História

Qual é a história do Rio Grande do Sul? Entenda!

Como é a história do Rio Grande do Sul Descubra as curiosidades!Como é a história do Rio Grande do Sul?Descubra as curiosidades!

A História do Rio Grande do Sul, como conhecemos hoje, começa com as disputas entre as terras espanholas e portuguesas, passando por jesuítas e índios, durante a colonização da américa. Depois da fundação da cidade de Rio Grande pelos açorianos, as imigrações italianas e alemãs ajudaram a dar destaque ao charque, aos vinhos e ao turismo da região.

Neste texto sobre a história do Rio Grande do Sul, você encontrará os tópicos abaixo. Clique em um deles para ir diretamente ao conteúdo:

  1. Quando começa a história do Rio Grande do Sul?
  2. Quais foram os primeiros habitantes?
  3. As missões jesuíticas.
  4. Quais os povos que colonizaram o sul?
  5. A disputa pelas terras.
  6. Afinal, quando surgiu o atual Rio Grande do Sul?
  7. Características e Cultura.
  8. Curiosidades na História do Rio Grande do Sul.

Quando começa a história do Rio Grande do Sul?

Quem nunca ouviu falar sobre o chimarrão ou o churrasco do Rio Grande do Sul, não é mesmo? Mas, quando falamos em história, analisamos todos os fatores anteriores que contribuíram para chegarmos até os dias de hoje.

Assim, a história do Rio Grande do Sul começa muito antes de tudo isso. Poderíamos começar com os aspectos territoriais desse estado desde a pré-história, mas vamos focar naquilo que mais costuma cair no Enem e outros vestibulares.

Por isso, vamos começar a estudar a história desse território no momento próximo à Colonização do Brasil. Vamos falar sobre os povos nativos, as missões e os colonizadores e descobrir coisas interessantes ao final…

Vamos lá!

Quais foram os primeiros habitantes do Rio Grande do Sul?

Os primeiros habitantes do Rio Grande do Sul foram os povos nativos, ou seja, indígenas. Até um século depois do Descobrimento do Brasil, a região ainda era ocupada principalmente por índios Gê, Pampeano e Guarani.

  • Tribo Gê: também é chamada de Tapuia e ocupava o “Cima da Serra”. Nesse local, ainda vivem alguns descendentes de índios Caingangues. Atualmente, corresponde às cidades de Bom Jesus, Lagoa Vermelha, Passo Fundo e São Francisco de Paula.
  • Tribo Pampeano: também é chamada de Charrua e Minuano. Eles viviam na região do pampa, o relevo que é símbolo da região sul e está espalhado pelo atual estado. 
  • Tribo Guarani: viviam à margem da Lagoa dos Patos, uma das maiores lagunas da América do Sul. Hoje, ela se encontra próximo ao município de Pelotas e Tapes. Esse povo inspirou uma das maiores obras literárias brasileiras de José de Alencar.

Ainda hoje, há remanescentes e vilas que mantêm a língua, os objetos, as artes e histórias desses povos. Suas culturas são consideradas patrimônios regionais.

Essa região, que hoje chamamos de estado do RS, foi retratada pela primeira vez em 1531, quando os navegadores portugueses Martim Afonso de Souza e Pero Lopes passaram pela costa, mas não desembarcaram.

Apenas para saber onde estavam, batizaram a barra com o nome de Rio Grande de São Pedro. Alguns anos depois, lá foi aberta a passagem para os navios, do oceano para a Lagoa dos Patos. 

Ainda assim, até o século XVII essa região só abrigava os indígenas, tendo a passagem de alguns colonizadores portugueses e espanhóis em busca de índios para capturar e escravizar.

As Missões Jesuíticas

No início do século XVII, essa região era considerada “terra de ninguém”. Porém, os padres jesuítas já vinham percorrendo o Brasil e chegaram até o encontro dos índios Guaranis. Primeiramente foram os jesuítas espanhóis, em 1626, que fizeram o contato.

Estes religiosos fundaram as Missões Guarani, trazendo missionários para catequizar os índios, pois havia uma preocupação em salvar suas almas e introduzi-los na cultura europeia. 

Por serem inicialmente de origem espanhola, alguns historiadores as consideram como um capítulo à parte da história do estado.

Esse foi o primeiro foco civilizacional da região e ajudou a preservar a língua guarani ao longo dos anos, pois os missionários foram os responsáveis por registrar (na escrita) as culturas indígenas. São José de Anchieta foi o autor da primeira gramática da língua Tupi-Guarani.

Além disso, os padres lutavam contra a escravização que os colonos impunham. Para garantir o alimento dos índios convertidos e dos missionários, o Padre Jesuíta Cristóvão de Mendonça introduziu o gado na região, em 1634.

Em 1641, os jesuítas foram expulsos pelos bandeirantes. Por causa disso, em um primeiro momento, grande parte do gado se espalhou pela região e se tornou selvagem. O nome desse gado é hoje orelhano ou cimarrón (chimarrão).

Os Sete Povos das Missões é um conjunto de estruturas missionárias muito famoso no sul, umas das primeiras. As ruínas de São Miguel Arcanjo é um sítio arqueológico e patrimônio muito famoso. Ficam bem na divisa dos territórios pertencentes ao Paraguai, Brasil, Argentina e Uruguai.

Quais os povos que colonizaram o Rio Grande do Sul?

Tribo Guarani e açorianos vindos de portugal portugueses

Você já deve ter reparado que a maioria dos sulistas têm traços europeus. Isso é explicável pelo fato de que a colonização no Rio Grande do Sul foi feita principalmente por açorianos (portugueses de uma região específica), alemães e italianos.

Esse é um dos capítulos mais recentes da história brasileira. Nós sabemos que tudo começou no nordeste, então só chegamos ao sul depois de um tempo. 

Além disso, o relevo para atravessar o sudeste é bem acidentado e já haviam riquezas que “prenderam” os colonos em outras regiões por um bom tempo.

Mas não se engane, essa colonização envolveu a disputa de terra com conflitos internos e externos, envolvendo vários povos colonizadores. Mais tarde, chega uma segunda leva de povos europeus diferentes. 

A disputa pelas terras e a cidade de Rio Grande

Na época da “terra de ninguém” só haviam colonos portugueses e espanhóis em busca de índios. Depois vieram os missionários que foram expulsos. A partir daí, durante o século XVIII, houve uma intensa disputa entre as duas nações pelo território.

Em 1680 os espanhóis fundaram a colônia de Sacramento e, dois anos depois, os jesuítas aproveitaram que o foco dos bandeirantes estava no ouro para retornar. Fundaram então o primeiro núcleo urbano: São Francisco de Borja, atualmente cidade de São Borja.

Esse território passou a ficar cada vez mais sob a influência da Coroa Espanhola, mas não era oficial. Em 1726, os espanhóis fundaram a cidade de Montevidéu, a leste da colônia de Sacramento, para reduzir de vez a influência portuguesa. 

Em resposta, os portugueses fundaram o Forte de Jesus Maria José em 1737. Hoje, é o correspondente à cidade de Rio Grande.

Logo depois, o primeiro grupo de povoadores oficialmente apoiados pelo governo veio da Ilha dos Açores, em 1740. Eles se instalaram na região de Porto de Dorneles, dando origem à cidade de Porto Alegre.

A disputa só terminou no ano de 1777, quando Portugal e Espanha assinaram o Tratado de Santo Ildefonso. O acordo dizia que a colônia de Sacramento permanecia em posse da Espanha e o Rio Grande ficaria com Portugal.

Afinal, quando surgiu o atual Rio Grande do Sul?

pampa gaucho e carne de charque

Depois que Portugal conseguiu a posse definitiva, expulsaram os espanhóis do território. A cidade de Rio Grande já havia se consolidado desde 1737, mas a fronteira do estado só foi definida em 1801, com a assinatura do Tratado de Badajoz. 

A economia das cidades já fundadas, como Porto Alegre e Rio Grande, era baseada no charque (carne típica da região) e no trigo. 

20 anos depois, começaram a chegar colônias de nações amigas, como italianos e alemães. Eles diversificaram a economia e instalaram as estâncias agrícolas (fazendas especializadas). Assim, houve a expansão desse produto por todo o país.

Alguns índios haviam fugido e se espalhado, outros foram escravizados pelos colonos, outros se incorporaram à sociedade pelo trabalho dos missionários. Então, começa a se estabelecer uma sociedade de matriz de maioria europeia.

Em 1835, todo o país vivia o conturbado Período Regencial. No sul, iniciou-se a Guerra dos Farrapos, um dramático conflito entre gaúchos, envolvendo separatistas, republicanos, imperialistas, etc. 

Com o fim da guerra a sociedade começou a se reestruturar. Mas só houve uma total pacificação em 1928, na gestão do então governador Getúlio Vargas.

E foi assim, explorando seus produtos locais e paisagens turísticas, que no século XX o Rio Grande do Sul havia se tornado a terceira maior economia do Brasil. Desde então, há uma indústria em ascensão e promessas de prosperidade.

Características e Cultura na história do Rio Grande do Sul

Atualmente o Rio Grande do Sul (RS) é um dos estados da Região Sul do Brasil, sendo sua capital é Porto Alegre. Outras características técnicas são:

  • Tem uma área de 281.737,947 km².
  • Faz divisa ao sul com Uruguai, a oeste com a Argentina, a leste com o oceano Atlântico e ao norte com Santa Catarina.
  • Há 497 municípios.
  • Sua população é de 11,2 milhões de habitantes.
  • Seu gentílico é gaúcho, ou seja, assim chamamos as pessoas que vêm de lá.
  • O Rio Grande do Sul é o nono maior estado do Brasil em território.

Além do famoso charque, o Rio Grande do Sul concentra 91% da produção de vinhos nacionais, uma atividade que começou com os imigrantes italianos. As uvas da Serra Gaúcha foram o principal fator atraente.

Além disso, grande parte de suas cidades, como Gramado, são pontos turísticos não só pelos produtos alimentícios mas pela arquitetura tipicamente europeia.

O relevo gaúcho é formado pelo Planalto Serrano, o Pampa e a Serra Lagunar. Os Pampas ocupam 63% da área do Rio Grande do Sul.

O clima é subtropical, mas há pontos subtropical de altitude, onde pode nevar. As quatro estações são bem marcadas e os invernos podem ter temperaturas negativas!

Os rios que cortam o estado fazem parte da famosa bacia do Prata. Seu principal rio é o Uruguai, que é formado pelo Canoas e Pelotas. Também são importantes para a região os rios Taquari, Ijuí, Jacuí, Ibicuí e Camacuã.

Curiosidades na história do Rio Grande do Sul

  • 20 de setembro é o Dia do Gaúcho, mesma data do começo da Revolução Farroupilha.
  • A bandeira do RS foi suspensa pelo Estado Novo e só voltou em 05 de janeiro de 1966.
  • O chimarrão é uma bebida típica e famosa, feita com erva mate. Ela é diurética, rica em vitaminas, sais minerais, fibras e antioxidantes.
  • Alegrete, Caçapava e Piratini são as três cidades da Revolução Farroupilha.
  • A Laguna dos Patos possui 265 km de extensão, é a maior do Brasil e da da América do Sul.
  • Alegrete, Caçapava e Piratini são as três cidades da Revolução Farroupilha.
  • O ponto mais alto do estado é o Pico do Monte Negro que mede 1.403 m de altitude e fica em São José dos Ausentes – RS.
  • Alegrete, Caçapava e Piratini são as três cidades da Revolução Farroupilha.
  • Caxias do Sul – RS é o segundo maior polo metal-mecânico do Brasil e um dos maiores da América Latina.
  • Érico Veríssimo é um escritor sulista e um grande nome da literatura brasileira. Um de seus principais romances, O Tempo e o Vento, já até virou novela e se passa na época da formação da região.
  • A praia do Cassino tem 224 km de costa e é a maior do planeta em extensão.

Gostou do nosso artigo sobre a história do Rio Grande do Sul? Confira outros artigos do nosso blog e se prepare para o Enem da melhor maneira! Você também pode se organizar com o nosso plano de estudos, o mais completo da internet, e o melhor: totalmente gratuito!

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador