Biologia

Tudo sobre Anfíbios: curiosidades, características, classificação e importância!

O que são Anfíbios e quais suas principais característicasO que são Anfíbios e quais suas principais características?

Os Anfíbios são animais que vivem entre o meio aquático e o terrestre. Sua principal característica é ter a pele fina e úmida, fazer fecundação interna e botar ovos! Seus principais representantes são os sapos, rãs, pererecas, salamandras e cobras-cegas! Alguns ainda sofrem metamorfose para passar do girino ao adulto!

Neste artigo sobre Anfíbios, você encontrará:

  1. O que são Anfíbios? Exemplos e importância
  2. Classificação dos Anfíbios
  3. Principais características dos Anfíbios
  4. Fisiologia dos Anfíbios
  5. Curiosidades sobre Anfíbios

O que são Anfíbios? Exemplos e importância

A palavra Anfíbio vem de “amphi” e “bio”, que significam “ambas” e “vida”. Assim, o próprio nome diz que estes seres têm uma forma dupla de viver! A frente saberemos que vida dupla é essa, mas já saiba que alguns exemplos desses animais são: sapos, rãs, pererecas, salamandras…

Alguns cientistas consideram os anfíbios como indicadores biológicos. Essa importância ecológica é atribuída a eles porque está sendo observado um decrescimento na sua população, ao mesmo tempo em que os problemas ambientais no mundo aumentam. 

Além disso, eles se alimentam de animais pequenos e sem ossos, como insetos, minhocas e aranhas. Por isso, também são muito importantes para regulação da Cadeia e Teia alimentar!

Quais são as características dos Anfíbios?

sapos-na-lagoa-com-plantas-quáticas

Como pertencem ao Reino Animal, os anfíbios compartilham todas as características comuns desses seres. Contudo, o que as fizeram se agrupar aqui foram a combinação de algumas características específicas:

  • Pele fina e úmida
  • Ausência de pelos ou penas
  • Maioria vive em habitats úmidos de água doce e terrestres
  • Sofre metamorfose (primeiro assume forma larval, depois de adulto)
  • Possuem sangue frio (são seres exotérmicos/ectotérmicos)
  • São vertebrados, têm esqueleto ósseo
  • São ovíparos 
  • Pálpebras nos olhos para proteção e limpeza
  • Patas bem definidos, embora haja uma exceção (ápode, sem patas)
  • Pode ou não ter cauda

Habitat – Onde vivem os Anfíbios?

Os Anfíbios são classificados como animais terrestres, mas dependem muito da água. Assim, eles habitam as proximidades de riachos, lagoas, açudes e outras áreas alagadas

  • Curiosidades:

Essa dependência existe porque eles foram os primeiros seres a sair do ambiente aquático e ocupar o terrestre! Isso é muito importante levar em conta, porque estima-se que a vida tenha começado na água. Como são os primeiros a ocupar o ambiente terrestre, ainda carregam características do aquático.

Eles vivem em sua maioria na água doce porque sua pele é muito fina. Se vivessem em ambiente de água salgada, desidratariam por osmose devido à diferença de concentração salina! Ainda sim, existem duas exceções adaptativas: a rã comedora de caranguejos, que vive em ambiente marinho e a rã-aguadeira, do Deserto Australiano.

Pele e temperatura

perereca-colorida-verde-e-laranja

A pele dos anfíbios é lisa, vascularizada e fina. Isso significa que ela é muito permeável, ou seja, troca facilmente elementos microscópicos com o meio externo. A pele deles também é rica em glândulas e está sempre úmida.

Ela não possui pelos, escamas ou penas. Como são muito sensíveis, a passagem de calor também ocorre com facilidade, por isso são seres ectotérmicos/exotérmicos/pecilotérmicos, ou seja, têm sangue frio.

Por causa disso, precisam estar constantemente ao sol para se aquecer e manter o metabolismo em alta! São muito influenciados pela temperatura do ambiente externo, então se estiver em um dia quente eles irão procurar sombra para equilibrar!

Em períodos de inverno, alguns anfíbios ficam inativos durante meses, a famosa  hibernação. Quando o clima esquenta, eles voltam à ativa. Curiosamente, o contrário também pode acontecer: alguns anfíbios hibernam durante verões quentes e secos para poupar energia e não aumentar mais ainda sua temperatura pela movimentação.

  • Curiosidade:

Assim, os anfíbios não ingerem água, ela é obtida através da pele! Além disso, ela também permite a troca gasosa entre o sangue e o ar, sendo um órgão da respiração deles! Veremos nos tópicos adiante como a respiração ocorre.

Alguns sapos e pererecas possuem um par de glândulas chamadas paratóides, que contêm veneno e constituem defesa contra os predadores. Não encoste nos que são muito coloridos, este é um sinal da natureza para sinalizar perigo!

Taxonomia – Ordens ou Grupos dos Anfíbios

ordem-ou-grupos-dos-anfíbios-anuros-urodelos-e-ápodes

A Taxonomia é uma ciência que classifica e nomeia todos os seres vivos já encontrados. De acordo com os níveis taxonômicos, os Anfíbios pertencem ao Reino Animal, Filo Cordata e subfilo Vertebrata. A Classe é que recebe o nome Amphibia.

De acordo com a teoria evolutiva, a classe dos répteis ocupam a segunda posição na ordem crescente de complexidade:

Dentro da Classe existem algumas subdivisões chamadas Ordens. Elas são:

  • Anuros: quando adultos, possuem patas e não apresentam cauda. Alguns tem a fase larval logo que saem dos ovos. Ex: sapos, pererecas e rãs. 
  • Urodelos: são aqueles que possuem corpo alongado, patas laterais e uma longa cauda! Ex: salamandras e tritões.
  • Ápodes: têm corpo cilíndrico e não possuem patas, parecem “grandes minhocas” embora tenham ossos e cabeça definida. Ex: cobras-cegas, Cecílias. 

Anatomia e Fisiologia dos Anfíbios

A Anatomia é uma área da Biologia responsável por dar nome às partes do corpo, enquanto a Fisiologia se ocupa do funcionamento dos órgãos e Sistemas. Vamos compreender o funcionamento das principais partes:

Sistema Reprodutor

sapos-se-reproduzindo-acasalando

A reprodução dos anfíbios é do tipo sexuada, geralmente com fecundação externa. Isso ocorre com a fêmea eliminando os óvulos na água e o macho, montado em cima dela,  despeja os espermatozóides sobre eles. 

Assim, na própria água eles se unem e fecundam, formando ovos com embriões. Mas esse processo característico só acontece nos Anuros, pois nos Urodelas a fecundação é interna.

Depois de um tempo, os ovos se abrem e sai uma forma larval chamada girino! Nessa fase, eles se alimentam primeiramente da própria gelatina que os envolve e depois de algas e plantas aquáticas microscópicas. Como estão protegidos pela água, os ovos de anfíbios não possuem anexos embrionários adaptativos e nem casca!

A metamorfose envolve uma série de transformações e é um processo bastante lento, em que o girino se transforma em adulto. Durante esse processo desaparecem as brânquias e desenvolvem-se os pulmões, surgem também as patas no corpo do animal.

Sistema Respiratório

Quando em forma de girino, a respiração é branquial. Mas quando atingem a fase adulta, possuem dois tipos de respiração: pulmonar e cutânea. Os órgãos que participam na fase adulta são pulmões, pele e mucosas (boca e faringe).

Os pulmões são formados por dois sacos sem divisão interna e as narinas abrem-se na cavidade da boca. As trocas gasosas ocorrem na superfície interna dos pulmões, visto que não há alvéolos!

Como já foi dito, a pele fina e úmida também faz a chamada respiração cutânea. A umidade é importante, pois gases não sofrem difusão em superfícies secas. Os anfíbios adaptados a ambientes secos apresentam respiração quase inteiramente pulmonar.

Sistema Digestório

Embora alguns anfíbios possam ter duas fileiras de dentes, de modo geral eles não mastigam suas presas! A língua é bem desenvolvida e consegue ter movimento rápido, é usada na captura de insetos em pleno voo!

O estômago também é bem desenvolvido e o intestino termina em uma cloaca. O sistema digestório é, portanto, completo e auxiliado até por glândulas como fígado e pâncreas. 

Sistema Circulatório

A circulação nos anfíbios é do tipo fechada, ou seja, o sangue sempre permanece em vasos. Também é classificada como dupla, porque há duas dimensões de circulação: corporal e pulmonar. Mesmo que seu coração possua 3 cavidades (2 átrios e 1 ventrículo), ela ainda é dita como incompleta porque não há câmaras especializadas! 

Sistema Excretor

Quando no estado larval o produto de sua excreção é a amônia. Este produto metabólico é mais tóxico e precisa de muita água para diluição. Como eles vivem em água nessa fase, não há problema em poupar energia e não metaboliza-lo, pois o ambiente irá dissolver.

Porém, no estado adultoexcretam ureia. Além de viverem na terra, o metabolismo está mais maduro e tem energia para ir transformando a amônia em ureia.

Sistema Nervoso e sensorial

O sistema nervoso dos anfíbios tem como principal órgão o cérebro. Como é bem desenvolvido, apresentam boa audição pelas vibrações do tímpano e boa visão, com exceção das cobras-cegas. O tato é sentido em toda superfície corporal e o seu sistema olfativo apresenta narinas, além de a língua ter botões gustativos.

Locomoção

Os da Ordem Anura são quase todos saltadores, como os sapos. Na água, as rãs utilizam as patas que possuem membranas interdigitais. As pererecas têm discos adesivos nos dedos, são semelhantes às ventosas mas não é a mesma coisa!

Os Urodelos como as salamandras são capazes de caminhar e usam a cauda para nadar. As cobras-cegas arrastam-se por contrações musculares. 

Gostou do nosso artigo sobre Anfíbios? Confira outros artigos do nosso blog e se prepare para o Enem da melhor maneira! Você também pode se organizar com o nosso plano de estudos, o mais completo da internet, e o melhor: totalmente gratuito!

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador