História

Os 8 Melhores Exercícios sobre Ditadura Militar com gabarito

Exercícios sobre Ditadura MilitarExercícios sobre Ditadura Militar
Simulado Beduka

A ditadura militar foi um período brasileiro em que militares governaram exclusivamente. Eles chegaram ao poder a partir do golpe militar de 1964, que gerou várias repressões sociais e atos institucionais. Leia o resumo e confira os 8 exercícios sobre ditadura militar (com gabarito)!

Se quiser ir diretamente para alguma parte do texto, clique em um dos tópicos abaixo:

Quando você terminar de responder os exercícios sobre a Ditadura Militar, caso você queira ainda mais conteúdo, entre para o nosso canal do Telegram. Estamos todos os dias postando lá!

Na prova do Enem, o caderno de Ciências Humanas e suas Tecnologias costumam ter exercícios sobre a Ditadura Militar no Brasil. Além disso, muitos professores cobram essa matéria em suas provas, desde o Ensino Fundamental até o Médio.

Por isso, separamos 8 questões com os pontos que mais caem, além de deixarmos um gabarito (ao final) para você ver como se saiu.

Antes de fazer os exercícios sobre a Ditadura Militar, confira o resumo que fizemos para te relembrar desses tópicos importantes.

Depois, não deixe de ler o artigo com TUDO sobre a Ditadura Militar. Nele, a matéria está completa e você saberá não só “o que mais cai”, mas terá vantagem se cobrarem algo diferente!

O que foi a Ditadura Militar do Brasil?

O Regime Militar no Brasil teve início com o golpe militar de 31 de março de 1964. Ele ocorreu inicialmente a pedido do povo, para livrar o Brasil de ameaças comunistas.

Mas… alguns militares viram nisso a oportunidade perfeita para implantar seu próprio governo. Então surgiu, de fato, uma ditadura.

Contexto histórico

O contexto da época era o período da Guerra Fria, no qual o mundo se via polarizado (ou capitalista, ou socialista).

Muitos países, alguns próximos de nós, sofreram revoluções socialistas. Cuba, Venezuela, Bolívia, Coreia do Norte, Vietnã, Alemanha Oriental são alguns exemplos.

O então presidente do Brasil era João Goulart (Jango). Apesar de não afirmar explicitamente, as medidas que ele tentava implantar estavam alinhadas às pautas revolucionárias.

Jango tentou implantar as Reformas de Base, que incluíam: reforma agrária, urbana, tributária e educacional; estatização de refinarias, desapropriação de terras, fixação de preços de aluguéis e limitação de remessas de lucros.

Além disso, o Partido Comunista do Brasil (PCdoB) tinha acabado de surgir. Eles apoiavam Jango e um de seus objetivos era fazer mudanças na Constituição. Por vezes, Jango andava em meio à Coluna Prestes, um movimento que percorria o Brasil pregando a ideologia comunista.

O Congresso não estava alinhado com o presidente porque discordava dessas medidas. Jango chegou a pedir o Estado de Sítio para que ele governasse por meio de decretos, mas foi negado.

O que foi Marcha da Família com Deus pela Liberdade?

Apesar de o capitalismo ter seus defeitos, os países que sofreram revoluções socialistas e visavam o comunismo tiveram como consequências fome, pobreza, censura e violência extremas.

Seguindo esse raciocínio e temendo as medidas de Jango, que se aproximava dos revolucionários, a maioria da população brasileira protestou. As pessoas colocaram velas acesas em suas janelas e saíram nas ruas na “Marcha da família com Deus pela liberdade”.

Na época, os jornais também se uniram ao movimento e denunciavam as estratégias da esquerda.

Como foram o Golpe e o início do Regime Militar?

Muitos jornalistas declararam a presidência vaga, mesmo que o presidente desaprovado estivesse dentro do território nacional. Então, houve primeiro um golpe parlamentar (civil), com governadores tentando assumir o poder para resolver os protestos.

Aos poucos, os militares foram entrando no governo e a sociedade apoiava um governo militar temporário. Os principais setores que clamaram por isso foram: OAB (advogados), a maioria da imprensa, todas as igrejas cristãs, a UDN (União Democrática Nacional) e alguns Sindicatos.

João Goulart embarcou num avião, fugindo para o Uruguai. Não houve nenhuma resistência dos movimentos de esquerda, nem o partido trabalhista brasileiro pediu a volta de Jango.

Houve uma reunião militar junto aos parlamentares e foi criado o Ato Institucional número 1 (AI-1).

Ele convocava o Congresso para eleger o próximo presidente da República (eleições indiretas), permitiu a cassação (retirada) dos direitos políticos dos revolucionários, anulou mandados legislativos e poderia demitir funcionários do governo que fossem ameaça à segurança pública.

Com 98% dos votos, os deputados federais elegeram o general Humberto Castelo Branco.

Quando ele terminasse de cumprir o mandato de Goulart, novas eleições diretas deveriam acontecer. Isso seria em 1965, um ano depois. Castelo Branco era chamado de “militar da Sorbonne”, uma universidade de Paris que formava intelectuais.

Porém, existiam os militares da “Linha dura”, que deram o golpe ainda em 64 e suspenderam as futuras eleições.

Acontecimentos da Ditadura Militar do Brasil

A ala chamada linha dura dos militares saiu vitoriosa. O governo de Castelo Branco foi estendido, as eleições foram suspensas e foi decretado o AI-2.

Agora, começava o que conhecemos, de fato, como Ditadura Militar. Abaixo estão os presidentes que fizeram parte e os principais acontecimentos do seu governo.

É importante saber a ordem dos governos militares porque caem em vários tipos de questões sobre a ditadura militar.

Governo Castelo Branco (1964-1967) 

  • Eleito pelo Congresso Nacional a presidente da República em 15 de abril de 1964.
  • Estabelecimento de eleições indiretas permanentes.
  • Cassação de mandatos.
  • Direitos políticos e constitucionais retirados.
  • Intervenção dos militares em movimentos sindicalistas.
  • Implementação do bipartidarismo: Movimento Democrático Brasileiro (MDB) e a Aliança Renovadora Nacional (ARENA).
  • MDB – considerado da oposição.
  • ARENA -representavam os militares.
  • Nova constituição que institucionaliza a atuação dos militares e todo o regime imposto.

Governo Costa e Silva (1967-1969)

  • Eleito pelo Congresso Nacional a presidente da República em 1967.
  • Governo marcado por protestos e manifestações sociais.
  • Crescimento da oposição.
  • Ocorreu a Passeata dos Cem Mil, organizada pela UNE (União Nacional dos Estudantes).
  • Paralisação de fábricas em protesto contra o regime militar.
  • Decretação do Ato institucional AI-5 em 13 de dezembro de 1968, que foi considerado o mais rigoroso, pois aposentou pessoas com altos cargos, cassou mandatos, retirou o habeas-corpus e a violência dos militares cresceu ainda mais.

Governo da Junta Militar (31/8/1969-30/10/1969)

  • Adoecimento de Costa e Silva.
  • Foi substituído pelo ministro Aurélio de Lira Tavares, Augusto Redemaker e Márcio de Sousa e Melo.
  • A oposição, MR-8 (Movimento Revolucionário 8 de outubro) e a ALN (Ação Libertadora Nacional) sequestram Charles Elbrick, embaixador dos EUA, pedindo a libertação de 15 presos políticos que foi atendida com êxito.
  • Em 18 de setembro os militares decretam a Lei de Segurança Nacional, que permitia o exílio e a pena de mortes para as situações que envolviam guerra psicológica adversa.
  • Em 1969, o terrorista Carlos Mariguella, líder da ALN, foi morto. 

Governo Médici (1969-1974)

  • Escolhido pela junta militar para assumir o poder.
  • Governo com alto repressão social.
  • Período conhecido como “anos de chumbo”.
  • Mídias, revistas, livros, teatros, museus, filmes, etc, todos sofreram censura.
  • Uso da vitória do Brasil na Copa do Mundo como propaganda política.
  • Investigação, tortura e exílio de várias pessoas, como professores, artistas, escritores e músicos.
  • Guerrilha do Paraguai foi reprimida pelos militares.
  • Milagre Econômico: o PIB brasileiro aumentava constantemente. Havia investimentos internos e empréstimos do exterior para desenvolver empregos, construções e infraestrutura. Porém, tudo deveria ser pago futuramente mas a má organização do governo gerou uma grande dívida externa e superinflação futura. 

Governo Geisel (1974-1979)

  • Assume o poder em 1964.
  • Ernesto Geisel inicia o processo de redemocratização.
  • Alta insatisfação popular.
  • Crise do petróleo e crise mundial.
  • Inicia a abertura política.
  • Militares insatisfeitos geram ataques contra as pessoas da oposição.
  • Jornalista Vladimir Herzog é assassinado dentro do DOI-Codi em São Paulo.
  • Operário Manuel Fiel Filho é assassinado da mesma maneira que Vladimir.
  • Fim do AI-5.
  • Volta com o Habeas-corpus.

Governo Figueiredo (1979-1985) 

  • Vitória do MDB nas eleições de 1978.
  • Decretação da Lei da Anistia: permitia que os exilados voltassem para o Brasil.
  • As repressões dos militares contra a volta da democracia continua e novos atentados surgiram.
  • Manifestação “Diretas já”, pedindo eleições diretas ppara presidente.
  • Pluripartidarismo volta a existir.
  • ARENA muda para PDS.
  • MDB muda para PMDB.
  • Surge o PT (Partido dos Trabalhadores) e o PDT (Partido Democrático Trabalhista).
  • Conquista da Redemocratização ao final do govenro.

Exercícios sobre Ditadura Militar

Esperamos que, com esse resumo, tudo tenha ficado mais claro para você. Parabéns por ter lido até aqui!

Quando você terminar os exercícios, coloque em prática todo seu conhecimento com O Melhor Simulado Enem do Brasil (é grátis)!

Questão 1 dos exercícios sobre Ditadura Militar – (FUVEST-SP/2002)“Na presidência da República, em regime que atribui ampla autoridade e poder pessoal ao chefe de governo, o Sr. João Goulart constituir-se-á, sem dúvida alguma, no mais evidente incentivo a todos aqueles que desejam ver o país mergulhado no caos, na anarquia, na luta civil.” (Manifesto dos ministros militares à Nação, em 29 de agosto de 1961).

Esse Manifesto revela que os militares

a) estavam excluídos de qualquer poder no regime de democracia presidencial.

b) eram favoráveis à manutenção do regime democrático e parlamentarista.

c) justificavam uma possibilidade de intervenção armada em regime democrático.

d) apoiavam a interferência externa nas questões de política interna do país.

e) eram contrários ao regime socialista implantado pelo presidente em exercício.

Questão 2 sobre a Ditadura Militar – (Mack-SP/2004) A “Marcha da Família com Deus pela Liberdade”, em março de 1964, na cidade de São Paulo, foi:

a) uma demonstração de forças conservadoras de direita contra o que chamavam de esquerdismo e comunismo do governo João Goulart.

b) uma manifestação de apoio das famílias de trabalhadores brasileiros ao governo do presidente Goulart.

c) uma resposta das massas populares, apoiando as Reformas de Base, após o Comício na Central do Brasil (RJ/março de 1964).

d) uma demonstração de repúdio das classes trabalhadoras a uma possível intervenção militar, com apoio norte-americano, ao governo de Goulart.

e) uma manifestação, de setores conservadores da sociedade brasileira, de revolta contra a tentativa de se derrubar o governo constitucional.

Questão 3 dos exercícios sobre a Ditadura Militar – (FGV-SP/1998)Em relação ao Golpe Militar de 1964 no Brasil, pode-se dizer:

I– Foi fruto de uma conspiração civil-militar alarmada com os rumos nacionalistas do governo João Goulart.

II– Foi a forma encontrada pelos comandos militares para garantir a posse do novo presidente.

III– Representou a repulsa de setores da sociedade brasileira à tentativa de João Goulart de aumentar a presença do capital estrangeiro no país.

IV– Evitou a tentativa do Partido Comunista Brasileiro, de sindicatos de trabalhadores e de setores do Partido Trabalhista Brasileiro de exigir do presidente, a implementação imediata das “reformas de base”.

Estão corretas as frases:

a) III e IV. 

b) III e V.

c) I, II e III. 

d) I, IV. 

e) II, III e IV.

Questão 4 sobre a Ditadura Militar (UDESC) “Organizadas em oposição a João Goulart, as Marchas da Família se transformaram em forte apoio ao governo militar, reunindo uma massa de civis, nas capitais e interior do país.” (REVISTA DE HISTÓRIA DA BIBLIOTECA NACIONAL. Ano 1, n. 8, fev./mar. de 2006. p. 60.)

Relacionando o fragmento acima ao golpe militar no Brasil, é correto afirmar:

a) As torturas e as perseguições políticas são matérias para ficção, pois o Brasil sempre foi um país estável politicamente.

b) Havia receio dos setores mais progressistas do Brasil de que os norte-americanos invadissem o país.

c) O medo, em relação ao comunismo, não existia no meio social, posto que o país, em especial suas elites, sempre foi simpático às ideias comunistas.

d) Por ocasião do golpe houve um movimento civil conservador, inicialmente organizado em oposição ao governo do presidente trabalhista João Goulart, manifestado nas Marchas da Família com Deus pela Liberdade.

e) Não houve exílio de brasileiros, pois a Constituição de 1967 garantia a liberdade de expressão política.

Questão 5 dos exercícios sobre a Ditadura Militar(FMJ SP)Em 31 de março de 1964, os militares brasileiros, apoiados pelos Estados Unidos e por parcelas da classe política e empresarial do país, assumiram o controle do Estado por meio de um golpe. A justificativa para esse golpe de Estado baseava-se na proteção contra:

a) o comunismo internacional, visto como ameaça às instituições democráticas no panorama de polarização política pós 2ª guerra.

b) as ditaduras fascistas em franco processo de expansão no continente sul-americano, já instaladas na Argentina e no Chile.

c) a tentativa dos partidos de esquerda de implantar um regime parlamentarista, considerado estranho à tradição brasileira.

d) a violação dos direitos individuais garantidos na Constituição que vinha sendo praticada desde a renúncia de Jânio Quadros.

e) a hiperinflação que paralisava a economia do país, e cuja origem estava no endividamento externo do período Vargas.

  • Muito bem! Você chegou à metade dos exercícios sobre Ditadura Militar!

Questão 6 sobre a Ditadura Militar(FEI SP/2000) O regime militar no Brasil começou a ser abalado quando o modelo de desenvolvimento econômico começou a dar sinais de esgotamento. Além de problemas inerentes ao modelo, um fator externo foi fundamental para a crise. Esse fator foi: 

a) a guerra do Vietnã

b) a Guerra Fria 

c) o choque do petróleo 

d) a invasão do Kuwait pelo Iraque 

e) a revolução islâmica no Irã 

Questão 7 dos exercícios sobre a Ditadura Militar(FUVEST SP/1997)A vitória do Brasil na Copa do Mundo de 1970: 

a) Não teve qualquer repercussão no campo político, por se tratar de um acontecimento estritamente esportivo. 

b) Alentou o trabalho das oposições que deram destaque à capacidade do povo brasileiro de realizar grandes proezas. 

c) Propiciou uma operação de propaganda do governo Medici, tentando associar a conquista ao regime autoritário. 

d) Favoreceu o projeto de abertura do general Geisel, ao criar um clima de otimismo pelas realizações do governo.

e) Alcançou repercussão muito limitada, pois os meios de comunicação não tinham a eficácia que têm hoje.

 Questão 8 sobre a Ditadura Militar (FATEC SP/2006)No dia 13 de dezembro de 1968, o governo brasileiro baixou o Ato Institucional nº 5 (AI – 5). Em fevereiro de 1969, surgiu o decreto-lei nº 477. O governo, com estas duas medidas jurídicas, pretendia: 

a) anistiar os envolvidos com a guerrilha do Araguaia e iniciar um período de distensão política. 

Beduka Bolsas Direito

b) consolidar as reformas iniciadas pelo vice presidente Pedro Aleixo, permitindo, respectivamente, o funcionamento dos partidos políticos e das entidades estudantis. 

c) institucionalizar a repressão, suspendendo as garantias constitucionais e individuais, e afastar das universidades brasileiras os elementos considerados subversivos. 

d) isolar os generais que defendiam um endurecimento do regime militar e preparar o país para a “abertura política” realizada pelo presidente Emílio Garrastazu Médici. 

e) acabar com a guerrilha do Bico do Papagaio (AI – 5) e impedir a votação da Lei de Anistia proposta pela Arena em agosto de 1968.

Questão 9 dos exercícios sobre a Ditadura Militar – (Unisc/2014) Em 2014 completará 50 anos do Golpe que depôs o governo de João Goulart e instalou o Regime Militar no Brasil. A Ditadura permaneceu por mais de vinte anos não permitindo eleições livres para presidente e controlando muito de perto os sindicatos, movimentos sociais e outros grupos que questionavam a falta de democracia e a truculência do Regime por meio dos aparatos de repressão.

Sobre esse período é INCORRETO afirmar que

a) o pluripartidarismo foi extinto no Ato Institucional n. 2 que permitiu apenas dois partidos – ARENA e MDB.

b) o Ato Institucional n. 5 limitou ainda mais os direitos políticos no Brasil cassando políticos considerados pelo Regime como subversivos.

c) a censura foi imposta logo após o Golpe Militar e teve como o Serviço Nacional de Informações (SNI) seu órgão mais atuante.

d) a propaganda pró-regime militar usou slogans como Brasil – ame-o ou deixe-o.

e) o último presidente militar, Costa e Silva, prometeu uma abertura política para a democracia de forma lenta e gradual.

Questão 10 sobre a Ditadura Militar – (Unitau/2018) No cabeçalho do Jornal do Brasil, do dia 14 de dezembro de 1968, aparecia escrito: “Tempo negro. Temperatura sufocante. O ar está irrespirável. O país está sendo varrido por fortes ventos. Máx: 38º em Brasília, Mín: 5º, nas Laranjeiras”.

A qual fato esse texto faz referência?

a) Aprovação do Ato Institucional nº 5, que limitou drasticamente a liberdade de expressão e instituiu medidas que ampliaram a repressão aos opositores do governo militar.

b) Aprovação do Ato Institucional nº 2, aprovado pelo Congresso Nacional, que ampliou o medo do perigo comunista.

c) Aprovação da Lei da Censura Federativa, do Ato Institucional nº 1, que coibiu filmes, peças teatrais, livros, músicas, mas que não chegou ao jornal e, por isso, a crítica foi publicada em primeira página.

d) Aprovação dos atos institucionais, que tiveram grande apoio de classes políticas do país, ampliando várias garantias individuais e conferindo amplos poderes ao presidente da República.

e) Aprovação do bipartidarismo, por meio do Ato Institucional nº 1, que eliminou toda forma de oposição institucional ao regime militar.

Questão 11 dos exercícios sobre a Ditadura Militar – (UPE/2013) O Regime Militar Brasileiro (1964-1988) foi marcado por uma bipolarização no âmbito da política e da arte, entre os que apoiavam e os que criticavam o regime.

Dentro do segundo grupo, destacaram-se os músicos que produziram canções de protesto, algumas das quais vinham envoltas em metáforas, além de outros recursos estilísticos, no intuito de ocultar à Censura sua mensagem subliminar.

Dentre essas músicas, pode-se identificar a “Canção da despedida”, de Geraldo Vandré no seguinte trecho:

“Já vou embora, mas sei que vou voltar/ Amor não chora, se eu volto é pra ficar/ Amor não chora, que a hora é de deixar/ O amor de agora, pra sempre ele ficar.// Eu quis ficar aqui, mas não podia/ O meu caminho a ti, não conduzia/ Um rei mal coroado,/ Não queria/ O amor em seu reinado/ Pois sabia/ Não ia ser amado… ”

Com base na crítica retratada pela letra da música, é CORRETO afirmar que

a) no âmbito da arte, a crítica a esse Regime se restringiu à esfera musical.

b) aquele período parecia um conto de fadas, com estórias de reis e amores impossíveis.

c) a difícil experiência do exílio forçado foi vivenciada durante o período.

d) Geraldo Vandré costumava musicar suas desilusões amorosas.

e) a tranquilidade vivenciada pela sociedade permitia a composição de canções de amor.

Questão 12 sobre a Ditadura Militar – (Enem/2010)

Ato Institucional nº 5

Art. 10 – Fica suspensa a garantia de habeas corpus, nos casos de crimes políticos, contra a segurança nacional, a ordem econômica e social e a economia popular.

Art. 11 – Excluem-se de qualquer apreciação judicial todos os atos praticados de acordo com este Ato Institucional e seus Atos Complementares, bem como os respectivos efeitos.

Disponível em: http://www.senado.gov.br. Acesso em: 29 jul. 2010.

Nos artigos do AI-5 selecionados, o governo militar procurou limitar a atuação do poder judiciário, porque isso significava

a) a substituição da Constituição de 1967

b) o início do processo de distensão política

c) a garantia legal para o autoritarismo dos juízes

d) a ampliação dos poderes nas mãos do Executivo

e) a revogação dos instrumentos jurídicos implantados durante o regime militar de 1964

Questão 13 dos exercícios sobre a Ditadura Militar –  (Enem/2018) São Paulo, 10 de janeiro de 1979.

Exmo. Sr. Presidente Ernesto Geisel.

Considerando as instruções dadas por V. S. de que sejam negados os passaportes aos senhores Francisco Julião, Miguel Arraes, Leonel Brizola, Luis Prestes, Paulo Schilling, Gregório Bezerra, Márcio Moreira Alves e Paulo Freire.

Considerando que, desde que nasci, me identifico plenamente com a pele, a cor dos cabelos, a cultura, o sorriso, as aspirações, a história e o sangue destes oito senhores.

Considerando tudo isto, por imperativo de minha consciência, venho por meio desta devolver o passaporte que, negado a eles, me foi concedido pelos órgãos competentes de seu governo.

Carta do cartunista Henrique de Souza Filho, conhecido como Henfil. In.: HENFIL. Cartas da mãe. Rio de Janeiro: Codecri, 1981 (adaptado).

No referido contexto histórico, a manifestação do cartunista Henfil expressava uma crítica ao(à):

a) censura moral das produções culturais.

b) limite do processo de distensão política.

c) interferência militar de países estrangeiros.

d) representação social das agremiações partidárias.

e) impedimento de eleição das assembleias estaduais.

  • Parabéns, você fez todos os exercícios sobre Ditadura Militar. Confira agora o Gabarito:

Gabarito dos Exercícios sobre Ditadura Militar

Exercício resolvido da questão 1 –

Alternativa correta: letra c) justificavam uma possibilidade de intervenção armada em regime democrático.

Exercício resolvido da questão 2 –

Alternativa correta: letra a) uma demonstração de forças conservadoras de direita contra o que chamavam de esquerdismo e comunismo do governo João Goulart.

Exercício resolvido da questão 3 –

Alternativa correta: letra d) I, IV. 

Exercício resolvido da questão 4 –

Alternativa correta: letra d) Por ocasião do golpe houve um movimento civil conservador, inicialmente organizado em oposição ao governo do presidente trabalhista João Goulart, manifestado nas Marchas da Família com Deus pela Liberdade.

Exercício resolvido da questão 5 –

Alternativa correta: letra a) o comunismo internacional, visto como ameaça às instituições democráticas no panorama de polarização política pós 2ª guerra.

Exercício resolvido da questão 6 –

Alternativa correta: letra c) o choque do petróleo 

Exercício resolvido da questão 7 –

Alternativa correta: letra c) Propiciou uma operação de propaganda do governo Medici, tentando associar a conquista ao regime autoritário. 

Exercício resolvido da questão 8 –

Alternativa correta: letra c) institucionalizar a repressão, suspendendo as garantias constitucionais e individuais, e afastar das universidades brasileiras os elementos considerados subversivos.

Exercício resolvido da questão 9 –

Alternativa correta: letra e) o último presidente militar, Costa e Silva, prometeu uma abertura política para a democracia de forma lenta e gradual.

Exercício resolvido da questão 10 –

Alternativa correta: letra a) Aprovação do Ato Institucional nº 5, que limitou drasticamente a liberdade de expressão e instituiu medidas que ampliaram a repressão aos opositores do governo militar.

Exercício resolvido da questão 11 –

Alternativa correta: letra c) a difícil experiência do exílio forçado foi vivenciada durante o período.

Exercício resolvido da questão 12 –

Alternativa correta: letra d) a ampliação dos poderes nas mãos do Executivo

Exercício resolvido da questão 13 –

Alternativa correta: letra b) limite do processo de distensão política.

Gostou dos nossos exercícios sobre Ditadura Militar?Compartilhe com os seus amigos e comente abaixo sobre áreas que você deseja mais explicações.

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Simulado Beduka

6 Comentários

    • Luke, temos redatores de várias ideologias diferentes e sempre tentamos ser o mais imparciais possíveis. Contudo, as opiniões pessoais de cada um podem influenciar na interpretação. Pode ser que alguém com o ponto de vista distinto do seu pense que descrevemos os fatos como deveriam ser descritos, entende? Tente se desvincular das suas opiniões e ver de uma forma mais analítica.

  • Sinceramente, vejo que o texto e também o vídeo sugerido faz um lamentável revisionismo histórico, demonstrando falta de conhecimento com o real contexto pré-golpe de 64, ignorando a campanha da legalidade de 61 e até os movimentos golpistas que já vinham da década anterior. Infelizmente percebo que o site está alinhado ao viés ideológico do atual governo.
    Não indico para meus alunos.

    • João, lamentamos que não gostado do texto, mas o Beduka não possui viés. Nossos redatores possuem opiniões diversas e dependendo de opiniões próprias esse pode ser interpretado de várias formas. Mas entendemos a crítica e agradecemos pelo comentário.

  • Vinha visitando o site de vocês e admirando a qualidade do conteúdo, mas a postagem desse vídeo sobre esse período destoou da linha que vinha tomando. A História sempre é reescrita quando se tem novas descobertas com evidências consistentes do ponto de vista das metodologias de pesquisa, mas um vídeo como esse não é revisionismo histórico no sentido autêntico do termo, mas parte de um projeto político conservador. Estou decepcionado com o caminho que o site tomou.

    • Eduardo, que pena. Nosso site tem espaço para a pluralidade de estudos e há diversos redatores com diferentes ideologias. Não temos nenhuma linha política e não queremos convencer ninguém a seguir alguma. Podem haver “conservadores” que não gostem da parte que fala sobre a violência e a instituição de atos antidemocráticos. Podem ter “progressistas” que não gostem de uma revisão histórica por ser oposta aos seus ideais. Tente analisar por este lado!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador