sua maleta na casa. (De quem era a maleta? Do pai ou de Emanuel?)
  • Ana pegou seu namorado correndo na rua. (Quem estava correndo? Ana ou o namorado dela?)

Não cometa este vício de linguagem na redação Enem. Ela não pode ser ambígua, deve ser clara, objetiva, de fácil entendimento. Quanto mais o avaliador tiver de interpretar seu texto, pior.

Para te ajudar escrevemos a diferença entre Coesão e Coerência e ainda fizemos exercícios para você treinar.

Cacófato ou cacofonia

Aproveite e teste os seus conhecimentos com os nossos exercícios sobre Vícios de Linguagem!

Este é o mau som que resulta quando se une duas ou mais palavras numa frase.

Por exemplo:

  • Ela não viu ele.
  • Maria nunca gasta com o que precisa.
  • Mariana beijou a boca dele.

Eco

Ocorrência de terminações iguais.

Por exemplo:

  • Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão.
  • Tente, invente, faça diferente.

Pode até ser que você ache bonitinho ver o som rimar, mas se gerar eco, será vício e não figura de linguagem.

Faça exercícios sobre figuras de linguagem.

Gerundismo

Uso inadequado do gerúndio, tornando-o um excesso, algo desnecessário. Isso acontece ao se tentar reforçar a ideia de continuidade.

Por exemplo:

  • Eu vou estar entrando em contato com o senhor em breve. (Correto: Entrarei em contato com o senhor em breve.)
  • Em que eu poderia estar te ajudando? (Correto: Em que eu poderia te ajudar?)

Hiato

Vício de linguagem causado pela sequência de vogais que são idênticas ou muito semelhantes. O som lido em sequência fica ruim.

Por exemplo:

  • Ela irá ainda hoje fazer uma viagem para ver a prima.
  • A escolha é sua, ou eu ou ele.

Colisão

Este é um desvio causado pela sequência de consoantes idênticas ou semelhantes.

Por exemplo:

  • Fazendo fiado fico freguês.
  • A ratazana roeu a roupa.

Plebeísmo

São as gírias que indicam que a pessoas que as usa sabe pouco do português.

  • “Correr atrás.” Prefira usar a palavra persistir, perseguir, perseverar. São muito melhores para demonstrar domínio de vocabulário.
  • “Mané.”Não Nem aconselho usar mané na redação, as sinônimos seriam: inapto ou néscio.
  • “Bolado.” Prefira nervoso, enérgico, irritado, incomodado, etc.

Obscuridade

Falta de clareza no texto. Não faça um texto confuso de jeito nenhum. Use o rascunho para escrever sua ideias e pensar a melhor forma de ser claro, assim evita-se mais um perigoso vício de linguagem na redação Enem.

Por exemplo:

“Quando as normas, mesmo tendo sido apresentadas e impressas para dar aos alunos, para que não venham dizer depois que desconheciam as regras da escola, são desobedecidas é muito ruim.”

Deu pra entender? Se o seu texto estiver assim, o que você acha que vai acontecer? O avaliador vai passar pra frente e tirar seus pontos, ou vai ficar tentando interpretar com boa vontade?

Preciosismo e prolixidade

Linguagem muito exacerbada para falar de coisas normais, excesso de palavras para dizer a mesma coisa. Tudo isso atrapalha a clareza do texto e também sua naturalidade.

Por exemplo:

  • Minha progenitora, transtornada com meu insubmisso agir, procrastinou nossa viagem intercontinental. (Minha mãe, nervosa com minha desobediência cancelou nossa viagem para o exterior.)
  • Estivesse eu rejubilante e álacre em vez de apreensiva e inconformada com as vicissitudes de meu viver. (Gostaria de estar alegre em vez de triste com as adversidades da minha vida.)

Pronto, agora você já conhece quais são os vícios de linguagem do Português e viu exemplos de cada um. Comente e compartilhe.

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Redação Beduka
Redação Beduka
A equipe de redação do Beduka é composta por pessoas de várias formações, sempre prontas a aprender sobre tudo para publicar os melhores textos e colaborar com a formação de todos os leitores. Sinta-se a vontade para deixar o seu comentário!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador