ExercíciosSociologia

Exercícios sobre a História do Trabalho RESOLVIDOS

Exercícios_sobre-a_História_do_TrabalhoExercícios sobre a História do Trabalho

O ser humano teve que aprender a sobreviver com o tempo e para isso foram inventadas várias formas de trabalho para sua produção e sustento. As principais fases do trabalho são: primitiva, escrava, feudal, capitalista e socialista/comunista. Leia o texto e faça exercícios sobre a História do Trabalho. 

Neste texto você encontrará:

  • O Trabalho e o Homem
  • Regimes de trabalho
  • Exercícios sobre a História do Trabalho
  • Respostas dos Exercícios sobre a História do Trabalho

O Simulado Enem do Beduka te permite focar em questões de sociologia e em qualquer matéria que você precise de um estudo a mais. 

O Trabalho e o Homem

O trabalho existe desde a existência do próprio homem. Todos os momentos a partir da construção das ferramentas de madeira e pedras até a pintura em paredes de cavernas e a caçada com as próprias mãos, tudo isso pode ser considerado trabalho. Temos então a definição de trabalho como qualquer atividade exercida para sustento do indivíduo.  

Divide-se a história do trabalho em períodos conforme se alteram as formas de produção que o ser humano utiliza através do tempo. Assim se formam os regimes de trabalho.

Vamos entrar em todos esses cinco regimes antes que você faça os exercícios sobre história do trabalho.

Regimes de trabalho

Os cinco regimes criados ao longo de toda a história do trabalho foram:

  • Trabalho Primitivo,
  • Trabalho Escravo,
  • Trabalho Feudal,
  • Trabalho Capitalista,
  • Trabalho Socialista/Comunista.

História do Trabalho Primitivo

História do Trabalho Primitivo
História do Trabalho Primitivo

A história do trabalho começou oficialmente com o trabalho primitivo. Ele era praticado pelas sociedades primitivas que se preocupavam apenas com necessidades básicas: onde dormir, o que comer, etc…

Nessa época as primeiras ferramentas foram criadas a base de madeira e pedras. 

Pode-se dizer que o trabalho primitivo deu lugar a novas formas quando o homem começou a produzir e acumular alimentos e riquezas. Assim surgiram as hierarquias e elas vieram juntas com uma nova forma de trabalho. 

História do Trabalho Escravo

História do Trabalho Escravo
História do Trabalho Escravo

Conforme o trabalho evoluía, também evoluíam as relações de poder e os que tinham mais poder eram os senhores de escravos que realizavam várias atividades. 

Os escravos eram todos os povos derrotados em guerras, por um outro povo. Logo, tendo ganhado uma batalha e dominado um território, aquele povo agora deveria trabalhar para os vitoriosos.

Os escravos eram de todos os tipos e nacionalidades, não sendo considerada apenas a cor da pele. Inclusive, na África, africanos escravizavam africanos, porque povos de diferentes etnias viviam em disputas entre si.

Com o tempo o trabalho escravo foi condenado por ser uma prática desumana e insustentável. Inclusive, prejudicial economicamente. 

Escravidão é muito recorrente no ENEM. Tenha isso e mente quando estiver fazendo os exercícios sobre História do Trabalho.   

História do Trabalho Feudal

História do Trabalho Feudal
História do Trabalho Feudal

O avanço de tribos bárbaras pela Europa gerou a ruralização do continente e um alto controle social. Assim, atividades de campo foram ganhando cada vez mais força. Surgia assim o feudalismo.

Nesse sistema existíam vários feudos que eram territórios controlados pelo senhor feudal. Esse senhor era o dono de todo o feudo e tinha servos que trabalhavam para ele em troca de proteção e prevenção das necessidades básicas. 

As relações eram muito bem estabelecidas. Os servos trabalhavam em troca de proteção e recursos básicos para a sobrevivência. O senhor feudal que fazia parte da nobreza governava e o clero era o responsável por educar as pessoas e espiritualizá-las.    

O períodos feudal também é bastante cobrado. Continue acompanhando para fazer os exercícios sobre História do Trabalho.

Trabalho Capitalista

História do Trabalho Capitalista
Trabalho Capitalista

O Trabalho Capitalista utiliza do sistema de trocas voluntárias em que as pessoas voluntariamente trocam seu dinheiro por produtos ou serviços. No capitalismo é necessário que as pessoas pratiquem o acúmulo de capital para que assim possam empregar outras pessoas. Esses empregados trocam sua força de trabalho por um salário.  

O capitalismo começou com as caravanas de mercadores no final da Idade Média e gerou inúmeras formas de trabalho para o ser humano, além de ser o sistema mais enriquecedor e produtivo da história. 

Os comerciantes (mais conhecidos na época como burgos) se instalavam nos arredores dos castelos para vender suas mercadorias. Conforme o comércio evoluia e o capitalismo mercantil também, as cidades cresciam e novas técnicas eram inventadas. Era o surgimento da burguesia

A Revolução Industrial marcou o início da segunda fase do capitalismo. Nessa parte, trabalhadores do campo foram buscar oportunidades nas cidades. Suas terras ficavam para os grandes senhores que as usavam para cultivo em larga escala.  

E a terceira e última fase oficial do capitalismo veio no século XX com o aparecimento das grandes empresas e bancos. Era o capitalismo financeiro que sustenta até hoje uma grande pirâmide social através do capital movimentado por um ciclo de consumo

Importante falar que o capitalismo é um sistema que apoia a liberdade individual e fomenta o incentivo de sempre ser mais produtivo dentro do que o indivíduo é competente. Dessa forma, cada um segue dentro da área que deseja e depende de si mesmo para gerar lucro com ela. 

Trabalho Socialista/Comunista

História do Trabalho Socialista/Comunista
Trabalho Socialista/Comunista

No Trabalho Socialista/Comunista os lucros conseguidos com o seu trabalho são tomados pelo Estado e (em teoria) re-divididos igualmente para toda a população. Ou seja, nada que você faz privadamente é realmente seu, mas de todos. E o Estado fica responsável por todos os frutos.   

Karl Marx se tornou o maior símbolo do socialismo e tentou ilustrar uma sociedade em que o trabalhador usufrui dos benefícios do próprio trabalho. Defendia que o capitalismo vê o trabalho do proletariado como mercadoria. Assim, ele citava a “mais-valia” como o conceito de que o empregador pagava aquém do que o trabalhador merecia ganhar. 

Ele usava isso para atacar o capitalismo, mas sem considerar que no socialismo não existe propriedade privada. Isso significa que é mais fácil o trabalhador usufruir do próprio trabalho e um sistema capitalista, porque o que ele compra com o próprio dinheiro é única e exclusivamente dele

Outra grande manifestação comunista foi a Revolução Russa de Lenin que mais tarde se tornou a ditadura comunista de Stalin. Um sistema político até hoje sustentado por ditaduras como China e Coreia do Norte. Ele também foi adotado em países com alta taxa de morte e pobreza como Venezuela e Cuba.

O socialismo é o sistema que começaria com uma luta de classes em que o resultado é uma distribuição total e igualitária dos meios de produção. Contudo, o que de fato aconteceria seria o Estado assumindo o controle de tudo que foi produzido até então. 

O comunismo então, seria o estágio final em que a sociedade socialista evoluiria de tal forma que o Estado não seria mais necessário. É muito fácil perceber que existe uma grande contradição nesse sistema, porque a forma que Marx encontra de enfraquecer o Estado é fortalecendo o próprio Estado.  

Sustentada pela ditadura socialista de Stalin, a União Soviética rivalizou com o Capitalismo dos Estados Unidos durante a Guerra Fria. Entretanto o sistema acabou falindo a longo prazo devido a um grande atraso sofrido e vários setores da indústria, levando ao fim do regime.   

Pode-se dizer que o socialismo é um sistema que nunca irá funcionar porque ele bate de frente com leis básicas de economia e de mercado. Essas leis são baseadas em análises do comportamento humano e da realidade, portanto, o socialismo é utópico por natureza.      

Deixaremos abaixo um vídeo que mostra o que aconteceria se a União Soviética tivesse vencido a Guerra Fria se todos os países tivessem se tornado socialistas

E se todos os países fossem comunistas?

Exercícios sobre a História do Trabalho

Agora você está pronto para fazer os exercício sobre a história do trabalho. Baixe também o nosso Plano de Estudos para se preparar para qualquer vestibular. Obrigado por acompanhar!    

1-(Enem 2013)

Um trabalhador em tempo flexível controla o local do trabalho, mas não adquire maior controle sobre o processo em si. A essa altura, vários estudos sugerem que a supervisão do trabalho é muitas vezes maior para os ausentes do escritório do que para os presentes. O trabalho é fisicamente descentralizado e o poder sobre o trabalhador, mais direto.

SENNETT, R. A corrosão do caráter: consequências pessoais do novo capitalismo. Rio de Janeiro: Record, 1999 (adaptado).

Comparada à organização do trabalho característica do taylorismo e do fordismo, a concepção de tempo analisada no texto pressupõe que:

a) as tecnologias de informação sejam usadas para democratizar as relações laborais.

b) as estruturas burocráticas sejam transferidas da empresa para o espaço doméstico

c) os procedimentos de terceirização sejam aprimorados pela qualificação profissional. 

d) as organizações sindicais sejam fortalecidas com a valorização da especialização funcional.

e) os mecanismos de controle sejam deslocados dos processos para os resultados do trabalho.

2-(IF-PR) Autor do livro “A corrosão do caráter: consequências pessoais do trabalho no novo capitalismo”, Richard Sennett constrói uma série de reflexões acerca das novas condições de trabalho que se impõem, vinculadas ao atual modelo capitalista e à lógica neoliberal, afirmando que a nova realidade econômico-social, que traz termos excitantes como agilidade, flexibilidade e mudança, não propicia a realização ambicionada por estes trabalhadores. Sobre o trabalho no capitalismo flexível pode-se afirmar que: 

a) O ambiente no mundo do trabalho no tempo presente é mais humano e valoriza virtudes estáveis como confiança, lealdade e comprometimento dos trabalhadores em relação aos empregadores.

b) A flexibilidade e o risco fazem um movimento pedagógico fundamental aos trabalhadores, ao motivarem os mesmos para práticas mais responsáveis e altruísticas.

c) Não há qualquer relação entre o capitalismo flexível com ansiedade, instabilidade e o sentimento de deriva dos trabalhadores em relação ao presente e de perspectivas futuras.

d) O esquema de curto prazo qualifica a confiança, o sentimento de pertencimento e identidade do trabalhador produzindo trabalhadores cada vez mais realizados.

e) A nova economia que enaltece a flexibilidade e o curto prazo em vez de libertar os trabalhadores, produzem novas formas de poder e controle.

3-(UEL – 2008)

O capitalismo vê a força de trabalho como mercadoria, mas é claro que não se trata de uma mercadoria qualquer. Ela é capaz de gerar valor. […] O operário é o indivíduo que, nada possuindo, é obrigado a sobreviver da sua força de trabalho”

(COSTA, 2005).

Segundo Karl Marx, a força de trabalho é alugada ou comprada por meio

a) da Mais-valia.

b) do Lucro.

c) do Salário.

d) da Alienação.

e) das Relações políticas.

4-(AOCP) Compreender as transformações no mundo do trabalho e seus impactos na vida dos trabalhadores é essencial na atuação de um sociólogo. A respeito das diferentes interpretações sociológicas sobre esse tema, assinale a alternativa correta.

a) As inovações no sistema de organização do trabalho, proporcionadas pelo modelo taylorista-fordista de produção, diminuíram o nível de rotatividade dos trabalhadores e estimularam a qualificação educacional e profissional dos operários. Esse contexto apresentou um novo passo para as relações entre empregadores e empregados no século XX, proporcionando aumento do poder econômico das famílias.

b) A ética protestante e o espírito do capitalismo, de Max Weber, constitui-se como um importante estudo sobre como o protestantismo (fator religioso) foi a causa do capitalismo ocidental. Essa afirmação é pautada na ideia de que o comportamento do protestante (ascese), de acordo com a teologia calvinista, deveria ser de estímulo ao trabalho profissionalizado e de busca pela riqueza.

c) Para Marx, a economia é fundamentada pelas relações de trabalho, sendo por meio do trabalho que o homem transforma a natureza e reproduz a sua existência.

d) Segundo Émile Durkheim, as sociedades modernas estão enquadradas teoricamente no tipo de solidariedade mecânica, caracterizando-se pelo alto grau de divisão do trabalho, maior diferenciação cultural, especialização das funções entre os indivíduos e enfraquecimento da consciência coletiva.

e) Os novos modelos de liberalização econômica, introdução da robótica e renovação das relações de trabalho (terceirização) acarretaram melhorias na vida do trabalhador, fortalecimento dos sindicatos e seguridade trabalhista.

5-(FCC) As alterações no mundo do trabalho observadas no Brasil e em outros países nos últimos anos constam em:

a) Os novos processos de gerenciamento resultaram na elevação do número de postos de trabalho nas fábricas.

b) A crise dos padrões de acumulação experimentados nos sistemas fordista e taylorista impulsionou a reestruturação da produção, acarretando o surgimento de novas formas precarizadas de trabalho

c) O Estado de bem-estar social que emergiu na Europa após a Segunda Guerra Mundial representou a intensificação das lutas de classe, com vistas a efetivar o controle social da produção.

d) O sistema toyotista de produção se diferenciou dos anteriores por priorizar o aumento dos estoques, a estrutura hierarquizada dos recursos humanos e a produção em série de mercadorias.

e) A introdução de robôs e outras tecnologias avançadas nos processos de produção garantiu a diminuição do tempo de trabalho da classe operária e consequente aumento dos salários médios.

Respostas dos Exercícios sobre a História do Trabalho

Exercício resolvido da questão 1 –

e) os mecanismos de controle sejam deslocados dos processos para os resultados do trabalho.

Exercício resolvido da questão 2 –

e) A nova economia que enaltece a flexibilidade e o curto prazo em vez de libertar os trabalhadores, produzem novas formas de poder e controle. 

Exercício resolvido da questão 3 –

c) do Salário.

Exercício resolvido da questão 4 –

c) Para Marx, a economia é fundamentada pelas relações de trabalho, sendo por meio do trabalho que o homem transforma a natureza e reproduz a sua existência.

Exercício resolvido da questão 5 –

b) A crise dos padrões de acumulação experimentados nos sistemas fordista e taylorista impulsionou a reestruturação da produção, acarretando o surgimento de novas formas precarizadas de trabalho

Estude para o Enem com o Simulado Beduka. É gratuito!

Gostou dos nossos Exercícios sobre a História do Trabalho? Compartilhe com os seus amigos e comente abaixo sobre áreas que você deseja mais explicações.

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador