Literatura

Resumo de As Meninas de Lygia Fagundes Telles! Tudo sobre!

Resumo de As Meninas - Lygia Fagundes TellesResumo de As Meninas - Lygia Fagundes Telles

As Meninas, de Lygia Fagundes Telles, é uma obra ícone de sua época por tratar de assuntos polêmicos em um contexto de repressão. O romance gira em torno da história de três universitárias, de diferentes realidades sociais, que vivem em uma mesma pensão. Elas  compartilham vivências, problemas e reflexões em um contexto efervescente. Fique conosco para saber tudo sobre o resumo de As Meninas de Lygia Fagundes Telles!

 Neste artigo com o resumo de As Meninas de Lygia Fagundes Telles, você encontrará:

  1. Informações gerais: ficha técnica 
  2. Resumo de As Meninas de Lygia Fagundes Telles: por capítulo
  3. Principais personagens e análise da obra 
  • Estudando para as provas? Conheça nosso Simulado gratuito, que pode ser personalizado com as matérias que você mais precisa!

Informações gerais

É importante, principalmente se você não tiver muito tempo para ler a obra completa, conhecer e se recordar dos aspectos técnicos, que podem te guiar na leitura do resumo de As Meninas de Lygia Fagundes Telles

Ficha técnica:

Título: As meninas

Autor: Lygia Fagundes Telles

Ano de publicação: 1973

Nacionalidade: Brasileiro

Capítulos: 12

Foco narrativo: Varia entre a primeira pessoa (as protagonistas) e a terceira pessoa (um narrador).

PDF: As meninas de Lygia Fagundes Telles

Movimento literário: Modernismo

Filme: As Meninas (1995), com Adriana Esteves, Drica Moraes e Claudia Liz no papel das meninas.

Resumo de As Meninas de Lygia Fagundes Telles + personagens

Conhecendo brevemente os personagens, o contexto e o autor, poderemos ler o resumo de As Meninas de Lygia Fagundes Telles com melhor entendimento! Fique atento, memorize os nomes e volte sempre para consultar, pois a trama é complexa!

Atente-se para o fato de que os capítulos não possuem nome, são chamados por números. Veja:

Principais personagens

Resumo-com-a-capa-do-filme-As-meninas-há-três-meninas-se-divertindo-rindo-com-os-nomes-das-atrizes-embaixo
  • Lia: Uma entre as três protagonistas, vivia em um pensionato religioso enquanto cursava Letras e pretendia ser escritora. Era militante política e seu codinome era Rosa. Possuía um namorado e um amante, ambos militantes.
  • Lorena: A segunda protagonista, vivia no mesmo pensionato porém era de família rica, ou seja, seu quarto era o mais equipado. Estudava Direito, gostava de Música clássica e lia Che Guevara. Sempre atuava como apoio financeiro das outras duas amigas. Era apaixonada por Marcus, pai de 5 filhos e casado, e vive em ilusões de concretizar seu romance.
  • Ana Clara: Dentre o trio protagonista, esta é a mais bonita e também mais frágil. Vive no pensionato, cursa Psicologia, é como modelo, noiva de um homem rico e distante. Possui um amante de quem gosta, chamado Max que usa drogas.

Capítulo: Um

Lorena está em seu quarto divagando sobre vários assuntos: primeiro sobre o seu gato chamado Astronauta, que fugiu. Depois sobre Ana Clara, a quem vai bancar uma cirurgia restauradora da virgindade, pois a amiga estava noiva e possuía um amante traficante de quem gostava. E ainda sobre Marcus Nemesius, seu amor platônico.

Quando Lia aparece, pede o carro emprestado e dinheiro para o grupo militante, toma um chá especial e conversam sobre: greve na faculdade, prisão do namorado de Lia (militante), alienação da burguesia e repressão militar (prisão e tortura). 

Lorena ainda se lembra da morte de Rômulo, seu irmão, vítima de um tiro acidental dado pelo outro irmão, Remo. Por este motivo, Remo fugiu para o exterior e vivia mandando presentes para Lorena, que nunca superou o caso.

Capítulo: Dois

Ana Clara e Max se drogam e começam a delirar. As memórias de Ana Clara são: um dentista que abusava sexualmente das duas, pensa no quanto ama Max e que em janeiro se casará com um homem normal e rico (em quem deposita a solução para seus problemas).

Sente ódio de Deus, de negros e do analista (que não consegue libertá-la da sensação de trava), reconhece a carência  pelo fato de a mãe, prostituta, nunca lhe ter dado atenção  e possuir uma infância pobre, nos prédios em construção, onde vivia com a mãe e os amantes dela. 

Já Max, também delirou e logo depois foi rezar. Lembra-se de sua educação fina mas empobreceu e tornou-se traficante, pelas drogas. Tem uma irmã que sumiu com as joias da família e está internada em sanatório. Ana e Max se amam, mas o relacionamento é complicado.

Capítulo: Três

Lorena reflete sobre a violência do mundo e a da sua família. Ela gostaria de poder alienar-se da ‘máquina desse mundo’, onde intertextualiza com ‘A Máquina do mundo’, de Carlos Drummond de Andrade. 

Rememora a chegada de Lia e Ana Clara, que causaram invasão à sua privacidade. Mostra certa inveja da beleza de Ana Clara mas reflete sobre ela ser deprimida, mentirosíssima, sempre envolvida com sexo e drogas. Recorda o aborto que Ana Clara fez, resgatando a fábula da formiga e da cigarra, com quem compara a amiga.

Sempre pensa na morte de Rômulo e sobre as omissões nas relações humanas. Pensa ainda em Fabrízio, um colega que veio estudar mas começaram a se beijar. Logo Lia chegou, estragando o clima e cheia de suas pesquisas sobre a vida das prostitutas. No dia seguinte, conheceu o Dr. M.N. que lhe deu carona na faculdade. Passa a viver sonhando em se casar com ele, pois sente-se frágil, desejando um homem para sua proteção. 

Capítulo: Quatro

Max delira, pensando sobre música clássica. Conversa com Ana Clara sobre riquezas e viagens. Ana compara suas realidades, seu passado de miséria, e reclama de estar lúcida, lembrando do suicídio. Ela está grávida e quer abortar, embora ele deseje o filho.

Capítulo: Cinco

Lorena recebe a visita de uma freira e desconfia que ela é a responsável por escrever cartas anônimas, falando sobre as coisas que as meninas e as freiras apontavam, para a superiora. 

Enquanto isso, Lorena pensa em arte, literatura, música, na mãe e no carro. Gostaria de poder sair de moto com Fabrízio mas acha que ele deve estar com outra mulher. Novamente, divaga sobre: a morte de Rômulo, as manchetes nos jornais, Lia, Simone de Beauvoir, Che Guevara, morrer e renascer, cita Gonçalves Dias e logo despede-se da freira, acreditando que sua velhice é sem sentido.

Capítulo: Seis

Resumo-de-As-meninas-há-uma-menina-morena-lendo-uma-carta-com-uma-freira-ao-lado-olhando-para-o-papel

Na deplorável sala onde montaram a militância, Lia e Pedro – com quem traía Miguel – preparam o jornal enquanto conversam sobre experiências homossexuais, jango, nazismo, Martin Luther King, igreja progressista, etc. Sai para uma operação noturna e fica sabendo que Miguel (o namorado que está preso) será deportado para a Argélia. 

De volta ao pensionato, conversa com a superiora, desabafando o que podia sobre seu namorado e suas amigas. Madre Alix quer ajudá-las, mas sente-se impotente e teme pelos seus futuros. 

Capítulo: Sete

Irmã Clotilde leva frutas para Lorena, enquanto conversam sobre santos, Tolstói, homossexualismo, beleza, ideais, filosofias de vida. A freira acaba criticando a saúde e a alimentação das três amigas e se demora no quarto de Lorena, analisando tudo.

Lorena quer ficar só e esperar pelo telefonema, até que Lia chega e a freira se vai. Lia devolve a chave do carro, pede roupas para os revolucionários, conta sobre a viagem à Argélia, brinca de entrevistar Lorena e mostram-se preocupadas com a gravidez de Ana e sua dependência. Lorena fica pensando na iniciação sexual das amigas e imagina como será sua primeira vez com o M.N, que é ginecologista.

Capítulo: Oito

Ana Clara e Max acordam e conversam, Ana considera ele e Lorena como aristocratas. Max vai até a geladeira, come e dorme. Enquanto isso, Ana pensa na desculpa que vai inventar para o noivo aceitar seus contínuos sumiços, se arruma e sai. 

Já tarde da noite, Ana não consegue táxi, aceita carona de desconhecido, foge dele e se refugia em um bar. Lá, encontra um velho estranho que a convida para seu apartamento e ela aceita, achando que era como ‘um pai’ que nunca teve. Repara que o apartamento era de um boêmio mas mesmo assim deita-se na cama.

Capítulo: Nove

Resumo-de-As-Meninas-três-meninas-sentadas-em-torno-de-uma-banheira-no-banheiro-conversando-animadamente-.-Uma-loira-de-hobby-vermelho-uma-morena-dentro-da-banheira-e-uma-outra-sentada-no-vaso.

Na banheira, Lorena filosofa sobre ‘ser’ e ‘estar’ no mundo, desintegração do ser humano na cidade grande, e o papel das profissões que lidam diretamente com o ser humano. Sente todos os sintomas de todas as doenças mentais. 

Guga, um colega, chega e conta que abandonou a família, a escola e vive em um porão. Lorena corta-lhe as unhas, alerta-o sobre promiscuidade, pois ficou escandalizada com a sujeira do amigo. Guga se excita e tenta relacionar-se com ela, que quase cede mas logo reage; fazendo com que ele se vá.

Lia chega, as conversas sobre os mesmo temas continuam e Lia quer provar que M.N. está mais para pai que para namorado, mas Lorena não admite. Falam ainda sobre a promessa de ajuda em dinheiro para a viagem de Lia à Argélia.

Capítulo: Dez

Lia pega carona com o motorista da mãe de Lorena para ir visitá-la. No caminho, consegue convencer o motorista com seu discurso revolucionário. Chegando lá, examina o luxo, fuma e imagina sua viagem para Argélia, escrevendo um diário para exaltar a pátria e refletir sobre a desunião da esquerda.

Encontra a mãe de Lorena chorando a morte do psiquiatra Dr. Francis. Lia tenta consolá-la e ouve suas lamúrias e a dificuldade em aceitar a velhice e a morte. Depois, a mãe pergunta sobre os namoros e admite querer trazer a filha de volta para casa e contou uma versão totalmente diferente sobre a morte de Rômulo. 

Lia acha tudo isso tedioso, contudo, ganhou as roupas e mala para a viagem que queria.

Capítulo: Onze

Tarde da noite, Ana Clara chega transtornada ao quarto de Lorena, que estava estudando para a prova. Ana gritava de dor no peito e estava imunda, seu corpo estava cheio de bolas roxas e ela sofre alucinações com formigas, baratas, Deus e Max.

Lia chega para preparar as malas e Lorena vai até seu quarto, deixando Ana descansar. As duas conversam muito e Lia conta-lhe que Guga virá procurá-la. Ao voltar para o quarto, Lorena vê que Ana Clara está morta.

Capítulo: Doze

Lia corre aos ver o aceno de Lorena e vê-la massageando o peito de Clara, tentando revivê-la. Lia pensa em chamar o pronto-socorro, em acordar todo mundo e que poderia ter feito mais pela amiga, além dos seus discursos. 

Lorena encomenda o corpo, reza em latim, veste e pinta Ana Clara como se fosse a uma festa. Depois, elimina todas as pistas que comprometesse Ana Clara, Max ou as freiras. As duas amigas carregam o corpo e o abandonam em uma praça do bairro.

Voltando para o pensionato, separam-se definitivamente. Lia segue para o exílio junto ao namorado e Lorena de volta para a casa da mãe.

Análise de As Meninas de Lygia Fagundes Telles

O fato de o tempo ser predominantemente psicológico, isto é, o passado e suas memórias são frequentemente evocados, são essenciais para fazer compreender a agitação social que existia na época e como as pessoas se sentiam, no seu interior. O universo das personagens era um dos períodos mais conturbados do Brasil, o da ditadura militar.

Existe uma dificuldade inicial para a leitura até a identificação do estilo de cada personagem, pois cada uma delas se exprime dentro de seu próprio linguajar coloquial. Há  o discurso mais elaborado e culto de Lorena, o regionalismo politicamente engajado de Lia e o pensamento confuso e truncado de Ana Clara. 

Uma vez que se supera essa dificuldade inicial, essa escrita é essencial para imersão no universo de cada personagem.

A maior parte do enredo se passa no quarto de Lorena que, por ser o mais acolhedor e com maiores recursos disponíveis, é o ponto de encontro das amigas. É por meio das percepções de Lorena que se entende melhor sobre as outras amigas. 

Outro fato marcante é a forma pela qual a autora fala sobre a época. Em cada personagem há a representação de um segmento da época. 

Lorena é a aristocracia que já vinha com seu decaimento moral, mas disfarçadamente, e mantendo ainda alguns valores e a pose. Lia é o típico personagem revolucionário de esquerda preocupados somente com sua ideologia, enquanto Ana representa os setores deixados de lado, de vida sofrida, buscando refúgio em meios ilegais e se acomodando nessa vida ao mesmo tempo que sente o dilema de não saber lidar com isso.

Além disso, a obra foi tida como um símbolo de coragem, por descrever uma sessão de tortura numa época em que o assunto era rigorosamente proibido, falar sobre sexo, drogas e tudo na perspectiva feminina, em meio a um cenário religioso. 

Gostou do nosso artigo com o resumo de As Meninas de Lygia Fagundes Telles? Confira outros artigos do nosso blog e se prepare para o Enem da melhor maneira! Você também pode se organizar com o nosso plano de estudos, o mais completo da internet, e o melhor: totalmente gratuito!

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador