Matemática

Interpretação de gráficos: 5 dicas com exemplos resolvidos!

Descubra como fazer a Interpretação de Gráficos!Descubra como fazer a Interpretação de Gráficos!

Os Gráficos são estruturas que representam informações, usando símbolos e formas que têm significados. Interpretar é conseguir puxar mais dados além do que há à primeira vista. Assim, apenas enxergando o desenho já conseguimos completar o conhecimento. Para fazer Interpretação de gráficos, precisamos conhecer os diferentes tipos deles!

Neste artigo sobre Interpretação de gráficos, você encontrará:

  1. O que são gráficos, elementos e tipos
  2. O que é Interpretação de gráficos e sua importância
  3. Como fazer interpretação de gráficos: 5 dicas + exemplos resolvidos!

O que são Gráficos?

Os Gráficos são estruturas visuais que representam informações. Isso é feito usando desenhos, símbolos e formas que carregam significados. 

Os gráficos estão mais presentes no nosso dia a dia do que imaginamos. Principalmente nos meios de comunicação e mídias sociais. Isso porque o objetivo dos gráficos é destacar os dados mais importantes em uma linguagem de fácil compreensão.

Ele também costuma ser usado para “cruzar informações”, ou seja, indicar coisas que se completam e dependem uma da outra. Assim, os gráficos costumam ser usados em análises de situações para mostrar desempenhos, crescimentos e quedas

Ou seja, tudo o que pode ser contado e observado ao longo de mudanças pode ser traduzido para a linguagem gráfica.

Elementos do gráfico

Os gráficos são identificáveis pela sua estrutura visual, mas alguns podem vir acompanhados de certos elementos que facilitam ainda mais a compreensão. 

Eles são:

  • Título: é opcional ter e indica a informação a qual o gráfico se refere.
  • Fonte: a maioria dos gráficos têm fonte, ela indica de onde as informações foram retiradas e quando.
  • Números: sempre estão presentes e é o indicador mais importante, pois é com eles que sabemos a quantidade do que está sendo informado. Costuma ser usado para representar quantidade ou tempo.
  • Legendas: é opcional, mas aqueles que têm devem sempre ser lidos. Não ignore! Ela ajuda a entender o contexto das informações apresentadas e pode dar dicas.
  • Cores e tamanhos: Na maioria dos casos, o uso de cores e tamanhas destaca e diferencia as informações, é a identidade de cada item separadamente, relacionados à quantidade.

Quais são os tipos de gráficos?

imagem-com-varios-tipos-de-graficos

Assim como existem muitos símbolos, formas e cores, a variedade de gráficos também é grande! Os tipos de gráficos surgem dependendo da estrutura que é usada para passar as informações.

Podem existir outras formas, mas os tipos de gráficos mais conhecidos e usados são:

  • Gráfico de colunas
  • Gráfico em barras
  • Gráfico em setores (gráfico de pizza)
  • Gráficos em linhas
  • Infográfico
  • Gráfico de áreas
  • Gráfico em redes

Nos tópicos adiante vamos aprender a interpretar, ver exemplos e entender para quê serve cada um deles.

O que é interpretação de gráficos?

O gráfico resume e contém informações em símbolos para facilitar a leitura. Assim, o ato de interpretar é conseguir puxar mais informações além daquelas escritas à primeira vista. Essa capacidade permite enxergar o sinal e associá-lo a um conteúdo mais extenso, relacionando-o com conhecimentos prévios.

Por que a interpretação de gráficos é importante?

Já que os gráficos estão presentes no nosso cotidiano e foram criados para facilitar nossa vida, é super importante entender como eles funcionam! Esse é aquele tipo de conhecimento que levamos para a vida toda.

Se soubermos como lê-los, poderemos nos organizar melhor ao controlar nosso dinheiro e gastos, entender notícias e propagandas, treinar o raciocínio lógico e até construir planilhas!

Além disso, uma das competências do ENEM diz: “interpretar informações de natureza científica e social obtidas da leitura de gráficos e tabelas…”. Ou seja, você precisa saber resolver questões que envolvem gráficos para conseguir passar no vestibular e entrar na faculdade!

Como fazer interpretação de gráficos?

Primeiro vamos citar 5 dicas para você aprender a interpretar gráficos. Depois, colocaremos exemplos para você treinar com cada tipo de gráfico.

Vamos lá!

1.Observe o tipo de gráfico e as unidades indicadas

O importante aqui é saber o que parece óbvio: identificar exatamente a que se referem os eixos horizontais e verticais. Se não for um gráfico que cabe no plano cartesiano, leia com atenção as unidades de cada grandeza representada.

Pode parecer bobo, mas veja esse exemplo: muitas questões trazem um texto falando da velocidade em “m/s”, mas o gráfico que acompanha está em “km/h”. Assim, antes de usar os dados do gráfico, você precisaria fazer a conversão!

É bom saber com qual tipo de gráfico estamos lidando, pois cada um deles têm um formato e posições diferentes. O próximo tópico é o último do nosso texto e terá exemplos de como interpretar cada um.

2.Veja todas as informações complementares, sem preguiça!

A preguiça pode te custar uma questão! Sempre que um gráfico tiver título, legenda e fonte, não fique com preguiça de ler tudo! 

Claro que você não vai gastar tempo focando nesses elementos, mas ao menos faça uma leitura breve e superficial.

Isso é importante porque eles podem trazem dicas que te ajudem a eliminar alguma alternativa que te deixou em dúvida, ou completar informações que te deem mais certeza! 

3.Faça a leitura na ordem correta dos sentidos

Nunca se esqueça de que o sentido dos gráficos é da esquerda para a direita (horizontal) e de baixo para cima (vertical). A não ser que te digam o contrário no enunciado, a ordem da leitura de gráficos é sempre nesse sentido!

Tenha muito cuidado com isso porque se você ler ao contrário, o crescimento será visto como diminuição, por exemplo, e você pode errar uma questão!

Essa leitura é feita nos gráficos que podem ser colocados no plano cartesiano, então o ponto onde os dois eixos se cruzam representa a situação inicial. 

Assim, se o gráfico começar na origem O (ponto 0,0), significa que o início tem valor nulo. Em alguns casos isso é possível, mas em outros não. Cabe a você saber interpretar e ficar atento!  Veja:

Tomando como exemplo um carro que estava parado e saiu do repouso, é possível que o gráfico de sua velocidade comece na origem. 

Se estivermos falando de um objeto que sofreu dilatação, é impossível que o gráfico de seu comprimento comece na origem, pois nenhum corpo mede 0. Porém, se o gráfico for o comprimento da dilatação (não do corpo), poderá ter um início nulo!

4.Se for acompanhado de texto, leia e grife o que tem a ver!

As questões de matemática, física, química, biologia e geografia gostam muito de usar gráficos antecedidos de um textinho. Novamente, não fique com preguiça! 

Muitas vezes batemos o olho no gráfico e seguimos direto pra ele, esquecendo de nos atentar para o texto. Porém, o enunciado pode ter informações complementares que vão facilitar muito a resolução da questão. 

Assim, você deve lê-lo, grifar os dados que tem a ver com o gráfico e depois prosseguir completando na própria figura os valores ou informações!

Isso vai te ajudar a ter uma visão do gráfico como um todo e poder interpretar de forma mais completa!

5.Use funções e operações matemáticas nos gráficos

gráficos-de-parábola-negativa-e-positiva-além-da-reta-com-a-area-sobre-o-grafico

Muitas vezes podemos calcular uma grandeza que não está explícita no gráfico, basta realizar uma simples multiplicação com o que está lá e encontrar coisas novas! 

Isso acontece muito na física, vamos pegar o exemplo da cinemática: se em um gráfico de linhas os eixos forem tempo e velocidade, o gráfico é chamado do tipo (v x t). Isso nos lembra uma fórmula muito conhecida (d = v.t)! 

Portanto, se olharmos um gráfico de velocidade e tempo, basta calcular a área embaixo da linha para descobrir qual a distância percorrida! Neste caso, a área sempre será dada por figuras poligonais como: retângulos, trapézios ou triângulos.

  • Além disso, existem gráficos nos quais fica fácil observar uma variação “organizada”. Normalmente eles são uma reta, parábola ou hipérbole

Nesses casos, eles podem ser traduzidos para a  linguagem matemática, ou seja, podem ser representados por funções. As retas são o gráfico das funções de primeiro grau, as parábolas são das funções de segundo grau e as hipérboles são das exponenciais.

Quando você estuda essas matérias da matemática/álgebra, fica fácil olhar para um gráfico e identificar números e sinais da sua função e vice-versa. 

Exemplos resolvidos de interpretação de gráficos

A seguir, preparamos uma seleção de questões com gráficos ou imagens que poderemos retirar informações além do que aparenta. Acompanhe as explicações e fique atento ao modo como muda dependendo do tipo de gráfico!

Como interpretar Gráfico de barras?

grafico-de-barras-horizontal-e-vertical-exemplos-genericos

O gráfico de barras ou de colunas normalmente é usado para representar dados de uma tabela. Cada barra retangular representa a frequência do elemento variável. Para interpretar, procure diferenças nas alturas das barras porque elas são feitas proporcionais à quantidade que indicam!

Veja um exemplo na imagem acima. As barras podem vir na horizontal como ele está, ou o clássico da vertical. Independente disso, observe que as barras são cortadas por linhas que levam a um número. É por meio desses sinais que estimamos quanto vale a barra.

Observe também que as 3 cores se repetem e estão agrupadas em 3 categorias diferentes. Um gráfico desses pode representar a seguinte descrição: 3 equipes de escola (séries) jogaram três esportes diferentes (categorias). 

A equipe laranja se destacou em dois esportes, a vermelha em um e a amarela foi a que menos pontuou em todos! Apenas em dois esportes uma das equipes conseguiu pontuar acima de 4!

Interpretando o gráfico de Pizza

gráfico-de-pizza-ou-gráfico-em-setores-com-legenda

O gráfico de setores, mais conhecido como gráfico de pizza, costuma ser usado para representar as partes em relação a um todo. Assim, conseguimos ter mais noção da proporção, ou seja, do quanto aquela parte vale em relação ao total.

Ele é representado por um círculo dividido em setores ou séries, sendo as suas áreas proporcionais aos números que indicam. Esses setores têm cores diferentes para indicar a quantidade de elementos que se referem e são acompanhados de legendas.

No exemplo da imagem acima, fica fácil identificar que o setor azul escuro corresponde a maioria do todo, porque é bem superior que a metade do círculo!

Esse gráfico se encaixa em uma situação de pesquisa de opinião, por exemplo. Se perguntassem qual sabor de sorvete as pessoas preferem, ficaria fácil identificar. 

Cada série corresponde a um sabor e área do setor é a quantidade de pessoas que escolheram aquele. O círculo todo é a quantidade total de pessoas entrevistadas. Por isso, os valores desse gráfico costumam ser dados em porcentagem!

Questão com o gráfico em linhas

O gráfico de linhas ou de segmentos costuma ser usado para representar a evolução dos valores ao longo de um tempo. Mas não decore isso, é apenas uma generalização! Lembre-se de conferir a unidade do que é indicado e você saberá a que se refere!

Observe a questão abaixo:

grafico-de-linhas-da-questão-do-enem-2012

(Enem 2012) 

O dono de uma farmácia resolveu colocar à vista do público o gráfico mostrado acima, que apresenta a evolução do total de vendas (em Reais) de certo medicamento ao longo do ano de 2011.

De acordo com o gráfico, os meses em que ocorreram, respectivamente, a maior e a menor venda absolutas em 2011 foram:

a) março e abril.

b) março e agosto.

c) agosto e setembro.

d) junho e setembro.

e) junho e agosto.

Resolução:

Para resolver essa questão, basta analisar o gráfico dado e ler com atenção o enunciado. Já grifamos as partes do texto e do enunciado que tem a ver com o gráfico e que podem ser importantes. 

Elas comprovam o que sabemos do gráfico de linhas e indicam a ordem que a resposta deve ser dada: primeiro o maior valor de vendas e depois o menor.

Observe que para cada mês há um ponto que corresponde ao valor das vendas dele. Mesmo sem os números em cima do mês, podemos perceber que quanto mais alto o ponto, maior a venda. Da mesma forma, quanto mais baixo o ponto, menor a venda desse mês. 

É só olhar com atenção para identificar que o ponto mais alto está em cima do mês de Junho e o mais baixo está relacionado ao mês de Agosto. Então, concluímos que junho teve a maior venda e o mês de Agosto teve a menor venda. Portanto, a alternativa correta é a letra e.

Entendendo o infográfico

Infografico-ou-pictografico-de-cafeína-no-café-no-chimarraão-no-chá-no-expresso

A fim de tornar os gráficos mais bonitinhos, os produtores passaram a fazê-los ilustrados. Assim, ao invés de usar barras, setores e linhas, os infográficos usam imagens relacionadas ao contexto do que se informa. 

Portanto, por ser chamado de pictograma ou gráfico pictórico.

Assim como nos gráficos tradicionais,o tamanho das imagens são proporcionais ao dados que indicam. Veja um exemplo bem interessante na imagem acima!

Esse infográfico usa a imagem da bebida a que ele se refere e editou o tamanho dela de acordo com a informação que quer passar: a quantidade de cafeína.

Gostou do nosso artigo sobre Interpretação de gráficos? Confira outros artigos do nosso blog e se prepare para o Enem da melhor maneira! Você também pode se organizar com o nosso plano de estudos, o mais completo da internet, e o melhor: totalmente gratuito!

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador