História

Exercícios sobre Revoltas do Período Colonial

Exercícios sobre Revoltas do Período ColoniaExercícios sobre Revoltas do Período Colonial

As revoltas do período colonial foram separadas em nativistas (Revolta de Beckman, Guerra dos Emboabas, Guerra dos Mascates, Revolta de Filipe dos Santos) e separatistas (Inconfidência Mineira, Conjuração Baiana). Os movimentos foram marcadas por repressão popular e o descontentamento com as medidas tomadas pela Coroa Portuguesa. Leia o resumo sobre revoltas do período colonial e faça os exercícios.

Se você deseja melhorar o seu desempenho no caderno de Ciências Humanas e suas tecnologias do ENEM ou de outros principais vestibulares, é importante saber sobre as Revoltas do Período Colonial Brasileiro 

Revoltas do Período Colonial

As Revoltas do Período Colonial Brasileiro foram separadas em interesses nativistas e separatistas. 

Os movimentos nativistas surgiram no final do século XVII, no intuito de mostrar o descontentamento que os colonos brasileiros tinham com as decisões da Coroa Portuguesa. Os movimentos separatistas lutavam pela independência dos territórios brasileiros em relação a Portugal, baseados na autodeterminação dos povos e motivados por questões políticas, econômicas, religiosas ou culturais.  

O Brasil foi colonizado em 1500 pelos portugueses, iniciando a extração do pau-brasil. Os índios mantinham as relações por meio da prática denominada escambo, que consistia na troca de elementos. Ao decorrer do tempo, Portugal sofreu ameaças de perder a terra brasileira e novas práticas surgiram.

Portugal transportava tudo que era produzido no Brasil para a metrópole e assim ficava com todo o lucro final. Essa relação era inspirada no Mercantilismo e o modelo comercial aplicado era chamado de Pacto Colonial.

As metrópoles tinham como objetivo enriquecer cada vez mais com o que era produzido nas colônias. No Brasil a cana-de-açúcar era bastante explorada, principalmente na região Nordeste, mas com a descoberta do ouro o açúcar deixou de ser a principal fonte de riqueza. 

ouro-cana de açúcar-Exercícios sobre Revoltas do Período Colonial

As terras brasileiras estavam cada dia mais sendo exploradas, o que consequentemente gerou um descontentamento popular, o que ocasionou no final do século XVII um movimento de revolta. No século XVIII, novas revoltas surgiram, denominadas de nativistas e separatistas. As revoltas nativistas foram: 

  • Revolta de Beckman.
  • Guerra dos Emboabas. 
  • Guerra dos Mascates.
  • Revolta de Filipe dos Santos.

As revoltas separatistas foram:

  • Inconfidência Mineira.
  • Conjuração Baiana.

Estude para o Enem com o Simulado Beduka. É gratuito!

Principais características das Revoltas do Período Colonial

Revoltas Nativistas

Revolta dos Beckman

  • Aconteceu em 1684 no Maranhão;
  • Liderado pelos irmãos Manuel e Tomas Beckman;
  • Exigia melhorias na administração colonial;
  • Repressão violenta dos portugueses contra os participantes.

Guerra dos Emboabas

  • Aconteceu entre 1708 e 1709 em Minas Gerais;
  • O conflito foi motivado porque os bandeirantes pediam exclusividade na exploração do ouro, mas os portugueses continuavam com a exploração crescentemente;
  • O nome “emboaba” definia aqueles que tentaram liderar a região de ouro depois;
  • Um dos principais conflitos, Capão da Traição teve em média 300 mortos paulistas pelos emboabas;
  • Em 1709, a Coroa Portuguesa decretou que as capitanias de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro fossem separadas.

Saiba mais sobre a Guerra dos Emboabas lendo o nosso artigo completo!

Guerra dos Mascates

  • Ocorreu em 1710 e 1711 em Pernambuco;
  • Havia a participação dos senhores de engenho de Olinda e dos comerciantes portugueses localizados em Recife;
  • Recife foi denominada vila, o que desagradou os aristocratas rurais de Olinda;
  • Portugal teve que intervir e gerar um acordo entre Recife e Olinda.

Saiba mais sobre a Guerra dos Mascates lendo o nosso artigo completo!

Revolta de Filipe dos Santos ou de Vila Rica

  • Ocorreu em 1720;
  • Liderada por Filipe dos Santos;
  • Filipe dos Santos simbolizava o descontentamento dos donos de minas de ouro em Vila Rica com a cobrança do quinto e a instalação das casas de fundição;
  • Filipe foi condenado pela coroa portuguesa à morte e o movimento chegou ao fim com extrema violência.

Saiba mais sobre a Revolta de Filipe dos Santos lendo o nosso artigo completo!

Revoltas Separatistas

Inconfidência Mineira

  • Desenvolvido em 1789 em Minas Gerais;
  • Contra a exploração dos portugueses;
  • A favor da Independência de Minas Gerais;
  • Movimento descoberto antes de realmente acontecer;
  • Metrópole puniu os envolvidos violentamente; 
  • Tiradentes era um dos envolvidos e foi morto, esquartejado em praça pública para servir de exemplo e ninguém tentar organizar outra revolta.
tiradentes - Exercícios sobre Revoltas do Período Colonial

Conjuração Baiana

  • Aconteceu em 1798 na Bahia;
  • Tinha como objetivo separar Brasil de Portugal e dar fim ao trabalho escravo;
  • A Coroa Portuguesa reagiu com violência contra os manifestantes.

Aprofunde os seus conhecimentos sobre as revoltas do período colonial com os artigos sobre a Inconfidência Mineira e a Conjuração Baiana.

Vamos entender cada uma das revoltas para fazer os exercícios sobre revoltas do Período Colonial.

Exercícios sobre Revoltas do Período Colonial

Baixe o melhor plano de estudos gratuito que você encontrará na internet.

1 – (Fuvest) – A elevação de Recife à condição de vila; os protestos contra a implantação das Casas de Fundição e contra a cobrança de quinto; a extrema miséria e carestia reinantes em Salvador, no final do século XVIII, foram episódios que colaboraram, respectivamente, para as seguintes sublevações coloniais:

a) Guerra dos Emboabas, Inconfidência Mineira e Conjura dos Alfaiates.

b) Guerra dos Mascates, Motim do Pitangui e Revolta dos Malês.

c) Conspiração dos Suassunas, Inconfidência Mineira e Revolta do Maneta.

d) Confederação do Equador, Revolta de Felipe dos Santos e Revolta dos Malês.

e) Guerra dos Mascates, Revolta de Felipe dos Santos e Conjura dos Alfaiates.

2 – (Unibero-SP) – A Guerra dos Emboabas (1707-1709) e a Inconfidência Mineira (1789) foram revoltas ocorridas no Brasil. Sobre elas, assinale a alternativa correta:

a) Ambas tinham o objetivo de separar o Brasil de Portugal e ocorreram na região da mineração.

b) A primeira e considerada uma revolução separatista e mais radical do que a segunda, tendo ocorrido na região de São Paulo e liderada pelos Bandeirantes.

c) Tanto a primeira como a segunda foram influenciadas pelas ideias iluministas e pela independência das Treze Colônias inglesas, mas só a segunda teve êxito nos seus objetivos.

d) A primeira foi bem-sucedida, garantindo aos paulistas a posse da região da mineração, enquanto a segunda foi reprimida pela Coroa portuguesa antes de acontecer.

e) Ambas ocorreram na mesma região do Brasil, contra a dominação portuguesa na área da mineração, no entanto, somente a segunda teve influência das ideias iluministas europeias.

3 – (FGV) – “A confrontação entre a loja e o engenho tendeu principalmente a assumir a forma de uma contenda municipal, de escopo jurídico-institucional, entre um Recife florescente que aspirava à emancipação e uma Olinda decadente que procurava mantê-Io numa sujeição irrealista. Essa ingênua fachada municipalista não podia, contudo, resistir ao embate dos interesses em choque. Logo revelou-se o que realmente era, o jogo de cena a esconder uma luta pelo poder entre o credor urbano e o devedor rural.”

(Evaldo Cabral de Mello. A fronda dos mazombos, São Paulo, Cia. das Letras, 1995, p. 123).

O autor refere-se:

a) ao episódio conhecido como a Aclamação de Amador Bueno.

b) à chamada Guerra dos Mascates.

c) aos acontecimentos que precederam a invasão holandesa de Pernambuco.

d) às consequências da criação, por Pombal, da Companhia Geral de Comércio de Pernambuco.

e) às guerras de Independência em Pernambuco.

4 – (UFRN) – A Guerra dos Emboabas, a dos Mascates e a Revolta de Vila Rica, verificadas nas primeiras décadas do século XVIII, podem ser caracterizadas como:

a) movimentos isolados em defesa de ideias liberais, nas diversas capitanias, com a intenção de se criarem governos republicanos;

b) movimentos de defesa das terras brasileiras, que resultaram num sentimento nacionalista, visando à independência política;

c) manifestações de rebeldia localizadas, que contestavam alguns aspectos da política econômica de dominação do governo português;

d) manifestações das camadas populares das regiões envolvidas, contra as elites locais, negando a autoridade do governo metropolitano.

e) manifestações separatistas de ideologia liberal contrárias ao domínio português.

5 – (PUC-Campinas) – Contextualizando historicamente a Guerra dos Mascates a que a poesia se refere, é correto afirmar que ela

a) teve conotação nativista, mas não antilusitana, uma vez que foi um movimento resultante da luta entre os grandes proprietários de terras de Olinda e o governo, pelo comércio interno do açúcar no Recife.

b) resultou da insatisfação das camadas mais pobres da população da vila de Olinda contra o controle da produção e comercialização dos produtos de exportação impostos pelos comerciantes de Recife.

c) refletiu a lógica do sistema colonial: de um lado, os colonos latifundiários de Olinda endividados e empobrecidos; de outro, os comerciantes metropolitanos de Recife, credores e enriquecidos.

d) significou o marco inicial da formação do nativismo na colônia: de um lado, criou um forte sentimento antilusitano que se enraizou em Olinda; de outro intensificou a luta contra os comerciantes lusos de Recife.

 e) foi um dos mais importantes movimentos de resistência colonial: de um lado, a recusa dos proprietários rurais de Olinda em obedecer a metrópole; de outro, a luta dos comerciantes de Recife pelo monopólio do açúcar.

6 – (Fuvest) – O ideário da Revolução Francesa, que entre outras coisas defendia o governo representativo, a liberdade de expressão, a liberdade de produção e de comércio, influenciou no Brasil a Inconfidência Mineira e a Conjuração Baiana, porque: 

a) cedia às pressões de intelectuais estrangeiros que queriam divulgar suas obras no Brasil. 

b) servia aos interesses de comerciantes holandeses aqui estabelecidos que desejavam influir no governo colonial. 

c) satisfazia aos brasileiros e aos portugueses, que desta forma conseguiram conciliar suas diferenças econômicas e políticas. 

d) apesar de expressar as aspirações de uma minoria da sociedade francesa, aqui foi adaptado pelos positivistas aos objetivos dos militares. 

e) foi adotado por proprietários, comerciantes, profissionais liberais, padres, pequenos lavradores, libertos e escravos, como justificativa para sua oposição ao absolutismo e ao sistema colonial. 

7 – (Cesgranrio) – A colonização brasileira foi sempre marcada por confrontos que refletiam a diversidade de interesses presentes na sociedade colonial como pode ser observado nos(as): 

a) conflitos internos, sem conteúdo emancipacionista, como as Guerras dos Emboabas e dos Mascates. 

b) ideais monárquicos e democráticos defendidos pelos mineradores e agricultores na Conjuração Mineira. 

c) projetos imperiais adotados pela Revolução Pernambucana de 1817 por influência da burocracia lusitana. 

d) reações contrárias aos monopólios, como na Conjuração Baiana, organizada pelos comerciantes locais. 

e) características nacionalistas de todos os movimentos ocorridos no período colonial, como nas Revoltas do Rio de Janeiro e de Beckman. 

8 – (Mackenzie) – “A coalizão de magnatas comprometidos com a revolução mineira não era monolítica, tendo na multiplicidade de motivações e de elementos envolvidos uma debilidade potencial. Os magnatas esperavam alcançar seus objetivos sob cobertura de um levante popular”. 

(Kenneth Maxwell – “A devassa da devassa”). 

Assinale a interpretação correta sobre o texto referente à Inconfidência Mineira. 

a) A Inconfidência Mineira era um movimento de elite, com propostas sociais indefinidas e que pretendia usar a derrama como pretexto para o levante popular. 

b) O movimento mineiro tinha sólido apoio popular e eclodiria com a adesão dos dragões: a polícia local. 

c) Os envolvidos não tinham motivos pessoais para aderir à revolta, articulada em todo o país através de seus líderes. 

d) A conspiração entrou na fase da luta armada, sendo derrotada por tropas metropolitanas. 

e) A segurança perfeita e o sigilo do movimento impediram que delatores denunciassem a revolta ao governo. 

9 – (Fgv 2006) – Antunes voltou ao capão e transmitiu a seus companheiros as promessas de Bento. Os paulistas saíram dos matos aos poucos, depondo as armas. Muitos não passavam de meninos; outros eram bastante velhos. Sujos, magros, cambaleavam, apoiavam-se em seus companheiros. Estendiam a mão, ajoelhados, suplicando por água e comida. Bento fez com que os paulistas se reunissem numa clareira para receber água e comida. Os emboabas saíram da circunvalação, formando-se em torno dos prisioneiros. Bento deu ordem de fogo. Os paulistas que não morreram pelos tiros foram sacrificados a golpes de espada. 

(Ana Miranda, O retrato do rei) 

O texto trata do chamado Capão da Traição, episódio que faz parte da Guerra dos Emboabas, que se constituiu 

a) em um conflito opondo paulistas e forasteiros pelo controle das áreas de mineração e tensões relacionadas com o comércio e a especulação de artigos de consumo como a carne de gado, controlada pelos forasteiros. 

b) em uma rebelião envolvendo senhores de minas de regiões distantes dos maiores centros – como Vila Rica – que não aceitavam a legislação portuguesa referente à distribuição das datas e a cobrança do dízimo. 

c) no primeiro movimento colonial organizado que tinha como principal objetivo separar a região das Minas Gerais do domínio do Rio de Janeiro, assim como da metrópole portuguesa, e que teve a participação de escravos. 

d) no mais importante movimento nativista da segunda metade do século XVIII, que envolveu índios cativos, escravos africanos e pequenos mineradores e faiscadores contra a criação das Casas de Fundição. 

e) na primeira rebelião ligada aos princípios do liberalismo, pois defendia reformas nas práticas coloniais e exigia que qualquer aumento nos tributos tivesse a garantia de representação política para os colonos. 

10 – (Unirio 1997) – O desenvolvimento da economia mineradora no século XVII teve diferentes repercussões sobre a vida colonial, conforme se apresenta caracterizado numa das opções a seguir. Assinale-a. 

a) Incremento do comércio interno e das atividades voltadas para o abastecimento na região centro-sul. 

b) Movimento de interiorização conhecido como bandeirismo, responsável pelo fornecimento de mão de obra indígena para as minas. 

c) Descentralização da administração colonial para facilitar o controle da produção. 

d) Sufocamento dos movimentos de rebelião, graças à riqueza material gerada pelo ouro e pela prata. 

e) Retorno em massa, para a metrópole, dos colonos enriquecidos pela nova atividade.

Respostas dos Exercícios sobre Revoltas do Período Colonial

Exercício resolvido da questão 1 –

e) Guerra dos Mascates, Revolta de Felipe dos Santos e Conjura dos Alfaiates.

Exercício resolvido da questão 2 –

e) Ambas ocorreram na mesma região do Brasil, contra a dominação portuguesa na área da mineração, no entanto, somente a segunda teve influência das ideias iluministas europeias.

Exercício resolvido da questão 3 –

b) à chamada Guerra dos Mascates.

Exercício resolvido da questão 4 –

c) manifestações de rebeldia localizadas, que contestavam alguns aspectos da política econômica de dominação do governo português;

Exercício resolvido da questão 5 –

c) refletiu a lógica do sistema colonial: de um lado, os colonos latifundiários de Olinda endividados e empobrecidos; de outro, os comerciantes metropolitanos de Recife, credores e enriquecidos.

Exercício resolvido da questão 6 –

e) foi adotado por proprietários, comerciantes, profissionais liberais, padres, pequenos lavradores, libertos e escravos, como justificativa para sua oposição ao absolutismo e ao sistema colonial. 

Exercício resolvido da questão 7 –

a) conflitos internos, sem conteúdo emancipacionista, como as Guerras dos Emboabas e dos Mascates. 

Exercício resolvido da questão 8 –

a) A Inconfidência Mineira era um movimento de elite, com propostas sociais indefinidas e que pretendia usar a derrama como pretexto para o levante popular. 

Exercício resolvido da questão 9 –

a) em um conflito opondo paulistas e forasteiros pelo controle das áreas de mineração e tensões relacionadas com o comércio e a especulação de artigos de consumo como a carne de gado, controlada pelos forasteiros. 

Exercício resolvido da questão 10 –

a) Incremento do comércio interno e das atividades voltadas para o abastecimento na região centro-sul. 

Gostou dos nossos Exercícios sobre Revoltas do Período Colonial? Compartilhe com os seus amigos e comente abaixo sobre áreas que você deseja mais explicações.

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador