Literatura

Exercícios e Resumo das Escolas Literárias

Exercícios e Resumo das Escolas LiteráriasExercícios e Resumo das Escolas Literárias

Quinhentismo, Barroco, Romantismo, Simbolismo e Modernismo são comuns pra você? Esses movimentos são alguns dos exemplos das Escolas Literárias. Leia nosso resumo das escolas literárias e faça os exercícios da matéria.

Preparemos um Resumo das Escolas Literárias para te preparar ainda mais para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e para outros dos principais vestibulares. Pensando nisso, o Beduka separou alguns exercícios para testar os seus conhecimentos.

Escolas Literárias

As Escolas Literárias são separadas de acordo com a característica e com o momento histórico de cada uma, sendo elas responsáveis pela divisão da literatura.

Os movimentos literários, ou também denominados escolas literárias, são separados em era colonial e era nacional. Vamos entender cada uma delas separadamente.

Escolas da Era Colonial

Escolas literárias da era colonial - barraco e quinhentismo

Essa escola pensava na influência da literatura portuguesa, pois nessa fase os portugueses tinham encontrado recentemente o Brasil e durou até a independência brasileira.

Os movimentos literários da era colonial foram:

Quinhentismo (1500 a 1601) 

Os textos eram escritos de maneira informativa e pedagógica, com o intuito de ensinar.  

Principais autores:

  • Pero Vaz de Caminha;
  • Gândavo;
  • José de Anchieta.

Leia o resumo completo sobre o Quinhentismo

Barroco (1601 a 1768)

O cultismo e o conceptismo foram as principais características que marcaram esse movimento, que também é se caracterizado por ser exagerado e bastante requintado.

Principais autores:

  • Gregório de Matos;
  • Bento Teixeira;
  • Botelho de Oliveira.

Leia o resumo completo sobre o Barroco

Arcadismo (1768 a 1808)

O arcadismo é a linguagem marcada por ser mais simples. Havia exaltação da natureza e os temas eram considerados menos complexos e com mais simplicidade.

Principais autores:

  • Cláudio Manuel da Costa – Obras Poéticas
  • Santa Rita Durão – Caramuru
  • Tomás Antônio Gonzaga – Marília de Dirceu

Leia o resumo completo sobre o Arcadismo

Escolas da Era Nacional

Escolas literárias da era nacional - realismo, modernismo, romantismo

A era nacional caracteriza-se pela independência brasileira, consequentemente a literatura também adquire autonomia textual.

Romantismo (1836 a 1881)

O Romantismo diferente dos outros movimentos é separado em três fases:

  • Primeira Fase: as principais características marcantes foram o nacionalismo e o indianismo, que tinham como um dos autores principais Gonçalves Dias;
  • Segunda Fase: as principais características marcantes foram o egocentrismo e o pessimismo, que tinham como um dos autores principais Álvares de Azevedo;
  • Terceira Fase: essa fase tem como auge a liberdade,  que tinha como um dos autores principais Castro Alves.

Resumo completo sobre o Romantismo

Realismo, Naturalismo, Parnasianismo (1881 – 1893)

Esses três movimentos ocorreram em um mesmo momento histórico, sendo o Realismo, como o próprio nome já diz, mostrava o real, a objetividade, temática social e linguagem objetiva.

O naturalismo possui uma linguagem coloquial e com temática polêmica, já o parnasianismo é culto à forma, a frase que define esse movimento é arte pela arte.

Resumo completo sobre Realismo

Principais autores:

  • Machado de Assis (Realismo);
  • Aluísio de Azevedo (Naturalismo);
  • Olavo Bilac (Parnasianismo).

Resumo completo do Parnasianismo

Simbolismo (1893-1910)

O simbolismo é marcado pelo subjetivismo, pela espiritualidade, misticismo e se inspirava principalmente nos ideais românticos.

Principais autores:

  • Cruz e Sousa;
  • Alphonsus de Guimarães;
  • Augusto dos Anjos.

Veja o resumo completo do Simbolismo

Pré – Modernismo (1910-1922)

O pré-modernismo é marcado pela marginalidade dos personagens e marca o rompimento com o academicismo.  

Principais autores:

  • Euclides da Cunha;
  • Lima Barreto;
  • Graça Aranha.

Veja o resumo completo do Pré-Modernismo

Modernismo

O modernismo é dividido em três momentos:

  • Primeira Fase: as principais características marcantes foram o radicalismo e a renovação estética, que tinha como um dos autores principais Manuel Bandeira;
  • Segunda Fase: as principais características eram as temáticas nacionalistas, que tinham como um dos autores principais Graciliano Ramos;
  • Terceira Fase: essa fase possui várias inovações linguísticas e artísticas, que tinha como um dos autores principais Clarice Lispector.

Veja o resumo completo do Modernismo

Pós-Modernismo (1950 até os dias de hoje)

A liberdade artística, o estilo mais espontâneo e a inovação são as principais características que marcam esse movimento.

Principais autores:

  • Ariano Suassuna;
  • Millôr Fernandes;
  • Paulo Leminski.

Faça os Exercícios sobre Escolas Literárias para testar todos seus conhecimentos.

Exercícios sobre Escolas Literárias

Baixe o melhor plano de estudos gratuito que você encontrará na internet.

1 – (FUVEST) – 

I –“Ah! enquanto os Destinos impiedosos

Não voltam contra nós a face irada,

Façamos, sim façamos, doce amada,

Os nossos breves dias mais ditosos”.

II – “É a vaidade, Fábio, nesta vida,

Rosa, que da manhã lisonjeada,

Púrpuras mil, com ambição dourada,

Airosa rompe, arrasta presumida”.

III – “E quando eu durmo… e o coração ainda

Procura na ilusão tua lembrança,

Anjo da vida passa nos meus sonhos

E meus lábios orvalha d’esperança!”

Associe os trechos acima com os respectivos movimentos literários, cujas características estão enumeradas abaixo:

Romantismo: evasão e devaneio na realização de um erotismo difuso.

Arcadismo: aproveitamento do momento presente (“carpe diem”).

Barroco: efemeridade da beleza física, brevidade enganosa da vida.

a) I – Romantismo; II – Arcadismo; III – Barroco

b) I – Barroco; II – Arcadismo; III – Romantismo

c) I – Arcadismo; II – Romantismo; III – Barroco

d) I – Arcadismo; II – Barroco; III – Romantismo

e) I – Barroco; II – Romantismo; III – Arcadismo 

2 – (UFSM)Numere a primeira coluna de acordo com a segunda:

(  ) Compensação de frustrações sentimentais na fuga da realidade através da imaginação.

(  ) Literatura de informação que resgata as origens da nacionalidade brasileira, refletindo um certo didatismo.

(  ) Reconhecimento da realidade através dos sentidos, revelando uma preocupação com aspectos religiosos.

(  ) Utilização de linguagem simbólica para a expressão da fugacidade das coisas, marcadas pelo paradoxo e pela gradação.

(  ) Utilização de linguagem metafórica para expressar sentimentos individuais e de culto à nacionalidade.

(1) Romantismo

(2) Barroco

(3) Quinhentismo

A sequência correta é:

a) 3, 2, 2, 1, 1

b) 3, 1, 3, 1, 2

c) 1, 3, 2, 2, 1

d) 1, 3, 2, 1, 2

e) 2, 1, 3, 1, 3

3 – ENEM – 2012 (Questão 131) –

escultura-de-aleijadinho-Exercícios e Resumo das Escolas Literárias

BARDI, P. M. Em torno da escultura no Brasil. São Paulo: Banco Sudameris Brasil, 1989

Com contornos assimétricos, riqueza de detalhes nas vestes e nas feições, a escultura barroca no Brasil tem forte influência do rococó europeu e está representada aqui por um dos profetas do pátio do Santuário do Bom Jesus de Matosinho, em Congonhas (MG), esculpido em pedra-sabão por Aleijadinho. Profundamente religiosa, sua obra revela

a) liberdade, representando a vida de mineiros à procura da salvação.

b) credibilidade, atendendo a encomendas dos nobres de Minas Gerais.

c) simplicidade, demonstrando compromisso com a contemplação do divino.

d) personalidade, modelando uma imagem sacra com feições populares.

e) singularidade, esculpindo personalidades do reinado nas obras divinas.

4 – (VUNESP)Assinale a alternativa INCORRETA com relação à Literatura Portuguesa:

a) O ambiente das cantigas de amor é sempre o palácio, com o trovador declarando seu amor por uma dama (tratada de “senhor”, isto é, senhora). Daí o relacionamento respeitoso, cortês, dentro dos mais puros padrões medievais que caracterizam a vassalagem, a servidão amorosa. 

b) o teatro vicentino é basicamente caracterizado pela sátira, criticando o comportamento de todas as camadas sociais: a nobreza, o clero e o povo. Gil Vicente não tem preocupação de fixar tipos psicológicos, e sim a de fixar tipos sociais. 

c) o marco inicial do Romantismo em Portugal é a publicação do poema “Camões”. Todavia, a nova estética literária só viria a se firmar uma década depois com a Questão Coimbrã, quando se aceitou o papel revolucionário da nova poesia e a independência dos novos poetas em relação aos velhos mestres. 

d) Eça de Queirós, em sua obra, dedica-se a montar um vasto painel da sociedade portuguesa, retratada em seus múltiplos aspectos: a cidade provinciana; a influência do clero; a média e a alta burguesia de Lisboa; os intelectuais e a aristocracia. 

e) A mais rica, densa e intrigante faceta da obra de Fernando Pessoa diz respeito ao fenômeno da heteronímia que deu aos poetas Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos biografias, características, traços de personalidade e formação cultural diferentes.

5 – (UFES)A imagem do “Homem Vitruviano” é uma representação elaborada no final do século XV por Leonardo da Vinci e exprime o antropocentrismo e a harmonia das formas que caracterizaram as obras artísticas do período renascentista. Sobre o renascimento, não é correto afirmar que:

a) um dos seus principais fundamentos intelectuais foi o Humanismo, concepção segundo a qual o homem deveria ser valorizado como o epicentro do mundo e da história, como havia ocorrido na Antiguidade Clássica.

b) o estudo do homem e da natureza, nesse período, fundamentava-se no espírito crítico, o que possibilitou o desenvolvimento do pensamento científico, como se comprova na defesa da teoria heliocêntrica por Nicolau de Cusa e Nicolau Copérnico.

c) os homens da época tenderam a valorizar a produção artística e intelectual das civilizações do Oriente Médio, especialmente a egípcia e a mesopotâmica, pela conexão que estas guardavam com a história hebraica descrita na Bíblia.

d) um dos seus maiores expoentes foi Leonardo da Vinci, um modelo do intelectual renascentista, pelo fato de se ter dedicado a múltiplas áreas do conhecimento, como, por exemplo, à Anatomia, à Física e à Botânica, além de à Pintura.

e) o termo “Renascimento” designa uma modalidade de expressão intelectual urbana e burguesa originária da Península Itálica, que se constituiu a partir do sincretismo entre a Cultura Clássica e a tradição judaico-critã.

6 – (UNAMA/PA) “Humanismo é uma palavra inventada no século XIX para descrever o programa de estudos, e seu condicionamento de pensamento e expressão, que era conhecido desde o final do século XV”. HALE, John. Dicionário do renascimento italiano. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1988. p. 187. De acordo com o trecho anterior, e por meio de seus estudos históricos, é correto afirmar que o programa humanista:

a) Era encabeçado por reis e papas (os mecenas), os quais auxiliavam, humanitariamente, os artistas do século XIX a compreender as formas artísticas do Renascimento.

b) Atrelava-se ao modo de pensar renascentista, no qual o homem e a natureza passavam a ser valorizados na construção do conhecimento mundano.

c) Era marcado por uma valorização de temas naturalistas, opondo-se aos temas religiosos e sua ligação e proximidade com a Igreja católica e a protestante do século XIX.

d) Constituía-se por uma aproximação com o mundo grego e romano, valorizando o equilíbrio das formas e proporções, num exemplo de arte barroca (humanista) do século XV.

e) A valorização de ideias como a coletividade e a expropriação da propriedade privada.

7 – (FAU-SP) O indianismo de nossos poetas românticos é:

a)uma forma de apresentar o índio em toda a sua realidade objetiva; o índio como elemento étnico da futura raça brasileira.

b)um meio de reconstruir o grave perigo que o índio representava durante a instalação da capitania de São Vicente.

c) um modelo francês seguido no Brasil; uma necessidade de exotismo que em nada difere do modelo europeu.

d) um meio de eternizar liricamente a aceitação, pelo índio, da nova civilização que se instalava.

e) uma forma de apresentar o índio como motivo estético; idealização com simpatia e piedade; exaltação da bravura, do heroísmo e de todas as qualidades morais superiores.

8 – (Unifesp-2003) – 

O cortiço

Fechou-se um entra-e-sai de marimbondos defronte daquelas cem casinhas ameaçadas pelo fogo. Homens e mulheres corriam de cá para lá com os tarecos ao ombro, numa balbúrdia de doidos. O pátio e a rua enchiam-se agora de camas velhas e colchões espocados. Ninguém se conhecia naquela zumba de gritos sem nexo, e choro de crianças esmagadas, e pragas arrancadas pela dor e pelo desespero. Da casa do Barão saíam clamores apopléticos; ouviam-se os guinchos de Zulmira que se espolinhava com um ataque. E começou a aparecer água. Quem a trouxe? Ninguém sabia dizê-lo; mas viam-se baldes e baldes que se despejavam sobre as chamas.

Os sinos da vizinhança começaram a badalar.

E tudo era um clamor.

A Bruxa surgiu à janela da sua casa, como à boca de uma fornalha acesa. Estava horrível; nunca fora tão bruxa. O seu moreno trigueiro, de cabocla velha, reluzia que nem metal em brasa; a sua crina preta, desgrenhada, escorrida e abundante como as das éguas selvagens, dava-lhe um caráter fantástico de fúria saída do inferno. E ela ria-se, ébria de satisfação, sem sentir as queimaduras e as feridas, vitoriosa no meio daquela orgia de fogo, com que ultimamente vivia a sonhar em segredo a sua alma extravagante de maluca.

Ia atirar-se cá para fora, quando se ouviu estalar o madeiramento da casa incendiada, que abateu rapidamente, sepultando a louca num montão de brasas.

(Aluísio Azevedo. O cortiço)

O caráter naturalista nessa obra de Aluísio Azevedo oferece, de maneira figurada, um retrato de nosso país, no final do século XIX. Põe em evidência a competição dos mais fortes, entre si, e estes, esmagando as camadas de baixo, compostas de brancos pobres, mestiços e escravos africanos. No ambiente de degradação de um cortiço, o autor expõe um quadro tenso de misérias materiais e humanas. No fragmento, há várias outras características do Naturalismo. Aponte a alternativa em que as duas características apresentadas são corretas.

a) Exploração do comportamento anormal e dos instintos baixos; enfoque da vida e dos fatos sociais contemporâneos ao escritor.

b) Visão subjetivista dada pelo foco narrativo; tensão conflitiva entre o ser humano e o meio ambiente.

c) Preferência pelos temas do passado, propiciando uma visão objetiva dos fatos; crítica aos valores burgueses e predileção pelos mais pobres.

d) A onisciência do narrador imprime-lhe o papel de criador, e se confunde com a ideia de Deus; utilização de preciosismos vocabulares, para enfatizar o distanciamento entre a enunciação e os fatos enunciados.

e) Exploração de um tema em que o ser humano é aviltado pelo mais forte; predominância de elementos anticientíficos, para ajustar a narração ao ambiente degradante dos personagens.

2 – (PUC – PR/2007)Assinale a alternativa que contém a afirmação correta sobre o Naturalismo no Brasil.

a) O Naturalismo, por seus princípios científicos, considerava as narrativas literárias exemplos de demonstração de teses e ideias sobre a sociedade e o homem.

b) O Naturalismo usou elementos da natureza selvagem do Brasil do século XIX para defender teses sobre os defeitos da cultura primitiva.

c) A valorização da natureza rude verificada nos poetas árcades se prolonga na visão naturalista do século XIX, que toma a natureza decadente dos cortiços para provar os malefícios da mestiçagem.

d) O Naturalismo no Brasil esteve sempre ligado à beleza das paisagens das cidades e do interior do Brasil.

e) O Naturalismo do século XIX no Brasil difundiu na literatura uma linguagem científica e hermética, fazendo com que os textos literários fossem lidos apenas por intelectuais.

3 – (ENEM 2001) No trecho abaixo, o narrador, ao descrever a personagem, critica sutilmente um outro estilo de época: o romantismo.

“Naquele tempo contava apenas uns quinze ou dezesseis anos; era talvez a mais atrevida criatura da nossa raça, e, com certeza, a mais voluntariosa. Não digo que já lhe coubesse a primazia da beleza, entre as mocinhas do tempo, porque isto não é romance, em que o autor sobredoura a realidade e fecha os olhos às sardas e espinhas; mas também não digo que lhe maculasse o rosto nenhuma sarda ou espinha, não. Era bonita, fresca, saía das mãos da natureza, cheia daquele feitiço, precário e eterno, que o indivíduo passa a outro indivíduo, para os fins secretos da criação.”

ASSIS, Machado de. Memórias Póstumas de Brás Cubas.

Rio de Janeiro: Jackson, 1957.

A frase do texto em que se percebe a crítica do narrador ao romantismo está transcrita na alternativa:

a) … o autor sobredoura a realidade e fecha os olhos às sardas e espinhas…

b) … era talvez a mais atrevida criatura da nossa raça…

c) Era bonita, fresca, saía das mãos da natureza, cheia daquele feitiço, precário e eterno, …

d) Naquele tempo contava apenas uns quinze ou dezesseis anos…

e) … o indivíduo passa a outro indivíduo, para os fins secretos da criação.

Respostas dos Exercícios sobre Escolas Literárias

Exercício resolvido da questão 1 –

d) I – Arcadismo; II – Barroco; III – Romantismo

Exercício resolvido da questão 2 –

c) 1, 3, 2, 2, 1

Exercício resolvido da questão 3 –

d) personalidade, modelando uma imagem sacra com feições populares.

Exercício resolvido da questão 4 –

c) o marco inicial do Romantismo em Portugal é a publicação do poema “Camões”. Todavia, a nova estética literária só viria a se firmar uma década depois com a Questão Coimbrã, quando se aceitou o papel revolucionário da nova poesia e a independência dos novos poetas em relação aos velhos mestres. 

Exercício resolvido da questão 5 –

c) os homens da época tenderam a valorizar a produção artística e intelectual das civilizações do Oriente Médio, especialmente a egípcia e a mesopotâmica, pela conexão que estas guardavam com a história hebraica descrita na Bíblia.

Exercício resolvido da questão 6 –

b) Atrelava-se ao modo de pensar renascentista, no qual o homem e a natureza passavam a ser valorizados na construção do conhecimento mundano.

Exercício resolvido da questão 7 –

e) uma forma de apresentar o índio como motivo estético; idealização com simpatia e piedade; exaltação da bravura, do heroísmo e de todas as qualidades morais superiores.

Exercício resolvido da questão 8 –

a) Exploração do comportamento anormal e dos instintos baixos; enfoque da vida e dos fatos sociais contemporâneos ao escritor.

Exercício resolvido da questão 9 –

a) O Naturalismo, por seus princípios científicos, considerava as narrativas literárias exemplos de demonstração de teses e ideias sobre a sociedade e o homem.

Exercício resolvido da questão 10 –

a) … o autor sobredoura a realidade e fecha os olhos às sardas e espinhas…

Estude para o Enem com o Simulado Beduka. É gratuito!

Gostou dos nossos Exercícios e Resumo das Escolas Literárias? Compartilhe com os seus amigos e comente abaixo sobre áreas que você deseja mais explicações.

Queremos te ajudar a encontrar a FACULDADE IDEAL! Logo abaixo, faça uma pesquisa por curso e cidade que te mostraremos todas as faculdades que podem te atender. Informamos a nota de corte, valor de mensalidade, nota do MEC, avaliação dos alunos, modalidades de ensino e muito mais.

Experimente agora!

Redação Beduka
Redação Beduka
A equipe de redação do Beduka é composta por pessoas de várias formações, sempre prontas a aprender sobre tudo para publicar os melhores textos e colaborar com a formação de todos os leitores. Sinta-se a vontade para deixar o seu comentário!

Sisu

Enem

Matérias

Simulado

Buscador