Literatura

Resumo do livro Angústia de Graciliano Ramos! Tudo sobre!

Capa do livro Angústia de Graciliano Ramos - Resumo e Análise do livro Angústia de Graciliano Ramos!Resumo e Análise do livro Angústia de Graciliano Ramos!

Angústia é o terceiro romance escrito por Graciliano e é caracterizado pela introspecção, pois gira em torno das memórias e autoavaliações de Luís da Silva, um homem de vida trágica e psicológico atormentado. Para entender tudo do resumo do livro Angústia de Graciliano Ramos, é necessário conhecer seu contexto histórico e como se dá a narração!

 Neste artigo com o resumo do livro Angústia de Graciliano Ramos, você encontrará:

  1. Informações gerais: ficha técnica 
  2. Resumo do livro Angústia de Graciliano Ramos: personagens e narração da história
  3. Análise do livro: contexto histórico e sobre o autor
  • Estudando para as provas? Conheça nosso Simulado gratuito, que pode ser personalizado com as matérias que você mais precisa!

Informações gerais

É importante, principalmente se você não tiver muito tempo para ler a obra completa, conhecer e se recordar dos aspectos técnicos, que podem te guiar na leitura do resumo do livro Angústia de Graciliano Ramos

Ficha técnica:

Título: Angústia

Autor: Graciliano Ramos

Ano de escrita: 1936

Nacionalidade: Brasileiro

Foco Narrativo: 1° pessoa, tempo psicológico (sem cronologia exata, vários flashbacks)

PDF: Angústia de Graciliano Ramos

Movimento literário: Segunda fase do Modernismo 

Principais personagens

Conhecendo brevemente os personagens, o contexto e o autor, poderemos ler o resumo do livro Angústia de Graciliano Ramos com melhor entendimento! Fique atento, memorize os nomes e volte sempre para consultar!

Luis da Silva

O protagonista, nascido no nordeste, era a figura do oprimido em pessoa. Tinha condição mínima para sustento porque era funcionário público, contudo, era também um escritor frustrado. Demasiadamente preocupado e introspectivo, a injustiça social fez com que essas características pessimistas se aprofundassem ainda mais.

Marina

É a musa de Luis da Silva, peça chave para o romance. Ela era o típico estereótipo de mulher da sua época. Condição média, personalidade frágil e se deixa levar pelas circunstâncias. Relacionava-se com Luis pelo carinho que ele tinha, mas também com Julião por ser um jovem rico. Por sua beleza, era vista como prêmio do homem que a tinha.

Julião Tavares

Um homem de boa condição social e financeira, linguajar rebuscado, exageradamente formal e um patriota sem ideais políticos. Se relacionava com Marina por sua beleza mas também tinha uma outra amante. Era o típico homem de classe alta da sua época.

Resumo do livro Angústia de Graciliano Ramos

Separamos este resumo do livro Angústia em três partes para que você entenda perfeitamente o que se passa:

Enredo Inicial

Angústia é feito a partir de uma narração de autoanálise e interioridade do protagonista: Luís da Silva, um funcionário público e escritor frustrado ! O livro começa com Luís voltando-se para o passado, buscando refletir e entender tudo o que o rompimento de seu noivado com Marina lhe causou: mais desordem.

Insatisfeito com seu presente, só consegue olhar para o passado, remoendo memórias amarguradas e alimentando pessimismos sobre si mesmo e o mundo em geral. Surgem lembranças de uma infância com afetos problemáticos, frustrações profissionais e sexuais, abalando todo o encanto de sua existência, seja em relação às coisas exteriores ou interiores.

Luís sai de sua terra e vai para o Rio de Janeiro em busca de êxito profissional,mas fracassa e resolve se fixar em Maceió, onde as coisas começam a piorar. Na nova cidade ele tem uma vizinha chamada Marina, pela qual se apaixona e até marcam noivado. Luís se dispõe até a gastar suas poucas economias para comprar o enxoval.

Desenvolvimento

Embora tudo aparentemente comece a dar certo, logo Luís descobre que Marina estava traindo-o com Julião Tavares, um homem rico, de alta posição social, possuía aspirações literárias e formalismos; gostava de exibir isso. 

O ciúme misturado com humilhação tomam conta de Luís, enganado e machucado novamente pela vida, mergulha mais ainda em si mesmo e fica transtornado com suas derrotas.

Em meio à miséria, com péssima condição financeira, não conseguia pagar as próprias contas e vivia rodeado de ratos e de seus fantasmas do passado. Era incapaz de afastar os pensamentos sobre Marina e Julião e as vezes ficava seguindo-os. Chegou até a descobrir que Julião também traia Marina.

Desfecho

Sua obsessão com as lembranças, o remoer das angústias, essa paranóia interiorizada nele, tudo fê-lo armar o assassinato de Julião Tavares. Em uma de suas perseguições, Luís teve uma oportunidade e estrangulou Julião. 

Aquele ato o encheu de euforia, uma felicidade súbita, e seus sofrimentos desapareceram pela primeira vez. No entanto, esse lapso durou muito pouco: rapidamente a angústia volta a instalar-se em Luís e ainda mais forte, pois foi tomado pelo desespero de ser descoberto. 

Ele volta para sua casa completamente perturbado. Embriaga-se de cachaça e adormece, sequer foi capaz de ir trabalhar no dia seguinte. Quando acordou tentou livrar-se dos vestígios do crime e deitou-se, adoentado e transtornado pelas lembranças, sufocado pela angústia.

Análise do livro Angústia de Graciliano Ramos

Para que você tenha uma análise completa da obra, separamos em blocos interpretativos. Acompanhe cada um deles para compreender todas as referências da obra:

Fotografia-preto-e-branco-de-Graciliano-Raamos-de-perfil-sentado-num-sofá-lendo-e-escrevndo-algo-no-papel-usa-óculos-e-blusa-social-com-gravata

Sobre o autor e a obra

Graciliano Ramos é cotado entre os grandes escritores brasileiros e não só pelo público popular como também por outros grandes escritores nacionais como Rachel de Queirós e Jorge Amado. Seu romance mais conhecido é Vidas secas, porém, Angústia foi eleito um dos melhores romances brasileiros e ganhou prêmios nacionais muito famosos!

O autor também é um grande expoente da segunda fase do Modernismo por causa da forte presença do regionalismo literário em suas obras. Também foi ousado em resgatar alguns aspectos do Naturalismo

Alguns críticos atribuem Angústia como um elemento da “trilogia existencialista”, completada por Caetés (1933) e São Bernardo (1938). O três romances, narrados em primeira pessoa, apresentam personagens em intensos conflitos, buscando respostas para seus atos, indagando o porquê dos acontecimentos. 

O ponto em comum desse romance com Vidas Secas é o efeito de circularidade, pois a história não é narrada em tempo cronológico, sim em psicológico, e a narrativa começa com o resgate de lembranças que culminam, ao final, no que levou ao protagonista ter chegado alí e estar pensando nisso.

Contexto histórico e sua influência na narrativa

Nos anos 1930, a Europa vivia a expansão nazista e, No Brasil, havia a ascensão de Vargas por meio do Golpe. Foram governos com linhas variáveis e polêmicas, além da criação de uma oposição e o crescimento do comunismo. Houve também a Crise de 29 que quebrou a Bolsa de Nova Iorque e influenciou a economia de todos os países capitalistas.

Neste contexto, Graciliano foi preso acusado de conspirar. Ainda sim, conseguiu escrever a obra e expressar o clima de tensão social. O relato de Luís da Silva corresponde a todo esse tempo e espaço em que Graciliano escreve o romance, principalmente ao retratar a miséria.

Angústia faz menção ainda à infância do protagonista, em meados de 1900, o momento de origem da República Velha e os primeiros anos da abolição da escravatura. Luís da Silva é descendente dos latifundiários que constituíam uma casta de privilégios, então traços dessa mentalidade podem ser observados.

Para Luís, seu rival Julião Tavares representa a burguesia ascendente que ele tanto despreza, o poder do dinheiro que falseia as relações sociais, que compra Marina com luxos, etc. O próprio Luís cria expectativas de enriquecimento, frustradas pelo trabalho mal pago.

Diante de um mundo que o esmaga, incapaz de colocar-se em nenhum setor da sociedade, nada consegue realizar. Essa falta de identificação do sujeito para com o seu trabalho é típica das sociedades capitalistas liberais.

Incapaz de conciliar-se consigo mesmo, vendo-se sem saída em face a uma realidade hostil, Luís acaba sufocado em sua própria prisão interior e sucumbindo ao crime e à autodestruição.

Interpretação das questões sociais e sua relação com a estrutura do livro

A angústia é o nome da obra porque é o eixo central da narrativa, tudo vem e volta para esse sentimento. Por isso, o foco narrativo do romance é o monólogo interior. 

O narrador-personagem constrói os eventos com base em suas lembranças, em suas percepções, no local em que forma o sentimento angustioso. É um estado de delírio do personagem, sufocado pela angústia, não sabe diferenciar o real do irreal e até confessa ter a memória preenchida pela imaginação. 

Graciliano Ramos fez algo admirável: ao mesmo tempo que trata essa interioridade é capaz de romper com o subjetivismo puro, já que analisa essas estruturas sociais e tece críticas. É um típico exemplar do regionalismo e da literatura engajada.

Mesmo sendo regionalista, pode ser considerado um romance urbano pelo espaço narrativo da cidade de Maceió, capital de Alagoas. No entanto, como o fio condutor é o interior de Luís, ora descreve o presente em Maceió, ora volta-se para seu passado rural.

Gostou do nosso artigo com o resumo do livro Angústia de Graciliano Ramos? Confira outros artigos do nosso blog e se prepare para o Enem da melhor maneira! Você também pode se organizar com o nosso plano de estudos, o mais completo da internet, e o melhor: totalmente gratuito!

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador