Redação

O que é um texto dissertativo-argumentativo? Aprenda a produzir uma redação nota 1000

o que é um texto dissertativo argumentativoo que é um texto dissertativo argumentativo

Um texto dissertativo-argumentativo é aquele no qual se apresenta uma ideia para, em seguida, fazer a defesa dela. Essa defesa é feita por meio de argumentações, ou seja, você vai dizer o porquê de sua tese (assunto defendido) estar certa.

A redação do Enem tem sido considerada um gênero textual.  Mas textos dissertativos-argumentativos não se resumem a ela. 

Nós vamos te explicar essas diferenças tão confusas, e o mais importante: te ensinar o que é um texto dissertativo-argumentativo e como produzir um. Isso vai servir para o Enem, para qualquer outro vestibular, para a faculdade e muito mais. 

Este artigo vai te ajudar a aprender definitivamente a entender o que é um texto dissertativo e argumentativo. Tem bastante conteúdo pela frente, então, clique em um dos tópicos para ir diretamente ao que deseja:

  1. O que é um texto dissertativo e argumentativo?
  2. Um texto dissertativo-argumentativo é um tipo ou gênero textual?
  3. Como aplicar a tipologia textual dissertativa-argumentativa na redação do Enem? Faça uma em 4 passos fáceis. 
  4. 2 exemplos de texto dissertativo-argumentativo

Entender o que é um texto dissertativo-argumentativo vai te ajudar a passar em um vestibular. Mas há como entrar na faculdade sem fazer uma prova! O Beduka Bolsas pode te ajudar. Ele oferece bolsas de até 65%, sem exigências e sem burocracia..

O que é texto dissertativo e argumentativo?

É aquele que utiliza argumentos para defender uma ideia. Trata-se de um tipo textual que ficou muito conhecido por causa dos temidos vestibulares.

Mas o que é uma tipologia textual? É o modo como um texto se apresenta. Tipos textuais são fixos, inalterados. Eles não sofrem influência do tempo nem do meio.

Por exemplo, não importa quanto tempo passe, uma narrativa será sempre uma narrativa: contar uma história através de espaço, tempo, personagem, enredo e narrador.

A mesma coisa ocorre com o tipo textual dissertativo-argumentativo, ou seja, ele sempre se apresentará como a defesa de uma ideia por meio de argumentos bem elaborados.

Justamente essas características que o fizeram ser a tipologia exigida pelos exames de vestibular. 

Afinal, ela permite avaliar o nível de conhecimento (através da argumentação) do candidato em relação a determinado assunto.   

Agora que você já sabe o que é um texto dissertativo-argumentativo, é hora de você aprender a aplicar essa tipologia-textual em uma redação.

Um texto dissertativo-argumentativo é um tipo ou gênero textual?

Como já vimos, é um tipo textual, ou seja, possui uma estrutura fixa e não sofre influência social nem temporal. É e sempre será, simplesmente, uma produção que apresenta uma ideia e a defende por meio de argumentos.

Mas por que tanta gente fala que a Redação do Enem é um gênero textual? Primeiro, precisamos fazer uma separação entre o que é redação e o que é um texto dissertativo-argumentativo. 

Eu sei que ambos se tornaram tão interligados em nosso contexto que parecem ser a mesma coisa. Mas não são! 

Se você ler o edital do Enem, vai ver que a exigência para a elaboração da redação é que ela se enquadre no tipo dissertativo-argumentativo. Ou seja, se você usar outra tipologia textual que não seja essa, você estará eliminado!

Ah! Mas se eu usar o tipo textual expositivo? Será eliminado também. Não tem para onde correr.  

Então, de onde surgiu a ideia que a redação do Enem é um gênero textual? Das características (exigências) exclusivas que ela possui. 

Isso a aproxima de um gênero, já que são requisitos mutáveis e sofrem influência do meio. Ela possui até competências estabelecendo essas particularidades.

Olhando essas competências, você pode observar que usar o tipo textual dissertativo-argumentativo não é a única obrigatoriedade. Também é indispensável (sob pena de perder até 200 pontos) apresentar uma proposta de intervenção.

E propostas de intervenção não estão vinculadas a um texto dissertativo, apenas é uma exigência do Enem relacionada à redação.

Logo, o Exame vem criando um modo bem característico de escrever uma redação, o que também inclui usar o tipo de texto sobre o qual estamos estudando. 

Nós temos outros textos que podem te ajudar a entender o que é um texto dissertativo-argumentativo, acesse: 

Como aplicar a tipologia textual dissertativa-argumentativa na redação do Enem? Conheça a estrutura fundamental 

Agora que você já sabe o que é um texto dissertativo-argumentativo, fica claro que para aplicá-lo em uma redação é preciso incluir nela três fatores fundamentais: uma ideia, uma posição em relação a ideia e argumentações que defendam a sua posição. 

Mas apenas isso não basta. Lembra que falamos que o Enem tem umas exigências bastante particulares? Pois então, optamos por te dar a estrutura de uma dissertação de acordo com o que é exigido no Exame Nacional do Ensino Médio.

Vamos lá!

1 – Introdução

A introdução é a parte inicial do seu texto e corresponde ao primeiro parágrafo. É através dela que você vai inserir o leitor ou avaliador  no universo do tema proposto e vai fazê-lo  descobrir a posição que você seguirá em relação a esse tema.

Para isso, há três estruturas fundamentais que uma introdução deve ter: 

Repertório:  é a parte que você usa seu conhecimento histórico, filosófico, literário etc para fazer uma contextualização em relação ao assunto abordado. 

Tema: o Enem te dá um tema e você deve escrevê-lo na integra na sua redação. 

Tese: é o que você pensa sobre o tema, ou seja, a posição que você terá em relação a ele. Lembre-se que é a tese que irá reger os seus parágrafos argumentativos, já que você terá que defendê-la. 

Para te ajudar ainda mais em relação a o que é um texto dissertativo-argumentativo, acesse os conteúdos abaixo. Eles tratam especificamente de como fazer uma introdução.

2-  Desenvolvimento

Uma dissertação argumentativa tem um caráter persuasivo (intuito de convencer) e é no desenvolvimento que você o colocará em prática. No entanto, não é tão simples, é preciso argumentos bem embasados. 

Lembra que você terá que defender a sua tese? Pois bem, é a hora de dizer ao avaliador ou leitor por que a sua posição está correta. Para isso, deixe de lado achismos. Afinal, não é uma conversa com os amigos, é uma produção textual que pode mudar a sua vida.

Utilize dados estatísticos, desenvolva causas e consequências, faça comparações, cite notícias de jornal ou escreva fatos históricos. Tenha em mente que se manter bem informado é a melhor forma de construir bons argumentos. 

Também é importante saber que o desenvolvimento deve apresentar no mínimo dois parágrafos argumentativos!

Não basta saber o que é um texto dissertativo-argumentativo, é preciso conhecer cada estrutura que o compõe. Nós temos um guia completo para construir um parágrafo impecável. Basta você acessar:

3- Conclusão

Chegando ao final do que é um texto dissertativo-argumentativo, a conclusão é o momento de recapitular as ideias para, logo em seguida, encerrá-las. Mas, principalmente no que se refere à redação do Enem, há uma forma bem específica de fazer isso. 

Veja a seguir a estrutura que deve ser seguida: 

Retomada do tema: o tema que você citou lá no início da sua redação deve ser mencionado novamente na parte inicial da sua conclusão. 

Nesse caso, não necessariamente precisa ser na íntegra (com exatamente todas as palavras iguais).

Além de representar um padrão de encerramento, mencionar o tema na sua conclusão vai relembrar quem está lendo sobre o que foi proposto inicialmente, e isso contribuirá para que o fechamento que você dará ao texto seja melhor compreendido.

Proposta de intervenção: o Enem exige que você escreva algo que poderia solucionar o problema. Para fazer isso, a primeira coisa que você deve identificar é o responsável (Legislativo? Executivo? Judiciário?…). 

Feito isso, é só escrever o que ele deveria e poderia fazer. Por fim, como e qual seria o impacto que essas ações gerariam.

Saber o que é um texto dissertativo-argumentativo pode te ajudar a entender o que deve ser feito na hora de produzir um, mas só muita prática vai te ajudar a fazer uma boa dissertação. 

Nós temos diversos artigos que podem te ajudar a praticar, acesse: 

2 exemplos de texto dissertativo-argumentativo

Nos exemplos abaixo, você pode observar como tudo que você aprendeu neste artigo sobre o que é um texto dissertativo-argumentativo é aplicado em redações nota 1000.  

1 – Exemplo de texto dissertativo-argumentativo: Redação nota 1000 Enem 2021 – Maitê Maria (PB)

No célebre texto “As Cidadanias Mutiladas”, o geógrafo brasileiro Milton Santos afirma que a democracia só é efetiva à medida que atinge a totalidade do corpo social, isto é, quando os direitos são desfrutados por todos os cidadãos. Todavia, no contexto hodierno, a invisibilidade intrínseca à falta de documentação pessoal distancia os brasileiros dos direitos constitucionalmente garantidos. Nesse cenário, a garantia de acesso à cidadania no Brasil tem como estorvos a burocratização do processo de retirada do registro civil, bem como a indiferença da sociedade diante dessa problemática.

Nessa perspectiva, é importante analisar que as dificuldades relativas à retirada de documentos pessoais comprometem o acesso à cidadania no Brasil. Nesse sentido, ainda que a gratuidade do registro de nascimento seja assegurada pela lei de número 9.534 da Carta Magna, os problemas associados à documentação civil ultrapassam a esfera financeira, haja vista que a demanda por registros civis é incompatível com a disponibilidade de vagas ofertadas pelos órgãos responsáveis, o que torna o processo lento e burocrático. Sob tal óptica, a realidade brasileira pode ser sintetizada pelo pensamento do sociólogo francês Pierre Bourdieu, o qual afirma que a “violência simbólica” se expressa quando uma determinada parcela da população não usufrui dos mesmos direitos, fato semelhante à falta de acesso à cidadania relacionada aos imbróglios da retirada de documentos de identificação no País.

Outrossim, é válido destacar a ausência de engajamento social como fator que corrobora a invisibilidade intrínseca à falta de documentação. Fica claro, pois, que a indiferença da sociedade diante da importância de assegurar o acesso aos registros civis para todos os indivíduos silencia a temática na conjuntura social, o que compromete a cidadania de muitos brasileiros, haja vista que a posse de documentos pessoais se faz obrigatória para acessar os benefícios sociais oferecidos pelo Estado. Sob esse viés, é lícito referenciar o pensamento do professor israelense Yuval Harari, o qual, na obra “21 Lições para o Século XXI”, afirma que grande parte dos indivíduos não é capaz de perceber os reais problemas do mundo, o que favorece a adoção de uma postura passiva e apática.

Torna-se imperativo, portanto, que cabe ao Ministério da Cidadania, como importante autoridade na garantia dos direitos dos cidadãos brasileiros, facilitar o processo de retirada de documentos pessoais no Brasil. Tal medida deve ser realizada a partir do aumento de vagas ofertadas diariamente nos principais centros responsáveis pelos registros civis, além do estabelecimento de um maior número de funcionários, a fim de tornar o procedimento mais dinâmico e acessível, bem como garantir o acesso à cidadania aos brasileiros. Ademais, fica a cargo do Ministério das Comunicações estimular o engajamento social por meio de propagandas televisivas e nas redes sociais, com o fito de dar visibilidade à temática e assim assegurar os direitos cidadãos.

2 – Exemplo de texto dissertativo-argumentativo: Redação nota 1000 Enem 2021 – Fernanda Quaresma (PE)

Em “Vidas secas”, obra literária do modernista Graciliano Ramos, Fabiano e sua família vivem uma situação degradante marcada pela miséria. Na trama, os filhos do protagonista não recebem nomes, sendo chamados apenas como o “mais velho” e o “mais novo”, recurso usado pelo autor para evidenciar a desumanização do indivíduo. Ao sair da ficção, sem desconsiderar o contexto histórico da obra, nota-se que a problemática apresentada ainda percorre a atualidade: a não garantia de cidadania pela invisibilidade da falta de registro civil. A partir desse contexto, não se pode hesitar – é imprescindível compreender os impactos gerados pela falta de identificação oficial da população.

Com efeito, é nítido que o deficitário registro civil repercute, sem dúvida, na persistente falta de pertencimento como cidadão brasileiro. Isso acontece, porque, como já estudado pelo historiador José Murilo de Carvalho, para que haja uma cidadania completa no Brasil é necessária a coexistência dos direitos sociais, políticos e civis. Sob essa ótica, percebe-se que, quando o pilar civil não é garantido – em outras palavras, a não efetivação do direito devido à falta do registro em cartório –, não é possível fazer com que a cidadania seja alcançada na sociedade. Dessa forma, da mesma maneira que o “mais novo” e o “mais velho” de Graciliano Ramos, quase 3 milhões de brasileiros continuam por ser invisibilizados: sem nome oficial, sem reconhecimento pelo Estado e, por fim, sem a dignidade de um cidadão.

Além disso, a falta do sentimento de cidadania na população não registrada reflete, também, na manutenção de uma sociedade historicamente excludente. Tal questão ocorre, pois, de acordo com a análise da antropóloga brasileira Lilia Schwarcz, desde a Independência do Brasil, não há a formação de um ideal de coletividade – ou seja, de uma “Nação” ao invés de, meramente, um “Estado”. Com isso, o caráter de desigualdade social e exclusão do diferente se mantém, sobretudo, no que diz respeito às pessoas que não tiveram acesso ao registro oficial, as quais, frequentemente, são obrigadas a lidar com situações humilhantes por parte do restante da sociedade: das mais diversas discriminações até o fato de não poderem ter qualquer outro documento se, antes, não tiverem sua identificação oficial.

Portanto, ao entender que a falta de cidadania gerada pela invisibilidade do não registro está diretamente ligada à exclusão social, é tempo de combater esse grave problema. Assim, cabe ao Poder Executivo Federal, mais especificamente o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, ampliar o acesso aos cartórios de registro civil. Tal ação deverá ocorrer por meio da implantação de um Projeto Nacional de Incentivo à Identidade Civil, o qual irá articular, junto aos gestores dos municípios brasileiros, campanhas, divulgadas pela mídia socialmente engajada, que expliquem sobre a importância do registro oficial para garantia da cidadania, além de instruções para realizar o processo, a fim de mitigar as desigualdades geradas pela falta dessa documentação. Afinal, assim como os meninos em “Vidas secas”, toda a população merece ter a garantia e o reconhecimento do seu nome e identidade. 

Tema, tese, repertório, proposta de intervenção…Viu como essas alunas conseguiram estruturar corretamente a redação? Você também pode fazer isso, basta utilizar tudo que foi dito até aqui.

Nós ficamos felizes em poder te auxiliar e esperamos que saber o que é um texto dissertativo-argumentativo te ajude a conquistar uma vaga na universidade. 

Mas eu preciso te contar que dá para se tornar um universitário sem precisar fazer uma redação. 

Não só isso! Também não é preciso fazer nenhum tipo de prova e nem se enquadrar em uma série de exigências.

Estou falando do Beduka Bolsas! Ele oferece bolsas de até 65% e o início dos estudos é imediato. 

Não perca mais tempo! Nós desejamos que você realize seu sonho e que tenha uma caminhada repleta de sucesso.

Redação Beduka
Redação Beduka
Este conteúdo foi criado e validado por uma equipe multidisciplinar, formada por especialistas em cada área do conhecimento. O Beduka está presente no Instagram, YouTube, LinkedIn e em diversos outros ambientes digitais. O site foi criado em 2017 e, desde a sua fundação, atua para fornecer materiais de qualidade para facilitar a vida de estudantes de todo o Brasil, ajudando-os a se preparar para os principais vestibulares e o Enem.