Português

Exercícios de Figuras de Linguagem com gabarito

Exercícios de Figuras de LinguagemExercícios de Figuras de Linguagem

Não sabe como estudar as figuras de linguagem para o ENEM e outros vestibulares? Faça alguns exercícios e aprenda um pouco mais sobre a metáfora, metonímia, antítese, entre outros exemplos de figuras de linguagem.

As figuras de linguagem costumam aparecer frequentemente no caderno de Linguagens, códigos e suas tecnologias do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Por isso, que tal praticar os seus conhecimentos fazendo alguns exercícios dessa matéria? Nesse artigo daremos a definição e alguns exercícios de figuras de linguagem.

O Beduka também possui diversos conteúdos de português que te ajudarão no ENEM e em outros diversos vestibulares. Descubra a diferença entre coesão e coerência, saiba quais são os tipos textuais e veja o que é uma preposição.

Você também pode testar os seus conhecimentos no nosso simulado. É grátis!

O que são Figuras de Linguagem?

O que são Figuras de Linguagem

Figuras de linguagem são algumas estratégias que o orador ou escritor usa para tornar a mensagem que ele transmite mais expressiva. As figuras de linguagem são importantes, pois sabendo identificá-las é possível interpretar melhor os diferentes tipos de texto.

Compreender e saber usar as figuras de linguagem capacita o uso mais eficaz da linguagem como fenômeno social, ajudando a vislumbrar o simbolismo de algumas conversas e obras literárias, por exemplo.

As figuras de linguagem são divididas em 4 principais tipos:

4 principais tipos de Figuras de Linguagem
  • Figuras de som
  • Figuras de construção
  • Figuras de pensamento
  • Figuras de palavras

Veja sobre cada uma delas abaixo.

Principais Figuras de Linguagem – Figuras de Som

As figuras de som estão associadas à sonoridade das palavras. Veja abaixo as principais figuras de som.

  • Aliteração: A aliteração consiste na repetição de consoantes ao longo do texto. é muito usada para para criar trava-línguas e dar ênfase ao texto.
  • Assonância: A assonância é a repetição ordenada de sons vocálicos similares.
  • Paronomásia: Paronomásia é o uso de sons semelhantes, mas com palavras de distintos significados.
  • Onomatopeia: Onomatopeia é a inserção de palavras no discurso que imitam sons.

Principais Figuras de Linguagem – Figuras de Construção

As figuras de construção são aquelas que interferem na estrutura gramatical da frase. Veja abaixo as principais figuras de construção.

  • Elipse: A elipse é a omissão de uma palavra considerada de fácil identificação no contexto.
  • Zeugma: A zeugma é a omissão de uma palavra pelo fato de ela já ter sido usada antes.
  • Pleonasmo: Pleonasmo é a repetição da palavra ou da ideia contida nela para intensificar o significado.
  • Assíndeto: O assíndeto representa a omissão de conectivos entre elementos ou conjunções coordenadas.
  • Polissíndeto: O polissíndeto é o uso repetido de conectivos.
  • Anacoluto: Geralmente consiste em deixar um termo solto na oração, mais conhecida como frase quebrada.
  • Hipérbato: O hipérbato é a alteração da ordem direta da oração.
  • Hipálage: corre quando atribuímos uma palavra ou característica pertencente a outra frase.
  • Anáfora: A anáfora é a repetição de uma ou mais palavras de forma regular.
  • Silepse: A silepse é a concordância com o que se entende e não com o que está implícito. Ela é classificada em: silepse de gênero, de número e de pessoa.

Principais Figuras de Linguagem – Figuras de Pensamento

As figuras de pensamento trabalham com a combinação de ideias e pensamentos.

  • Antítese: A antítese é o uso de termos que têm sentidos opostos.
  • Paradoxo: O paradoxo representa o uso de ideias que têm sentidos opostos, não apenas de termos (tal como no caso da antítese).
  • Apóstrofe: A apóstrofe é a interpelação feita com ênfase.
  • Eufemismo: O eufemismo é utilizado para suavizar o discurso.
  • Gradação: A gradação é a apresentação de ideias que progridem de forma crescente (clímax) ou decrescente (anticlímax).
  • Hipérbole: A hipérbole corresponde ao exagero intencional na expressão.
  • Ironia: A ironia é a representação do contrário daquilo que se afirma.
  • Personificação: A personificação ou prosopopeia é a atribuição de qualidades e sentimentos humanos aos seres irracionais.

Principais Figuras de Linguagem – Figuras de Palavras

As figuras de linguagem ou de semântica estão associadas ao sentido que as palavras possuem.

  • Metáfora: A metáfora representa uma comparação de palavras com significados diferentes e cujo termo comparativo fica subentendido na frase.
  • Perífrase: A perífrase, também chamada de antonomásia, é a substituição de uma ou mais palavras por outra que a identifique.
  • Catacrese: A catacrese representa o emprego impróprio de uma palavra por não existir outra mais específica.
  • Metonímia: Similar a metáfora, existe o uso de um significado sobre outro. Além de explorar a ligação lógica dos termos.
  • Sinestesia: A sinestesia acontece pela associação de sensações por órgãos de sentidos diferentes.

Quer aprofundar o estudo de figuras de linguagem? Acesse nosso artigo completo sobre o assunto. Nele você encontrará os exemplos das figuras de linguagem.

Exercícios de Figuras de Linguagem

1. (ENEM)

Nessa tirinha, a personagem faz referência a uma das mais conhecidas figuras de linguagem para

a) condenar a prática de exercícios físicos.
b) valorizar aspectos da vida moderna.
c) desestimular o uso das bicicletas.
d) caracterizar o diálogo entre gerações.
e) criticar a falta de perspectiva do pai.

2. (VUNESP) Na frase: “O pessoal estão exagerando, me disse ontem um camelô”, encontramos a figura de linguagem chamada:

a) silepse de pessoa
b) elipse
c) anacoluto
d) hipérbole
e) silepse de númer

3. (PUC-SP)Nos trechos: “…nem um dos autores nacionais ou nacionalizados de oitenta pra lá faltava nas estantes do major” e “…o essencial é achar-se as palavras que o violão pede e deseja” encontramos, respectivamente, as seguintes figuras de linguagem:

a) prosopopeia e hipérbole;
b) hipérbole e metonímia;
c) perífrase e hipérbole;
d) metonímia e eufemismo;
e) metonímia e prosopopeia.

4. (ENEM)

Cidade grande

Que beleza, Montes Claros.
Como cresceu Montes Claros.
Quanta indústria em Montes Claros.
Montes Claros cresceu tanto,
ficou urbe tão notória,
prima-rica do Rio de Janeiro,
que já tem cinco favelas
por enquanto, e mais promete.

(Carlos Drummond de Andrade)

Entre os recursos expressivos empregados no texto, destaca-se a

a) metalinguagem, que consiste em fazer a linguagem referir-se à própria linguagem.
b) intertextualidade, na qual o texto retoma e reelabora outros textos.
c) ironia, que consiste em se dizer o contrário do que se pensa, com intenção crítica.
d) denotação, caracterizada pelo uso das palavras em seu sentido próprio e objetivo.
e) prosopopeia, que consiste em personificar coisas inanimadas, atribuindo-lhes vida.

5. (Unicamp)

Morro da Babilônia

À noite, do morro
descem vozes que criam o terror
(terror urbano, cinquenta por cento de cinema,
e o resto que veio de Luanda ou se perdeu na língua
Geral).

Quando houve revolução, os soldados
espalharam no morro,
o quartel pegou fogo, eles não voltaram.
Alguns, chumbados, morreram.
O morro ficou mais encantado.

Mas as vozes do morro
não são propriamente lúgubres.
Há mesmo um cavaquinho bem afinado
que domina os ruídos da pedra e da folhagem
e desce até nós, modesto e recreativo,
como uma gentileza do morro.

(Carlos Drummond de Andrade, Sentimento do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2012, p.19.)

No poema “Morro da Babilônia”, de Carlos Drummond de Andrade,

a) a menção à cidade do Rio de Janeiro é feita de modo indireto, metonimicamente, pela referência ao Morro da Babilônia.
b) o sentimento do mundo é representado pela percepção particular sobre a cidade do Rio de Janeiro, aludida pela metáfora do Morro da Babilônia.
c) o tratamento dado ao Morro da Babilônia assemelha-se ao que é dado a uma pessoa, o que caracteriza a figura de estilo denominada paronomásia.
d) a referência ao Morro da Babilônia produz, no percurso figurativo do poema, um oxímoro: a relação entre terror e gentileza no espaço urbano.

6. (UFPA)

Tecendo a manhã
Um galo sozinho não tece uma manhã:
ele precisará sempre de outros galos.
De um que apanhe o grito que um galo antes
e o lance a outro; e de outros galos
que com muitos outros galos se cruzem
os fios de sol de seus gritos de galo,
para que a manhã, desde uma teia tênue,
se vá tecendo, entre todos os galos.
E se encorpando em tela, entre todos,
se erguendo tenda, onde entrem todos,
se entretendendo para todos, no toldo
(a manhã) que plana livre de armação.
A manhã, toldo de um tecido tão aéreo
que, tecido, se eleva por si: luz balão.

(MELO, João Cabral de. In: Poesias Completas. Rio de Janeiro, José Olympio, 1979)

Nos versos

“E se encorpando em tela, entre todos,
se erguendo tenda, onde entrem todos,
se entretendendo para todos, no toldo…”
tem-se exemplo de

a) eufemismo
b) antítese
c) aliteração
d) silepse
e) sinestesia

7. (ENEM)

O efeito de sentido da charge é provocado pela combinação de informações visuais e recursos linguísticos. No contexto da ilustração, a frase proferida recorre à

a) polissemia, ou seja, aos múltiplos sentidos da expressão “rede social” para transmitir a ideia que pretende veicular.
b) ironia para conferir um novo significado ao termo “outra coisa”.
c) homonímia para opor, a partir do advérbio de lugar, o espaço da população pobre e o espaço da população rica.
d) personificação para opor o mundo real pobre ao mundo virtual rico.
e) antonímia para comparar a rede mundial de computadores com a rede caseira de descanso da família.

Aprenda muito mais com o Beduka

Siga o Beduka no Instagram para não perder as novidades!

Abaixo apresentamos mais exercícios resolvidos nos quais você pode se aprofundar mais:

O Beduka é um buscador gratuito de cursos e faculdades, particulares ou públicas, que surgiu em 2017. Através de uma pesquisa simples você encontra informações detalhadas sobre todas as instituições de ensino superior registradas no Ministério da Educação (MEC). Experimente agora!

Agora que você conferiu alguns exercícios de figuras de linguagem, aproveite e veja outros artigos que podem te ajudar no ENEM e em outros vestibulares. Veja as regras do uso da vírgula, saiba quais os principais recursos naturais do Brasil e descubra o que é o mito da caverna.

Gabarito de Exercícios de Figuras de Linguagem

Exercício resolvido da questão 1 –
e) criticar a falta de perspectiva do pai.

Exercício resolvido da questão 2 –
e) silepse de número.

Exercício resolvido da questão 3 –
e) metonímia e prosopopeia.

Exercício resolvido da questão 4 –
c) ironia, que consiste em se dizer o contrário do que se pensa, com intenção crítica.

Exercício resolvido da questão 5 –
a) a menção à cidade do Rio de Janeiro é feita de modo indireto, metonimicamente, pela referência ao Morro da Babilônia.

Exercício resolvido da questão 6 –
c) aliteração.

Exercício resolvido da questão 7 –
a) polissemia, ou seja, aos múltiplos sentidos da expressão “rede social” para transmitir a ideia que pretende veicular.

Gostou dos nossos exercícios de figuras de linguagem? Compartilhe com os seus amigos e comente abaixo sobre áreas que você deseja mais explicações.

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Redação Beduka
Redação Beduka
A equipe de redação do Beduka é composta por profissionais de várias formações (professores, jornalistas, filósofos), sempre prontos a oferecer os melhores conteúdos educacionais com foco no Enem e colaborar com a formação de todos os alunos. Sinta-se a vontade para deixar o seu comentário!

2 Comentários

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador