História

Resumo da Insurreição Pernambucana: dos antecedentes às causas e consequências!

Entenda o que foi a Insurreição Pernambucana!Entenda o que foi a Insurreição Pernambucana!

A Insurreição pernambucana foi um confronto de lusos-brasileiros contra o domínio holandês no Nordeste açucareiro. Os antecedentes já traziam pequenos confrontos, mas em 1645 houve uma articulação de todos segmentos sociais para acabar com a invasão holandesa. Importantes consequências se originaram a nível nacional!

Neste artigo sobre Insurreição pernambucana, você encontrará:

  1. O que foi a Insurreição Pernambucana
  2. Contexto histórico – antecedentes
  3. Principais nomes e reforços
  4. Causas, Desfecho e Consequências importantes!
  • Estudando para as provas? Conheça nosso Simulado gratuito, que pode ser personalizado com as matérias que você mais precisa!

O que foi a Insurreição pernambucana?

A Insurreição Pernambucana, também conhecida como Guerra da Luz Divina, foi um confronto contra o domínio holandês na Capitania de Pernambuco, ocorrido na época da colonização do Brasil.

Os Holandeses haviam invadido o nordeste brasileiro, fazendo com que houvesse uma fase inicial de revolta por parte dos senhores de engenho (1630-35). Com isso, alguns tratados comerciais aquietaram a invasão (1635-45), mas logo depois vieram as cobranças de dívidas. 

Espalhou-se o sentimento de revolta não só nos pernambucanos, mas também nos baianos e nos portugueses que habitavam aqui (luso-brasileiros). Assim, iniciou-se a derradeira guerra em 1645 que durou nove anos

Ao final, toda a articulação com os portugueses fez com que conseguissem a retirada dos holandeses do Nordeste brasileiro. Porém, os conflitos só foram realmente resolvidos quando Portugal e Holanda assinaram um acordo conhecido como Tratado de Paz de Haia, que foi precedido por indenizações.

  • Agora que você já tem uma visão geral, vamos compreender o contexto histórico, as causas, os principais nomes e as consequências importantes!

Contexto histórico – Antecedentes

No século XVII, a Holanda vivia em conflitos com a Espanha pela independência dos Países Baixos. Sendo pequena e sem alianças, os holandeses investiram na expansão comercial-marítima e criaram a Companhia das Índias Ocidentais. Era uma empresa especializada em comércio colonial, principalmente relacionada ao açúcar.

Para ampliação dos negócios, invadiam terras na América Latina e na África e assim satisfaziam dois propósitos de uma só vez: fixar pólos de exploração açucareira no Nordeste brasileiro e enfraquecer a Espanha. Na época, Espanha e Portugal faziam parte da União Ibérica

Inicialmente, as expedições holandesas só tiveram êxito em Pernambuco, a partir de 1630. Estavam sob o comando de Maurício de Nassau, um visionário que dava empréstimos aos senhores de engenho e não interferia em questões culturais e religiosas. Neste período, Pernambuco desfrutou de um período de prosperidade.

Contudo, o dinheiro do governo holandês era gasto em guerras, o que gerou altíssimas despesas. Com o tempo, não se tinha mais condições de bancar a produção açucareira no Brasil e Nassau retornou para a Holanda. Os holandeses passaram a cobrar dívidas dos nordestinos mesmo eles passando por um período de seca e de baixa produção

Causas da Insurreição Pernambucana

Quadro-da-insurreição-pernambucana

Essa situação de cobrança e gerou uma insatisfação na região e os senhores de engenho aderiram às táticas de guerrilhas contra os holandeses. 

Além disso, a Coroa Portuguesa sempre se sentiu incomodada com os holandeses, visto que eles eram invasores que extraíam as riquezas e eram judeus ou protestantes. Havia um contexto perfeito para se unir aos senhores de engenho e iniciar uma batalha definitiva contra os holandeses.

Diante de tudo isso, podemos resumir as causas:

  • Saída de Nassau do Brasil e prejuízo no governo Holandês (devido às guerras), levando à cobrança de dívidas dos nordestinos
  • Senhores de engenho nordestinos em época de seca e pressionados à pagar dívidas
  • Apoio da Coroa Portuguesa e da Bahia às guerrilhas dos senhores de engenho, devido às divergências religiosas e sucessivas invasões de territórios

Principais nomes da Insurreição Pernambucana e Reforços recebidos

principais-nomes-da-insurreiçao-pernamucana-João-Fernandes-vieira-Herique-Dias-Filipe-Camarão-e-Antonio-Dias-Cardoso

Como os holandeses ameaçavam expandir-se para além de Pernambuco, o governo da Bahia enviou o Sargento-Mor Antônio Dias Cardoso para organizar e treinar o exército dos patriotas na Mata do Brasil, antes da insurreição. 

Eles estavam em colaboração com o líder civil do movimento já iniciado em Pernambuco, o João Fernandes Vieira. 

O apoio externo foi reforçado pelas tropas de Filipe Camarão e de Henrique Dias, um que advinha das terras indígenas (potiguaras e tupiniquins, sob domínio holandês) e outro que era de família de escravos libertos. 

Para completar a trama, enviou-se uma infantaria marinha a mando de Salvador de Sá, André Vidal de Negreiros e Martim Soares Moreno. Eles haviam mentido que iriam às regiões dominadas pelos holandeses para acabar com a insurreição, quando na realidade vieram para apoiá-la.

Desfecho

Diante dessa ação conjunta, que mobilizou grande parte dos segmentos brasileiros, travou-se a Batalha das Tabocas e a Batalha de Guararapes, os dois grandes golpes que enfraqueceram primeiro os holandeses. Encurralados, os holandeses encerraram seu período de dominação com a derrota na batalha de Campina da Taborda, em 1654. 

Ainda assim, a Holanda saía endividada pelos investimentos que fizera e não tivera retorno. Para deixar de uma vez por todas a região, pediu uma indenização para a Coroa Portuguesa. Estando tudo acertado, selaram um acordo de paz chamado de Tratado de Haia.

Consequências da Insurreição de Pernambuco

  • Depois de serem expulsos do Brasil, os Holandeses se fixaram nas Antilhas, na América Central. Lá prosperaram com a produção açucareira mais barata e ganharam boa parte do comércio mundial. Isso acabou por fomentar a crise açucareira no nordeste brasileiro.
  • Ainda assim, a Insurreição Pernambucana é o episódio de maior relevância para a formação da nacionalidade brasileira, visto que conseguiu mobilizar diferentes segmentos sociais, classes, cores, etnias em prol de defender o território brasileiro. Além disso, acabou por impulsionar as origens do Exército Nacional.
  • Por fim, alguns consideram que a Insurreição Pernambucana influenciou diretamente na Guerra dos Mascates e até mesmo na Revolução Pernambucana:

Com a saída dos Holandeses, os burgueses de portugal (conhecidos como mascates), ocuparam Recife e prosperaram na vila. A cidade de Olinda olhou este fato com desconfiança, pois era composta por uma maioria de senhores de engenho locais que enfrentavam o fim a crise. Este foi o cenário inicial da Guerra dos Mascates.

Já a Revolução Pernambucana, que ocorreu bem posteriormente, teve causas que foram indiretamente desencadeadas pelo cenário anterior. A crise econômica regional (pela queda do açúcar), o absolutismo monárquico português que dominava o comércio da região e a influência das ideias Iluministas propagadas pelos maçons europeus; foram causas relacionadas.

Gostou do nosso artigo sobre Insurreição Pernambucana? Confira outros artigos do nosso blog e se prepare para o Enem da melhor maneira! Você também pode se organizar com o nosso plano de estudos, o mais completo da internet, e o melhor: totalmente gratuito!

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador