AtualidadesGeografia

O que é Biocombustível, como é produzido, tipos, vantagens e desvantagens!

O Biocombustível no Brasil e no mundo: o que é, onde é usado, tipos, vantagens e desvantagens.O Biocombustível no Brasil e no mundo: o que é, onde é usado, tipos, vantagens e desvantagens.

Biocombustível é toda substância feita de biomassa que gera energia ao sofrer combustão. Eles costumam ser de origem vegetal orgânica e são fonte de energia renovável. São mais sustentável que os combustíveis fósseis, mas possuem vantagens e desvantagens. O Brasil é um destaque no consumo e nos diferentes processos de produção.

Neste artigo sobre Biocombustível, você encontrará:

  1. O que é um Biocombustível?
  2. Ele é renovável? Como é produzido?
  3. Quais são os biocombustíveis e como se classificam os seus tipos.
  4. Vantagens e Desvantagens do seu uso.
  5. O Brasil e o uso de biocombustíveis.

O que é um biocombustível? 

Biocombustível é todo combustível feito de biomassa, aquilo que é de origem orgânica, natural e não fossilizada. A matéria prima pode vir de um animal, mas o comum é ser feito a partir de vegetais.

É muito conceito? Vamos te explicar:

Combustível é a substância que, quando queimada, gera energia. Imagino que a primeira coisa a vir na sua cabeça é a gasolina. Ela é mesmo um combustível, mas não é do tipo biocombustível porque vem do petróleo.

O petróleo e o carvão são extraídos dos fósseis. Isso significa que, milhares de anos atrás, plantas e animais morreram, ficaram soterrados e as mudanças da Terra geraram transformações químicas neles. Por isso, eles são mineralizados e muito poluentes.

Já a biomassa é a matéria de origem orgânica que acabou de ser extraída, ela ainda contém as substâncias naturais das plantas ou animais. Por isso, são menos poluentes que as matérias fossilizadas.

Portanto, os biocombustíveis são feitos de recursos naturais biológicos (não fósseis) que podem ser utilizados como fonte de energia durante a combustão.

O biocombustível é renovável?

Sim, os biocombustíveis são fontes de energia renovável e também costumam ser chamados de fontes alternativas. Uma vez consumida a biomassa, é possível fazer mais matéria-prima em pouco tempo. Além disso, sua emissão de poluentes é menor.

Ao usar um biocombustível no carro, ele será queimado. Porém, podemos plantar outros vegetais e continuar a produção facilmente e rapidamente.

Já as fontes não-renováveis são aquelas que, uma vez gastas na combustão, não conseguimos recuperar. Além disso, eles são bem poluentes. O petróleo e o carvão demoraram milhões de anos para se formar. Quando as reservas acabarem, ficaremos sem esse combustível!

Como o biocombustível é produzido?

biocombustivel e biomassa plantas oleoginosas Cana-de-açúcar milho Soja Mamona Palma Babaçu Canola Dendê Trigo Pinhão Semente de girassol Madeira Celulose

Você já entendeu que os biocombustíveis são produzidos a partir da biomassa (matéria orgânica). Mesmo que haja a possibilidade de produzir a partir de bactérias (origem animal), os de origem vegetal são os mais comuns.

Sendo assim, as plantas oleaginosas são as mais usadas para produzir biocombustível, como: 

  • Cana-de-açúcar;
  • Milho;
  • Soja;
  • Mamona;
  • Palma;
  • Babaçu;
  • Canola;
  • Dendê;
  • Trigo;
  • Pinhão;
  • Semente de girassol;
  • Madeira;
  • Celulose.

Dependendo do tipo de tratamento que essas plantas recebem, elas podem gerar óleos, podem sofrer fermentação, gerar álcool, etanol, gases e outros compostos. 

Por esse motivo, a biomassa e os biocombustíveis costumam ser produzidos em usinas termelétricas.

As formas de biocombustível que podemos obter são:

  • Biogás;
  • Bioéter;
  • Bioetanol;
  • Biodiesel;
  • Etanol;
  • Óleo vegetal.

É importante notar que a produção desse tipo de combustível é mais favorável em países com grande extensão territorial e espaços produtivos. Isso porque é necessário plantar e colher muita matéria-prima.

Só assim teremos condições de produzir óleos e combustíveis na quantidade que satisfaça a demanda. Por isso, o Brasil e os Estados Unidos são líderes mundiais na produção e consumo dessa fonte de energia alternativa.

Quais são os biocombustíveis? [Exemplos]

Os principais biocombustíveis utilizados hoje são o etanol e o biodiesel. Eles são usados tanto para o funcionamento dos veículos quanto na geração de energia em biogeradores. Ainda assim, existem outros tipos como o biogás, o óleo vegetal e outros.

Leia essa listinha com os exemplos de biocombustível e sua descrição:

  • Bioetanol: etanol é um álcool que, nesse caso, é produzido a partir de biomassa ou de uma parte biodegradável de seus resíduos.
  • Biodiesel: é um tipo de éster, produzido a partir de óleos vegetais ou animais. Seu melhor aproveitamento é para motores a diesel.
  • Biogás: é o gás produzido a partir da biomassa ou da parte biodegradável de seus resíduos. Se for purificado, chega a ter a qualidade do gás natural, sendo utilizado como biocombustível ou gás de madeira.
  • Bio-óleo: é um tipo de óleo usado como combustível que é obtido quando substâncias de origem vegetal ou animal sofrem pirólise (quebra das moléculas pelo fogo).
  • Óleo vegetal: é o óleo puro, que vem naturalmente das plantas oleaginosas. Ele é retirado por pressão ou extração. Ele pode sofrer processos físicos para ser refinado, mas é quimicamente inalterado. Além disso, é compatível somente com alguns tipos de motores.
  • Biometanol: metanol é um tipo de álcool produzido a partir de biomassa para utilização como combustível.
  • Bioéter dimetílico: é um tipo de éter produzido a partir de biomassa para ser usado como combustível.
  • Biocombustíveis sintéticos: é formado por hidrocarbonetos sintéticos ou misturas de sintéticos com biomassa.
  • Bio-hidrogênio: o hidrogênio é um elemento que pode ser produzido a partir de biomassa ou da sua parte biodegradável. Dessa forma, pode ser usado como combustível.
  • Bioquerosene: este querosene é composto por uma mistura de hidrocarbonetos, mas acaba sendo semelhante à composição do querosene fóssil.

Você é uma daquelas pessoas que tem fome de conhecimento? Então siga o Beduka no Instagram para conteúdos diários!

Tipos de Biocombustível

Calma! Não tem mais tipos de plantas ou processos não!… O que nós vamos te contar agora é a classificação que esses combustíveis recebem. 

Dependendo do grau de “pureza” e de química envolvida, eles podem ser agrupados em:

De Primeira geração

São os biocombustíveis fabricados a partir dos vegetais produzidos pela agricultura. Nesse caso, incluímos tudo aquilo que vem da cana-de-açúcar, do milho, da beterraba e do trigo. Nesta categoria as formas de etanol, biodiesel, bio-álcool e biogás são exemplos.

A maior questão que gira em torno deles é que acabam entrando em concorrência com a produção de alimentos. Assim, em algum momento podem prejudicar a oferta de comida no mercado. 

De Segunda geração

O combustível de biomassa que vem das fibras vegetais e da celulose é classificado como segunda geração. Podem vir tanto da madeira quanto de outras partes não comestíveis dos vegetais. 

Essas fibras são convertidas em combustível por usinas bioquímicas ou termoquímicas. Novas pesquisas têm sido desenvolvidas para tentar explorar as espécies de grama, resíduos agrícolas e até industriais.

De Terceira geração

Um biocombustível de terceira geração é aquele que vem das espécies vegetais de rápido crescimento, como as algas pequenas. 

De Quarta geração

É aquele combustível que vem da modificação genética de árvores. O objetivo é fazer com que elas forneçam biomassa de alta qualidade e funcionem como filtradoras de dióxido de carbono da atmosfera. 

Além de ajudar a qualidade do ar, o dióxido de carbono na biomassa seria capturado em algum momento do processo de bioconversão. Então, seria armazenado em campos de óleo e gás, aquíferos salinos ou valas de retirada de carvão. 

Assim, haveria um “geoarmazenamento”, o oposto do que fazemos quando queimamos combustíveis fósseis.

Porém, existem questões controversas sobre mudanças genéticas de vegetais, já que eles poderiam causar fenômenos não previstos e devastar todo um solo e vegetação. 

Vantagens no uso de Biomassa

biocombustivel e energia limpa e renovavel zero emissao de gas carbonico co2

Agora que você já sabe tudo os combustíveis orgânicos, deve imaginar que as suas vantagens são:

  • Diversifica a oferta de combustível, pois é uma alternativa diferente em vista de um possível esgotamento das reservas de petróleo.
  • Geram muitos empregos em sua cadeia produtiva.
  • Baixa emissão de CO2 na atmosfera, se comparado a outras fontes.
  • Reduz o aquecimento global.
  • Aumentam os índices de exportações do país, favorecendo a balança comercial.
  • O Brasil tem muita variedade de plantas possíveis e terras agricultáveis.
  • Podem ser cultivados, então são renováveis.
  • Diminui a dependência em relação aos combustíveis fósseis.

Desvantagens do uso de biocombustíveis

Acontece que você também sabe que tudo na vida tem o lado positivo e o lado negativo. Sendo assim, as desvantagem em se usar um biocombustível são:

  • Embora a queima do biocombustível diminua a emissão de CO2, a sua produção produz outros gases que podem intensificar o efeito estufa (dióxido de enxofre SO2, Nitrogênio N2 e Fósforo P4).
  • Desmatamento de áreas florestais para novas áreas de cultivo.
  • Consome altos níveis de água.
  • Reduz a diversidade agrícola, visto que são plantações monocultoras.
  • Aumenta o preço dos alimentos por causa da competição do mercado.
  • Aumento das chuvas ácidas.

Como o Brasil está em relação aos biocombustíveis?

Como dissemos anteriormente, a produção do biocombustível exige áreas cultiváveis grandes e clima adequado. Por isso, o Brasil é destaque e foi um dos primeiros países do mundo a usar esse processo. 

Hoje, os principais biocombustíveis produzidos e usados no país são o biodiesel e o etanol. 

Pesquisas sobre o uso de etanol ocorriam desde o século XX, mas foi a partir da década de 1970, com a Crise do Petróleo, é que houve um incentivo nacional. 

Em 1975, o governo brasileiro criou um plano na política nacional de energia que se chamava Proálcool (Programa Nacional do Álcool). Nessa época, a produção de etanol ganhou forças, bem como o cultivo da cana-de-açúcar foi facilitado.

Em 1979 o Brasil já tinha observado uma redução na dependência de petróleo, feito conseguido pelo Proálcool. Para incentivar o consumo e não ficar apenas na produção, o governo reduziu os impostos para carros movidos à álcool, focando nos taxistas.

Os avanços tecnológicos permitiram a criação dos motores flex, que aceitam tanto o álcool quanto a gasolina. Isso contribuiu para a consolidação da produção de biocombustível que, pela primeira vez, ultrapassou o de petróleo.

Em 2008 houve a criação da Petrobras Biocombustíveis, que focou na produção do biodiesel. Ainda assim, há um outro investimento para extrair esse combustível de resíduos industriais como goma, glicerina e ácidos graxos.

Sua produção e consumo no Brasil avançaram com a criação do Plano Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB), no ano de 2004.

Enquanto o etanol é usado em motores leves, o Biodiesel é utilizado para caminhões e ônibus. 

Gostou do nosso artigo sobre Biocombustível? Confira outros artigos do nosso blog e se prepare para o Enem da melhor maneira! Você também pode se organizar com o nosso plano de estudos, o mais completo da internet, e o melhor: totalmente gratuito!

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador